Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
2,017
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2

Actions

Shares
Downloads
44
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Luís Vaz de Camões poeta portugués
  • 2. BIOGRAFIA• Nado cara a 1524 e finado o 10 de xuño de 1580.• Filho de Simão Vaz de Camões e Ana de Sá e Macedo.• Considerado como o maior poeta de lingua portuguesa e dos maiores da Humanidade.
  • 3. BIOGRAFIA • En 1542 transladou- se a Lisboa e viviu alí 3 anos. • Atribuem-se-lhe vários desterros, sendo um para Ceuta, onde perdeu o seu olho direito, e outro para Constância, entre 1547 e 1550 .
  • 4. BIOGRAFIA • Entre 1553 e 1568, terá viajado pela África Oriental, Goa, Macau e China. • Em 1570 regressa a Lisboa.
  • 5. DATOS• A identificação de Camões e da sua obra como símbolos da nação portuguesa data no início da monarquia dual de Filipe II de Espanha.
  • 6. DATOS • Praça Luís de Camões : localiza-se no Bairro Alto, em Lisboa. • Nela localiza-se o consulado- geral do Brasil na capital portuguesa.
  • 7. A SÚA OBRA• A epopeia Os Lusíadas (1572) é a obra máis significativa de Camões.• “Os Lusíadas” é uma das obras mais importantes do Renascimento(finais do século XV e todo o século XVI). .
  • 8. OS LUSÍADAS• A acção central é a descoberta do caminho marítimo para a Índia por Vasco da Gama, à volta da qual se vão descrevendo outros episódios da história de Portugal, glorificando o povo português.
  • 9. 1. OS LUSÍADAS• Em Março de 1553 o poeta parte para Goa na São Bento, nau incorporada à frota comandada pelo capitão Fernão Álvares Cabral. É soldado raso. Chega à capital da Índia portuguesa seis meses depois. Pena e papel sempre à mão, o poeta escreve sobre o que vê:
  • 10. OS LUISADAS• "(...) Cá, onde o mal se afina e o bem se dana, E pode mais que a honra a tirania; Cá, onde a errada e cega monarquia Cuida que um nome vão a Deus engana; (...) Cá neste escuro caos de confusão, Cumprindo o curso estou da natureza. Vê se me esquecerei de ti, Sião!" (1)
  • 11. 2. OS LUISADAS• Camões acorda na praia depois do naufragio. Tudo embaçado, imagens sem sentido. Sonho e realidade confundem-se. Abandona-se. Chora a perda da mulher amada: Dinamene, a chinesa, "aquela cativa que me tem cativo"... Ela, que viajou em sua companhia, não sobreviveu ao naufrágio. Luís Vaz levanta-se, caminhar trôpego, desconsolo:
  • 12. OS LUISADAS • "Alma minha gentil, que te partiste  Tão cedo desta vida, descontente,  Repousa lá no céu eternamente  E viva eu cá na terra sempre triste."
  • 13. LITERATURA PORTUGUESA• A Idade de ouro situa-se no Renascimento, momento em que aparecem escritores como Gil Vicente, Bernardim Ribeiro, Sá de Miranda e sobretudo o grande poeta épico Luís de Camões, autor de Os Lusíadas.
  • 14. FIM