Biotecnologias relatorio final

548 views
438 views

Published on

Projeto de Arte e Ciência, feito por integrantes do Labjor e em colaboração com o Museu de Imagem e do Som (MIS) de Campinas.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
548
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Biotecnologias relatorio final

  1. 1. • Antonio Carlos Rodrigues Amorim • Davi Santaella • Flávia Dourado • Enio Rodrigo • Hércules Menezes • Luiz Juttel • Murilo Alves • Paulo Martins • * Realização e Produção: Projeto “Biotecnologias de Rua”(Coordenação: Carlos Vogt) – equipe multidisciplinar de pesquisadores e artistas vinculados ao Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) sob o número do processo: 553572/2006-7. Edital MCT/ CNPq n. 12/2006 – Difusão e Popularização da C&T.
  2. 2. APRESENTAÇÃO Células-tronco, transgênicos, reprodução assistida, DNA, biocombustíveis, terapia gênica, biodiversidade, clonagem... Afinal, a biotecnologia vai nos ajudar a sobreviver ao século XXI? Será que ela fornecerá todas as respostas? Resolverá todos os nossos problemas? portanto, entre um passado que a enclausura em um modelo maniqueísta, rígido e dogmático de produção de conhecimentos, e um futuro, já em curso, que a liberta da pretensão inexorável de alcançar verdades absolutas. Situada na fronteira entre esses dois tempos Ou criará outros? científicos, a biotecnologia do presente ainda é um devir. A nossa cultura é marcada pela hegemonia dos conhecimentos científicos e pelo conflito de imagens Vivemos um momento de questionamento e dicotômicas da ciência – ora vista como panacéia reestruturação, em que se estabelece uma nova ordem para todos os males, ora como a principal responsável econômica, social e cultural, embora sua configuração por mazelas que afligem a humanidade. Essas ainda não seja clara. A ciência – considerada pela representações polarizadas e estereotipadas povoam maioria dos indivíduos a única forma de explicar o o imaginário social com perspectivas exageradas da mundo e de garantir nossa sobrevivência no século capacidade de os cientistas promoverem o bem e o XXI – também não escapa a estes questionamentos e mal – particularmente no que tange às aplicações da encontra-se mergulhada em embates éticos, financeiros biotecnologia. e morais, tão comuns quantos os que acometem qualquer outra instituição de nosso tempo. A existência de visões estigmatizadas e A biotecnologia talvez seja o melhor paradoxais do universo científico – expressas na representante dessa problemática, uma vez que difusão de clichês, de lugares comuns e de imagens nasceu imersa na crise da ciência. Conflitos éticos, hiperbólicas e estandardizadas – é, ao mesmo tempo, interesses econômicos, política, religião e possíveis sintoma e causa de uma crise institucional: a crise da benefícios repletos de estereótipos povoam tanto a ciência. Falta-lhe uma identidade que integre suas prática científica quanto o imaginário que a cerca diversas representações e que flexibilize suas normas. e – reforçados por representações dicotômicas A ciência encontra-se em transformação, no trânsito difundidas em demasia pela mídia – escancaram a entre a Idade Moderna e a Pós-moderna; dividida, crise institucional da atividade científica.
  3. 3. GERAIS ESPECÍFICOSOBJETIVOS A instalação “Bem me quer, mal me quer”, criada por alunos do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo Científico da Unicamp, propõe uma reflexão sobre as contradições da ciência e do discurso midiático que a cerca e sobre o futuro de • Grande Irmão: Criticar o conflito de visões estereotipadas e maniqueístas da biotecnologia no discurso midiático, partindo do pressuposto de que os meios de comunicação reproduzem preconceitos e nossa sociedade frente aos desafios trazidos pela representações polarizadas do universo científico contemporaneidade. e, por isso, acaba por associá-lo ao insólito e ao fantástico. Propomos discutir a biotecnologia por meio da arte, a fim de ampliar o escopo do debate e movê- • Luz Negra: lo para fora do campo técnico e das representações Proporcionar uma experiência sensorial imagéticas da mídia. Pretendemos, assim, expor os que permita ao visitante entender que há um discurso conflitos inerentes à ciência; questionar o papel da oculto na biotecnologia, bem como perceber a atividade científica, de seus produtores e de seus si mesmo como parte integrante do processo de produtos; e expor visões estereotipadas do universo produção de conhecimentos. científico. • Caixas pretas: Desejamos, também, fazer uma crítica à Brincar com a idéia da ciência como uma ciência de forma lúdica e interativa, mostrando caixa preta, hermética, fechada, misteriosa, cujo que a difusão de uma postura reflexiva não requer conteúdo é indecifrável e incompreensível. Tais necessariamente o uso de suportes tradicionais, caixas, como as dos aviões, guardariam informações em moldes acadêmicos. A ciência, especialmente a preciosas, conhecimentos, saberes, métodos e biotecnologia, ainda que seja caracteristicamente um verdades só inteligíveis para uma comunidade de foro técnico, deve e precisa ser discutida por leigos, profissionais especiais e preparados – os cientistas. por meio de mecanismos diversos e de outras formas (continua) de conhecimento, como a arte.
  4. 4. ESPECÍFICOS (cont.)OBJETIVOS • Auto-retrato: Expor a visão que os cientistas constroem de si mesmos, através da fotografia. • Ciência ou ficção: Criticar uma percepção estigmatizada da ciência difundida entre o público leigo – a de uma ciência mágica, milagrosa, que se apresenta como um poder onipotente, admirado e temido. Criticar também a tendência de a mídia enfatizar aspectos bizarros, fantásticos ou extraordinários das notícias científicas. de comunicação enfatizarem o elemento curioso, bizarro, pitoresco, fantástico e extraordinário das notícias científicas.
  5. 5. PEÇAS descrição das Grande Irmão Seis telas antigas de TV e de PCs mostram vídeos em close-up de um homem fazendo diferentes discursos que reforçam estereótipos da biotecnologia, tanto negativos como positivos. Essa peça da instalação faz uma referência à obra “1984”, de George Orwel.
  6. 6. PEÇAS descrição das Caixas pretas É formada por um conjunto - De visualização: cinco caixas terão pequenos orifícios na superfície de oito caixas pretas de superior, por onde o visitante pode olhar. No interior há mangueiras de luz madeira, de aproximadamente para permitir a visualização do conteúdo – objetos e imagens que fazem 40X40cm, divididas em dois referência à biotecnologia; grupos: - De tateamento: três caixas com aberturas laterais para o visitante manusear o conteúdo, sem poder visualizá-lo.
  7. 7. PEÇAS descrição das Auto-retrato Essa peça consiste em uma exposição de fotos. Também faz parte dessa peça um grande painel no Pediremos que três biotecnólogos construam cenários formato de uma ovelha – desenho utilizado em outras representativos de suas atividades, que serão peças do Biotecnologias de Ruas. No lugar da cara fotografados. As fotos estarão expostas em um do animal, há um buraco para o visitante colocar sua suporte de acrílico e, em frente a cada uma delas, cabeça. haverá um espelho que refletirá o auto-retrato.
  8. 8. PEÇAS descrição das Ciência ou ficção É formada por três peças. 1) Um projetor de slides projeta fotos e 2) Uma prateleira de metal, como as de 3) Um banner composto por diversas imagens de manchetes de jornais que farmácias, com vidros cheios de balas imagens de fatos e acontecimentos abordam a biotecnologia de forma coloridas, para simular compridos. Em que rompem com a normalidade e que sensacionalista. O visitante terá acesso cada um dos vidros há uma frase que mostram, assim, a biotecnologia sob a ao controle para mudar de slide. diz para que aquele “medicamento” é perspectiva do espetacular, do insólito e indicado – pílulas da felicidade; pílulas do sensacional. No topo do painel está da beleza, pílulas da sedução, pílulas da a pergunta “Ciência ou Ficção?”; inteligência, pílulas da riqueza, pílulas da juventude, etc.
  9. 9. PEÇAS descrição das Luz Negra Consiste em um corredor (ou uma sala), formado por paredes negras, com uma entrada e uma saída fechadas por cortinas pretas. O corredor é completamente escuro, sem iluminação. Nas paredes há frases e pensamentos relativos à biotecnologia, pintados com tinta sensível à luz ultravioleta. Tais frases só podem ser visualizadas pelo visitante quando ele explora as paredes do local com uma lanterna de luz negra, disponíveis no ambiente.
  10. 10. o espaço O MIS, Museu da Imagem e do Som de Campinas foi fundado em 1975. O espaço é um prédio histórico, tombado, que está sendo aos poucos reformado, redescobrindo-se murais e antigas pinturas no espaço que já foi a prefeitura de Campinas nos tempos dos Barões do Café.
  11. 11. o espaço
  12. 12. o espaço
  13. 13. Planta 6,0 m ACESSO: portas JANELAS ESCRITORIO MIS 16,75 m 16,75 m6,0 m 6,0 m 6,0 m 5,0 m 6,9 m 8,25 m JANELAS ACESSO: portas ESCRITORIO MIS 3,15 m 1,25 m
  14. 14. montagem
  15. 15. montagem
  16. 16. montagem
  17. 17. montagem
  18. 18. a exposição
  19. 19. Peças ciência ou ficção
  20. 20. banners
  21. 21. banners
  22. 22. banners
  23. 23. banners
  24. 24. Slides
  25. 25. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Edição de 2 de setembro de 1981 Há muito tempo a mídia fala de biotecnologia
  26. 26. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Já naquela época tínhamos notícias que iam muito além dos fatos Na edição de 27 de abril de 1983 a Revista Veja caiu na brincadeira de 1o de abril da revista inglesa New Scientist e publicou esta notícia fictícia
  27. 27. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Ciência ou ficção? / ciência e saúde / biologia Versão para impressão Enviar por e-mail Receber newsletter Celular 21/11/2007 - 16h28 Cupim pode ajudar madeira a se tornar biocombustível Segredo está nas bactérias que vivem no intestino do inseto. Cientistas acreditam que elas poderiam transformar até papel em energia.ira a se tornar
  28. 28. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Sushi de Biocombustível / ciência e saúde / energia limpa / ciência e saúde / energia limpa ? Versão para impressão Enviar por e-mail Receber newsletter Celular Versão para impressão Enviar por e-mail Receber newsletter Celular 09/08/2007 - 10h09 09/08/2007 - 10h09 Japão quer fazer biocombustível dede arr Japão quer fazer biocombustível arroz Partes não-comestíveis do arrozal serão usadas no desenvolvimento. Partes não-comestíveis dosó funciona em escalano desenvolvimento. Até agora, processo arrozal serão usadas de laboratório. Até agora, processo só funciona em escala de laboratório. Quinta-feira 29 de novembro de 2007 22ºC Busca RSS O que é isto? RSS Capa O que é isto? Ciência e Tecnologia Versão para impressão RSS Brasil Capa e Tecnologia Ciência Japão transformará palitinho em Versão para impressão Ciência e Tecnologia combustível Brasil e Lazer Cultura Economia Ciência e Tecnologia Japão transformará palitinho em ANÚNCIOS Cultura e Lazer combustível
  29. 29. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Quantas cópias o senhor deseja? Edição de 5 de março de 1997
  30. 30. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Comunicar erros Enviar por e-mail Imprimir 27/12/2002 - 08h00 Nasce o primeiro clone humano, diz movimento raeliano da France Presse, em Miami (EUA) O primeiro clone humano nasceu ontem, afirmou a química francesa e integrante da seita raeliana Brigitte Boisselier. Segundo Boisselier, 46, presidente do laboratório Clonaid, uma menina chamada Eve teria nascido de cesárea com 3,1 quilos às 14h55 (horário de Brasília) do dia 26, e suas condições são estáveis. Em novembro, ela disse que uma criança clonada nasceria nos Estados Unidos como cópia genética de sua mãe. Notícias Especial Serviço Galeria Erramos Colunas Fale conosco Atendimento ao assinante Grupo Folha Em cima da hora | Ambiente | Bichos | Brasil | Ciência e Saúde | Comida | Cotidiano | Dinheiro | Educação | Equilíbrio [an error occurred while processing this directive] [an error occurred while processing this directive] 30/01/2003 - 21h31 Seita diz que 1º "clone" da América do Sul nasceria no Brasil da Reuters, em Buenos Aires O representante na América do Sul do Movimento Raeliano --o qual acredita que os seres humanos Dossiê Raelinanos foram criados originalmente por extraterrestres-- disse hoje que o primeiro "clone" da região deve nascer no Brasil. e seus clones Segunda-feira, 30 de Dezembro de 2002, 18:45 | Online 0 comentário(s) Avalie esta Notícia Fundador de seita possui lista de 2 mil interessados em clonagem Tamanho do texto? Folha Online e Estadão
  31. 31. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Matam ou salvam, eis a questão Revista Veja 29 de dezembro de 2003
  32. 32. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Revista Isto É 30 de maio de 2007
  33. 33. Encontre o seu defeito, resolva o seu problema Sexta-feira, 18 de Julho de 2003 Saúde Estudo revela o gene da depressão 18 de Julho de 2003 | 08:30 Sexta-feira, 02 de Agosto de 2002 CIÊNCIA Ingleses descobrem o gene do crime 02 de Agosto de 2002 | 09:04 Terça-feira, 04 de Setembro de 2007 Saúde Estudo pode ter descoberto um gene da gordura 04 de Setembro de 2007 | 16:35 Terça-feira, 11 de Janeiro de 2005 Saúde Gene pode evitar que vírus provoque Aids 11 de Janeiro de 2005 | 08:03 Sexta-feira, 23 de Maio de 2003 SAÚDE Médicos encontram o gene da infertilidade masculina Manchetes de Veja.com 23 de Maio de 2003 | 14:11 IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer”
  34. 34. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ou Ficção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Antes era o gene gay, agora... Ajuda Página simplificada Atualizado às: 05 de outubro, 2007 - 08h25 GMT (05h25 Brasília) Primeira Página Ciência & Saúde Envie por e-mail Versão para impressão Cultura & Entretenimento Estudo sobre bomba gay ganha prêmio Ig Nobel Vídeo & Áudio Fotos Uma pesquisa pioneira sobre NOTÍCIAS RELACIONADAS Especial uma "bomba gay" que faz Interatividade com que soldados das forças Estudo sobre defecação de pingüim ganha prêmio IgNobel Tempo inimigas se tornem 07 de outubro, 2005 | Ciência & Saúde Aprenda inglês "sexualmente irresistíveis" Nobel premia físicos por estudos --------------- uns para os outros recebeu sobre a luz 04 de outubro, 2005 | Ciência & Saúde RÁDIO este ano um dos prêmios Ig Nobel premia físicos por estudos Programação Nobel, uma versão bem sobre a luz Como Sintonizar humorada do prêmio Nobel. 04 de outubro, 2005 | Ciência & Saúde --------------- Descoberta sobre úlceras rende Nobel SERVIÇOS Entre os outros vencedores Um dos premiados foi estudo sobre de Medicina a australianos hamsters com jet-lag 03 de outubro, 2005 | Ciência & Saúde Newsletter estão um trabalho para tratar Ajuda de jet-lag em hamsters com drogas contra a impotência, a Descoberta sobre úlceras rende Nobel de Medicina a australianos Sobre a BBC extração de baunilha de esterco e os efeitos colaterais de se 03 de outubro, 2005 | Ciência & Saúde Expediente engolir espadas. Parceiros LINKS EXTERNOS Empregos Os prêmios Ig Nobel, criados em 1991, são destinados a IgNobel (em inglês)Fale com a gente pesquisas que "primeiro fazem a pessoa rir, e depois pensar". A BBC não se responsabiliza pelo --------------- Eles são obra da revista Annals of Improbable Research (Anais conteúdo dos links externos indicados. MUNDIAL da Pesquisa Improvável - AIR, em inglês). ÚLTIMAS NOTÍCIAS
  35. 35. Essa é para quem gostou de Biotechspread, a nossa revolucionária revista de biotecnologia Notícias Especial Serviço Galeria Erramos Colunas Em cima da hora | Ambiente | Bichos | Brasil | Ciência e Saúde 05/10/2006 - 12h44 Cientistas querem criar embrião híbrido de coelho e humanoar embrião híbrido de coelho e humano da Efe, em Londres Três equipes de cientistas britânicos solicitaram neste mês permissão às autoridades para fundir células humanas com óvulos de animais, experiência que pode permitir no futuro um tratamento para algumas doenças neurológicas que atualmente não têm cura. Os cientistas pretendem criar embriões que serão 99,9% humanos e 0,1% de coelha ou de vaca. As três equipes, de Londres, Edimburgo e Newcastle, apresentarão as solicitações simultaneamente Texto extraído de matéria da Folha Online IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ou Ficção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer”
  36. 36. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Filhos??? Conte com a biotecnologia... Edição de 9 de maio de 2001 Edição de 3 de novembro de 1999
  37. 37. ...pois até as dificuldades operacionais têm sido superadas Publicada em 13/04/2007 às 07h06m Técnica daria espermatozóides às mulheres O Globo LONDRES - Cientistas conseguiram criar células sexuais masculinas em laboratório a partir de células-tronco extraídas da medula óssea dehomens, num estudo que promete aumentar a discussão sobre os limites da ética na reprodução assistida. A pesquisa, em tese, abre caminho paraque sejam criados espermatozóides de mulheres, tornando possível, por exemplo, que um casal de lésbicas tenha filhos biológicos. De acordocom reportagem do jornal britânico “The Independent”, os pesquisadores já estão buscando obter autorização para tentar desenvolver célulassexuais masculinas a partir de células-tronco da medula óssea de uma mulher.IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer”
  38. 38. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Níquel Náusea, de Fernando Gonsales
  39. 39. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Para que Biotecnologia se temos... Edição de 2 de maio de 2007
  40. 40. Mas se supermedicamentos não resolverem, tente... IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me Revista Isto É - 7 de março de 2007 quer, mal me quer”
  41. 41. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer”
  42. 42. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Um pouco mais sobre sexualidade (e determinismo genético) Sexta-feira, 26 de Outubro de 2007 Genética Cientistas trocam orientação sexual de verme 26 de Outubro de 2007 | 09:29 Um grupo de cientistas americanos conseguiu mudar a orientação sexual de uma espécie animal em laboratório, fazendo com que as fêmeas ficassem atraídas por outras fêmeas. A transformação foi obtida com uma alteração num gene relacionado ao funcionamento dos circuitos cerebrais. A pesquisa reforça a tese de que a sexualidade de um indivíduo está ligada à biologia e pode ser determinada por fatores genéticos. Notícia publicada em Veja.com
  43. 43. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Ligue (011) 1406 e fale com um de nossos atendentes Revista Isto É de 30 de maio de 2007
  44. 44. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Tudo começou com uma orelha... O rato que construiu uma orelha Produção de órgãos humanos para transplante já é possível. Revista Superinteressante Janeiro de 1996 No final do ano passado, o médico Charles Vacanti, da Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos, estarreceu o mundo ao construir uma orelha a partir de células da cartilagem humana e aplicá-la nas costas de um rato. O organismo do animal que foi construído pela engenharia genética, com os anticorpos alterados para não ter defesa imunológica recebeu o novo órgão sem nenhuma rejeição. Com a experiência, ele mostrou que é possível fazer o implante de órgãos fabricados em laboratório sem maiores problemas. No caso do homem, não será preciso arrasar o sistema imunológico: a rejeição é evitada porque as próteses são feitas com células da própria pessoa que vai receber o órgão. Em dois anos, Vacanti espera estar fazendo testes em voluntários. Por ora, vamos estudar a multiplicação das células de outros tecidos cartilaginosos humanos como o nariz e o menisco (do joelho), contou Vacanti à SUPER.
  45. 45. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” ...depois veio um coração...
  46. 46. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” ...hoje constrói-se o órgão que você quiser EDIÇÃO DE 25.11.2007 25.11.2007 Fábrica de órgãos No futuro planejado pelos cientistas, o nosso corpo será tratado pelos médicos quase como uma máquina. Peças que não funcionam direito ou ficaram velhas poderão ser trocadas por outras novinhas, construídas em laboratório. Esse futuro está cada vez mais próximo. O Instituto de Medicina Regenerativa Wake Forest já está produzindo 22 órgãos e tecidos fora do corpo, como uma bexiga, um músculo ou uma válvula do coração. Daqui a alguns anos, eles poderão ser usados para substituir órgãos danificados pela idade, câncer, ferimentos ou má formação. Ainda é uma técnica experimental, mas já foi aplicada em alguns pacientes. Matéria exibida no Fantástico
  47. 47. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Edição de 23 de novembro de 2005
  48. 48. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Para a sua beleza temos... Matéria da Revista Isto É de 9 de maio de 2007
  49. 49. Mas há quem diga que nem tudo é alegria IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer”
  50. 50. Sua “genética” não é boa e a balança é sua inimiga? Tranqüilize-se. A ciência “provou” que... IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Revista Veja 18 de abril de 2007
  51. 51. IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Ética e genética CIÊNCIA E SAÚDE 11/12/2006 - 10h43m - Atualizado em 11/12/2006 - 19h37m PAIS USAM GENÉTICA PARA ESCOLHER FILHOS COM DEFEITO Famílias portadoras de nanismo ou surdez usam análise de DNA para ter bebês com os mesmos problemas, desencadeando debate ético Darshak M. Sanghavi, especial para o "New York Times" Desejar que os filhos sigam o mesmo caminho dos pais é compreensível. Mas um artigo recém publicado no periódico científico "Fertility and Sterility" apresenta um apanhado impressionante sobre os limites que alguns pais estão dispostos a ultrapassar para assegurar que os filhos se mantenham no mesmo universo deles – escolhendo propositadamente genes com algum defeito, causadores de deficiências como surdez ou nanismo. Portal de notícias G1
  52. 52. Edição de 28 de novembro de 2007 IMPORTANTE: Slides da peça “Ciência ouFicção”, integrande da exposição “Bem me quer, mal me quer” Saído do forno... Biotecnologia, o tema que está sempre na moda
  53. 53. outros registros
  54. 54. O grupo de autores/artistas/realizadores/projetistas é composto por jornalistas e cientistas que atualmenteGrupo cursam o curso de Especialização em Jornalismo Científico do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo da Unicamp. O presente projeto se insere na criação de um espaço de releituras sobre a Ciência e paralelos contemporâneos, para a matéria de Multimeios ministrada pelo Prof. Honoris Causa Paulo Martins, com apoio do projeto “Biotecnologias de Rua”, CNPq, Labjor/Unicamp, Faculdade de Educação/Unicamp, MIS-Campinas e do Prof. Dr. Antonio Carlos Rodrigues Amorim. O grupo é composto por: Davi Santaella Radialista e diretor cinematográfico Enio Rodrigo Barbosa Silva Designer e mestrando em história da arte. Flávia Dourado Maia Jornalista e redatora. Hércules Menezes Biólogo. Livre docente em imunologia. Professor de imunologia e biologia evolutiva do homem. Luiz Paulo Juttel Jornalista e pesquisador em filosofia da mente e ciências cognitivas. Murilo Alves Pereira Jornalista especializado na área ambiental.

×