PÓS-GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENDODONTIA OBTURAÇÃO DOS CANAIS RADICULARES Prof. Charles da Cunha...
HISTÓRICO <ul><li>Fauchard , 1745 </li></ul><ul><li>Miller, 1890 </li></ul><ul><li>Hermann, 1920 </li></ul>
TRÍADE ENDODÔNTICA  (Estrela, 2004) TERAPIA ENDODÔNTICA <ul><li>ABERTURA CORONÁRIA </li></ul><ul><ul><li>SANIFICAÇÃO – MOD...
TERAPIA ENDODÔNTICA <ul><li>Reparação tecidual </li></ul><ul><li>Formação de osteocemento (osteogênese) </li></ul><ul><li>...
ESTUDO DE WASHINGTON Controle de 2 anos de 1229 Casos: 104 Casos de Insucessos   INGLE, J. I. Exitos y fracasos en Endodon...
<ul><li>O sucesso do tratamento endodôntico está intimamente ligado à qualidade da obturação do canal radicular </li></ul>...
OBJETIVOS <ul><li>Selar o canal radicular sanificado e modelado, impedindo a infecção ou reinfecção do mesmo; </li></ul><u...
<ul><li>Modelagem completa </li></ul><ul><li>Canal radicular seco, livre de exsudatos </li></ul><ul><li>Ausência de sintom...
SESSÃO ÚNICA???? MOMENTO OPORTUNO BIOPULPECTOMIAS x NECROPULPECTOMIAS
Necrose Pulpar <ul><li>TROPE et al. 1999  J Endod </li></ul><ul><li>Acompanhamento Rx por 52 semanas </li></ul><ul><li>74%...
Necrose Pulpar “ A comparison of one vs. two appointment endodontic therapy in dog’s teeth with apical periodontitis”  HOL...
<ul><li>Mimusops balata  e  Mimuops huberi </li></ul><ul><li>BOWMAN, 1867  </li></ul><ul><li>Óxido de zinco, carbonato de ...
MATERIAIS USADOS NA OBTURAÇÃO  –  Estado Sólido – Cones de Guta-Percha – CONES PRINCIPAIS 1ª SÉRIE 2ª SÉRIE ISO .02
MATERIAIS USADOS NA OBTURAÇÃO  –  Estado Plástico – CIMENTO ENDODÔNTICO Rickert, 1925 FUNCIONA COMO AGENTE DE UNIÃO
Evans e Simon (1986) Skinner e Himel (1987) Empregando corante como marcador, avaliaram,  in vitro , o selamento apical em...
<ul><li>Não devem ser agentes putrefativos; </li></ul><ul><li>Devem ter qualidades anti-sépticas permanentes; </li></ul><u...
<ul><li>Devem obturar hermeticamente os canalículos dentinários e o forame apical contra a invasão bacteriana; </li></ul><...
LISBOA, F. M., KOPPER, P. M. P., FIGUEIREDO, J. A. P., TARTAROTTI, E.,  Jornal Brasileiro de Endodontia , Curitiba, v.4, n...
CONCLUSÕES : Os cimentos endodônticos avaliados apresentam diferenças entre si, obedecendo a seguinte ordem crescente de r...
OBTURAÇÃO RADICULAR <ul><li>Fill Canal </li></ul><ul><li>Procosol </li></ul><ul><li>Tubliseal </li></ul><ul><li>Endofill <...
<ul><li>Sealapex </li></ul><ul><li>Sealer 26 </li></ul><ul><li>Apexit </li></ul><ul><li>Acroseal </li></ul>Cimento contend...
OBTURAÇÃO RADICULAR Cimento contendo Ionomêro de Vidro - Ketac-Endo
OBTURAÇÃO RADICULAR <ul><li>- AH 26 </li></ul><ul><li>Diaket </li></ul><ul><li>Top Seal </li></ul><ul><li>AH Plus </li></u...
OBTURAÇÃO RADICULAR NOVOS CIMENTOS Cimento a base de silicone Cimento resinoso
J Endod. 2006 Sep;32(9):876-8.   Tunga ,  U .; Bodrumlu, E. Assessment of the sealing ability of a new root canal obturati...
TÉCNICAS DE OBTURAÇÃO <ul><li>Técnica da Condensação Lateral </li></ul><ul><li>Técnica da Condensação Vertical </li></ul><...
TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL
TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 1.  TOALETE FINAL   EDTA 17% - 3 a 5 min
Calibre da última lima TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 2.  SECAGEM DO CANAL RADICULAR
TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 3.  DESINFECÇÃO DOS CONES DE GUTA-PERCHA   Hipoclorito de Sódio 5% - 1 min
ESTUDO DA PADRONIZAÇÃO DE CONES DE GUTA-PERCHA DE TRÊS MARCAS COMERCIAIS. OBJETIVO:  avaliar o diâmetro da ponta de cones ...
CONCLUSÃO: Os cones de guta-percha principais de número 35 e 55 da marca Tanari, os de número 15, 45 e 70 da Endopoints e ...
TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 4.  SELEÇÃO DO CONE PRINCIPAL   CRITÉRIOS <ul><li>Percorrer o CRT </li></ul><ul><li>Apresen...
TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 4.  SELEÇÃO DO CONE PRINCIPAL
TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 4.  SELEÇÃO DO CONE PRINCIPAL   Radiografia Conométrica
TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 6.  INSERÇÃO DO CIMENTO ENDODÔNTICO
TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 7.  CONDENSAÇÃO LATERAL
ESPAÇADOR  X  CONES ACESSÓRIOS
AVALIAÇÃO DA COMPATIBILIDADE DOS DIÂMETROS DE ESPAÇADORES ENDODÔNTICOS E CONES ACESSÓRIOS DE GUTA-PERCHA OBJETIVO : avalia...
<ul><li>CONCLUSÕES: </li></ul><ul><li>Os cones R7 da Dentsply-Maillefer e Endo Points são compatíveis com todos os espaçad...
ESTUDO DO SELAMENTO DOS CANAIS RADICULARES OBTURADOS COM AH PLUS OU ENDOFIIL, COM E SEM CIMENTO NOS CONES ACESSÓRIOS KOPPE...
ESTUDO DO SELAMENTO DOS CANAIS RADICULARES OBTURADOS COM AH PLUS OU ENDOFIIL, COM E SEM CIMENTO NOS CONES ACESSÓRIOS KOPPE...
ESTUDO DO SELAMENTO DOS CANAIS RADICULARES OBTURADOS COM AH PLUS OU ENDOFIIL, COM E SEM CIMENTO NOS CONES ACESSÓRIOS KOPPE...
TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 8.  RADIOGRAFIA DA QUALIDADE DA OBTURAÇÃO
E SE A OBTURAÇÃO NÃO ESTÁ SATISFATÓRIA ?
E quando o dente apresenta mais de um canal radicular ?
TÉCNICAS ESPECIAIS DE OBTURAÇÃO
<ul><li>TÉCNICAS TERMOMECÂNICAS   </li></ul><ul><li>Técnica da condensação concêntrica de McSpadden  </li></ul><ul><li>Téc...
Compactador de McSpadden - Promove a termoplastificação da guta-percha
TÉCNICA HÍBRIDA  (Tagger) Condensação Lateral  +  McSpadden
<ul><li>Obturação pela técnica da condensação lateral no terço apical    cone principal + cones acessórios nos mm finais ...
Quick-Fill (JS Dental)
<ul><li>TÉCNICAS TÉRMICAS NÃO INJETÁVEIS </li></ul><ul><li>    </li></ul><ul><li>Condensação vertical da Guta-percha aquec...
SISTEMA THERMAFIL Dentsply-Maillefer
COMPONENTES <ul><ul><li>Carregadores (plástico, aço inox ou titânio) recobertos por guta-percha  alpha-phase; </li></ul></...
SISTEMA MICROSEAL SybronEndo
SISTEMA MICROSEAL SybronEndo
System B (Analytic) <ul><ul><li>Touch n´heat (SybronEndo)  </li></ul></ul>
<ul><li>TÉCNICAS TÉRMICAS INJETÁVEIS   </li></ul><ul><li>Sistema Obtura II (Obtura corporation)  </li></ul><ul><li>Sistema...
SISTEMA ULTRAFIL
Inject-R Fill
SISTEMA – TC Tanaka de Castro & Minatel
“ Podemos  dizer  que  o  tratamento  e ndodôntico  só  termina  quando  a região apical neutraliza o  trans torno  produz...
A importância do selamento Coronário.... <ul><li>Exposição do canal a saliva..... </li></ul><ul><li>Perda do material sela...
A importância do selamento Coronário.... <ul><li>Canais obturados e expostos diretamente à saliva podem ser rapidamente re...
Zmener (1980),  utilizando azul de metileno a 1% como marcador, avaliou,  in vitro , o selamento apical em canais radicula...
COMPARATIVE IN VIVO ANALYSIS OF THE SEALING ABILITY OF THREE ENDODONTIC SEALER IN POST-PREPARED ROOT CANALS KOPPER, P. M. ...
<ul><li>CONCLUSÕES:  </li></ul><ul><li>Após 45 dias de exposição ao meio bucal, nenhum dos cimentos endodônticos testados ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Aula obturação uningá (blog)

13,843

Published on

Published in: Business, Technology
0 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
13,843
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
246
Comments
0
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula obturação uningá (blog)

  1. 1. PÓS-GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENDODONTIA OBTURAÇÃO DOS CANAIS RADICULARES Prof. Charles da Cunha Pereira
  2. 2. HISTÓRICO <ul><li>Fauchard , 1745 </li></ul><ul><li>Miller, 1890 </li></ul><ul><li>Hermann, 1920 </li></ul>
  3. 3. TRÍADE ENDODÔNTICA (Estrela, 2004) TERAPIA ENDODÔNTICA <ul><li>ABERTURA CORONÁRIA </li></ul><ul><ul><li>SANIFICAÇÃO – MODELAGEM </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>SELAMENTO ENDODÔNTICO </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- capacidade de preenchimento </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- controle microbiano </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- compatibilidade biológica </li></ul></ul></ul>
  4. 4. TERAPIA ENDODÔNTICA <ul><li>Reparação tecidual </li></ul><ul><li>Formação de osteocemento (osteogênese) </li></ul><ul><li>Reestruturação do ligamento periodontal </li></ul><ul><li>Reintegração da lâmina dura </li></ul><ul><li>(Estela, 2004) </li></ul>
  5. 5. ESTUDO DE WASHINGTON Controle de 2 anos de 1229 Casos: 104 Casos de Insucessos INGLE, J. I. Exitos y fracasos en Endodoncia. Rev. Asoc. Odontol. Argent. v.50, n.2, p. 67-74, Feb. 1962. Obturação Incompleta (61) 58,66% Perfurações (10) 09,61% Reabsorção Externa (08) 07,70% Endo-Perio (06) 05,78% Extravazamento (04) 03,85%
  6. 6. <ul><li>O sucesso do tratamento endodôntico está intimamente ligado à qualidade da obturação do canal radicular </li></ul><ul><li>HOLLAND, HIZATUGU E SCARPARO (1971): 54,35% de canais parcialmente obturados </li></ul><ul><li>66,25% insucessos </li></ul><ul><li>TAVANO (1971): 72,81% de canais parcialmente obturados </li></ul><ul><li>51,40% com lesão periapical. </li></ul>
  7. 7. OBJETIVOS <ul><li>Selar o canal radicular sanificado e modelado, impedindo a infecção ou reinfecção do mesmo; </li></ul><ul><li>Favorecer o processo de reparo apical e periapical. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Modelagem completa </li></ul><ul><li>Canal radicular seco, livre de exsudatos </li></ul><ul><li>Ausência de sintomatologia dolorosa </li></ul><ul><li>Selamento provisório íntegro </li></ul>B I O P U L P E C T O M I A N E C R O P U L P E C T O M I A MOMENTO OPORTUNO
  9. 9. SESSÃO ÚNICA???? MOMENTO OPORTUNO BIOPULPECTOMIAS x NECROPULPECTOMIAS
  10. 10. Necrose Pulpar <ul><li>TROPE et al. 1999 J Endod </li></ul><ul><li>Acompanhamento Rx por 52 semanas </li></ul><ul><li>74% reparo adequado em 2 sessões </li></ul><ul><li>64% reparo adequado em 1 sessão </li></ul>“ Endodontic treatment of teeth with apical periodontitis: single vs. multivisit treatment”
  11. 11. Necrose Pulpar “ A comparison of one vs. two appointment endodontic therapy in dog’s teeth with apical periodontitis” HOLLAND et al. 2003 J Endod Acompanhamento histológico após 6 meses <ul><li>Melhor reparo: grupo Ca(OH)2 por 14 dias, seguido pelo grupo Ca(OH)2 por 7 dias </li></ul><ul><li>Pior reparo: grupo sessão única </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Mimusops balata e Mimuops huberi </li></ul><ul><li>BOWMAN, 1867 </li></ul><ul><li>Óxido de zinco, carbonato de cálcio, sulfato de bário, sulfato de estrôncio, categute pulverizado, ceras, resinas, ácido tânico, corantes, óleo de cravo </li></ul>MATERIAIS USADOS NA OBTURAÇÃO – Estado Sólido – Cones de Guta-Percha
  13. 13. MATERIAIS USADOS NA OBTURAÇÃO – Estado Sólido – Cones de Guta-Percha – CONES PRINCIPAIS 1ª SÉRIE 2ª SÉRIE ISO .02
  14. 14. MATERIAIS USADOS NA OBTURAÇÃO – Estado Plástico – CIMENTO ENDODÔNTICO Rickert, 1925 FUNCIONA COMO AGENTE DE UNIÃO
  15. 15. Evans e Simon (1986) Skinner e Himel (1987) Empregando corante como marcador, avaliaram, in vitro , o selamento apical em dentes tratados endodonticamente obturados com técnicas que utilizam a guta-percha termoplastificada, sem cimento endodôntico. Os resultados mostraram que a guta-percha termoplastificada quando empregada para obturar canais radiculares na ausência de cimento endodôntico, não foi capaz de promover um selamento apical eficaz.
  16. 16. <ul><li>Não devem ser agentes putrefativos; </li></ul><ul><li>Devem ter qualidades anti-sépticas permanentes; </li></ul><ul><li>Devem ser de fácil introdução no canal; </li></ul><ul><li>Devem ser biocompatíveis; </li></ul><ul><li>Não devem descolorir as estrutura dentais; </li></ul><ul><li>Não devem ser porosos e devem manter-se estáveis dimensionalmente; </li></ul><ul><li>Devem ser de fácil remoção do interior do canal; </li></ul>Prinz, 1912; Grossman, 1958; Branstetter, 1982 PROPRIEDADES IDEAIS DE UM CIMENTO ENDODÔNTICO
  17. 17. <ul><li>Devem obturar hermeticamente os canalículos dentinários e o forame apical contra a invasão bacteriana; </li></ul><ul><li>Devem ser radiopacos; </li></ul><ul><li>Devem apresentar boa adesividade com as paredes do canal; </li></ul><ul><li>Devem possibilitar uma consistência satisfatória. </li></ul>
  18. 18. LISBOA, F. M., KOPPER, P. M. P., FIGUEIREDO, J. A. P., TARTAROTTI, E., Jornal Brasileiro de Endodontia , Curitiba, v.4, n. 14, jul./set. 2003. Estudo da radiopacidade de três cimentos endodônticos por meio da imagem digitalizada <ul><li>3 CIMENTOS: AH Plus, Sealer 26 e Endofill </li></ul><ul><li>Scalps de 1 cm de comp. </li></ul><ul><li>Radiografia digital – imagem digitalizada – traçado o perfil de linha </li></ul>
  19. 19. CONCLUSÕES : Os cimentos endodônticos avaliados apresentam diferenças entre si, obedecendo a seguinte ordem crescente de radiopacidade: Sealer 26, Endofill e AH Plus. LISBOA, F. M., KOPPER, P. M. P., FIGUEIREDO, J. A. P., TARTAROTTI, E., Jornal Brasileiro de Endodontia , Curitiba, v.4, n. 14, jul./set. 2003. Estudo da radiopacidade de três cimentos endodônticos por meio da imagem digitalizada Sealer 26 Endofill AH Plus
  20. 20. OBTURAÇÃO RADICULAR <ul><li>Fill Canal </li></ul><ul><li>Procosol </li></ul><ul><li>Tubliseal </li></ul><ul><li>Endofill </li></ul><ul><li>Grosscanal </li></ul><ul><li>Pulpfill </li></ul><ul><li>CRCS </li></ul><ul><li>Endomethasone </li></ul><ul><li>Rickert </li></ul><ul><li>N-Rickert (com prata) </li></ul><ul><li>Intrafill </li></ul>Cimento a base de Óxido de Zn e Eugenol (Grossman)
  21. 21. <ul><li>Sealapex </li></ul><ul><li>Sealer 26 </li></ul><ul><li>Apexit </li></ul><ul><li>Acroseal </li></ul>Cimento contendo Hidróxido de Cálcio
  22. 22. OBTURAÇÃO RADICULAR Cimento contendo Ionomêro de Vidro - Ketac-Endo
  23. 23. OBTURAÇÃO RADICULAR <ul><li>- AH 26 </li></ul><ul><li>Diaket </li></ul><ul><li>Top Seal </li></ul><ul><li>AH Plus </li></ul>Cimentos Resinosos
  24. 24. OBTURAÇÃO RADICULAR NOVOS CIMENTOS Cimento a base de silicone Cimento resinoso
  25. 25. J Endod. 2006 Sep;32(9):876-8. Tunga , U .; Bodrumlu, E. Assessment of the sealing ability of a new root canal obturation material. This study was designed to compare the leakage allowed by different obturation materials, using a fluid-transport method. Sixty-six single-rooted human anterior teeth were fully instrumented by using the &quot;step-back&quot; technique and irrigated with 5.25% sodium hypochlorite. The smear layer was removed by washing in 10 ml of 17% EDTA. The specimens were randomly divided into three experimental groups of 18 teeth each, plus two groups of 6 teeth each for positive and negative controls. The specimens were obturated by the lateral condensation technique, with gutta-percha and AH 26 or AH plus sealers, or Epiphany sealer and Resilon core material. The fluid transport method used in this study gave quantitative results and allowed nondestructive evaluation of the specimens. The teeth filled with gutta-percha and AH 26 exhibited the most leakage. The least leakage was seen with Epiphany sealer and Resilon core material. The differences in leakage among the groups were statistically significant (p < 0.05). It was concluded that of the materials tested under the conditions of this study, Epiphany allowed the least leakage.
  26. 26. TÉCNICAS DE OBTURAÇÃO <ul><li>Técnica da Condensação Lateral </li></ul><ul><li>Técnica da Condensação Vertical </li></ul><ul><li>Técnica da Compactação Termodinâmica </li></ul><ul><li>Técnicas da guta-percha termoplastificada </li></ul>DEVEM REUNIR QUALIDADE E PRATICIDADE
  27. 27. TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL
  28. 28. TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 1. TOALETE FINAL EDTA 17% - 3 a 5 min
  29. 29. Calibre da última lima TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 2. SECAGEM DO CANAL RADICULAR
  30. 30. TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 3. DESINFECÇÃO DOS CONES DE GUTA-PERCHA Hipoclorito de Sódio 5% - 1 min
  31. 31. ESTUDO DA PADRONIZAÇÃO DE CONES DE GUTA-PERCHA DE TRÊS MARCAS COMERCIAIS. OBJETIVO: avaliar o diâmetro da ponta de cones de guta-percha principais, de 1ª e 2ª séries, das marcas Tanari, Endopoints e Dentsply-Maillefer <ul><li>Cones: 1ª série (15 a 40) e 2ª série (45 a 80) </li></ul><ul><li>Marcas: Tanari, Endopoints e Dentsply-Maillefer </li></ul><ul><li>Amostra: 360 cones, sendo 10 de cada </li></ul><ul><li>número em cada marca </li></ul><ul><li>Paquímetro digital </li></ul><ul><li>Avaliação na ponte do cone </li></ul>KOPPER, P. M. P., TARTAROTTI, E., PEREIRA, C. C., FIGUEIREDO, J. A. P. Revista Gaúcha de Odontologia, Porto Alegre, v. 55, n. 2, p. 123-126, 2007.
  32. 32. CONCLUSÃO: Os cones de guta-percha principais de número 35 e 55 da marca Tanari, os de número 15, 45 e 70 da Endopoints e todos, com exceção dos de número 15, da Dentsply-Maillefer mostraram diferenças significativas no diâmetro da extremidade de menor calibre em relação ao diâmetro indicado. ESTUDO DA PADRONIZAÇÃO DE CONES DE GUTA-PERCHA DE TRÊS MARCAS COMERCIAIS. KOPPER, P. M. P., TARTAROTTI, E., PEREIRA, C. C., FIGUEIREDO, J. A. P. Revista Gaúcha de Odontologia, Porto Alegre, v. 55, n. 2, p. 123-126, 2007.
  33. 33. TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 4. SELEÇÃO DO CONE PRINCIPAL CRITÉRIOS <ul><li>Percorrer o CRT </li></ul><ul><li>Apresentar travamento </li></ul>
  34. 34. TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 4. SELEÇÃO DO CONE PRINCIPAL
  35. 35. TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 4. SELEÇÃO DO CONE PRINCIPAL Radiografia Conométrica
  36. 36. TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 6. INSERÇÃO DO CIMENTO ENDODÔNTICO
  37. 37. TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 7. CONDENSAÇÃO LATERAL
  38. 38. ESPAÇADOR X CONES ACESSÓRIOS
  39. 39. AVALIAÇÃO DA COMPATIBILIDADE DOS DIÂMETROS DE ESPAÇADORES ENDODÔNTICOS E CONES ACESSÓRIOS DE GUTA-PERCHA OBJETIVO : avaliar a compatibilidade dos diâmetros dos espaçadores endodônticos bi-digitais A, B e C, de 25 mm e o espaçador digito-palmar A30, todos da Dentsply-Maillefer, em relação aos cones acessórios de guta-percha R7 e R8 disponíveis no mercado, das marcas Dentsply-Maillefer, Tanari e Endo Points. CADORE, J., TARTAROTTI, E., KOPPER, M. P., Jornal Brasileiro de Endodontia, Curitiba, v.4, n. 15, out./dez. 2003.
  40. 40. <ul><li>CONCLUSÕES: </li></ul><ul><li>Os cones R7 da Dentsply-Maillefer e Endo Points são compatíveis com todos os espaçadores testados. </li></ul><ul><li>Os cones acessórios de guta-percha R8 da Dentsply-Maillefer e Endo Points e, R7 Tanari são compatíveis com os espaçadores B, C e o espaçador digito-palmar A30. </li></ul><ul><li>Os cones de guta-percha R8 Tanari são compatíveis apenas com os espaçadores B e C. </li></ul>AVALIAÇÃO DA COMPATIBILIDADE DOS DIÂMETROS DE ESPAÇADORES ENDODÔNTICOS E CONES ACESSÓRIOS DE GUTA-PERCHA CADORE, J., TARTAROTTI, E., KOPPER, M. P., Jornal Brasileiro de Endodontia, Curitiba, v.4, n. 15, out./dez. 2003.
  41. 41. ESTUDO DO SELAMENTO DOS CANAIS RADICULARES OBTURADOS COM AH PLUS OU ENDOFIIL, COM E SEM CIMENTO NOS CONES ACESSÓRIOS KOPPER, P.M.P., SANTOS, R.B., VIEGAS, A.P.K., SÓ, M.V.R., GRECCA, F.S., FIGUEIREDO, J. A. P. Revista da Faculdade de Odontologia de Passo Fundo, Passo Fundo, v. 12, n. 1, p. 52 - 55, 2007. OBJETIVO: avaliar, in vitro , o selamento do canal radicular obturado com guta-percha associada a um cimento endodôntico a base de resina epóxi (AH Plus) ou a um cimento a base de óxido de zinco e eugenol (Endofill), pela técnica da condensação lateral, empregando-se ou não o cimento nos cones acessórios. <ul><li>40 dentes humanos extraídos, preparados e com aprox 16mm de raiz </li></ul><ul><li>PQM – técnica seriada </li></ul><ul><li>4 grupos com 10 amostras : AH Plus com cimento nos cones acess. </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>AH Plus sem cimento nos cones acess. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Endofill com cimento nos cones acess. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Endofill sem cimento nos cones acess. </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  42. 42. ESTUDO DO SELAMENTO DOS CANAIS RADICULARES OBTURADOS COM AH PLUS OU ENDOFIIL, COM E SEM CIMENTO NOS CONES ACESSÓRIOS KOPPER, P.M.P., SANTOS, R.B., VIEGAS, A.P.K., SÓ, M.V.R., GRECCA, F.S., FIGUEIREDO, J. A. P. Revista da Faculdade de Odontologia de Passo Fundo, Passo Fundo, v. 12, n. 1, p. 52 - 55, 2007. <ul><li>Obturação pela condensação lateral, com espaçador bidigital A </li></ul><ul><li>Estufa a 37o. por 72 hs </li></ul><ul><li>Impermeabilização com esmalte – cervical livre </li></ul><ul><li>Imersão em nanquim por 96 hs </li></ul><ul><li>Diafanização </li></ul><ul><li>Análise em lupa esterioscópica – 10x </li></ul><ul><li>medição da infiltração em cada face </li></ul>
  43. 43. ESTUDO DO SELAMENTO DOS CANAIS RADICULARES OBTURADOS COM AH PLUS OU ENDOFIIL, COM E SEM CIMENTO NOS CONES ACESSÓRIOS KOPPER, P.M.P., SANTOS, R.B., VIEGAS, A.P.K., SÓ, M.V.R., GRECCA, F.S., FIGUEIREDO, J. A. P. Revista da Faculdade de Odontologia de Passo Fundo, Passo Fundo, v. 12, n. 1, p. 52 - 55, 2007. <ul><li>CONCLUSÕES: </li></ul><ul><li>Nenhum cimento endodôntico estudado foi capaz de impermeabilizar o canal radicular e impedir a infiltração coronária do dente. </li></ul><ul><li>Os cimentos endodônticos estudados não apresentaram diferenças estatisticamente significativas na capacidade de resistir à infiltração de corante. </li></ul><ul><li>A utilização de cimento endodôntico (AH Plus ou Endofill) nos cones acessórios não modificou a qualidade do selamento do canal radicular. </li></ul>
  44. 44. TÉCNICA DA CONDENSAÇÃO LATERAL 8. RADIOGRAFIA DA QUALIDADE DA OBTURAÇÃO
  45. 45. E SE A OBTURAÇÃO NÃO ESTÁ SATISFATÓRIA ?
  46. 46. E quando o dente apresenta mais de um canal radicular ?
  47. 47. TÉCNICAS ESPECIAIS DE OBTURAÇÃO
  48. 48. <ul><li>TÉCNICAS TERMOMECÂNICAS </li></ul><ul><li>Técnica da condensação concêntrica de McSpadden </li></ul><ul><li>Técnica Híbrida de Tagger </li></ul><ul><li>Quick-Fill (JS Dental) </li></ul>
  49. 49. Compactador de McSpadden - Promove a termoplastificação da guta-percha
  50. 50. TÉCNICA HÍBRIDA (Tagger) Condensação Lateral + McSpadden
  51. 51. <ul><li>Obturação pela técnica da condensação lateral no terço apical  cone principal + cones acessórios nos mm finais do canal radicular </li></ul><ul><li>Uso de McSpadden de acordo com o calibre do IM </li></ul><ul><li>Uso SEMPRE no sentido HORÁRIO </li></ul><ul><li>Em baixa rotação </li></ul><ul><li>2 mm aquém do CRT </li></ul>TÉCNICA HÍBRIDA DE TAGGER (1984)
  52. 52. Quick-Fill (JS Dental)
  53. 53. <ul><li>TÉCNICAS TÉRMICAS NÃO INJETÁVEIS </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Condensação vertical da Guta-percha aquecida (Schilder) </li></ul><ul><li>Thermafil (Dentsply Maillefer) </li></ul><ul><li>Sistema Microseal (Analytic) </li></ul><ul><li>Onda contínua de condensação  </li></ul><ul><ul><li>System B (Analytic) </li></ul></ul><ul><ul><li>Touch n´heat (SybronEndo) </li></ul></ul>
  54. 54. SISTEMA THERMAFIL Dentsply-Maillefer
  55. 55. COMPONENTES <ul><ul><li>Carregadores (plástico, aço inox ou titânio) recobertos por guta-percha alpha-phase; </li></ul></ul><ul><ul><li>Verificadores; </li></ul></ul><ul><ul><li>Aquecedor. </li></ul></ul>
  56. 56. SISTEMA MICROSEAL SybronEndo
  57. 57. SISTEMA MICROSEAL SybronEndo
  58. 58. System B (Analytic) <ul><ul><li>Touch n´heat (SybronEndo) </li></ul></ul>
  59. 59. <ul><li>TÉCNICAS TÉRMICAS INJETÁVEIS </li></ul><ul><li>Sistema Obtura II (Obtura corporation) </li></ul><ul><li>Sistema Ultrafil (Hygienic) </li></ul><ul><li>Inject-R Fill (Moyco/Union Broach) </li></ul><ul><li>Sistema TC ( Tanaka de Castro & Minatel) </li></ul>
  60. 60. SISTEMA ULTRAFIL
  61. 61. Inject-R Fill
  62. 62. SISTEMA – TC Tanaka de Castro & Minatel
  63. 63. “ Podemos dizer que o tratamento e ndodôntico só termina quando a região apical neutraliza o trans torno produzido pelo tratamento ou repara uma lesão pré-ex istente.” MAISTO, 1967
  64. 64. A importância do selamento Coronário.... <ul><li>Exposição do canal a saliva..... </li></ul><ul><li>Perda do material selador provisório ou da rest. definitiva </li></ul><ul><li>Microinfiltração pelo selador temporário ou rest. definitiva </li></ul><ul><li>Desenvolvimento de cárie secundária ou recidivante </li></ul><ul><li>Fratura do material restaurador e/ou da estrutura dentária </li></ul><ul><li>Siqueira Jr., 1997 </li></ul>
  65. 65. A importância do selamento Coronário.... <ul><li>Canais obturados e expostos diretamente à saliva podem ser rapidamente recontaminados.... </li></ul><ul><li>Khayat et al , 1993 – in vitro </li></ul><ul><li>- técnica cond. lateral - 28,8 dias (de 8 a 48 dias) </li></ul><ul><li>- técnica cond vertical - 25,4 dias (4 a 46 dias) </li></ul><ul><li>Torabinejad et al , 1991 </li></ul><ul><li>- 24,1 dias (Staphylococcus epidermis) ou </li></ul><ul><li>- 48,6 dias (Proteus vulgaris) </li></ul><ul><li>Chailertvanitkul et al , 1996 – guta + 2 cimentos com Fusobacterium nucleatum </li></ul><ul><li>- 8,4 semanas com AH26 (contaminação completa) </li></ul><ul><li>- 8,2 semanas com Tubliseal (contaminação completa) </li></ul>
  66. 66. Zmener (1980), utilizando azul de metileno a 1% como marcador, avaliou, in vitro , o selamento apical em canais radiculares preparados para pino. A remoção parcial do material obturador foi feita com brocas imediatamente depois da obturação e 48 horas após. A seguir, os espécimes foram imersos no corante onde permaneceram por 72 horas. Cortes longitudinais foram realizados propiciando a medida da infiltração. Os resultados não mostraram diferenças estatisticamente significativas no grau de infiltração quando os dois grupos experimentais foram comparados. Bourgeois e Lemon (1981) compararam a infiltração apical de um radioisótopo em canais radiculares preparados para pino imediatamente ou uma semana após a obturação. Cabe ressaltar que a remoção parcial do material obturador foi feita com condensadores endodônticos aquecidos até 4 mm do comprimento de trabalho. Ao comparar o grau de infiltração apical que ocorreu nos canais radiculares preparados em diferentes momentos, os autores não encontraram diferenças estatisticamente significativas. Portell et al. (1982) também analisaram comparativamente a infiltração apical em canais preparados para retentor intra-radicular, restando 3 mm de material obturador na região apical, imediatamente e duas semanas após a obturação. Os resultados mostraram que a infiltração apical foi significativamente menor quando o preparo foi realizado logo após a obturação do canal radicular. PREPARO DO CANAL PROTÉTICO
  67. 67. COMPARATIVE IN VIVO ANALYSIS OF THE SEALING ABILITY OF THREE ENDODONTIC SEALER IN POST-PREPARED ROOT CANALS KOPPER, P. M. P., FIGUEIREDO, J. A. P., DELLA-BONA, A., VANNI J. R., BIER, C. A., BOPP, S., International Endodontic Journal, Oxford, v 36, n 12, p. 857-863, Dec 2003. OBJETIVO: Avaliar a capacidade de selamento do cimentos AH Plus, Endofill e Sealer 26, em canais radiculares de dentes de cães tratados endodonticamente e preparados para pinos, expostos ao meio bucal por 45 dias, pela infiltração de corante. <ul><li>8 cães = 80 canais  divididos nos 3 grupos experimentais </li></ul><ul><li>abertura + PQM + obturação + preparo para pino (desobt. de 2/3 do CR) </li></ul><ul><li>selamento por 72hs (presa do cimento) </li></ul><ul><li>rem. selamento + exposição dos CR ao meio bucal por 45 dias </li></ul><ul><li>morte dos cães + corante por 72 hs + extração dos dentes </li></ul><ul><li>diafanização + aval. em lupa esteriosc. com retícula milimentrada </li></ul>
  68. 68. <ul><li>CONCLUSÕES: </li></ul><ul><li>Após 45 dias de exposição ao meio bucal, nenhum dos cimentos endodônticos testados foi capaz de impermeabilizar o canal radicular e impedir a infiltração coronária de corante. </li></ul><ul><li>Os cimentos endodônticos apresentaram diferenças estatísticas entre si, obedecendo à seguinte ordem crescente de medida e proporção de infiltração: AH Plus, Endofill e Sealer 26. </li></ul>COMPARATIVE IN VIVO ANALYSIS OF THE SEALING ABILITY OF THREE ENDODONTIC SEALER IN POST-PREPARED ROOT CANALS KOPPER, P. M. P., FIGUEIREDO, J. A. P., DELLA-BONA, A., VANNI J. R., BIER, C. A., BOPP, S., International Endodontic Journal, Oxford, v 36, n 12, p. 857-863, Dec 2003.
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×