Aula 003 os pressupostos [modo de compatibilidade] (1)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Aula 003 os pressupostos [modo de compatibilidade] (1)

on

  • 50 views

 

Statistics

Views

Total Views
50
Views on SlideShare
50
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Aula 003 os pressupostos [modo de compatibilidade] (1) Aula 003 os pressupostos [modo de compatibilidade] (1) Presentation Transcript

  • Professor: Leonardo de Souza Dutra e-Mail: dutra.leonardodutra@gmail.com DISCIPLINA FILOSOFIA "Só sei que nada sei." "Existe apenas um bem, o conhecimento, e um mal, a ignorância" PRESSUPOSTOS FILOSÓFICOS
  • PRESSUPOSTOS O maior problema dos PRESSUPOSTOS é diferenciá-los CIÊNCIA FILOSOFIA A CIÊNCIA positiva é a construção que parte sempre de um ou mais pressupostos PARTICULARES A FILOSOFIA é crítica aos pressupostos, está sempre buscando o fundamento ou a raiz dos problemas e das doutrinas analisadas.
  • PRESSUPOSTOS - SOCRÁTES acreditava que: a. A primeira atitude em direção do CONHECIMENTO não é a CERTEZA , mas a ignorância. b. Habitando um mundo que não é visto ou palpável, o mundo das pressuposições e dos fundamentos do conhecimento. O mito do quarto escuro - o filósofo – e o gato preto c. A segunda característica da maneira filosófica é refletir sobre a sua atualidade Karl Marx afirma: “Os filósofos até hoje se PREOCUPARAM apenas em interpretar o mundo; trata-se, porém, de transformá-lo”
  • No entender de Marx: É preciso reconhecer antes de mais nada, pois não é possível transforma o mundo sem interpretá-lo. Qualquer ação humana CONCRETA PRESSUPÕE uma interpretação , isto é, atitude reflexiva e conceitual. O termo REALIDADE se apresenta carregado de interpretação. Exemplo: Quando falamos da situação social do Brasil contemporâneo , o que fazemos é encaixar a experiência que temos do nosso dia- a-dia, bem como as informações que dispomos do que acontece no Brasil inteiro, e de sua história , num modelo conceitual , numa teoria, ainda que rudimentar, a partir da qual os eventos são relacionados e catalogados entre si.
  • O que vem a ser transformar? O transformar da ação filosófica não é mesma que a ação de um ferreiro ou carpinteiro. Os instrumentos do filósofo são os CONCEITOS TRANFORMAR INCIDE UNIVERSO CONCEITUAL DIRETAMENTE INDIRETAMENTE SOBRE A REALIDADE CONCRETA O filósofo não sai as ruas transformando – colocando em prática suas teorias – ele é: UM TEÓRICO INSERIDO NO MUNDO – o problema de transformação é tratado por ele apenas teoricamente.
  • CONCEITO FILOSOFIA ESTADO GOVERNO JUSTO INJUSTO JUSTIÇA A filosofia é um conhecimento que converte em problema os pressuposto das ciências. A ciência é empírica – tenta entender o mundo através da experiência explicando os eventos. A filosofia é o estudo das condições últimas, dos primeiros princípios que governam a realidade natural e o mundo moral, ou compreensão crítico-sistemática do universo e da vida. CIÊNCIA CAUSA /EFEITO
  • TRANSFORMAR REQUER INTERPRETAÇÃO: Por outro lado: 1. a interpretação sem transformação é inútil, isto é, 2. a interpretação em termos da atitude reflexiva do filósofo deve ser sempre em última instância uma interpretação com vistas à transformação do mundo. Dito de outro modo, a filosofia deve sempre falar do mundo, desse mundo diante dos nossos olhos e que tem um passado, um presente e um futuro dos quais podemos ter experiência, tentando modificá-la e melhorá-la.
  • Exercício: “Não é a consciência que determina a vida, mas a vida que determina a consciência. Na primeira maneira de considerar as coisas, parte-se da consciência como do próprio indivíduo vivo; na segunda, que é a que corresponde à vida real, parte-se dos próprios indivíduos reais e vivos, e se considera a consciência unicamente como sua consciência.” (Marx) Analisando o pensamento de Marx, como podemos inserir o indivíduo em sua realidade através de sua consciência?