Your SlideShare is downloading. ×
0
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
A medicina do futuro
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

A medicina do futuro

376

Published on

MEDICINA DO FUTURO

MEDICINA DO FUTURO

Published in: Healthcare
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
376
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • <number>
  • Transcript

    • 1. A Medicina no Século XXI:A Medicina no Século XXI: o perfil do médico doo perfil do médico do futurofuturo Roberto Luiz d’Avila Cardiologista Mestre em Neurociências e Comportamento Professor Adjunto de Medicina da UFSC Vice-Presidente do Conselho Federal de Medicina Membro do Conselho Editorial da Revista Bioética Universidade São Camilo Faculdade de Medicina
    • 2. FUTURO  Expectativa de vida em 2020: 120 anos; em 2050: 150 anos  Câncer: cura em 15 anos  AIDS: cura em 15 anos  Cura para a maioria das doenças infecto-contagiosas
    • 3. FUTURO  Genética molecular – prevenção, diagnóstico e tratamento;  Nanomedicina;  Vitória da IMAGEM sobre os outros métodos propedêuticos;  Robótica.
    • 4. A medicina no futuroA medicina no futuro  Equipes multiprofissionais integradas  Medicina baseada em evidência  Prevenção  Mudança de hábitos de vida  Exigência de qualidade  Racionalização do uso dos recursos  Hospital “sem paredes”
    • 5. A difícil vida de um obstetra
    • 6. Missão do MédicoMissão do Médico ““Curar às vezes, aliviarCurar às vezes, aliviar freqüentemente e consolarfreqüentemente e consolar sempre”.sempre”.
    • 7. : Bondade, simpatia, paciência e interesseBondade, simpatia, paciência e interesse pessoal.pessoal. :: Conhecimento científico, desenvolvimentoConhecimento científico, desenvolvimento tecnológicotecnológico 19001900 20002000 EVOLUÇÃO DA MEDICINA: VARIÁVEIS DOS MÉDICOSEVOLUÇÃO DA MEDICINA: VARIÁVEIS DOS MÉDICOS ? //500 aC500 aC 10001000 // 1800180000 Francisconi
    • 8. ““Amamos o médico não pelo seu saber,Amamos o médico não pelo seu saber, não pelo seu poder, mas pelanão pelo seu poder, mas pela solidariedade humana que se revelasolidariedade humana que se revela na sua espera meditativa. E todos osna sua espera meditativa. E todos os seus fracassos (pois não estão, todosseus fracassos (pois não estão, todos eles, condenados a perder a últimaeles, condenados a perder a última batalha?) serão perdoados se, nobatalha?) serão perdoados se, no nosso desamparo, percebermos quenosso desamparo, percebermos que ele silenciosamente, permanece eele silenciosamente, permanece e medita, junto conosco”.medita, junto conosco”. Rubem AlvesRubem Alves
    • 9. Cenários eCenários e perspectivasperspectivas  Modelo de assistência é hospitalar, centrado na atividade do médico;  Médicos já não tem mandato social para avaliar e determinar as ações médicas;  Presença de estruturas intermediárias entre o médico e o paciente, complicando e deteriorando as suas relações;  Interfaces com outras profissões da área da saúde.
    • 10. “TENHO MIL RAZÕES PARA NÃO TOMAR REMÉDIOS. ISTO APENAS ESTÁ PERMITIDO A PESSOAS VIGOROSAS E ROBUSTAS QUE CONTAM COM FORÇAS PARA SUPORTAR OS REMÉDIOS ALÉM DA ENFERMIDADE”. MOLIÉRE, O Doente Imaginário Ato III, Cena III
    • 11. Cenários e perspectivasCenários e perspectivas  Maior preocupação dos gestores com custos do que com a qualidade da assistência;  Poder de decisão nas mãos de políticos, administradores e burocratas;  Valorização da relação dos pagadores com os compradores (planos de saúde e empresas, governo e instituições) em detrimento da relação médico-paciente;
    • 12. Cenários eCenários e perspectivasperspectivas  Despersonalização (impessoalidade) do atendimento (relação instituição-cliente);  Excesso de escolas médicas;  Formação técnica e humanista deficiente;  Ética Médica violentada;  Envelhecimento da população.
    • 13. O que mudou... Comparando com a pesquisa prévia (Machado, 1996), percebem-se as seguintes mudanças: – Mais mulheres médicas – Marcha em direção às cidades do interior – Diminuiu porcentagem de médicos com residência – Porcentagem maior de médicos estrangeiros no Norte – Porcentagem maior de médicos em congressos
    • 14. O que mudou... – Porcentagem maior dos médicos que têm múltiplas atividades – Surgem outras fontes de renda e aumentam os plantonistas – Evidenciou-se um achatamento do salário e das expectativas – O PSF é percebido como positivo – Os convênios são hoje uma realidade – A Medicina segue sendo vista com pessimismo
    • 15. Relação Médico-Paciente Rápida e Insensível Compreensiva e Genuína Grave e Solene
    • 16. Quem é o Paciente? É um serÉ um ser biológicobiológico É um serÉ um ser biográficobiográfico É um serÉ um ser simbólicosimbólico
    • 17.  1. Direito a ter um prontuário com todas as informações prestadas e acesso irrestrito às anotações efetuadas pelo facultativo,  2. Direito em ser questionado sobre seus sintomas, ser examinado diligentemente e ter todos os meios que a medicina oferece à sua disposição,  3. Direito em ter seu pudor respeitado e não ser discriminado sob nenhuma hipótese,  4. Direito em ser acompanhado por familiar ou amigo em qualquer procedimento médico,  5. Direito aos exames complementares realizados, Direitos dos Pacientes
    • 18.  6. Direito à opiniões de outros médicos,  7. Direito de ter um diagnóstico e prognóstico, e mais que tudo, direito à verdade,  8. Direito de consentir ou recusar qualquer procedimento ou tratamento proposto (internações, cirurgias, etc.),  9. Direito ao segredo sobre sua saúde e sua doença,  10. Direito a uma morte digna. Direitos dos Pacientes
    • 19. CONSELHOS DE ESCULÁPIOCONSELHOS DE ESCULÁPIO    (Anônimo grego)(Anônimo grego)    Universidade de Navarra/Espanha - Departamento de Bioética - Textos clássicos    ““Queres ser médico, meu filho? Esta éQueres ser médico, meu filho? Esta é aspiração de uma alma generosa e de umaspiração de uma alma generosa e de um espírito ávido de ciência. Desejas que osespírito ávido de ciência. Desejas que os homens te tenham por um deus que aliviahomens te tenham por um deus que alivia seus males e afugenta deles o temor. Porém,seus males e afugenta deles o temor. Porém, tens pensado no que vai ser a tua vida?tens pensado no que vai ser a tua vida?
    • 20. Perfil do médico a ser formadoPerfil do médico a ser formado Médico, com formação generalista,Médico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva.humanista, crítica e reflexiva. Capacitado a atuar, pautado emCapacitado a atuar, pautado em princípios éticos, no processo deprincípios éticos, no processo de saúde-doença em seus diferentessaúde-doença em seus diferentes níveis de atenção, com ações deníveis de atenção, com ações de promoção, prevenção, recuperação epromoção, prevenção, recuperação e reabilitação à saúde, na perspectivareabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência, comda integralidade da assistência, com senso de responsabilidade social esenso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, comocompromisso com a cidadania, como promotor da saúde integral do serpromotor da saúde integral do ser
    • 21. 1. Formação (cultura) 2. Informação 3. Maturidade Emocional 4. Espírito crítico 5. Dedicação ao paciente 6. Humanista 7. Administração do tempo 8. Espírito de grupo O médico doO médico do FuturoFuturo
    • 22. Conan Doyle  OuvirOuvir o que o pacienteo que o paciente dizdiz (A)(A)  VerVer o queo que se mostrase mostra (EF)(EF)  DecodificarDecodificar o queo que se anunciase anuncia (EF)(EF)  InferirInferir o queo que se escondese esconde (EF)(EF)  EntenderEntender o que o pacienteo que o paciente conhececonhece (A)(A)  EncontrarEncontrar o que o pacienteo que o paciente desconhecedesconhece (A)(A)  DesvendarDesvendar o que eleo que ele não quer conhecernão quer conhecer (A)(A)
    • 23. Anamnese X Tecnologia  Howard Baker (Southern Illinois Medical School): uma anamnese bem feita por um médico bem preparado chega ao diagnóstico em 90% dos casos.  Um estudo alemão (Düsseldorf) mostrou que o uso de exames modernos (ultra- som, ressonância, tomografia, endoscopia, biópsia, etc.) em detrimento da anamnese e do exame físico piorou ou, pelo menos, não melhorou, nos últimos 40 anos, a acuidade diagnóstica (à exceção do câncer).
    • 24. Sir William Osler “Para que possa ser um bom médico afastai-o das salas de aula e dos anfiteatros; levai-o para o ambulatório e para as enfermarias.”
    • 25. “Aquele que só medicina sabe, nem Medicina sabe.” José LetamendiJosé Letamendi Formação cultural
    • 26. O teor humanístico da prática da medicina Primeiro Ponto: currículos das escolas Segundo Ponto: reviver a primazia do paciente Terceiro Ponto: reviver a primazia do encontro Quarto Ponto: reviver aQuarto Ponto: reviver a primaziaprimazia dada anamneseanamnese
    • 27. ““O estudante de MedicinaO estudante de Medicina é um idealista no início doé um idealista no início do curso e um cínico no finalcurso e um cínico no final do curso...”do curso...” Giovanni Berlinguer
    • 28. Desejos altruístas em estudantes de Medicina  Felicidade (34%), dinheiro (32%) eFelicidade (34%), dinheiro (32%) e desejos altruístas (31%).desejos altruístas (31%).  Não houve variação significativa doNão houve variação significativa do 11º ao 6º ano.º ao 6º ano.  Desejos altruístas: mulheres (36%)Desejos altruístas: mulheres (36%) e homens (26%)e homens (26%)  Felicidade: mulheres (42%) eFelicidade: mulheres (42%) e homens (26%)homens (26%)  Desejos sexuais: mulheres (0,8%)Desejos sexuais: mulheres (0,8%) e homens (5%).e homens (5%). BMJ, 319:1593-95,BMJ, 319:1593-95,
    • 29. Expectativa dosExpectativa dos pacientespacientes  Confortar, Escutar, Olhar e Tocar: mais do que Títulos, cursos de especialização e tempo de formado;  Boa aparência do consultório (não o luxo!);  Atenção e bom humor da atendente;  Rejeição ao tratamento apressado e impessoal: causas de erro!
    • 30. “Uma consulta deve durar uma hora. Por cinqüenta minutos ausculte a alma do paciente. Nos outros dez faça de conta que o examina...” Maimônides
    • 31. CONSELHOS DE ESCULÁPIO ““Pensa bem enquanto é tempo. PorémPensa bem enquanto é tempo. Porém se, indiferente à fortuna, aos prazeres,se, indiferente à fortuna, aos prazeres, à ingratidão; se, sabendo que te verásà ingratidão; se, sabendo que te verás muitas vezes só entre feras humanas,muitas vezes só entre feras humanas, tens a alma o bastante estóica paratens a alma o bastante estóica para satisfazer-se com o dever cumprido, ousatisfazer-se com o dever cumprido, ou te julgas suficientemente pago com ote julgas suficientemente pago com o agradecimento de uma mãe que acabaagradecimento de uma mãe que acaba de dar à luz, com um rosto que sorride dar à luz, com um rosto que sorri porque a dor se aliviou, com a paz deporque a dor se aliviou, com a paz de um moribundo a quem acompanhas atéum moribundo a quem acompanhas até o final;o final;
    • 32. CONSELHOS DE ESCULÁPIO Se anseias conhecer o homem e penetrar na trágica grandeza de seu destino, então, sê médico, meu filho”. (anônimo grego)(anônimo grego)

    ×