GRÉCIA ANTIGA


TERRITÓRIO





Hélade ou Grécia Continental
Península do Peloponeso ou Grécia
Peninsular
As ilhas ou ...
GRÉCIA ANTIGA


POVOAMENTO





aqueus; eólios; jônios e dórios
povos já existentes na área: cretenses e
micênicos
helenos:
•

povo ...
VIDA POLÍTICA








clãs patriarcais (genos)
Cidade-Estado ou Pólis = cidades independentes;
governo próprio; suas...
Acrópole em Atenas
PÓLIS




“No centro da cidade havia um espaço aberto, chamado ágora. A
palavra ágora, inicialmente, significava reunião...
ESPARTA






Península do Peloponeso
militarista e de poder oligárquico
fazer seus cidadãos modelos de soldados
TEXT...
ESPARTA


GOVERNO
•
•

dois reis: exerciam poderes militares e religiosos
administração política:





GERÚSIA: Consel...
ATENAS
fundada pelos jônios
planície da Ática - próximo do Mar Egeu
ACRÓPOLE: numa colina
cidade marítima e comercial (Med...
ATENAS


DEMOCRACIA
•
Clístenes: introduziu o regime democrático
•
Isonomia: princípio da democracia no qual “todos os ci...
ATENAS




SOCIEDADE ATENIENSE: TRÊS CATEGORIAS
• cidadãos: direitos políticos e participação no
governo
• metecos: vivi...
ATENAS







Arquitetura: templos (abrigar escultura dos deuses)
Escultura: ligada à religião (divino e humano /
espi...
O PELOPONESO


A guerra do Peloponeso foi um conflito armado
entre Atenas (centro político e civilizacional por
excelênci...
CONFLITOS EXTERNOS E INTERNOS


Guerras Grego-Pérsicas ou Guerras Médicas
•
•
•
•
•
•

•
•

Entre gregos e persas
união d...
O Império Ateniense em 431 a.C.
As longas muralhas que ligavam Atenas a seu
porto, o Pireu.
CONFLITOS EXTERNOS E INTERNOS
• Liga do Peloponeso: aliança político-militar
liderada por Esparta, que se opunha ao domíni...
Liga Ateniense e Guerra do Peloponeso
A Grécia, um dia antes da guerra do Peloponeso
Batalhas e campanhas da Guerra do Peloponeso






A importância desta guerra reside também no fato de ter
envolvido quase todos os Estados gregos, além de ter
regi...
DOMÍNIO MACEDÔNICO











o rei Felipe da Macedônia conquista a Grécia na Batalha de
Queronéia.
Alexandre, o suc...
DOMÍNIO MACEDÔNICO
CULTURA HELENÍSTICA ou HELENISMO









Consequências das conquistas de Alexandre
o deslocamento para o Oriente do ...
O Império Persa em 490 a.C.
O Império de Alexandre, o Grande.
Alexandre, O GRANDE
Os três últimos desejos de
Alexandre, o Grande
A beira do leito de morte, Alexandre o Grande convocou seus generais e lhe
...
Grécia Antiga - Aula 2
Grécia Antiga - Aula 2
Grécia Antiga - Aula 2
Grécia Antiga - Aula 2
Grécia Antiga - Aula 2
Grécia Antiga - Aula 2
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Grécia Antiga - Aula 2

422

Published on

HISTÓRIA - CÍCERO BARATTA
Grécia Antiga - Aula 2

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
422
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Grécia Antiga - Aula 2

  1. 1. GRÉCIA ANTIGA  TERRITÓRIO    Hélade ou Grécia Continental Península do Peloponeso ou Grécia Peninsular As ilhas ou Grécia Insular
  2. 2. GRÉCIA ANTIGA
  3. 3.  POVOAMENTO    aqueus; eólios; jônios e dórios povos já existentes na área: cretenses e micênicos helenos: • povo grego: mescla de etnias e culturas, que ao longo do tempo, por intercâmbios culturais, adquiriu certa unidade.
  4. 4. VIDA POLÍTICA       clãs patriarcais (genos) Cidade-Estado ou Pólis = cidades independentes; governo próprio; suas leis; calendário e moedas próprias TEXTO: Pólis Grega Pólis Grega: área urbana e rural Principais Pólis: Atenas e Esparta Colonização Grega: favoreceu a navegação marítima, o comércio, a produção artesanal e contribuiu para o intercâmbio cultural dos gregos com outros povos.
  5. 5. Acrópole em Atenas
  6. 6. PÓLIS   “No centro da cidade havia um espaço aberto, chamado ágora. A palavra ágora, inicialmente, significava reunião. Mas os gregos começaram a usá-la para significar a praça pública da cidade, pois era ali que eles se encontravam para discutir os assuntos importantes da cidade-Estado. [...] Em várias cidades, os cidadãos se juntavam ali em assembléia para decidir como governar o Estado. Era ali que os juízes da cidade julgavam o povo. Os homens passeavam com seus amigos nas arcadas sombrias. E, todos os anos, a população da cidade se encontrava na ágora para assistir aos festivais de poesia e aos jogos realizados em honra dos deuses. [...] E num canto aprazível, debaixo de uma árvore, um grupo de amigos discute política e os últimos acontecimentos.” Adaptado de CROSHER, Judith. Os gregos. S.P, Melhoramentos, 1988. p. 8-9. (Coleção Povos do Passado).
  7. 7. ESPARTA      Península do Peloponeso militarista e de poder oligárquico fazer seus cidadãos modelos de soldados TEXTO: Educação Espartana SOCIEDADE • • • Esparciatas = cidadãos espartanos = proprietários de terras Periecos = homens livres = comércio e artesanato Hilotas = presos à terra dos esparciatas = revoltas contra os grupos dominantes, mas sempre dominados
  8. 8. ESPARTA  GOVERNO • • dois reis: exerciam poderes militares e religiosos administração política:    GERÚSIA: Conselho Vitalício de Anciãos - funções administrativas, legislativa e judiciária. ÁPELA: Assembléia CONSELHO DOS ÉFOROS: controlavam a vida econômica e social da cidade.
  9. 9. ATENAS fundada pelos jônios planície da Ática - próximo do Mar Egeu ACRÓPOLE: numa colina cidade marítima e comercial (Mediterrâneo)     TIPOS DE GOVERNO    MONARQUIA: VIII a.C. = rei(juiz, sacerdote e chefe militar) ARISTOCRACIA = apossaram das terras férteis, emprestadores de dinheiro, tinham muitos escravos, adquiridos a parti de seus devedores (composta de eupátridas = “bem-nascidos”)
  10. 10. ATENAS  DEMOCRACIA • Clístenes: introduziu o regime democrático • Isonomia: princípio da democracia no qual “todos os cidadãos tem o mesmo direito perante as leis” • quem era considerado cidadão em Atenas?  homem, adulto  estrangeiro, escravos, mulheres, jovens e velhos não participavam da vida democrática. • A democracia ateniense:  direta: o voto do cidadão na Assembléia  elitista: só uma minoria tinha direitos  patriarcal: excluía as mulheres  escravista: eram os escravos que sustentavam a riqueza dos senhores • órgãos da democracia:  Conselho dos Quinhentos  Assembléia do Povo • Péricles: mudanças na vida democrática
  11. 11. ATENAS   SOCIEDADE ATENIENSE: TRÊS CATEGORIAS • cidadãos: direitos políticos e participação no governo • metecos: viviam em Atenas, mas não haviam nascido na cidade • escravos: prisioneiros de guerra, comprados nos mercados de escravos, ou filhos de escravos  a propriedade e leis do escravo EXPANSÃO DE ATENAS • período clássico (V e IV a.C.) • artistas e intelectuais se destacaram na cidade, provavelmente com a contribuição da democracia e do desenvolvimento econômico • as expressões artísticas eram públicas • arte presente no cotidiano das pessoas • arte nos templos, teatros, cemitérios, não em museus
  12. 12. ATENAS     Arquitetura: templos (abrigar escultura dos deuses) Escultura: ligada à religião (divino e humano / espiritual e físico) Teatro: comédia ou drama (festivais e concurso entre autores) Ciências: • aperfeiçoaram o alfabeto fenício • Literatura: Homero, Píndaro, Ésquilo, Sófocles, Eurípedes (lírica, epopéia e drama) • História: Heródoto, Tucídides e Xenofontes • Filosofia: Sócrates, Platão e Aristóteles • Matemática: Tales de Mileto e Pitágoras • Medicina: Hipócrates (seu juramento = mensagem ética)
  13. 13. O PELOPONESO  A guerra do Peloponeso foi um conflito armado entre Atenas (centro político e civilizacional por excelência do mundo do século V a.C.) e Esparta (cidade de tradição militarista e costumes austeros), de 431 a 404 a.C. Sua história foi detalhadamente registrada por Tucídides e Xenofonte. De acordo com Tucídides, a razão fundamental da guerra foi o crescimento do poder ateniense e o temor que o mesmo despertava entre os espartanos. A cidade de Corinto foi especialmente atuante, pressionando Esparta a fim de que esta declarasse guerra contra Atenas.
  14. 14. CONFLITOS EXTERNOS E INTERNOS  Guerras Grego-Pérsicas ou Guerras Médicas • • • • • • • • Entre gregos e persas união dos gregos contra os persas com este conflito os atenienses tiveram papel de destaque Atenas tornou-se mais poderosa (militar e economicamente) Liga de Delos: proteção das cidades gregas sob o domínio ateniense na ilha de Delos No fim da guerra com os persas, algumas cidades tentaram dissociar-se da Liga, mas foram impedidas por Atenas. Atenas: rica, comercial e militar algumas cidades se rebelaram, destacando-se Esparta.
  15. 15. O Império Ateniense em 431 a.C.
  16. 16. As longas muralhas que ligavam Atenas a seu porto, o Pireu.
  17. 17. CONFLITOS EXTERNOS E INTERNOS • Liga do Peloponeso: aliança político-militar liderada por Esparta, que se opunha ao domínio ateniense. • durou 27 anos com breves intervalos de paz • o mundo grego debilitado ao final da guerra e Atenas perde sua antiga liderança • os aristocratas espartanos vitoriosos estendem sua influência sobre o mundo grego • habitantes da cidade de Tebas inicia novas revoltas, Esparta é vencida e as lideranças tebanas dominam os gregos entre 371 a 362 a.C.
  18. 18. Liga Ateniense e Guerra do Peloponeso
  19. 19. A Grécia, um dia antes da guerra do Peloponeso
  20. 20. Batalhas e campanhas da Guerra do Peloponeso
  21. 21.    A importância desta guerra reside também no fato de ter envolvido quase todos os Estados gregos, além de ter registrado um número sem precedentes de homens em armas e um elevado consumo de recursos materiais. O poder naval foi fundamental, num teatro de operações onde tal se justificava, pois desenrolou-se entre a Ásia Menor e a Sicília. Anteriormente, as guerras tinham um caráter estival, de curta duração, com alguns reencontros de infantaria (hoplitas) e poucos combatentes, sem grandes estratégias e investimentos logísticos, com um caráter simples e com o seu fim a depender de cadências pela fome ou fuga de uma facção. A Guerra do Peloponeso foi diferente: grandes blocos de Estados, várias áreas de combate, com estratégia definida e dependendo da ação de Esparta ou Atenas uma, potência terrestre; a outra, naval e detentora de um império financeiro e comercial.
  22. 22. DOMÍNIO MACEDÔNICO       o rei Felipe da Macedônia conquista a Grécia na Batalha de Queronéia. Alexandre, o sucessor de Felipe assume a expansão militar macedônica Alexandre, o Grande, sufoca as revoltas das cidades de Atenas e Tebas Alexandre partiu para o Oriente fez do Império Macedônico um dos maiores da Antiguidade. (Ásia Menor, Egito, Mesopotâmia, Pérsia, regiões da Índia e o vale do rio Indo) a morte de Alexandre o Grande fez fragmentar o Império a expansão macedônia foi responsável pela integração das culturas grega e oriental: cultura helenística
  23. 23. DOMÍNIO MACEDÔNICO
  24. 24. CULTURA HELENÍSTICA ou HELENISMO      Consequências das conquistas de Alexandre o deslocamento para o Oriente do centro econômico e político do mundo antigo, situado até então na Grécia a fundaçao e o crescimento de cidades, como Antioquia, Pérgamo e Alexandria, que se tornaram grandes centros comerciais e de produção e de reprodução artesanal. - Biblioteca de Alexandria. a colocação em circulação dos enormes tesouros dos reis persas, provocando a dimuinuição do valor dos metais preciosos e, a elevação dos preços o desenvolvimento de muitas áreas do conhecimento, principalmente da matemática.
  25. 25. O Império Persa em 490 a.C.
  26. 26. O Império de Alexandre, o Grande.
  27. 27. Alexandre, O GRANDE
  28. 28. Os três últimos desejos de Alexandre, o Grande A beira do leito de morte, Alexandre o Grande convocou seus generais e lhe orientou sobre seus três últimos desejos. E assim falou-lhes:  Que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos melhores médicos da época;  Que fossem espalhados no caminho até seu túmulo todos os seus tesouros e;  Que suas duas mãos fossem deixadas de fora balançando para que todos pudessem vê-las. Então eis que um dos seus generais, impressionado com seus pedidos insólitos, o pergunta quais seriam as razões para tal desejo. Alexandre sabiamente o responde:  Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles não tem poder de cura perante a morte;  Quero que o chão seja coberto com os meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem e por fim;  Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos. Autor desconhecido
  1. Gostou de algum slide específico?

    Recortar slides é uma maneira fácil de colecionar informações para acessar mais tarde.

×