Frutos

2,343 views

Published on

BIOLOGIA - MARCOS AURÉLIO
Frutos

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,343
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
129
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Frutos

  1. 1. "Frutos" e "Frutas" Há uma certa confusão entre os termos "fruto" e "fruta". Nem todos os alimentos conhecidos como frutas são frutos, e muitos frutos não são reconhecidos pelo leigo como frutas. E nem todo fruto é comestível. Exemplos de frutos rotulados como "legumes" são a abobrinha, o tomate, e o quiabo, que são frutos por terem se desenvolvido a partir de ovários fecundados, e por apresentarem sementes em seu interior.
  2. 2. O Fruto     É uma estrutura presente em todas as Angiospermas onde as sementes são protegidas enquanto amadurecem. São quaisquer estruturas das Angiospermas que contém semente. Resultam do desenvolvimento de folhas carpelares fechadas, encontrando-se os óvulos encerrados dentro de um ovário. O termo fruto é utilizado para designar as estruturas que contém as sementes provenientes de um ovário.
  3. 3. Origem    Os frutos derivam-se do ovário das flores. Após a fecundação dos óvulos em seu interior, o ovário inicia um crescimento, acompanhado de uma modificação de seus tecidos provocada pela influência de hormônios vegetais, que interferem na estrutura, consistência, cores e sabores, dando origem ao fruto. Os frutos mantêm-se fechados sobre as sementes até, pelo menos, o momento da maturação. Quando as sementes estão prontas para germinar, os frutos amadurecem, e podem se abrir, liberando as sementes ao solo, ou tornam-se aptos a serem ingeridos por animais, que depositarão as sementes após estas passarem por seu aparelho digestivo.
  4. 4. Após a polinização, ocorre a formação do tubo polínico e a fecundação. Os dois núcleos do grão de pólen descem por dentro do tubo polínico e, durante a . descida, o núcleo degenerativo se divide, dando origem aos dois gametas masculinos do vegetal, estes, ao atingir o óvulo, fecundam a oosfera e os núcleos polares (que previamente se fundem), respectivamente. A partir deste momento, as paredes do ovário começam a se transformar no pericarpo, que é a parte externa do fruto, enquanto que o óvulo fecundado se transforma na semente
  5. 5. Relação Fruto-Flor
  6. 6. Desenvolvimento do Fruto
  7. 7. Fruto,botanicamente falando, portanto, é: O conjunto formado pelo pericarpo, originado pelas paredes do ovário e a semente, formada a partir do óvulo fecundado.
  8. 8. Partes do Fruto As paredes do ovário formam o pericarpo do fruto, ou seja, todos os tecidos que não pertencem á semente. O pericarpo tem três camadas distintas, bem ilustradas pela estrutura, em corte, de uma maçã endocarpo – a camada mais interna, resulta das células epiteliais que rodeiam a cavidade do ovário (lóculo). Na maçã corresponde á camada, muito fina e com textura de papel, que envolve a “estrela” central, onde se localizam as sementes; mesocarpo – A camada intermédia, resulta do parênquima das paredes (tecido fundamental) do ovário. Geralmente, é rico em substâncias nutritivas e saborosas, como no caso da maçã, mas existem frutos em que tal não se verifica.
  9. 9. exocarpo – camada mais externa, resulta das células epidérmicas que envolvem o ovário e o carpelo. Formam a casca dos frutos, como a maçã.
  10. 10. Função do Fruto A função primordial dos frutos é a proteção da semente em desenvolvimento, e é a principal razão atribuída pelos estudiosos ao fechamento dos carpelos nas primeiras Angiospermas.
  11. 11. Fruto Simples Carnoso Múltiplos Seco Pomos Deiscentes Bagos Indeiscentes Drupas Agregados
  12. 12. Frutos carnosos são aqueles, nos quais a parede do ovário aumenta em espessura após a polinização e a subseqüente fertilização. Nesses frutos os pericarpos são bem desenvolvidos e, pelo menos em parte, parenquimatosos e suculentos.
  13. 13. Fruto carnosos Baga: É o tipo mais comum de fruto carnudo simples, no qual a parede do ovário inteiro amadurece em um pericarpo comestível. As flores dessas plantas têm um ovário superior e ele tem um ou vários gineceus dentro de uma cobertura fina e interiores muito carnudos. As sementes são embutidas na carne comum do ovário.
  14. 14. Baga Os exemplos de bagas botânicas incluem o tomate, uva, lechia, nêspera, berinjela, banana, abacate, cáqui , goiaba, uchuva (cereja da terra), e pimenta
  15. 15. Drupa: Fruto carnoso apresenta o pericarpo com uma camada externa carnosa e uma pétrea. Geralmente é oriundo de ovário unicarpelar e monospérmico. O epicarpo é delgado, o mesocarpo carnoso e o endocarpo lenhoso. Este envolve a semente, estando fortemente aderido a ela, formando o chamado “caroço”. Exemplos: azeitona , manga e coco
  16. 16. Fruto simples: Secos: Frutos secos deiscentes: abrem-se espontaneamente para liberarem as sementes. Apresentam o pericarpo pouco desenvolvido,contendo pequena quantidade de água
  17. 17. Fruto seco deiscente Folículo: derivado de um único pistilo, apresentando apenas uma linha de deiscência longitudinal. Exemplo: chichá (Sterculia chichá - Sterculiaceae).
  18. 18. Fruto seco deiscente  Legume: também derivado de um único pistilo, porém a deiscência se faz por duas linhas longitudinais, a da sutura do carpelo e a da nervura mediana da folha carpelar Característico da maioria das Fabaceae, como feijão (Phaseolus vulgaris).
  19. 19. Fruto seco deiscente Cápsula: Derivada de gineceu sincárpico com dois a muitos carpelos fundidos, ficando seca na maturidade e abrindo de vários modos: por poros no ápice (cápsula poricida) como em papoula (Papaver bracteatum - Papaveraceae)
  20. 20. Fruto seco deiscente Cápsula: por deiscência transversal que delimita um opérculo ou tampa (pixídio) como no jequitibá (Cariniana legalis Lecythidaceae)
  21. 21. Fruto seco deiscente Síliqua: Fruto característico das Brassicaceae, derivado de ovário bicarpelar, cujo pericarpo seco separa-se em 2 valvas laterais deixando um eixo central (replo), ao qual ficam presas as sementes Exemplos: agrião (Nasturtium officinale Brassicaceae) e ipê (Tabebuia sp. Bignoniaceae).
  22. 22. Fruto seco indeiscente são frutos que não se abrem espontaneamente para liberarem as sementes
  23. 23. Fruto seco indeiscentes Aquênio: fruto não alado, no qual a semente une-se à parede do fruto (pericarpo coriáceo) por apenas um ponto. Exemplos: espécies da família Asteraceae em geral, tais como girassol (Helianthus sp.) e margarida (Chrysanthemum sp.).
  24. 24. Fruto seco indeiscentes Cariopse ou grão: fruto não alado, originado de um ovário unicarpelar. A única semente que ele apresenta está unida, em toda a extensão, às paredes do fruto. Exemplos: espécies de Poaceae em geral, tais como milho (Zea mays) e arroz (Oryza sativa).
  25. 25. Fruto seco indeiscentes Sâmara: fruto alado, com expansões da parede do pericarpo em forma de asas. Exemplo: tipuana (Tipuana tipu Fabaceae
  26. 26. Pseudofruto São estruturas carnosas ou suculentas que não se originam do ovário, e sim de outras partes da flor, como o pedúnculo.
  27. 27. "falso fruto" é um desenvolvimento de um tecido vegetal adjacente à flor que sustenta o fruto, de forma que este se assemelhe em cor e consistência a um fruto verdadeiro (que, por definição, é proveniente do desenvolvimento do ovário.
  28. 28. Diferenciações Pseudofrutos simples - Provenientes do receptáculo de uma única flor, que incha, envolvendo o fruto verdadeiro total ou parcialmente. Ex: maça e caju
  29. 29. Pseudofruto composto provenientes do desenvolvimento do receptáculo de uma única flor, com muitos ovários. Exemplo: morango, pois vários aquênios ficam associados a uma parte carnosa correspondente ao receptáculo da flor.
  30. 30. Pseudofrutos múltiplos – provenientes do desenvolvimento de ovários de muitas flores de uma inflorescência, que crescem juntos numa estrutura única, temos como exemplo a amora, o abacaxi e o figo.
  31. 31. Partenocarpos – Frutos desenvolvidos a partir atrofiados e não fecundados – não formam sementes dentro de si. As bananeiras constituem um exemplo – reprodução assexuada; os pontos escuros representam óvulos não desenvolvidos.
  32. 32. Geocárpicos – Frutos que amadurecem sob o solo, o amendoim. Compreende as leguminosas, após a fecundação o pedúnculo entra no solo e os frutos desenvolvem-se subterraneamente.
  33. 33. AGENTES DISPERSORES – UNIDADES DE DISPERSÃO FRUTOS ANEMOLÓRICOS = SUSPENSÃO E DISPERSÃO PELO AR. - Frutos plumosos, sementes aladas.
  34. 34. AGENTES DISPERSORES – UNIDADES DE DISPERSÃO - FRUTOS HIDROCÓRIOS = possuem uma estrutura fibrosa que permite armazenar ar e flutuar na água; - EEJACULAÇÃO DAS SEMENTES = consiste em atirar as sementes para longe da planta. - - DISPERSÃO POR ZOOCORIA = carrapichos, picões, frutos vistosos coloridos.

×