Trabalho arte egípcia

  • 49 views
Uploaded on

Tema: Arte Egípcia …

Tema: Arte Egípcia
Pontos de Abordagem:
Pinturas e Baixos Relevos – Características;
Esculturas - Características;
Arquitetura - Construções Mortuárias e Pirâmides.

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
49
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
1
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Arte do Antigo Egito A Arte Egípcia refere-se à arte desenvolvida e aplicada pela civilização do antigo Egito. Esta manifestação artística teve a sua supremacia na religião durante um longo período de tempo, estendendo-se aproximadamente pelos últimos 3000 anos antes de Cristo e demarcando diferentes épocas que auxiliam na clarificação das diferentes variedades estilísticas adaptadas: Período Arcaico, Império Antigo, Império Médio, Império Novo, Época Baixa, Período Ptolemaico e vários períodos intermédios, mais ou menos curtos, que separam as grandes épocas, e que se denotam pela turbulência e obscuridade, tanto social e política como artística. Mas embora sejam reais estes diferentes momentos da história, a verdade é que incutem somente pequenas nuances na manifestação artística que, de um modo geral, segue sempre uma vincada continuidade e homogeneidade. O tempo e os acontecimentos históricos encarregaram-se de ir eliminando os vestígios desta arte ancestral, mas, mesmo assim, foi possível redescobrir algo do seu legado no século XIX, em que escavações sistemáticas trouxeram à luz obras capazes de fascinar investigadores, colecionadores e mesmo o olhar amador. A partir do momento em que se decifram os hieróglifos na Pedra de Roseta é possível dar passos seguros a caminho da compreensão da cultura, história, mentalidade, modo de vida e naturalmente da motivação artística dos antigos egípcios. Os egípcios demonstram nas suas manifestações artísticas uma profunda religiosidade, dando um caráter monumental aos templos e às construções mortuárias, notabilizando-se entre elas as pirâmides, construídas de pedra, quando todas as comunidades ao longo do rio Nilo são unificadas em um único Império.
  • 2. Pintura e estrutura A principal característica da Pintura e Baixos-Relevos egípcios é a representação de figuras humanas segundo a lei da frontalidade, ou seja, com a cabeça e os pés de perfil e o resto do corpo de frente. Da escultura egípcia destaca-se o contraste entre estátuas colossais, rígidas e sem expressão dos faraós e as estatuetas de particulares, tais como funcionários e escribas, as quais apresentavam expressividade e naturalismo de movimentos. A expressão humana na escultura vai ganhar uma nova dimensão e realismo nesta época, passando-se a representar nas estátuas reais o envelhecimento. Mesmo a representação bidimensional perde a sua dependência dos cânones adaptando uma maior naturalidade e mesmo noções de profundidade tridimensional. Os locais onde a Pintura do Antigo Egito melhor se manifestou foram os túmulos dos governadores dos nomos, em cujas paredes se recriam cenas de caça, pesca, banquetes ou danças. Seguindo a tradição anterior, o dono do túmulo surge representado em tamanho superior às outras personagens. A pintura é realizada sobre estuque fresco ou sobre relevo. Esculturas No que diz respeito à Escultura podem ser estabelecidas diferenças de concepção entre a estatuária real e a estatuária de particulares. Na primeira verifica-se um desejo de imponência, enquanto que a segunda tende para um maior realismo, detectável em trabalhos como o grupo escultórico de Rahotep e Nofert. Do tempo da V dinastia são escassas as estátuas de reis, mas em compensação abundam as estátuas de particulares. São desta época as várias estátuas de escribas que se encontram hoje em dia no Museu Egípcio do Cairo e no Museu do Louvre, que retratam estes funcionários na pose de pernas cruzadas, uma forma de representação que se manterá até à Época Greco-Romana. Os materiais utilizados na escultura deste período foram diorite, granito, xisto, basalto, calcário e alabastro. Arquitetura Na Arquitetura adaptam-se os padrões estilísticos anteriores ao nível da construção, procurando-se retomar a construção de pirâmides. Contudo, estas pirâmides não atingem a grandeza das pirâmides do Império Antigo. Construídas com materiais de baixa qualidade e com técnicas deficientes, o que resta hoje destas construções é praticamente um monte de escombros. As mais altas pirâmides construídas nesta época foram a de Senuseret III (78 metros) e a de Amenemhat III (75 metros).
  • 3. Pirâmides Uma Pirâmide é todo poliedro formado por uma face inferior e um vértice que une todas as faces laterais. As faces laterais de uma pirâmide são regiões triangulares, e o vértice que une todas as faces laterais é chamado de vértice da pirâmide. O numero de faces laterais de uma pirâmide corresponde ao número de lados do polígono da base. Como exemplo das pirâmides da geometria espacial no dia-a-dia temos as pirâmides do Egito, uma das sete maravilhas do mundo antigo. Uma pirâmide é classificada como reta quando todas as arestas laterais são congruentes, caso contrário ela é classificada como oblíqua. Uma maneira mais fácil de identificar uma pirâmide reta é quanto o centro da base da pirâmide está alinhado com o vértice superior da pirâmide, em outras palavras, é possível traçar uma reta do vértice ao centro do polígono na base da pirâmide. Uma outra maneira fácil de identificar uma pirâmide oblíqua é quando não existe esse alinhamento do vértice superior com o centro do polígono na base da pirâmide, ou seja, se traçarmos novamente a reta, ela não terminará no centro do polígono da base. Construções Mortuárias A temática Mortuária era de grande presença. A crença na vida após a morte motivava os egípcios a construírem tumbas, estatuetas, vasos e mastabas que representavam sua concepção do além-vida. As primeiras tumbas egípcias buscavam realizar uma reprodução fiel da residência de suas principais autoridades. Em contrapartida, as pessoas sem grande projeção eram enterradas em construções mais simples que, em certa medida, indicava o prestígio social do indivíduo. .
  • 4. Pesquisa: Arte Egípcia
  • 5. Escola Estadual Alexandre Vaz Tavares Diretor: Professora: Janivalda Marinho Alunos: Turma: 111 Série: 1º ano 2ª Avaliação • Pesquisa: (Livros, Revistas, Internet). • Tema: Arte Egípcia • Pontos de Abordagem: Pinturas e Baixos Relevos – Características; Esculturas - Características; Arquitetura - Construções Mortuárias e Pirâmides.
  • 6. Bibliografia www.paralerepensar.com.br/arte_egipcia.htm pt.wikipedia.org/wiki/Arte_do_Antigo_Egito www.historiadaarte.com.br/arteegipcia.html www.suapesquisa.com/egito/arte_egipcia.htm http://www.clubedeartesanato.com.br/img/foto_trabalho/5449_7971778as_tres_cabecas. JPG http://www.google.com.br/imgres? imgurl=http://www.acrilex.com.br/images/historia_egipcia1.jpg&imgrefurl=http://w ww.acrilex.com.br/cultura_historiadaarte_arteegipcia.htm&usg=__zuDdxa5av2kD- vXP7xDLCYtumU0=&h=298&w=198&sz=28&hl=pt- BR&start=22&zoom=1&tbnid=fcXvnfUSBE5iBM:&tbnh=119&tbnw=79&ei=JuC 9Tbq9CYm3tgfagozXBQ&prev=/search%3Fq%3DArte%2Beg%25C3%25ADpcia %26hl%3Dpt-BR%26sa%3DX%26biw%3D1280%26bih%3D564%26tbm %3Disch0%2C513&itbs=1&iact=rc&dur=332&page=2&ndsp=24&ved=1t:429,r:10 ,s:22&tx=16&ty=27&biw=1280&bih=564
  • 7. Bibliografia www.paralerepensar.com.br/arte_egipcia.htm pt.wikipedia.org/wiki/Arte_do_Antigo_Egito www.historiadaarte.com.br/arteegipcia.html www.suapesquisa.com/egito/arte_egipcia.htm http://www.clubedeartesanato.com.br/img/foto_trabalho/5449_7971778as_tres_cabecas. JPG http://www.google.com.br/imgres? imgurl=http://www.acrilex.com.br/images/historia_egipcia1.jpg&imgrefurl=http://w ww.acrilex.com.br/cultura_historiadaarte_arteegipcia.htm&usg=__zuDdxa5av2kD- vXP7xDLCYtumU0=&h=298&w=198&sz=28&hl=pt- BR&start=22&zoom=1&tbnid=fcXvnfUSBE5iBM:&tbnh=119&tbnw=79&ei=JuC 9Tbq9CYm3tgfagozXBQ&prev=/search%3Fq%3DArte%2Beg%25C3%25ADpcia %26hl%3Dpt-BR%26sa%3DX%26biw%3D1280%26bih%3D564%26tbm %3Disch0%2C513&itbs=1&iact=rc&dur=332&page=2&ndsp=24&ved=1t:429,r:10 ,s:22&tx=16&ty=27&biw=1280&bih=564