Release de Resultados 1T13
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Release de Resultados 1T13

on

  • 1,718 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,718
Views on SlideShare
796
Embed Views
922

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
0

4 Embeds 922

http://ri.embraer.com.br 904
http://embraerri.riweb.com.br 12
http://embraer.riweb.com.br 5
http://translate.googleusercontent.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Release de Resultados 1T13 Release de Resultados 1T13 Document Transcript

  • 1Resultados do 1º Trimestre de 2013em IFRSEMBRAER DIVULGA OS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2013DESTAQUES: No 1º trimestre de 2013 (1T13), a Embraer entregou 17 aeronaves comerciais e 12 aeronaves executivas(sendo 8 jatos leves e 4 jatos grandes), representando uma redução de 4 aeronaves comerciais e 1aeronave executiva em relação ao mesmo período de 2012; A carteira de pedidos firmes teve um aumento e atingiu US$ 13,3 bilhões no 1T13 em funçãoprincipalmente do cenário de vendas na Aviação Comercial, assim como pelas ordens contínuas nosegmento de Defesa & Segurança; Como resultado das entregas de aeronaves, em conjunto com o faturamento da crescente área de Defesa& Segurança, a Receita líquida atingiu R$ 2.156,7 milhões no 1T13, enquanto que a Margem bruta foi de22,3%; As margens EBIT1e EBITDA² atingiram 3,7% e 9,3% respectivamente no 1T13; O Lucro líquido atribuído aos acionistas da Embraer foi de R$ 61,7 milhões no 1T13, e o Lucro por ação foide R$ 0,08487; O Caixa líquido3totalizou R$ 197,9 milhões no 1T13.PRINCIPAIS INDICADORES FINANCEIROS:(1) (1) (1)IFRS 4T12 1T12 1T13Receitas líquidas 3.912,9 2.042,5 2.156,7EBIT 469,0 153,0 79,4Margem EBIT % 12,0% 7,5% 3,7%EBITDA 638,0 263,5 200,8Margem EBITDA % 16,3% 12,9% 9,3%Lucro líquido atribuído aos Acionistas da Embraer 253,7 187,6 61,7Lucro por ação - básico 0,34993 0,25912 0,08487Caixa líquido 631,2 548,5 197,9(1) Extraído das Demonstrações Financeiras revisadas.em milhões de Reais, exceto % e lucro por ação1EBIT corresponde ao resultado operacional.2EBITDA corresponde ao resultado operacional acrescido da depreciação e amortização.3Caixa líquido é a soma de Caixa e equivalentes de caixa, Investimentos financeiros de curto prazo, menos Financiamento de curto elongo prazo.
  • 2Resultados do 1º Trimestre de 2013em IFRSSão José dos Campos, 29 de abril de 2013 - (BM&FBOVESPA: EMBR3, NYSE: ERJ) As informaçõesoperacionais e financeiras da Empresa, exceto quando de outra forma indicadas, são apresentadas com baseem números consolidados em IFRS e em Reais. Os dados financeiros correspondentes aos períodosencerrados em 31 de março de 2012 (1T12), 31 de março de 2013 (1T13) são derivados de demonstraçõesfinanceiras revisadas, e o período encerrado em 31 de dezembro de 2012 (4T12) é derivado dedemonstrações financeiras não auditadas.RECEITA LÍQUIDA E MARGEM BRUTADado o mix de produtos e apesar do menor número de aeronaves entregues, a Receita líquida no 1T13 atingiuR$ 2.156,7 milhões, ficando acima dos R$ 2.042,5 milhões no 1T12. Este aumento se deve à apreciação doDólar frente ao Real. O mix de produtos e as receitas de diferentes segmentos de negócio, em conjunto com odissídio coletivo no final de 2012, contribuíram para uma menor Margem bruta no 1T13. Além disso, durante o1T13, a Companhia teve uma despesa de folha de pagamento não recorrente resultante do dissídio anualentre o sindicato e a Companhia, que foi finalizada em fevereiro de 2013. Tendo em vista que o dissídio anualocorre em setembro de cada ano e que o reajuste de 6,25% foi ligeiramente superior ao aumento salarialprevisto em setembro de 2012, a Companhia teve uma despesa adicional de aproximadamente R$ 12 milhões,referente ao valor retroativo para o período de setembro de 2012 a fevereiro 2013. A maior parte destemontante foi contabilizada em mão de obra direta (aproximadamente R$ 11 milhões), portanto, afetando aMargem bruta do período, e o restante foi contabilizado em despesas operacionais (mão de obra referente adespesas Administrativa, Comerciais e com Pesquisa). Estes efeitos foram parcialmente compensados poruma taxa de câmbio mais favorável, assim como pelo pacote de benefícios do Governo Brasileiro, com isto aMargem bruta no 1T13 foi de 22,3%, abaixo dos 23,1% apresentados no mesmo período do ano anterior.RESULTADO OPERACIONAL E MARGEM OPERACIONALO Resultado e a Margem operacional no 1T13 alcançaram R$ 79,4 milhões e 3,7% respectivamente,comparado com a Margem operacional de 7,5% no 1T12. Importante mencionar que parte das despesasoperacionais, principalmente a mão de obra no Brasil, que é denominada em Real, e o dissídio coletivo de6,25% mencionado anteriormente, impactaram estas despesas. Além disso, o aumento salarial foicompensado pelo pacote de estímulo do Governo Brasileiro, assim como pela valorização do Dólar frente aoReal (no 1T13, o dólar médio apreciou 12,9% se comparado com o 1T12). As despesas com Pesquisasaumentaram R$ 14,5 milhões no 1T13 em comparação com 1T12 e totalizaram R$ 42,6 milhões (ou US$ 21,4milhões), porém em linha com o outlook de US$ 100 milhões divulgado pela Companhia em fevereiro de 2013.As despesas Comerciais alcançaram R$ 215,1 milhões no 1T13 e ficaram acima dos R$ 191,5 milhões no1T12. As despesas Administrativas no 1T13 tiveram uma redução de R$ 18,9 milhões se comparado com 1T12,totalizando R$ 105,9 milhões. O pacote de estímulo mencionado anteriormente, a taxa de câmbio maisfavorável, bem como os esforços específicos da Companhia para reduzir suas despesas Administrativascontribuíram para essa importante redução.Outras despesas operacionais, líquidas totalizaram R$ 37 milhões no 1T13, comparado com Outras receitasoperacionais, líquidas de R$ 24,2 milhões no 1T12, que também contribuíram para uma menor Margemoperacional no 1T13. Esta variação de R$ 61,2 milhões é consequência principalmente de menor receita demultas recebidas proveniente de uma redução de cancelamento de venda de aeronaves executivas durante operíodo (aproximadamente R$ 23 milhões inferior à receita de 1T12), assim como uma provisão deaproximadamente R$ 18 milhões que a Companhia fez durante o 1T13, referente a processos trabalhistas,para os quais a empresa já realizou alguns acordos e aguarda resultado final de uma disputa para o valor totaldevido, resultando nesta provisão que cobre todas as despesas potenciais relacionadas a estes processos.Esse processo ainda está em andamento e não há impacto no caixa da Companhia até que um resultado finalseja atingido, além disso não é possível prever o término deste processo.
  • 3Resultados do 1º Trimestre de 2013em IFRSConsiderando que as Receitas e os Resultados operacionais no primeiro trimestre de cada ano sãotipicamente menos expressivos, o que é esperado como parte do ciclo normal de negócios da Companhia, aEmbraer reafirma seu outlook de Receitas e Margens em 2013, divulgado ao mercado em fevereiro de 2013.RESULTADO LÍQUIDONo 1T13, o Lucro líquido atribuído aos Acionistas da Embraer foi de R$ 61,7 milhões e o Lucro por ação foi deR$ 0,08487. A Margem líquida alcançou 2,9% no 1T13, comparada com 9,2% alcançado no mesmo período doano passado. A alíquota efetiva de imposto no 1T13 foi de 6%. A variação no Lucro líquido é consequênciaprincipalmente do menor Resultado operacional, juntamente com uma maior despesa de Imposto de renda econtribuição social no período, que totalizou R$ 4 milhões no 1T13, comparada com uma receita de Imposto derenda e contribuição social de R$ 50,1 milhões no 1T12 decorrente do imposto de renda diferido gerado sobreos itens não monetários.ATIVOS E PASSIVOS MONETÁRIOS E ANÁLISE DE LIQUIDEZA posição de Caixa líquido da Companhia no 1T13 diminuiu R$ 433,3 milhões, atingindo R$ 197,9 milhões,devido a um menor caixa operacional líquido no 1T13 quando comparado com 4T12. A diminuição do Caixalíquido é consequência de um aumento nos Estoques e Imobilizado, que foram parcialmente compensados porum aumento nas contas de Fornecedores e Adiantamentos de clientes da Companhia.(2) (1) (1)2012 1T12 1T13Caixa e equivalentes de caixa 3.672,2 2.616,2 3.391,8Investimentos financeiros 1.181,7 1.555,0 1.764,9Caixa total 4.853,9 4.171,2 5.156,7Financiamentos de curto prazo 687,1 960,1 745,6Financiamentos de longo prazo 3.535,6 2.662,6 4.213,2Total Financiamento 4.222,7 3.622,7 4.958,8*Caixa líquido 631,2 548,5 197,9(1) Extraído das Demonstrações Financeiras revisadas.(2) Extraído das Demonstrações Financeiras auditadas.Dados de Balançoem milhões de Reais* Caixa líquido = Caixa e equivalentes de caixa + Investimentos financeiros de curto prazo -Financiamento de curto e longo prazoDiante do exposto acima, o Caixa usado pelas atividades operacionais no 1T13 foi de R$ 742,6 milhões. Aexpectativa é que o fluxo de caixa operacional melhore ao longo do ano, uma vez que a Companhia esperaatingir seu outlook de receita e de entregas de aeronaves em 2013, o que levará a uma redução nos Estoques.
  • 4Resultados do 1º Trimestre de 2013em IFRSem milhões de Reais1T12 2T12 3T12 4T12 1T13Caixa gerado (usado) pelas atividades operacionais (228,7) 369,9 222,6 1.080,8 (742,6)Instrumentos financeiros ativos ajuste (1)110,4 (63,0) (283,9) (165,1) 568,3Adições ao imobilizado (70,1) (147,2) (101,8) (336,3) (100,6)Adições ao intangível (114,4) (106,9) (116,7) (137,2) (134,9)Geração (uso) livre de caixa (302,8) 52,8 (279,8) 442,2 (409,8)(1) Investimento financeiros e ganhos (perdas) não realizados.No 1T13, as Adições ao imobilizado totalizaram R$ 100,6 milhões, que incluem Pool de peças de reposição,aeronaves usadas em leasing ou disponíveis para leasing e os investimentos em CAPEX. No 1T13 o CAPEXatingiu R$ 89,7 milhões (US$ 44,9 milhões). As Adições ao intangível no 1T13 foram de R$ 134,9 milhões esão relacionadas a todos os investimentos em desenvolvimento de produtos, e não houve nenhumacontribuição de parceiros durante o período.A tabela a seguir mostra os detalhes de investimentos em Imobilizado e P&D:1T12 2T12 3T12 4T12 1T13Adições 114,4 106,9 116,7 137,2 134,9Contribuição de parceiros (0,4) (0,6) (0,6) (0,3) -Desenvolvimento 114,0 106,3 116,1 136,9 134,9Pesquisa 28,1 28,4 43,6 52,2 42,6P&D 142,1 134,7 159,7 189,1 177,51T12 2T12 3T12 4T12 1T13CAPEX 55,8 101,1 98,8 155,4 89,7Adições de aeronaves disponíveis para leasing ou em leasing - 4,7 0,8 111,3 2,3Adições do programa Pool de peças de reposição 14,3 41,4 2,2 69,6 8,6Imobilizado 70,1 147,2 101,8 336,3 100,6em milhões de reaisem milhões de reaisNo 1T13, o endividamento da Empresa totalizouR$ 4.958,8 milhões, comparado aos R$ 4.222,7milhões do 4T12. Este aumento é resultadoprincipalmente do crescimento das dívidas de longoprazo, que totalizaram R$ 4.213,2 milhões, enquantoque no 4T12 o montante foi de R$ 3.535,6 milhões.No 1T13 as dívidas de curto prazo aumentaramR$ 58,5 milhões e totalizaram R$ 745,6 milhões. Alémdisso, como consequência do aumento da dívida total,o caixa total da Companhia cresceu R$ 302,8 milhõese somou R$ 5.156,7 milhões.Considerando o perfil atual da dívida, o prazo médiode endividamento ficou em 5,1 anos no 1T13, estando em linha com o ciclo de negócios da Companhia.O custo das dívidas em Dólar entre 4T12 e 1T13 caiu de 6,1% para 6% ao ano, enquanto que o custo dasdívidas em Reais subiu de 4,7% para 5,3% ao ano. A relação do EBITDA Ajustado versus as despesas sobre
  • 5Resultados do 1º Trimestre de 2013em IFRSos juros no trimestre foi reduzida de 7,60 para 6,88. No final do 1T13, 36,5% da dívida total era denominadaem Reais.A estratégia de alocação de caixa da Embraercontinua sendo uma das principais ferramentaspara a mitigação do risco cambial. Ajustando aalocação do caixa em ativos denominados emReais ou Dólares norte-americanos, aCompanhia busca neutralizar sua exposiçãocambial sobre as contas do balanço. Ao final do1T13, o caixa alocado em ativos denominadosem moeda estrangeira era de 58%.ATIVOS E PASSIVOS OPERACIONAISOs Estoques aumentaram R$ 647,5 milhões, totalizando R$ 5.055,2 milhões no 1T13, visto que a Companhiaespera um aumento no número de entregas para os próximos trimestres. O montante ficou acima dos níveis domesmo período do ano anterior, devido principalmente à valorização do Dólar frente ao Real. O saldo deContas a receber de clientes, líquidas permaneceu praticamente estável e foi de R$ 1.093,2 milhões no 1T13.Por outro lado, a conta de Fornecedores aumentou R$ 285,7 milhões, atingindo R$ 1.836,1 milhões no período,e na conta Adiantamento de clientes houve um acréscimo de R$ 363,5 milhões, totalizando R$ 2.406,2 milhões,que em conjunto, contribuíram para compensar parcialmente o impacto negativo do aumento dos Estoquessobre a necessidade de capital de giro da Companhia.(2) (1) (1)2012 1T12 1T13Contas a receber de clientes, líquidas 1.094,3 902,7 1.093,2Financiamento a clientes 224,0 204,0 194,1Estoques 4.407,7 4.832,2 5.055,2Imobilizado 3.552,5 2.651,1 3.598,5Intangível 1.959,3 1.550,7 2.045,0Fornecedores 1.550,4 1.727,4 1.836,1Adiantamentos de clientes 2.042,7 2.020,1 2.406,2Patrimônio líquido 6.846,5 5.861,4 6.763,0(1) Extraído das Demonstrações Financeiras revisadas(2) Extraído das Demonstrações Financeiras auditadas.Dados de Balançoem milhões de ReaisA conta Intangível aumentou R$ 85,7 milhões no 1T13 e totalizou R$ 2.045 milhões, devido aos investimentosfeitos no desenvolvimento de aeronaves, principalmente o Legacy 450 & 500. As contas Imobilizado eFinanciamento a clientes permaneceram estáveis em relação ao trimestre anterior e totalizaram R$ 3.598,5milhões e R$ 194,1 milhões, respectivamente.
  • 6Resultados do 1º Trimestre de 2013em IFRSPEDIDOS FIRMES EM CARTEIRADurante o 1T13, a Embraer entregou um total de 17 aeronaves comerciais e 12 aeronaves executivas.Considerando-se todas as entregas, bem como os pedidos firmes obtidos durante o período, a carteira depedidos firmes a entregar (backlog) da Companhia aumentou para US$ 13,3 bilhões no final do 1T13. O gráficoa seguir apresenta a evolução do backlog (em US$ bilhões) da Empresa até 1T13.RECEITA POR SEGMENTONo 1T13, o mix de Receita líquida por segmento alterou-se em relação ao 1T12, com aumento da participaçãodos segmentos de Defesa & Segurança, Aviação Executiva e Outros, representando 23,1%, 16,1% e 1,8%,respectivamente. Este aumento foi compensado pela menor participação no total das receitas do segmento deAviação Comercial, que representou 59%. Consistente com a diversificação da estratégia da Companhia, osegmentos de Aviação Executiva e de Defesa & Segurança continuam apresentando crescimento secomparado com 1T12, e, consequentemente, espera-se que representem uma parcela maior das receitastotais em 2013 quando comparado com 2012, em linha com o outlook da Companhia.A partir de 1T13, a Companhia passará a detalhar a Receita considerando somente a Aviação Comercial,Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Outros. As receitas de serviços aeronáuticos deixarão de serdetalhadas para cada unidade de negócio e serão incluídas na Receita total de cada segmento de negóciopara cada período, conforme quadro abaixo. Tal mudança reflete melhor a estratégia e a gestão da Companhia,uma vez que os serviços são incluídos como parte das receitas totais em cada uma das principais unidades denegócio da Companhia.Receita Líquida (1) (1) (1)por Segmento 4T12 % 1T12 % 1T13 %Aviação Comercial 1.780,8 45,6 1.345,4 65,9 1.272,3 59,0Defesa & Segurança 610,8 15,6 404,6 19,8 498,0 23,1Aviação Executiva 1.469,2 37,5 270,1 13,2 347,8 16,1Outros 52,1 1,3 22,4 1,1 38,6 1,8Total 3.912,9 100,0 2.042,5 100,0 2.156,7 100,0(1) Extraído das Demonstrações Financeiras revisadas.
  • 7Resultados do 1º Trimestre de 2013em IFRSAVIAÇÃO COMERCIALDurante o 1T13, a Embraer entregou 17 jatos para o mercado de aviação comercial. A carteira de pedidos daCompanhia inclui o pedido firme para 47 jatos E175 feito pela Republic Airways Holdings Inc., divulgado em 24de janeiro e confirmado em 26 de março.A Companhia continua o desenvolvimento de melhorias dos E-Jets, a serem totalmente implementadas em2014. Para a segunda geração de E-Jets, a Companhia selecionou a UTC Aerospace Systems para fornecer osistema de geração e distribuição elétrica, rodas e freios de carbono e a Unidade de Potência Auxiliar (APU, nasigla em inglês) AeroPower’s APS2600[E] da Pratt & Whitney. Estes sistemas, em conjunto com o motor daPratt & Whitney e o sistema integrado de aviônica Primus Epic 2 da Honeywell, são um importante marco noprograma, cujo lançamento está previsto para este ano e entrada em serviço em 2018.Entregas 4T12 1T12 1T13Aviação Comercial 23 21 17EMBRAER 170 1 - 1EMBRAER 175 3 2 2EMBRAER 190 10 13 8EMBRAER 195 9 6 6Backlog AviaçãoComercialOrdens Firmes Opções Total Entregas Backlog FirmeEMBRAER 170 193 27 220 184 9EMBRAER 175 245 313 558 165 80EMBRAER 190 556 264 820 459 97EMBRAER 195 142 20 162 117 25TOTAL E-JETS 1.136 624 1.760 925 211AVIAÇÃO EXECUTIVAAs entregas no 1T13 para a Aviação Executiva foram de 8 jatos leves e 4 jatos grandes, totalizando 12aeronaves, com mix melhor de jatos grandes se comparado com 1T12, o que representa uma redução deapenas 1 unidade nas entregas totais comparando com o 1T12.Entregas 4T12 1T12 1T13Aviação Executiva 53 13 12Jatos leves 37 12 8Jatos Grandes 16 1 4Em janeiro, a Hurun Report elegeu o Legacy 650 como o Large-Size Business Jet Star Performer (o jato degrande porte de melhor desempenho), em cerimônia realizada na nona Premiação Hurun Best-of the-Best emShanghai, na China. A publicação, considerada uma das mais influentes do gênero de luxo na China, tambémnomeou o Legacy 500 como a Best New Arrival (a melhor novidade) em jatos executivos.
  • 8Resultados do 1º Trimestre de 2013em IFRSEm fevereiro, aconteceu o primeiro voo do segundo protótipo do Legacy 500, a aeronave ingressouoficialmente na campanha de ensaios em voo e certificação. O Legacy 500 é o primeiro jato executivo dacategoria midsize a utilizar um sistema de comandos de voo totalmente eletrônico fly-by-wire.Em março, o jato Phenom 300, da categoria light, estabeleceu três recordes de velocidade para jatosexecutivos de sua categoria, nos Estados Unidos, ao voar entre a Unidade da Empresa, localizada noAeroporto Internacional de Melbourne (MLB), na Flórida, e o aeroporto de Daugherty Field (LGB) em LongBeach, na Califórnia, com apenas uma parada para reabastecimento.Também em março, a FlightSafety International anunciou que seu simulador de voo para o jato executivoLegacy 650 havia sido qualificado com o nível D pela Federal Aviation Administration (FAA), dos EstadosUnidos, pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), do Brasil, e pela European Aviation Safety Agency(EASA), autoridade aeronáutica europeia.Ainda em março, aconteceu o primeiro voo do terceiro protótipo do Legacy 500, que se juntou aos protótipos001 e 002 na campanha de ensaios em voo e certificação desta aeronave da categoria midsize.No primeiro trimestre deste ano, a Embraer fortaleceu seu comprometimento com os clientes da Índia, atravésda assinatura de um memorando de entendimento (MoU) com a Indamer Pty Ltd para oferecer suporte aocliente do jato executivo Legacy 500 na região, antes mesmo da data prevista para a entrada em serviço daaeronave, em 2014.DEFESA & SEGURANÇAO mercado de Defesa e Segurança continua a apresentar um cenário favorável para o crescimento, com umasérie de campanhas em curso para várias aplicações, incluindo o transporte de autoridades, treinamento eataque leve, sistemas de inteligência, vigilância e reconhecimento, modernização de aeronaves, transportemilitar, sistemas de comando e controle, e serviços. A Embraer também lidera projetos de relevância no Brasil,tais como o Sistema Integrado para Monitoramento de Fronteiras (SISFRON).A Força Aérea dos EUA selecionou o avião de combate A-29 Super Tucano, da Embraer Defesa & Segurança,para o programa LAS (Light Air Support), ou Apoio Aéreo Leve. A aeronave será fornecida em parceria com aSierra Nevada Corporation (SNC) e utilizada para missões de treinamento avançado em voo, reconhecimentoaéreo e apoio aéreo tático. O contrato inclui 20 aeronaves de apoio aéreo tático, equipamentos paratreinamento de pilotos no solo, peças de reposição e apoio logístico. A aeronave selecionada para o programaLAS será construída em Jacksonville, Flórida, em instalações já inauguradas em março.Ao final de janeiro, foi realizada a entrega dos três primeiros turboélices de ataque leve e treinamentoavançado A-29 Super Tucano à Força Aérea Nacional de Angola, que encomendou um total de seis aeronavesdo modelo. Com esta entrega, Angola se torna o terceiro operador do Super Tucano no continente africano. Oavião será empregado em missões de vigilância de fronteiras.A Força Aérea Brasileira (FAB) e a Embraer Defesa & Segurança concluíram com sucesso a Revisão Críticade Projeto (CDR, do inglês Critical Design Review) do jato de transporte militar KC-390. O evento contratual éum dos principais marcos do programa, quando foram confirmadas as configurações aerodinâmica e estruturaldefinitivas, bem como a arquitetura e a instalação dos sistemas, caracterizando a maturidade do projeto para oinício do projeto detalhado e fabricação das aeronaves protótipos. Todas as atividades do projeto estãovoltadas para a realização do 1º voo da aeronave ao final de 2014.Em janeiro, a Embraer e a Força Aérea Brasileira (FAB) assinaram um contrato para modernização de cincoaeronaves EMB 145 AEW&C, de Alerta Aéreo Antecipado e Controle, designadas E-99 na FAB. O contrato,avaliado em R$ 429,8 milhões, prevê a atualização dos sistemas de guerra eletrônica, sistemas de comando econtrole, sistemas de contramedidas eletrônicas e do radar de vigilância aérea. Também foram adquiridas seisestações de planejamento e análise de missão, que serão empregadas no treinamento e aperfeiçoamento dastripulações.
  • 9Resultados do 1º Trimestre de 2013em IFRSCom relação aos programas de modernização de aeronaves, em março tivemos a entrega da última aeronaveF5BR para a FAB. E dezesseis aeronaves da série AMX já se encontram em nossas instalações para ostrabalhos de revitalização e modernização.O programa de modernização de 12 caças AF-1 (A-4 Skyhawk) da Marinha do Brasil continua sua execuçãoconforme previsto, sendo que seu primeiro voo está previsto para o 2º trimestre de 2013.O programa AEW Índia está avançando conforme contratado. Das três aeronaves encomendadas peloGoverno Indiano, a última tem sua entrega programada para o quarto trimestre de 2013.INVESTIGAÇÕES DA SEC/DOJEm setembro de 2010, recebemos intimação (subpoena) da SEC com pedido de informações a respeito decertas transações relativas à venda de aeronaves no exterior. Em resposta à intimação (subpoena) da SEC eoutros pedidos de informações relacionadas à possibilidade de não conformidade com a lei americana depráticas estrangeiras de corrupção (Foreign Corrupt Practices Act – FCPA), a Companhia contratou advogadosexternos para realizar investigação interna em operações realizadas em três países específicos.Além disso, a Companhia voluntariamente expandiu o escopo da investigação interna para incluir dois paísesadicionais e reportou sobre esses fatos. A investigação permanece em andamento e a Companhia, por meiodos advogados externos, continua a cooperar integralmente com a SEC e o DoJ, que são as autoridadesresponsáveis por apurar essa questão. A Companhia, com o apoio dos advogados externos, concluiu queainda não é possível estimar a duração, o escopo ou os resultados da investigação interna ou da apuraçãopelas autoridades governamentais. Caso as autoridades tomem medidas contra a Companhia ou caso aspartes celebrem acordo, podemos ser obrigados a pagar multas substanciais e/ou incorrer em outras sanções.A Companhia, com base no parecer dos advogados externos, acredita que não existe base para estimarprovisões ou quantificar possíveis contingências.
  • 10Resultados do 1º Trimestre de 2013em IFRSDEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS(1) (1) (1)31 Dez, 2012 31 Mar, 2012 31 Mar, 2013RECEITAS LÍQUIDAS 3.912,9 2.042,5 2.156,7Custo dos produtos e serviços vendidos (2.955,3) (1.570,5) (1.676,6)LUCRO BRUTO 957,6 472,0 480,1Receitas (despesas) operacionaisAdministrativas (153,9) (124,8) (105,9)Comerciais (295,2) (191,5) (215,1)Pesquisas (52,2) (28,1) (42,6)Outras receitas (despesas) operacionais, líquidas 12,2 24,2 (37,0)Equivalência Patrimonial 0,5 1,2 (0,1)RESULTADO OPERACIONAL 469,0 153,0 79,4Receitas (despesas) financeiras, líquidas 4,2 (14,2) (14,7)Variações monetárias e cambiais, líquidas (11,6) 0,4 1,9LUCRO ANTES DO IMPOSTO 461,6 139,2 66,6Imposto de renda e contribuição social (209,1) 50,1 (4,0)LUCRO LÍQUIDO DO PERÍODO 252,5 189,3 62,6Lucro (prejuízo) atribuído aos:Acionistas da Embraer 253,7 187,6 61,7Acionistas não controladores (1,2) 1,7 0,9Média ponderada das ações em circulação no períodoBásico 725,0 724,0 727,0Diluído 727,7 725,9 730,9Lucro (prejuízo) por açãoBásico 0,34993 0,25912 0,08487Diluído 0,34863 0,25844 0,08442(1) Extraído das Demonstrações Financeiras revisadas.EMBRAER - S.A.(em milhões de Reais exceto lucro por ação e quantidade de ação)DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS - CONSOLIDADOTrês meses encerrados em
  • 11Resultados do 1º Trimestre de 2013em IFRS(1) (1) (1)31 Dez, 2012 31 Mar, 2012 31 Mar, 2013252,5 189,3 62,6Depreciações 84,7 58,1 68,3Amortizações 84,3 52,4 53,1Provisão (reversão) para obsolescência dos estoques 29,2 (10,5) 4,5Provisão ajuste valor de mercado 58,0 5,3 7,7Provisão para créditos de liquidação duvidosa 12,1 2,1 0,8Imposto de renda e contribuição social diferidos 22,7 (82,2) 7,9Juros a pagar de impostos e empréstimos (25,4) 5,3 21,8Equivalência patrimonial (0,7) (1,2) 6,7Remuneração em ações 3,5 4,5 3,4Variação monetária e cambial 15,1 0,7 8,9Garantia de valor residual (17,8) 19,9 3,7Outros 8,1 2,9 (18,3)Instrumentos financeiros ativosInvestimentos financeiros (2) 156,1 (144,1) (588,6)Contas a receber e contas a receber vinculadas 144,3 25,3 (21,2)Financiamento a clientes 13,8 (17,5) 26,3Estoques 719,9 (630,3) (722,7)Outros ativos (130,7) (15,0) (19,9)Fornecedores (59,6) 176,9 279,9Dívida com e sem direito de regresso (113,7) (4,7) (1,5)Contas a pagar 147,4 (5,4) 42,2Contribuição de parceiros (14,7) (14,1) (11,3)Adiantamentos de clientes (90,4) 74,1 385,5Impostos a recolher (88,6) (43,4) (92,0)Garantias financeiras 184,6 (28,7) (239,0)Provisões diversas (342,2) 45,2 34,2Receitas diferidas 28,3 106,4 (45,6)1.080,8 (228,7) (742,6)Aquisições de imobilizado (336,3) (70,1) (100,6)Baixa de imobilizado 2,4 - 0,2Adições ao intangível (137,2) (114,4) (134,9)Adições (baixas) investimentos em subsidiárias e coligadas (7,7) - -Títulos e valores mobiliários (44,8) 3,1 (1,8)Caixa restrito para construção de ativos (0,1) - (0,1)(523,7) (181,4) (237,2)Novos financiamentos obtidos 298,0 973,8 835,2Financiamentos pagos (311,6) (431,1) (74,9)Dividendos e juros sobre capital próprio (47,6) - (29,1)Alteração na participação em subsidiárias e coligadas - (31,2) -Recebimento de opções de acões exercidas 6,7 2,5 9,6(54,5) 514,0 740,8(23,8) (20,4) (41,4)478,8 83,5 (280,4)3.193,4 2.532,7 3.672,23.672,2 2.616,2 3.391,8Três meses encerrados emATIVIDADES DE FINANCIAMENTO:(1) Extraído das Demonstrações Financeiras revisadas.EMBRAER - S.A.CAIXA GERADO (USADO) NAS ATIVIDADES OPERACIONAISVariação nos ativos:Lucro líquido do períodoItens que não afetam o caixa:ATIVIDADES OPERACIONAIS:FLUXO DE CAIXA - CONSOLIDADO(em milhões de Reais)Aumento (Redução) líquido do caixa e equivalentes de caixaCAIXA GERADO (USADO) NAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOVariação nos passivos:(2) Inclui Ganhos não realizados sobre Investimentos financeiros, 4T12 (9,0), 1T12 (33,7) e 1T13 (20,3)Caixa e equivalentes de caixa no início do períodoEfeito das variações cambiais no caixa e equivalentes de caixaATIVIDADES DE INVESTIMENTOS:Caixa e equivalentes de caixa no final do períodoCAIXA USADO NAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO
  • 12Resultados do 1º Trimestre de 2013em IFRS(1) (2)ATIVO 31 de Dezembro 31 de Março2012 2013CIRCULANTECaixa e equivalentes de caixa 3.672,2 3.391,8Investimentos financeiros 1.181,7 1.764,9Contas a receber de clientes, líquidas 1.074,0 1.072,4Instrumentos financeiros derivativos 22,9 32,1Financiamento a clientes 46,4 27,6Contas a receber vinculadas 26,5 23,3Estoques 4.407,7 5.055,2Outros ativos 519,2 473,210.950,6 11.840,5NÃO CIRCULANTEInvestimentos financeiros 104,8 102,5Contas a receber de clientes, líquidas 20,3 20,8Instrumentos financeiros derivativos 50,8 46,8Financiamento a clientes 177,6 166,5Contas a receber vinculadas 843,9 833,3Depósitos em garantia 1.188,4 1.160,5Imposto de renda e contribuição social diferidos 26,3 27,0Outros ativos 492,4 558,92.904,5 2.916,3Investimentos 7,3 0,4Imobilizado 3.552,5 3.598,5Intangível 1.959,3 2.045,08.423,6 8.560,2TOTAL DO ATIVO 19.374,2 20.400,7(1) Extraído das Demonstrações Financeiras auditadas(2) Extraído das Demonstrações Financeiras revisadasEMBRAER - S.A.BALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADO(em milhões de Reais)
  • 13Resultados do 1º Trimestre de 2013em IFRS(1) (2)PASSIVO 31 de Dezembro 31 de Março2012 2013CIRCULANTEFornecedores 1.550,4 1.836,1Empréstimos e Financiamentos 687,1 745,6Dívidas com e sem direito de regresso 24,4 30,4Contas a pagar 566,5 593,1Contribuições de parceiros 1,8 1,8Adiantamentos de clientes 1.837,5 2.225,0Instrumentos financeiros derivativos 1,8 3,7Impostos e encargos sociais a recolher 133,0 100,3Imposto de renda e contribuição social 129,9 62,8Garantia financeira e de valor residual 233,1 220,3Dividendos 62,2 55,8Receitas diferidas 273,1 274,3Provisões 197,7 213,05.698,5 6.362,2NÃO CIRCULANTEEmpréstimos e Financiamentos 3.535,6 4.213,2Dívidas com e sem direito de regresso 793,5 774,0Contas a pagar 22,6 119,6Adiantamentos de clientes 205,2 181,2Impostos e encargos sociais a recolher 715,3 722,3Imposto de renda e contribuição social diferidos 54,2 44,0Garantia financeira e de valor residual 961,1 717,3Receitas diferidas 221,0 166,5Provisões 320,7 337,46.829,2 7.275,5TOTAL PASSIVO 12.527,7 13.637,7PATRIMÔNIO LÍQUIDOCapital social 4.789,6 4.789,6Ações em tesouraria (268,9) (252,8)Reservas de lucros 2.794,7 2.796,8Remuneração baseada em ações 37,4 40,8Outros resultados abrangentes (694,1) (826,5)Lucros acumulados - 24,16.658,7 6.572,0Participação de acionistas não controladores 187,8 191,0TOTAL PATRIMÔNIO LÍQUIDO 6.846,5 6.763,0TOTAL DO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO 19.374,2 20.400,7(1) Extraído das Demonstrações Financeiras auditadas(2) Extraído das Demonstrações Financeiras revisadasBALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADOEMBRAER - S.A.(em milhões de Reais)
  • 14Resultados do 1º Trimestre de 2013em IFRSRELAÇÕES COM INVESTIDORESLuciano Froes, Caio Pinez, Cláudio Massuda, Juliana Villarinho, Nádia Santos e Paulo FerreiraTel: (12) 3927-4404investor.relations@embraer.com.brhttp://ri.embraer.com.br/INFORMAÇÕES SOBRE A TELECONFERÊNCIAA apresentação será transmitida ao vivo pela Internet, simultaneamente em português e inglês, através doendereço http://ri.embraer.com.br, no dia 30 de abril, 2013 às 10:30 Horas (SP) – 09:30 Horas (NY).Português CID: 32143129 Inglês CID: 321471500800 047 4803 (Telefone fixo Brasil) 877 846 1574 (Estados Unidos / Canadá)0800 047 4801 (Celular Brasil) +1 708 290 0687 (Outros Países)+1 484 756 4290 / +1 484 756 4324 (Internacional) 0800 047 4803 - Fixo / 0800 047 4801 - Celular (Brasil)SOBRE A EMBRAERA Embraer S.A. (BM&FBOVESPA: EMBR3; NYSE: ERJ) é uma empresa líder na fabricação de jatoscomerciais de até 120 assentos e uma das maiores exportadoras brasileiras. Com sede em São José dosCampos, no Estado de São Paulo, mantém escritórios, instalações industriais e oficinas de serviços ao clienteno Brasil, China, Estados Unidos, França, Portugal e Singapura. Fundada em 1969, a Embraer projeta,desenvolve, fabrica e vende aeronaves e sistemas para os segmentos de aviação comercial, aviação executivae defesa e segurança. A Empresa também fornece suporte e serviços de pós-vendas a clientes em todo omundo. Para mais informações, visite o site www.embraer.com.brEste documento pode conter projeções futuras, declarações e estimativas a respeito de circunstâncias ou eventos ainda não ocorridos,incluindo, porém não limitado às declarações de guidance. Estas projeções futuras e estimativas têm embasamento, em grande parte, nasatuais expectativas, projeções sobre eventos futuros e tendências financeiras e industriais que afetam os negócios da Embraer. Essasestimativas estão sujeitas a riscos, incertezas e suposições que incluem, dentre outras: condições gerais econômicas, políticas ecomerciais, tanto no Brasil quanto nos mercados onde a Embraer atua; expectativas e estimativas da direção relacionadas aodesempenho financeiro futuro; planos e objetivos da direção; planos e programas de financiamento e efeitos da competição; tendênciaspara o setor e oportunidades de crescimento; inflação e volatilidade do câmbio; os planos de investimento da Empresa; eficiênciaoperacional e sinergias da Embraer e sua capacidade de desenvolver e entregar produtos nas datas previamente acordadas; resultadosde operações; estratégias de negócio; benefícios de novas tecnologias e regulamentações governamentais existentes e futuras. Paraobter informações adicionais sobre fatores que possam influenciar os resultados diferentemente daqueles previstos pela Embraer, favorconsultar os relatórios arquivados pela Embraer na U.S. Securities and Exchange Commission (SEC) e na Comissão de ValoresMobiliários (CVM) em particular os fatores discutidos nos capítulos Forward Looking Statements e Risk Factors no Relatório Anual – Form20F da Embraer.Palavras como “acredita”, “pode”, “poderá”, “estima”, “continua”, “antecipa”, “pretende”, “espera” e termos similares têmpor objetivo identificar expectativas. A Embraer não se sente obrigada a publicar atualizações nem a revisar quaisquer estimativas emdecorrência de novas informações, eventos futuros ou quaisquer outros acontecimentos. Em vista dos riscos e incertezas inerentes, taisestimativas, eventos e previsões sobre o futuro podem não ocorrer. Os resultados reais e a performance da Embraer podem diferirsubstancialmente daqueles publicados anteriormente como expectativas da Embraer.