Trabalho sobre Marketing de Luxo

1,648 views
1,589 views

Published on

Trabalho realizado para a disciplina de Teoria da Propaganda e do Consumo, para a pós-graduação em Propaganda e Marketing.

Published in: Education
0 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,648
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
38
Comments
0
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trabalho sobre Marketing de Luxo

  1. 1. Luxo moderno e pós moderno<br />Equipe:<br />Anna Carolina Batista<br />Emanuele Silveira<br />Julianny Barreto<br />Leilane Soares<br />Sara Fernandes<br />
  2. 2. LUXO E MODERNIDADE<br /> Tudo oscila com a modernidade. Nada ilustra melhor a nova lógica que se impõe do que o surgimento da alta-costura.<br />Gilles Lipovetsky<br />
  3. 3. Surgimento da Alta-Costura<br />Indústria de luxo e criação<br />• “Na segunda metade do século XIX, <br />Charles FrédéricWorth assenta-lhe os<br />fundamentos ao estabelecer uma <br />Indústria de luxo consagrada à criação<br />De modelos frequentemente alterados<br />E fabricados nas medidas de cada cliente.”<br />p. 42 e 43<br />• “A idade moderna do luxo vê triunfar o costureiro liberto de sua antiga subordinação à cliente e afirma seu novo poder de dirigir a moda.” p. 43<br />Charles FrédéricWorth<br />
  4. 4. Alguns modelos da Casa Worth<br />
  5. 5.
  6. 6.
  7. 7. Personalização<br />Os produtos trazem o nome do costureiro ou de uma grande casa.<br />
  8. 8. Ícones do Luxo na Moda<br />Christian Dior é um grande nome do luxo na moda por ter reinventado a forma de se vestir da mulher no pós segunda guerra mundial, inspirando coleções até os dias atuais.<br />
  9. 9.
  10. 10. LUXO E SEMILUXO<br />Autêntico x Imitação - Kitsch<br />
  11. 11. Luxo e Semiluxo<br /><ul><li>Surgimento do “falso luxo”. Produto com um preço menor, pois é destinado à classe média. Porém, imitando o produto original.
  12. 12. De um lado temos o autêntico e do outro a imitação.
  13. 13. Democratização do luxo – Não pela difusão social dos produtos, mas pela propagação das cópias.
  14. 14. Com o grande magazine, produtos que antes eram reservados às elites são transformados em artigos de consumo corrente.</li></li></ul><li>LUXO EMOCIONAL<br /><ul><li>A relação do consumidor com o luxo é emocional. O que interessa é sentir-se adequado com o uso de uma marca que reflete determinados valores.
  15. 15. A manifestação do consumo de luxo não se dá de maneira programada, mas por impulso.
  16. 16. A época contemporânea faz recuar os imperativos da moda, mas vê triunfar o culto das marcas e dos bens raros.
  17. 17. Para Veblen “não apenas fazemos com que os outros sintam nossa importância, não apenas aguçamos e mantemos alerta o sentimento que eles têm dessa importância, mas também, coisa quase não menos sutil, fortalecemos e preservamos todas as razões de auto-safistação”.</li></li></ul><li>A Experiência sensorial da automatização das casas<br />
  18. 18. Na mesma linha, afirma-se a necessidade de não mais sermos reconhecidos pelo status social, mas sim, de destacar-nos na massa, de não sermos como os outros, de sentirmo-nos um ser de exceção. <br />Hoje, o luxo está mais a serviço da promoção de uma imagem pessoal do que de uma imagem de classe.<br />
  19. 19. A experiência sensorial do poder feminino – Lady OneMillion<br />
  20. 20. RUMO AO LUXO DE MARKETING<br />Momento pós-moderno ou hiper-moderno, globalizado, financeirizado.<br />O luxo passa de item exclusivo à marca com diferentes produtos: perfumes, sapatos e maquiagem. <br />Nesse mesmo período tem início a produção em série.<br />Surgimento do luxo acessível.<br />
  21. 21. Marketing de luxo = Chanel<br />
  22. 22. <ul><li>Fortalecimento das marcas ao colocar em sua cartela de produtos, um produto único, top de linha, pois a sua presença enriquecem a reputação do grupo e alavanca as vendas dos modelos mais simples. </li></li></ul><li>
  23. 23.
  24. 24. O que o marketing de luxo faz para alcançar seu público?<br />Explosão do custo de lançamento e da publicidade<br />Comunicação de “choque” ou transgressiva<br />Inflação de lançamento de novos produtos<br />Encurtamento da duração de vida dos produtos<br />Aumento das ofertas promocionais no mercado dos perfumes e dos cosméticos<br />Exigência de resultados financeiros a curto prazo<br />
  25. 25. LUXO E DESAFIO <br />
  26. 26.  O LUXO AGONÍSTICO<br />O Luxo está e esteve associado ao poder, mas já esteve associado à generosidade.<br /> <br />Alguns povos demonstravam sua pompa e status doando tudo o que tinham. Como no caso das tribos indígenas da América do Norte, Polatch, que realizavam cerimônias seguidas por uma renúncia a todos os bens materiais acumulados pelo homenageado – bens que deveriam ser entregues a parentes e amigos. O valor e a qualidade dos bens dados como presente são sinais do prestígio do homenageado.<br />
  27. 27. Ritual Indígena de Doação (Polatch)<br />
  28. 28. Os mecenas Gregos e Romanos aplicavam-se em superar seus predecessores pelo esplendor de seus presentes ao povo.<br />Entre o século IX e XVIII as potências monárquicas frearam os desperdícios dos materiais preciosos e a confusão das distinções sociais.<br /> O LUXO AGONÍSTICO<br />
  29. 29. LUXO SECURITÁRIO<br />No século XIX iniciou um luxo mais defensivo que agressivo<br />Uma época considerada ameaçadora proliferam os dispositivos de proteção máxima.<br />
  30. 30. O setor automobilístico ilustra igualmente essa nova combinação de luxo e segurança.<br />  <br />A temática securitária tornou-se onipresente na promoção de todos os carros de luxo.<br /> <br />Importa menos prevalecer sobre o outro do que os benefícios do mais alto nível de segurança.  <br />LUXO SECURITÁRIO<br />
  31. 31. LUXO SECURITÁRIO<br />
  32. 32. LUXO DE ATIVIDADES EXTREMAS<br />Milhões são investidos em atividades marcadas pelo desafio, competição em busca de renome e da imagem: a competição automobilística e a ilustração exemplar.<br />Desde 1980, observa-se o crescimento do financiamento de atividades perigosas.<br /> <br />À cena agnóstica dos signos suntuários sucedem atividades “ extremas” que são acompanhadas de esgotamento, fome, sede, acidentes e riscos.<br /> <br />
  33. 33. LUXO DE ATIVIDADES EXTREMAS<br />
  34. 34. O luxo da ocasião a práticas de desafios mais hiper –realistas e emocionalistas, que simbólico.<br />Não é mais a teatralidade da riqueza que importa, mas um sentimento de si vitoriosos, a intensidade das sensações íntimas.<br />A própria publicidade e comunicação das marcas de luxo dedicam-se , agora, a recuperar a dimensão do desafio, explorando a veia da transgressão.<br /> <br />LUXO DE ATIVIDADES EXTREMAS<br />
  35. 35. LUXO DE ATIVIDADES EXTREMAS<br />O mundo do luxo trocou sua imagem de respeitabilidade pela da provocação, do antitabu, do sensacionalismo.<br />As marcas arriscam a provocação no momento em que o sexo não choca mais muita gente.<br />
  36. 36. Parisienne YSL: Kate Moss Commercial [HQ]<br />
  37. 37. Casas mais caras do mundo<br />Em Londres (UK). A região mais do que privilegiada combina bem com a Penthouse, que, entre outros mimos, proporciona acesso privado a um dos melhores restaurantes da cidade. Preço: R$ 340 milhões (US$ 200 milhões)<br />
  38. 38. Casas mais caras do mundo – Antilia, do indiano MukeshAmbani<br />A mansão de 27 andares conta com um centro de saúde com academia, estúdio de dança, salão de festas, sala de cinema, três helipontos, e garagem subterrânea para 160 carros. Custou US$ 1 bilhão.<br />
  39. 39. As dez comidas mais caras do mundo<br />

×