Your SlideShare is downloading. ×
Hidrografia Brasileira
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Hidrografia Brasileira

1,097

Published on

Bacias hidrográficas brasileira e suas características.

Bacias hidrográficas brasileira e suas características.

Published in: Education, Technology, Business
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,097
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
63
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • O Aquífero Guarani consiste primariamente de sedimentos arenosos que, depositados por processos eólicos durante o período Triássico (há aproximadamente 220 milhões de anos), foram retrabalhados pela ação química da água e pela temperatura e pela pressão e se transformaram em uma rocha sedimentar chamada arenito . Essa rocha é muito permeável e assim permite a acumulação de água no seu interior. Mais de 90% da área total do aquífero é recoberta por extrusões de basalto , rocha ígnea e de baixa permeabilidade, depositada durante o período Cretácio na fase do vulcanismo fissural .
  • Transcript

    • 1. Professor Elves Geografia www.professorelves.webnode.com.br Hidrografia
    • 2. Ciclo da água.
    • 3. Disponibilidade de água no mundo
    • 4. Disponibilidade de água no mundo
    • 5. Consumo de água no mundo
    • 6. Dia Mundial da Água
      • Declaração Universal dos Direitos da Água
      • Art. 1º - A água faz parte do patrimônio do planeta.Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável aos olhos de todos.  Art. 2º - A água é a seiva do nosso planeta.Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura. O direito à água é um dos direitos fundamentais do ser humano: o direito à vida, tal qual é estipulado do Art. 3 º da Declaração dos Direitos do Homem.  Art. 3º - Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia.  Art. 4º - O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende, em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.  Art. 5º - A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como uma obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.  Art. 6º - A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.  Art. 7º - A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.  Art. 8º - A utilização da água implica no respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado.  Art. 9º - A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.  Art. 10º - O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra. 
    • 7. Correntes Marítimas
    • 8. Relevo Submarino
    • 9. HIDROGRAFIA MUNDIAL
      • AMÉRICA DO NORTE – Mississipi – Missouri e São Lourenço
      • AMÉRICA DO SUL – Amazônia e Platina
      • ÁFRICA – Nilo, Congo e Níger
      • EUROPA – Volga, Danúbio, Reno, Tejo
      • ÁSIA – Ganges, Indo, Yang-tse-kiang
    • 10. HIDROGRAFIA BRASILEIRA
      • Ricos em rios e pobreza em lagos
      • Predomínio de rios perenes, planálticos e de drenagem exorréica
      • Regime dos rios – Pluvial (exceção: Rio Amazonas – Regime plúvio-nival)
      • Predomínio de rios com foz em estuário
    • 11. Foz de Estuário
      • Caracterizada pela presença de apenas um canal que faz a ligação com o oceanos
    • 12. Foz em Delta
      • A foz em delta possui diversos canais de ligação com o oceano.
    • 13. Os rios
      • Quanto à idade, os rios podem ser:
      • novos- mais encachoeirados, produzem forte erosão em seu leito, e suas nascente ficam em locais altos;
      • Intermediários - tem um traçado mais plano, velocidade das águas constantes e todos os sedimentos retirados de sue leito são distribuídos ao longo de seu curso;
      • Senis - após o trabalho de sedimentação, o traçado das águas vai sendo definido, formando meandros.
    • 14. Os rios podem apresentar os seguintes tipos de drenagem:
      • Endorreica- quando o rio corre para um lago fechado, geralmente localizado no interior do continente;
      • Ex: Negro, o Purus, o Iguaçu, o Tietê.
      • Exorreica- quando o rio corre diretamente para o mar;
      • Arreica- quando o rio termina numa vala ou se dirige para camadas subterrâneas
    • 15. Quanto à temporalidade, os rios podem ser:
      • Intermitentes - ficam reduzidos a um pequeno volume de água; em muitos casos, o leito chega a secar;
      • Perenes - sofrem alterações apenas no volume, jamais atingem situações de extrema diminuição das águas; portanto, correm o ano todo.
    • 16. Curso de um rio
    • 17. Divisor de água Leito maior Leito maior
    • 18. Hidrografia Brasileira
    • 19. Águas subterrâneas
    • 20.  

    ×