47666815 6-gestao-curricular-e-coordenacao-pedagogica-prof-dr-paulo-gomes-lima

  • 2,464 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
2,464
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8

Actions

Shares
Downloads
8
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Tema 06
  • 2. 1.1. O planejamento e o projeto pedagógico-curricular Expressão dos valores, convicções e práticas educativas dos pares e observâncias das finalidades da educação. O projeto pedagógico-curricular resulta de práticas participativas. A elaboração do projeto pedagógico-curricular é um espaço de formação/práticas educativas – refletir e transformar a realidade. Grau de autonomia, para que por meio do planejamento das atividades-meio, as atividades-fim possam ser atingidas satisfatoriamente.
  • 3. 1.1.1. Referencial do projeto pedagógico-curricular na C.F. 1988
  • 4. 1.1.2. Referencial do projeto pedagógico-curricular na LDBEN 9394/96  Base nacional comum e parte Princípios diversificada  Língua portuguesa, matemática, conhecimento do mundo físico e natural, Objetivos da realidade social e política, arte, educação física Sistemas e práticas  História e cultura afro-brasileira e africana de gestão (Lei nº 10.639/03) negociadas  Língua estrangeira: a partir da 5ª série Unidade teórico-  Valores, direitos e deveres, orientação metodológica no para o trabalho, desporto trabalho pedagógico LDBEN 9394/96 (Art. 26 e 27) Sistema explícito e transparente de acompanhamento e avaliação do projeto e das atividades da escola
  • 5. 1.1.3. Formulação do projeto pedagógico-curricular Contextualização e caracterização da escolaAspectos sociais, Condições físicas e Caracterização dos Histórico da escolaecon., culturais, materiais elementos humanosgeográficos Concepção de educação e de práticas pedagógicasConcepção de escola e perfil de Princípios norteadores da ação didático-formação e alunos pedagógica Diagnóstico da situação atualLevantamento e identificação de Definição de prioridadesproblemas e necessidades a atender Objetivos Estrutura e organização da gestãoAspectos organizacionais Aspectos administrativos Aspectos financeiros Proposta CurricularFund. Sociológicos, psic.. Cult. Epist. e Ped Organização curricular. (Obj., conteúdos...) Proposta de formação continuada de professoresProposta de trabalho com os pais, comunidade e escolas da mesa região geográfica Formas de avaliação do projeto
  • 6. 1.2. A organização e o desenvolvimento do currículo Princípios para a elaboração do Currículo Precisa ser democrático Síntese de culturas Respeito/Div. cultural FORMAL ou oficial Contrib. Culturais da escola Org. da cidade e seu modo de vida: produção , CURRÍCULO: circulação, moradia. intenções e orientações expressas no Projeto Pedagógico OCULTO REAL (o (Influências praticado na que afetam as escola) aprendizagens
  • 7. 1.3. A organização e o desenvolvimento do ensino Articulação entre a cultura elaborada e a cultura experienciada dos alunos. Ensino e ALUNO: qualidade Pedagogia prática de cognitiva e crítico- valores, operativa das reflexiva atitudes... aprendizagens Pedagogias diferenciadas
  • 8. 1.4. As práticas de gestão AÇÕES DE NATUREZA TÉCNICO-ADMINISTRATIVA Legislação e normas Secretaria/Vida escolares acadêmica do aluno AÇÕES DE NATUREZA PEDAGÓGICO-CURRICULAR Gestão das funções Monitoração e avaliação docentes do andamento escolar
  • 9. Atribuições da coordenação pedagógica: Assistência pedagógico-didática aos professores Monitoração sistemática da prática-pedagógica Formação continuada de professores Orientação da org. e desenvolvimento curricular Estímulo à realização de projetos Coordenação de reuniões pedagógicasDiagnosticar e acompanhar o proc. Ensino-aprendizagem Registros da memória escolar - aprendizagens
  • 10. Requisito para a melhoriadas condições que afetam Promove a auto-regulaçãodiretamente a qualidade de institucional ensino AVALIAÇÃOIndicador da organização Acompanhamento da da instituição no aprendizagem encaminhamento doatendimento às atividades-fim por intermediação das atividades-meio
  • 11. A gestão curricular orientada pela coordenação pedagógica ou pelo diretor tem como incumbências centrais:GESTÃO ESCOLAR CURRICULAR E COORDENAÇÃO PEDAGÓGICAFlexibilizar o currículo – ressignificar o currículo no processo de açãoDesenvolvimento de uma cultura institucional crítico-reflexivaReconstruir o currículo proposto a nível nacional, tendo em vista arealidade local e da escolaTrabalhar em equipeCriar iniciativas curriculares de acordo com o contexto da escolaAvaliar o projeto curricular elaborado e realizadoA gestão curricular é inerente a qualquer prática docente. O querealmente varia é a natureza da opção, os níveis de decisão e ospapéis dos atores na escola...
  • 12. Uma ação interventiva ressignificada no cotidiano escolar é resultantedo processo de ação-reflexão-ação do e sobre o trabalho docente, dae sobre a realidade na qual este trabalho se desenvolve, bem comodos atores que totalizam a história da comunidade intra e extra-escolar. Sobretudo a intervenção pedagógica ressignificada pelaação-reflexão-ação é fruto de contribuições individuais e coletivas,porque cada ator está na totalidade, assim como a totalidade emcada ator. Estas contribuições podem ser identificadas nosintercâmbios que se travam no âmbito escolar, das preocupações queos atores sociais explicitam em busca da superação eencaminhamento para uma outra realidade e de um posicionamentopolítico frente às demandas solicitadas pela comunidade escolar.(LIMA, 2007)
  • 13. REFERÊNCIASVI. BIBLIOGRAFIA BÁSICAAZEVEDO, J. M. L. de. A educação como política pública. Campinas: Autores Associados, 1997.BARROSO, João. Para uma abordagem teórica da administração escolar: a distinção entre “direcção” e “gestão”. In Revista Portuguesa de Educação,8(1), P.33-56. Portugal/Universidade do Minho, 1995.BORDIGNON, Genuíno. Gestão da educação no município. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2009.BRASIL. Ministério da Administração Federal e da Reforma do Estado. Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado, DF, 1995.BRESSER PEREIRA, Luiz Carlos. Economia brasileira: uma introdução crítica, 1998.CABRAL NETO, Antonio; CASTRO, Alda Maria Duarte Araújo; FRANÇA, Magna; QUEIROZ, Maria Aparecida de. (Orgs). Pontos e contrapontos dapolítica educacional: uma leitura contextualizada de iniciativas governamentais. Brasília,DF: Liber Livro,2007.CORAGGIO, José Luis. Propostas do Banco Mundial para a educação: sentido oculto ou problemas de concepção? In: DE TOMMASI, L: WARDE, S.(orgs). O Banco Mundial e as políticas educacionais. São Paulo: Cortez, 1996.DOURADO, Luiz Fernandes; PARO, Vitor Henrique (Orgs.). Políticas públicas & educação básica. São Paulo: Xamã,2001.FERNANDES, M. “O currículo na pós-modernidade: dimensões a reconceptualizar”, Revista de Educação, Vol. IX, nº1, 2000, pp. 27-37, 2000.FERREIRA, Eliza Bartolozzi; OLIVEIRA, Dalila Andrade (Orgs.). Crise da escola e políticas educativas. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.HOFLING, H. de M. Estado e políticas (sociais) públicas. In Cadernos Cedes, ano XXI, nº 55, novembro/2001, p. 30-41.LEITE, C. . “A flexibilização curricular na construção de uma escola mais democrática e mais inclusiva”, Território Educativo, n.º. 7, Maio, DREN, pp. 20-26,2000a.LEITE, C. “A figura do „amigo crítico´ no assessoramento/desenvolvimento de escolas curricularmente inteligentes”, Actas do 5º Congresso da SPCE (noprelo).LIBÂNEO, JC.; OLIVEIRA, J.F.; TOSCHI, M.S. Educação Escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez, 2008.MENDONÇA, Erasto. Gestão democrática: a intenção e o gesto. ANPED, 2000.MENESES, João Gualberto de Carvalho et. al. (Orgs.) Estrutura e funcionamento da educação básica. São Paulo: Pioneira, 2000.OLIVEIRA, D. A. Educação Básica: gestão do trabalho e da pobreza. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.PARO, Vitor Henrique. Escritos sobre educação. São Paulo: Xamã,2001.PARO, Vitor Henrique.7.ed. Administração escolar: introdução crítica. São Paulo: Cortez, 1996.PEREIRA, Luis Carlos Bresser. Da administração pública burocrática à gerencial. Revista do Serviço Público, Ano 47, Volume 120, Nº 1, 1996.ROLDÃO, M. do Céu (2000). “O currículo escolar: da uniformidade à recontextualização – campos e níveis de decisão curricular”, Revista de Educação,Vol. IX, nº1, 2000, pp. 81-89, 2000b.SANDER, Benno. Administração da educação no Brasil: genealogia do conhecimento. Brasília,DF: Liber Livro, 2007.SAVIANI, Dermeval. Plano de desenvolvimento da educação: análise crítica da política do MEC. Campinas,SP: Autores Associados, 2009.SHIROMA, Eneida Oto; MORAES, Maria Célia Marcondes de. Política educacional. 4.ed. Rio de Janeiro, RJ: Lamparina, 2007.SILVA, Maria Abádia da. Intervenção e consentimento: a política educacional do Banco Mundial. São Paulo: FAPESP, 2002.TEODORO, Antonio. Globalização e educação: políticas educacionais e novos modelos de governação. São Paulo: Cortez: Instituto Paulo Freire, 2003.VIEIRA, Sofia Lerche. Educação Básica: política e gestão. Brasília,DF: Liber Livro, 2009.
  • 14. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTARALMEIDA, Malu (Org.) Políticas educacionais e práticas pedagógicas: para além da mercantilização do conhecimento.Campinas,SP: Alinea Editora, 2005.ANDERSON, Perry. Balanço do neoliberalismo. In SADER, Emir & GENTILI, Pablo. Pós-neoliberalimo: as políticas sociais e o Estadodemocrático. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.BIÁZZIO, S. C. F. de & LIMA, Paulo Gomes. A participação da família no projeto político-pedagógico da escola. Revista Educere etEducare, Vol. 4, N.7, 1° semestre de 2009. ISSN 1981-4712 (versão eletrônica) – ISSN 1809-5208 (versão impressa).DE TOMASI, L.; WARDE, M. J.; HADAD, S. O Banco Mundial e as políticas educacionais. São Paulo: Cortez, 1996.GENTILI, Pablo. Globalização excludente: desigualdade, exclusão e democracia na nova ordem mundial. Petrópolis, RJ: Vozes;Buenos Aires: FLACSO, 2000.HORA, Dinair Leal da. Gestão democrática na escola. 7.ed. Campinas/SP: Papirus, 1994.LIMA, Paulo Gomes. Reestruturação produtiva, reforma do Estado e políticas educacionais. [CD-ROM]. In Anais do V SimpósioInternacional O Estado e as Políticas Educacionais no Tempo Presente. Uberlândia/MG: UFU, 2009. ISBN 978-85-217-5.LIMA, Paulo Gomes. Saberes pedagógicos da educação contemporânea . Engenheiro Coelho/SP: UNASP, 2007.Mészáros, Istvan. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo Editorial, 2005.PILETTI, Nelson. Estrutura e funcionamento do ensino fundamental. São Paulo: Ática, 1998.PRAIS, Maria de Lourdes Melo. Administração colegiada na escola pública. 4.ed. Campinas/SP: Papirus, 1996.ROSANVALLON, Pierre. A crise do Estado-providência. Goiânia/GO: UFG; Brasília: UnB, 1997.SANDER, Benno. Gestão da educação na América Latina: construção e reconstrução do conhecimento. Campinas/SP: AutoresAssociados, 1995.VIEIRA, Sofia Lerche. Desejos de reforma: legislação educacional no Brasil Império e República. Brasília,DF: Liber Livro,2008.VIEIRA, Sofia Lerche. Política educacional no Brasil: introdução histórica. Brasília,DF: Liber Livro, 2007WITTMANN, Lauro Carlos e GRACINDO, Regina Vinhaes (Coords.) O Estado da arte em política e a gestão da educação no Brasil.1991 a 1997. Brasília: ANPAE, Campinas: Editora Autores Associados; 2001.