Your SlideShare is downloading. ×

prova gerais

1,383

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,383
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTOS Secretaria Municipal de Administração - Departamento de Recursos Humanos Coordenadoria de Capacitação e Desenvolvimento de Pessoal Concurso Público para Provimento de Cargos de Assistente de Diretor Especialista de Educação I I N S T R U Ç Õ E S Conhecimentos Gerais P R O V A FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS Dezembro/2005 - Verifiqueseestecaderno: -correspondeasua opçãodecargo. -contém30questões, numeradasde1a30. Caso contrário,reclameaofiscaldasalaumoutrocaderno. Não serãoaceitasreclamaçõesposteriores. - ParacadaquestãoexisteapenasUMA respostacerta. - Vocêdevelercuidadosamentecadaumadas questõeseescolherarespostacerta. - Essa respostadevesermarcadanaFOLHA DERESPOSTAS quevocêrecebeu. VOCÊ DEVE: - procurar,naFOLHA DERESPOSTAS, onúmerodaquestãoquevocêestárespondendo. - verificarnocadernodeprovaqualaletra(A,B,C,D,E) darespostaquevocêescolheu. - marcaressa letranaFOLHA DERESPOSTAS, conformeoexemplo: - Marqueasrespostas primeiroalápisedepoiscubracomcanetaesferográficadetintapreta. - Marqueapenasumaletraparacadaquestão,maisdeumaletraassinaladaimplicaráanulaçãodessa questão. - Responda atodasasquestões. - Não serápermitidaqualquerespéciedeconsulta,nemouso demáquinacalculadora. - Vocêterá1horae30minutos pararesponder atodasasquestõesepreencheraFolhadeRespostas. - Devolvaestecadernodeprovaaoaplicador,juntamentecomsua FolhadeRespostas. - Proibidaadivulgaçãoouimpressãoparcialoutotaldapresenteprova.DireitosReservados. ATENÇÃO A C D E I N S T R U Ç Õ E S FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS Dezembro/2005 A C D E ____________________________________________________ Caderno de Prova, Cargo CA47, Tipo 001 0000000000000000 00001−001−001 Nº de Inscrição MODELO ProfEfetivo
  • 2. 02/12/05 - 14:57 2 PMSMP-Conhecimentos Gerais1 CONHECIMENTOS GERAIS Instruções: As questões de números 1 a 6 baseiam-se no texto abaixo. Lúcio disse, certa vez, à Clarice que ela não tivesse medo do futuro porque ela era um ser com a chama da vida. Clarice não se convenceu e depositou no amigo a incumbência de ensiná-la a ter a chama da vida. Esse momento na história da amizade desses dois escritores, relatado por Clarice em uma crônica, mostra a admiração que um tinha pelo outro. Foi na redação da Agência Nacional que a jovem jorna- lista Clarice Lispector entrou no mundo literário, pelas mãos de seu colega de redação, o romancista e poeta Lúcio Cardoso, dotado de uma personalidade enigmática e sedutora e de uma excepcional beleza. Clarice não resistiu aos seus encantos e percebeu que Lúcio era um mundo no qual ela gostaria de viver. “Lúcio e eu sempre nos admitimos: ele com sua vida misteriosa e secreta, eu com o que ele chamava de ‘vida apaixonante’. Em tantas coisas éramos tão fantásticos que, se não houvesse a impossibilidade, quem sabe teríamos nos casado.” (...) Difícil precisar quem exerceu o papel de discípulo e quem o de mestre, e até que ponto as influências dessa relação repercutiram em seus trabalhos. Em todos os seus depoimen- tos, Clarice assumiu o papel de discípula. O mundo de Lúcio sempre foi fascinante para ela: essa alma extremamente inquieta, atormentada, que escrevia, segundo ela, “por uma compulsão eterna gloriosa”, nunca deixou que se apagasse a chama do poder criativo. (...) (Teresa Monteiro. Chama incontida. Cult, setembro/2004, no 84) 1. A frase Difícil precisar quem exerceu o papel de discípulo e quem o de mestre retoma, para problematizá-la, esta outra frase: (A)) Clarice não se convenceu e depositou no amigo a incumbência de ensiná-la a ter a chama da vida. (B) ... que a jovem jornalista Clarice Lispector entrou no mundo literário, pelas mãos de seu colega de redação, o romancista e poeta Lúcio Cardoso, ... (C) Clarice não resistiu aos seus encantos e percebeu que Lúcio era um mundo no qual ela gostaria de viver. (D) Esse momento na história da amizade desses dois escritores, relatado por Clarice em uma crônica, mostra a admiração que um tinha pelo outro. (E) “... Em tantas coisas éramos tão fantásticos que, se não houvesse a impossibilidade, quem sabe teríamos nos casado.” 2. De acordo com o texto, é correto afirmar que (A) os colegas de redação Clarice Lispector e Lúcio Cardoso começaram as respectivas carreiras literá- rias na Agência Nacional. (B) Lúcio Cardoso não se casou com Clarice Lispector embora não houvesse qualquer impedimento para isso. (C) Clarice Lispector foi admitida na Agência Nacional pelas mãos de Lúcio Cardoso, que obteve para ela o posto de jornalista. (D) Clarice Lispector tinha, segundo Lúcio Cardoso, uma alma extremamente inquieta e atormentada. (E)) foi no período em que trabalhou na Agência Nacio- nal que Clarice Lispector teve acesso ao meio literário, onde foi introduzida por Lúcio Cardoso. _________________________________________________________ 3. A autora, corretamente, indicou a ocorrência de crase em Lúcio disse, certa vez, à Clarice. Mas essa indicação NÃO será correta APENAS em: (A)) Lúcio disse, certa vez, à ela... (B) Lúcio disse, certa vez, à melhor amiga... (C) Lúcio disse, certa vez, àquela que considerava sua melhor amiga... (D) Lúcio disse, certa vez, à sua amiga... (E) Lúcio disse, certa vez, à discípula... _________________________________________________________ 4. Ao substituirmos o “eu” de Lúcio e eu sempre nos admiti- mos por “Clarice”, o tempo e o modo do verbo permane- cem os mesmos e a frase mantém-se inteiramente de acordo com a norma culta APENAS em: (A) Lúcio e Clarice sempre os admitiram. (B) Lúcio e Clarice sempre se admitem. (C)) Lúcio e Clarice sempre se admitiram. (D) Lúcio e Clarice sempre lhes admitiram. (E) Lúcio e Clarice sempre se admitiam. _________________________________________________________ 5. Lúcio disse, certa vez, à Clarice que ela não tivesse medo do futuro porque ela era um ser com a chama da vida. A palavra grifada na frase acima só NÃO pode ser subs- tituída, mantendo-se exatamente o mesmo sentido, por: (A) já que. (B) visto que. (C) uma vez que. (D)) contanto que. (E) dado que. _________________________________________________________ 6. Clarice não resistiu aos seus encantos e percebeu que Lúcio era um mundo no qual ela gostaria de viver. Para introduzir um tom dubitativo na frase acima me- diante a inserção da palavra talvez, a frase que melhor exprime as mudanças necessárias é: (A)) Talvez Clarice não tenha resistido aos seus encan- tos e tenha percebido que Lúcio era um mundo no qual ela gostaria de viver. (B) Talvez Clarice não resistiu aos seus encantos e percebeu que Lúcio era um mundo no qual ela gostava de viver. (C) Talvez Clarice não resistiria aos seus encantos e perceberia que Lúcio era um mundo no qual ela gostaria de viver. (D) Talvez Clarice não resistia aos seus encantos e percebera que Lúcio era um mundo no qual ela gostaria de viver. (E) Talvez Clarice não resistiria aos seus encantos e percebeu que Lúcio era um mundo no qual ela gostava de viver. MODELO − Caderno de Prova, Cargo CA47, Tipo 001 ProfEfetivo
  • 3. 02/12/05 - 14:57 PMSMP-Conhecimentos Gerais1 3 Instruções: As questões de números 7 a 12 baseiam-se no tex- to abaixo. Certamente nunca terá faltado aos sonegadores de todos os tempos e lugares o confortável pretexto de que o seu dinhei- ro não deve parar nas mãos de administradores incompetentes e desonestos. Como pretexto, a invocação é insuperável e tem mesmo a cor e os traços do mais acendrado civismo. Como argumento, no entanto, é cínica e improcedente. Cínica porque a sonegação que nesse caso se pratica não é compensada por qualquer sacrifício ou contribuição que atenda à necessidade de recursos imanente a todos os erários, sejam eles bem ou mal administrados. Ora, sem recursos obtidos da comunidade não há policiamento, não há transportes, não há escolas ou hospitais. E sem serviços públicos essenciais, não há Estado e não pode haver sociedade política. Improcedente porque a sonegação, longe de fazer melhores os maus governos, estimula-os à prepotência e ao arbítrio, além de agra-var a carga tributária dos que não querem e dos que, mesmo querendo, não têm como dela fugir – os que vivem de salário, por exemplo. Antes, é preciso pagar, até mesmo para que não faltem legitimidade e força moral às denúncias de malversação. (João Baptista Villela. Apud: FIORIN, José Luiz e SAVIOLI, Francisco Platão. Para entender o texto: leitura e redação. 16. ed. São Paulo: Ática, 2002, p. 274) 7. O tema principal do texto encontra-se expresso em: (A) A prepotência e o arbítrio dos maus governos. (B) O abusivo aumento da carga tributária. (C)) A falácia das justificativas dos sonegadores. (D) As denúncias de malversação do dinheiro público. (E) A utilização adequada dos recursos públicos. _________________________________________________________ 8. Segundo o autor, o argumento dos sonegadores é cínico porque (A) os que vivem de salário gostariam de fazer o mesmo que eles, embora o desconto do imposto se faça diretamente na folha de pagamento. (B) leva os administradores a se tornarem ainda mais incompetentes e desonestos. (C) a sonegação acaba por fazer com que os governos se tornem mais arbitrários e prepotentes. (D) oculta a sua intenção de abalar as bases do Estado e fazer desaparecer a sociedade política. (E)) o dinheiro que deveria ser revertido para a sociedade é por eles embolsado sem qualquer contrapartida. _________________________________________________________ 9. A afirmação de que a invocação (...) tem mesmo a cor e os traços do mais acendrado civismo significa que essa justificativa (A) demonstra a preocupação cívica que se oculta por trás da sonegação. (B)) tem tão-somente a aparência de preocupação cívica e nada mais. (C) compartilha o civismo daqueles que usam as cores da bandeira nacional. (D) é um exemplo de civismo, mas misturado com inte- resses pessoais. (E) tem alguns aspectos de uma ingênua preocupação cívica. 10. Três palavras retiradas do texto, acentuadas de acordo com a mesma regra, são: (A) cínica – política – sacrifício (B) denúncias – públicos – prepotência (C) confortável – erário – insuperável (D)) arbítrio – prepotência – tributária (E) salário – terá – tributária _________________________________________________________ 11. ... é preciso pagar... Substituindo-se a expressão é preciso por é necessário, a concordância permanecerá correta, EXCETO se substituirmos a palavra grifada na frase acima por (A) empreendermos uma fiscalização mais rigorosa. (B)) várias ações enérgicas contra os sonegadores. (C) envidar esforços para que se diminua a sonegação. (D) um esforço conjunto entre governo e sociedade. (E) esclarecer a todos sobre a importância dos bens públicos. _________________________________________________________ 12. ... a sonegação, longe de fazer melhores os maus governos, estimula-os à prepotência e ao arbítrio... O verbo sublinhado tem o mesmo tipo de complemento que o verbo ou a locução verbal grifados em (A)) ... nunca terá faltado aos sonegadores de todos os tempos e lugares o confortável pretexto de que... (B) Como pretexto, a invocação é insuperável e tem mesmo a cor e os traços do mais acendrado civis- mo. (C) ... a sonegação, que nesse caso se pratica, não é compensada por qualquer sacrifício ou contri- buição... (D) ... além de agravar a carga tributária dos que não querem e dos que, mesmo querendo, não... (E) E sem serviços públicos essenciais, não há Estado e não pode haver sociedade política. _________________________________________________________ 13. A frase inteiramente correta quanto à ortografia é: (A) Alguns animais não são apenas bichinhos de esti- mação, mas dezenvolvem um trabalho inestimável junto aos seus donos. (B) Muitos animais são abandonados por falta de uma concideração prévia por parte daqueles que os adiquiriram. (C)) Em mais de uma ocasião foi confirmado que o convívio com animais domésticos é altamente esti- mulante para o desenvolvimento mental e emocional da criança. (D) Por modismo, animais selvagens são adiquiridos e, passado algum tempo, são soltos em lugares imprópios para sua sobrevivencia. (E) Houve uma verdadeira proliferassão de lojas de animais e pet shops nos últimos anos, bem como o lansamento de diversos produtos destinados aos animais de estimação. MODELO − Caderno de Prova, Cargo CA47, Tipo 001 ProfEfetivo
  • 4. 02/12/05 - 14:57 4 PMSMP-Conhecimentos Gerais1 14. A frase em que a concordância está inteiramente de acordo com a norma culta é: (A) Os lançamentos vem crescendo num ritmo verda- deiramente espantoso. (B) O número de livrarias e pontos de vendas de livros ainda são insuficientes. (C) Hoje fazem vinte e dois anos que a livraria do centro foi inaugurada. (D)) Haverá diversos eventos ligados à divulgação de seu segundo romance. (E) Ainda encontram muitas dificuldades quem procura um livro em língua estrangeira. _________________________________________________________ 15. Das orações abaixo, a ÚNICA na voz passiva é: (A) Nas férias, não sentia o tempo passar. (B) O descanso era mais mental que físico. (C) Sentia-se renovado com a viagem. (D) A cidade recebe muito bem os turistas. (E)) Aproveita-se bem o tempo aqui. _________________________________________________________ 16. Considere o texto abaixo. Na Paris Central existem bairros inteiros de imigrantes e descendentes de imigrantes que convivem mais ou menos em paz. Mas essa diversidade faz parte do folclore cos- mopolita da cidade, não ameaça. Os banlieus [periferias] são outra coisa. Não são redimidos nem pelo pitoresco nem pela proximidade com o centro. A distância real e simbólica entre Paris e seus banlieus também é uma metáfora para uma divisão mais antiga, a de metrópole e colônia. Escrevendo sobre a decisão do governo em decretar um estado de emergência para enfrentar os distúrbios baseado numa lei de 1955, usada para reprimir a insurreição na Argélia, que então pertencia à França, um articulista do Le Monde comentou a cruel ironia de se tratar os sublevados de hoje como eram tratados seus avós, e a ainda mais cruel evidência de que 50 anos não fizeram muita diferença na relação entre colonialistas e colonizados (...). (Adaptado de Luís Fernando Veríssimo. “Fora isso...”. O Globo, 13/11/2005, p.7) Sobre os conflitos em questão, o autor afirma que (A)) as medidas governamentais de represália à atual onda de violência na periferia de Paris se asseme- lham ao tratamento dispensado, no passado, à população das antigas colônias. (B) a insurreição popular recente ocorreu em função da revolta dos imigrantes que não vivem nos bairros centrais, em protesto contra as atitudes do governo francês na Argélia. (C) o estado de emergência em Paris foi decretado recentemente pelo governo francês uma vez que os sublevados são descendentes de argelinos colonia- listas que vivem na periferia. (D) os recentes distúrbios foram causados pela falta de convivência entre franceses e imigrantes, segrega- dos em seus bairros, apesar do aparente caráter cosmopolita de Paris. (E) a intensidade dos protestos na periferia de Paris resulta da imigração estimulada pela Lei de 1955 e da diversidade populacional, causadora de injustiça social e violência urbana. 17. Analise as afirmações abaixo. I. No último referendo, com a esmagadora vitória do não, a sociedade brasileira decidiu pela não imple- mentação do Estatuto do Desarmamento, que regu- lamenta o porte e a utilização de armas e munição. II. O chamado “Referendo das Armas” foi a primeira consulta popular feita no Brasil desde a Procla- mação de República e pode ser considerado um mecanismo de democracia direta. III. O resultado da consulta popular no último referendo revelou que a sociedade brasileira é favorável ao comércio de armas e munição no País. É correto o que se afirma APENAS em (A) I. (B) II. (C)) III. (D) I e II. (E) II e III. _________________________________________________________ 18. As medidas que vêm colaborando para a recuperação turística da cidade de Santos são (A) os investimentos da Sabesp em infra-estrutura, a demolição de patrimônios históricos depredados e a revitalização de atrações, como o Aquário Municipal. (B) a recuperação da balneabilidade das praias, as sanções empregadas pela Embratur e o fim do desa- guamento das águas da Represa Billings na baía. (C) a intervenção federal para o saneamento dos pro- blemas da cidade, a adequação do Porto ao turismo e a diminuição da freqüência de estrangeiros. (D)) a revitalização do Centro, a implementação de programação cultural constante e o oferecimento de incentivos fiscais para restauração do patrimônio histórico. (E) o aumento dos pedágios nas rodovias de acesso, o fechamento definitivo dos canais poluídos de Satur- nino de Brito e o aterro dos manguezais. _________________________________________________________ 19. A afirmativa correta, considerando-se a situação atual da educação no Brasil, é: (A) O Brasil caminha para a universalização do Ensino Fundamental e Médio mas, contraditoriamente, apre- senta uma contínua redução do número de vagas nas universidades públicas. (B) Fazem parte da reforma educacional proposta pelo governo Lula: a extinção do vestibular, com a trans- formação do ENEM em prova única e a privatização das universidades públicas. (C) No atual governo há dois projetos da rubrica “inclu- são”: as cotas de acesso à universidade e o PROUNI, programa de bolsas destinadas a estudantes carentes, para estudar em universidades públicas. (D) O programa Brasil Alfabetizado é o primeiro progra- ma nacional para alfabetização de adultos e foi inspirado na Campanha de Alfabetização realizada em Cuba na década de sessenta. (E)) Segundo pesquisas apresentadas pelo IBGE, o anal- fabetismo funcional é um problema que atinge a maior parte da população: apenas um em cada quatro brasileiros tem apreensão correta da leitura e da escrita. MODELO − Caderno de Prova, Cargo CA47, Tipo 001 ProfEfetivo
  • 5. 02/12/05 - 14:57 PMSMP-Conhecimentos Gerais1 5 20. Analise a foto e as afirmações abaixo. I. O presidente retratado na foto propaga a idéia de que seu governo lidera uma revolução bolivariana. II. Entre as dificuldades para o estabelecimento da ALCA (Área de Livre Comércio das Américas) está a recusa dos Estados Unidos em aceitar Cuba e Venezuela no bloco. III. Na Venezuela, grupos guerrilheiros de esquerda, liderados pelo Exército de Libertação Nacional e grupos paramilitares de direita protagonizam uma guerra civil que se prolonga há mais de 60 anos. IV. A Venezuela é o quinto maior exportador de petró- leo do mundo e um dos principais fornecedores para os Estados Unidos, que importam desse país cerca de 15% do produto. Estão corretas APENAS as afirmações: (A) I e II. (B)) I e IV. (C) II e IV. (D) II e III. (E) III e IV. _________________________________________________________ 21. Leia atentamente as afirmações abaixo. I. Atendimento educativo obrigatório para as crianças de zero a seis anos de idade. II. Garantia de formação profissional a todos os ado- lescentes de 15 a 19 anos. III. Gestão democrática do ensino público, na forma da lei. IV. Garantia de padrão de qualidade. V. Atendimento em estabelecimentos especializados a todos os portadores de necessidades especiais. VI. Pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas. VII. Organização do ensino fundamental em séries ou ciclos. São princípios do ensino, previstos na Constituição da Re- pública Federativa do Brasil (CF/1988) APENAS os: (A) I, III e V. (B) II, IV e VI. (C)) III, IV e VI. (D) II, VI e VII. (E) I, V e VII. 22. Leia atentamente as afirmações abaixo. I. ...Assegurar processo nacional de avaliação do rendimento escolar no ensino fundamental, médio e superior. II. Oferecer a educação infantil em creches e pré- escolas, e, com prioridade, o ensino fundamental, permitida a atuação em outros níveis e etapas de ensino somente quando estiverem atendidas plena- mente as necessidades de sua área de compe- tência... III. ... Assegurar o ensino fundamental e oferecer, com prioridade, o ensino médio... Os itens I, II e III identificam, nos termos da LDB, as responsabilidades (A) da União, dos Estados e dos municípios. (B)) da União, dos Municípios e dos Estados. (C) dos Municípios, dos Estados e da União. (D) dos Estados, da União e dos Municípios. (E) dos Estados, dos Municípios e da União. _________________________________________________________ 23. O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA/1990) esta- belece que se uma criança ou adolescente aparecer na escola com indícios de maus tratos, mantiver um elevado número de faltas injustificadas, se evadir da escola ou tiver várias repetências, esgotados os recursos escolares, é dever da direção de estabelecimentos de ensino fundamental comunicar ao: (A) Conselho Municipal da Criança e do Adolescente. (B) Responsável e ao Juizado de Menores. (C) Órgão da Secretaria de Educação a que a escola for subordinada. (D) Conselho de Escola. (E)) Conselho Tutelar. MODELO − Caderno de Prova, Cargo CA47, Tipo 001 ProfEfetivo
  • 6. 02/12/05 - 14:57 6 PMSMP-Conhecimentos Gerais1 24. Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA/1990), o aluno tem direito a (A) freqüentar escola particular de ensino fundamental perto de sua residência, desde que não exista es- cola pública e gratuita nas imediações. (B) contestar critérios avaliativos, desde que estes não tenham sido aprovados pelo conselho de escola. (C) organizar-se livremente em entidades, desde que seu funcionamento seja aprovado pela direção da escola. (D)) contestar os critérios avaliativos utilizados pela escola podendo recorrer a instâncias superiores. (E) inclusão em escola especial, se portador de qualquer necessidade especial. _________________________________________________________ 25. Nos termos da LDB (art. 70), são consideradas como de manutenção e desenvolvimento do ensino, as despesas realizadas com (A) subvenção à instituição pública ou privada de caráter assistencial. (B) programas suplementares de alimentação escolar. (C) programas de assistência médico-odontológica e de assistência psicológica. (D)) programas de transporte escolar. (E) pessoal docente, mesmo quando em atividades alheias ao ensino. _________________________________________________________ 26. Nos termos da LDB, um dos critérios para a verificação do rendimento escolar é o da avaliação (A) cumulativa, exigindo-se, pelo menos, dois instru- mentos de avaliação, em cada um dos bimestres escolares. No caso da escola adotar o conceito de média final, as provas de recuperação substituirão as realizadas no período escolar regular. (B) diagnóstica, permitindo-se que em cada período escolar, sejam utilizados diversos instrumentos de avaliação, e onde o desempenho do aluno possa ser traduzido em gráficos, viabilizando a percepção do seu rendimento escolar. (C)) contínua e cumulativa do desempenho do aluno, com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos e dos resultados ao longo do período sobre os de eventuais provas finais. (D) através de testes e medidas que possibilitem aos pais, aos professores e aos alunos, um acompa- nhamento do rendimento do conjunto-classe, e nela, a posição de cada aluno, em termos de êxito nos estudos. (E) através de testes de múltipla escolha, obedecidos os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) de modo a permitir comparações entre os testes realizados pela escola e os realizados pelo Sistema Estadual (SARESP) e pelo Sistema Nacional (SAEB) de Avaliação do Rendimento Escolar. 27. Com relação à freqüência dos alunos para aprovação, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB Lei n o 9.394/96) dispõe que (A)) é exigida freqüência de 75% do total de horas le- tivas. (B) é exigida 50% de freqüência do total de horas letivas, se o rendimento do aluno(a) for considerado satisfatório nas disciplinas do núcleo comum. (C) será direito do estabelecimento escolar decidir sobre o percentual de freqüência. (D) haverá diferenciação, para a escola localizada na zona urbana e para a localizada na zona rural. (E) não há exigência de freqüência mínima. _________________________________________________________ 28. Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais, NÃO é considerado tema transversal: (A) Orientação sexual. (B) Pluralidade Cultural. (C) Ética. (D) Meio Ambiente. (E)) Religião. _________________________________________________________ 29. De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais, o meio para que os alunos desenvolvam as capacidades que lhes permitam produzir e usufruir dos bens culturais, sociais e econômicos é (A) o exemplo. (B) a interdisciplinaridade. (C) a organização do ensino por ciclos. (D)) o conteúdo. (E) a criatividade. _________________________________________________________ 30. Nos Parâmetros Curriculares Nacionais, os conteúdos são abordados em três grandes categorias denominadas de: (A) gerais, específicas e transversais. (B)) conceituais, procedimentais e atitudinais. (C) éticas, morais e sociais. (D) estratégicas, táticas e de incorporação. (E) intelectuais, artísticas e literárias. MODELO − Caderno de Prova, Cargo CA47, Tipo 001 ProfEfetivo

×