Recursos hídricos

6,223 views
5,964 views

Published on

Published in: Travel, Technology
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
6,223
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
233
Actions
Shares
0
Downloads
191
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Recursos hídricos

  1. 1. Unidadedidáctica: osrecursoshídricos<br />A especificidade do climaportuguês<br />
  2. 2. Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Sumário <br />A distribuição da precipitação em Portugal.<br />Os estados de tempo mais frequentes em Portugal.<br />Ficha de trabalho.<br />Objectivos<br />Consolidar conteúdos<br />Descrever a distribuição da precipitação em Portugal<br />Identificar quais os principais factores responsáveis pela distribuição da precipitação em Portugal<br />Explicar o processo de formação dos tipos de precipitação que ocorrem em Portugal<br />Identificar quais as situações meteorológicas típicas de Portugal <br />
  3. 3. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Esquema conceptual dos conteúdos<br />O ciclo hidrológico<br />A circulação geral da atmosfera<br />A pressão atmosférica<br />Centros de pressão atmosférica<br />Distribuição geral dos centros de pressão<br />Portugal<br />A distribuição da precipitação<br />Massas de ar que afectam Portugal<br />Perturbações frontais e estados de tempo associados<br />Situações meteorológicas típicas<br />Espacial<br />Anual (temporal)<br />
  4. 4. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Corte horizontal (ao nível do solo)<br />As perturbações frontais<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />
  5. 5. Oeste<br />Este<br />Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Uma perturbação frontal é constituída por um sector de ar quente tropical e dois sectores de ar frio polar ( ar frio anterior e posterior). Estes sectores estão separados pelas superfícies frontais fria e quente que se estendem em altitude e pelas respectivas frentes, junto ao solo.<br />Corte vertical (em altitude)<br />
  6. 6.
  7. 7. Aproximação da frente quente<br />Frente quente<br />
  8. 8.
  9. 9. Passagem da frente quente<br />Frente quente<br />
  10. 10.
  11. 11. Passagem do ar quente tropical<br />Frente fria<br />Frente quente<br />
  12. 12.
  13. 13. Passagem da frente fria<br />Frente fria<br />Frente quente<br />
  14. 14. Após a passagem da frente fria<br />Frente fria<br />
  15. 15. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Corte horizontal (ao nível do solo) continental<br />A distribuição da precipitação em Portugal continental<br /><ul><li>Conceito de precipitação
  16. 16. Isoéticas
  17. 17. O presente mapa representa a distribuição da precipitação em Portugal continental
  18. 18. Descrevam os principais contrastes desta distribuição</li></ul>Frente fria<br />Frente Quente<br />
  19. 19. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Corte horizontal (ao nível do solo)<br />Os factores responsáveis: o relevo<br />Mapa de distribuição da precipitação<br />Mapa hipsométrico<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />
  20. 20. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Corte horizontal (ao nível do solo)<br />A situação dos Açores e da Madeira<br />Mapa de distribuição da precipitação<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />As perturbações frontais, tal como as massas de ar, não têm posição fixa: deslocam-se no sentido Oeste-Este devido ao movimento de rotação terrestre e à acção dos ventos de Oeste.<br />
  21. 21. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Corte horizontal (ao nível do solo)<br />Principais tipos de precipitação em Portugal<br />Orográficas<br />Frontais <br />Convectivas<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />As perturbações frontais, tal como as massas de ar, não têm posição fixa: deslocam-se no sentido Oeste-Este devido ao movimento de rotação terrestre e à acção dos ventos de Oeste.<br />
  22. 22. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos : A especificidade do climaportuguês<br />Corte horizontal (ao nível do solo)<br />Precipitações orográficas<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />As perturbações frontais, tal como as massas de ar, não têm posição fixa: deslocam-se no sentido Oeste-Este devido ao movimento de rotação terrestre e à acção dos ventos de Oeste.<br />
  23. 23. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Precipitações frontais<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />
  24. 24. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Corte horizontal (ao nível do solo)<br />Precipitações convectivas<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />
  25. 25. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Corte horizontal (ao nível do solo)<br />Em síntese os factores responsáveis <br />Latitude-As áreas mais a norte estão sob uma maior influência das perturbações frontais<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />Relevo:<br /> Altitude<br /> Orientação<br />Proximidade do mar-maior influência dessas massas de ar atlântico mais húmidas perto do litoral<br />
  26. 26. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Variação anual da precipitação<br />Valores mais altos de no Outono e Inverno (sobretudo e Inverno a Março)<br />Valores mais baixos no Verão<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />Factores explicativos<br />Dinâmica da atmosfera e deslocação dos centros de Pressão<br />Portugal continental está senvivelmente entre os 36º e 42ºN, na zona temperada.<br />Inverno-Maior influência das perturbações frontais e dos centros de baixas pressões subpolares<br />Verão- Influência do Anticiclone dos Açores<br />
  27. 27. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Corte horizontal (ao nível do solo)<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />As perturbações frontais, tal como as massas de ar, não têm posição fixa: deslocam-se no sentido Oeste-Este devido ao movimento de rotação terrestre e à acção dos ventos de Oeste.<br />
  28. 28. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Corte horizontal (ao nível do solo)<br />As situações meteorológicas típicas de Inverno<br />Mau tempo<br />Influência de Perturbações frontais<br /> -Presença de chuvas frontais<br />Estados de tempo diversificados com a passagem dos diferentes componentes do sistema frontal<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />
  29. 29. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Corte horizontal (ao nível do solo)<br />As situações meteorológicas típicas de Inverno<br />“Bom” tempo<br />Influência de um anticiclone<br />Estados de tempo diversificados com a passagem dos diferentes componentes do sistema frontal<br />Outras situações de bom tempo: formação de anticlones de origem térmica na Europa (p.ex Península Ibérica).<br />-”Barram” a influência dos sistemas frontais<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />
  30. 30. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Corte horizontal (ao nível do solo)<br />As situações meteorológicas típicas de Verão<br />Bom tempo<br />Influência do anticiclone dos Açores<br />Temperaturas normais para a época<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />
  31. 31. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos : A especificidade do climaportuguês<br />Corte horizontal (ao nível do solo)<br />As situações meteorológicas típicas de Verão<br />Formação de uma depressão térmica no interior da Península Ibérica.<br />A junção da componente ciclónica e anticiclónica leva ao surgimento de um vento vindo de Norte que se faz sentir junto do litoral-a nortada.<br />A depressão térmica pode evoluir e causar chuvas no Verão.<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />As perturbações frontais, tal como as massas de ar, não têm posição fixa: deslocam-se no sentido Oeste-Este devido ao movimento de rotação terrestre e à acção dos ventos de Oeste.<br />
  32. 32. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Estações intermédias<br />Situações muito variadas<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />As perturbações frontais, tal como as massas de ar, não têm posição fixa: deslocam-se no sentido Oeste-Este devido ao movimento de rotação terrestre e à acção dos ventos de Oeste.<br />
  33. 33. Os recursoshídricos : A especificide do climaportuguês<br />Os recursoshídricos: A especificidade do climaportuguês<br />Corte horizontal (ao nível do solo)<br />Identifiquem qual a situação típica de Inverno e de Verão<br />Frente fria<br />Frente Quente<br />

×