Jornal zoada bonita junho 2013

646 views
568 views

Published on

Jornal Cultural de Itaboraí, a cidade do Comperj, Jornal Zoada Bonita Edição junho 2013, Paulo Maia

Published in: News & Politics
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
646
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Jornal zoada bonita junho 2013

  1. 1. TTTTTel-el-el-el-el-ZOADA BONITADiferente até no nome!ANO IIINúmero 333 ANOS!3 ANOS!3 ANOS!3 ANOS!3 ANOS!O POVO NÃO QUER CIRCO,QUER TRABALHO E OBRAS!Acesse o ZB na Internet!Entre no Google e digite:Jornal Zoada BonitaJUNHO2013Acesse o ZB Classificados!Entre no Google e digite:Jornal Zoada BonitaClassificados JUNHO 2013Panis et CircensesPrédios condenados pels Defesa Civil, sobre oantigo túnel ferroviário em Porto das Caixas,podem desabar a qualquer momento, oferecen-do risco para a população. Já deveriam ter sidodemolidos há anos, mas o perigo continua.Esgoto em várias ruasContudo, em apenas 6 merses de go-verno Helil Cardozo, os itaboraiensesjá tiveram duas grandes festas com aparticipação de artistas famosos, cujocachê é bem elevado: O carnaval, queteve a participação de Mumuzinho doEsquenta, Serjão Loroza, Monobloco,Cordão do Bola Preta, Neguinho daJUNHO 2013Beija-flor e outros; E a festa de aniver-sário da cidade, que teve shows de Clau-dia Leite, Naldo, Lulu Santos, SorrisoMaroto, Vitor e Leo, além do artistaevangélico Fernandinho e da banda ca-tólica Rosa de Saron.Nada contra os artistas, cujo traba-lho é de alto nível e aqui vieram paraganhar o seu dinheiro honestamente. O quecausa indignação, e a voz da indignação ho-nesta é a voz de Deus, é a falta de bom sensopolítico, pois a ocasião não é para festa e simpara “arregaçar as mangas” e cair no traba-lho, porque nos últimos 40 anos Itaboraí cres-ceu como o rabo do cavalo. As nossas carên-cias são muitas e o povo quer obras. Pág.5Na antiga Roma era assim: Os im-peradores romanos ofereciam pão e cir-co para contentar o povo.Mas em Itaboraí não é isso que a po-pulação almeja. A cidade precisa e opovo quer urgentemente, uma ação efi-caz de trabalho e obras, em todos ossetores governamentais.FotoarquivoInternetPoço artesiano abandonado emItambi. Construído no final de 2011,ainda no governo do prefeito SérgioSoares, no bairro João Caetano, noque deveria ser a esquina da AvenidaDomingos Plastina com a rua Cléa doValle, mas só existe mato.DPO em Sambaetiba: AbandonadoFotoJorgeAlmeida
  2. 2. 2 ZB JUNHO 2013 ESTÁ ACONTECENDO POR AÍNO ESPÍRITO SANTO, AO RIO DE JANEIRO!ESTRADA DE FERRO LIGARÁ VITÓRIAC D I - Centro de Diagnóstico IntegradoO CDI é um moderno centro de diagnós-tico por imagem, localizado no Centro de Ita-boraí, na Av. Amélia Saraiva, 232 , próximo àCasa do Futuro e Nalin Shoping. Atendendode 8 da manhã as 17 horas, realiza exames deUltrassonografia (particular), TomografiaComputadorizada e Ressonância NuclearMagnética (SUS e particular). O CDI atendepela Itaprev, Intermédica, SUS, e particularescom parcelamento em até 5 vezes no Cartãode Crédito.Há mais de 4 anos estabelecido em Itabo-raí, o CDI recebe atualmente cerca de mil pa-cientes por mês, não só de Itaboraí, mas tam-bém das cidades vizinhas, dando ênfase à qua-lidade do serviço e ao carinho com que os fun-cionários recebem os clientes.O CDI também realiza exames deTomografia Computadorizada e Resso-nância Magnética com contraste e con-forme a necessidade, com sedação.TEL - 21- 2645-4230 / 2645-3942TEL - 21- 2645-4230 / 2645-3942TEL - 21- 2645-4230 / 2645-3942TEL - 21- 2645-4230 / 2645-3942TEL - 21- 2645-4230 / 2645-3942Av. Amélia Saraiva, 232, Centro Itaboraípróximo ao Nalin ShopingA Superintendência deInfraestrutura e Serviços de TransporteFerroviário, SUFER, subordinada aANTT (Agência Nacional de Transpor-tes Terrestres), abriu processo de toma-da de subsídio para obter contribuiçõese informações adicionais para os estu-dos iniciais da concessão do trecho fer-roviário entre Vitória (ES) e Rio de Ja-neiro, dando continuidade ao Programade Investimento em Logística do Go-verno Federal, que prevê o investimen-to de R$ 91 bilhões na construção de10 mil km de novas ferrovias brasilei-ras para os próximos 25 anos. Serão in-vestidos R$ 56 bilhões nos primeiroscinco anos e mais R$ 35 bilhões do 6ºao 25º ano. Ao todo, são 12 projetosferroviários, que serão concessionadosà iniciativa privada.Com 551 km de extensão esse tre-cho ferroviário cortará 27 municípiosnos dois estados, sendo 12 no EspíritoSanto e 15 no Rio de Janeiro. No Espí-rito Santo:Vila Velha, Santa Leopoldina,Cariacica, Viana, Guarapari, Anchieta,Iconha, Rio Novo do Sul, Itapemirim,Atílio Vivacqua, Presidente Kennedy eMimoso do Sul.No Rio de Janeiro: Campos, BomJesus de Itabapoana, Conceição deMacabu, Macaé, Rio das Ostras,Casimiro de Abreu, Silva Jardim, Rio Bonito,Tanguá, Itaboraí, Guapimirim, Magé, Duquede Caxias e Nova Iguaçu.De acordo com o cronograma do GovernoFederal, o contrato de concessão da FerroviaRio de Janeiro - Campos -Vitória, deverá es-tar assinado agora, no segundo semestre de2013, entre julho e setembro.Produtos agrícolas, minério, rochas orna-mentais e cargas acondicionadas emcontainers, deverão liderar a lista dos produ-tos transportados pela ferrovia.Antigas estaçõespoderão ser reativadasSe o antigo trecho da Ferrovia Vitória - Rio,que hoje pertence a Ferrovia Central Atlânti-ca for aproveitado, antigas estações ferroviá-rias poderão ser reativadas, como Rio Bonito,Tanguá, Venda das Pedras e Visconde de Ita-boraí.Antigo expresso Rio - Vitória
  3. 3. 3 ZB JUNHO 2013 MÃE: PORTA DIMENSIONAL POR ONDE FLUI A VIDA!RECEITAS DA VOVÓ LOLITAModo de PrepararINGREDIENTESCOMIDA DE ÍNDIO: TAPIOCAEDITORIALDiretor - Paulo MaiaAv. Américo Cardoso 469 - Nova Cidade Itaboraí RJ - Cep -24.804.132 Correio Eletrônico - zoadabonita@yahoo.com.brTel (21) 2635-1971 / 8745-6811Os artigos e matérias assinados são de inteira responsabilidade dos seusautores, não expressando necessariamente o pensamento desse jornal.Jornal Mensal - Tiragem - 5.000 exemplaresReportagens - Bianca SheckterDE QUE LADO ESTÁ O GOVERNO?DO LADO DO POVO?500 g de polvilho doce;1 colher de café de sal;300 ml de água;Paulo MaiaPropaganda - Tavares -21-9549-3286 / Paolo Settimelli - 21-9570-3087No início do século XVI, quando franceses e portugueses chegaram à região do Riode Janeiro, as populações indígenas podiam ser dividas em quatro grandes grupos emfunção do tronco linguístico a que pertenciam. O primeiro grupo, constituído pelastribos que falavam o tupi, como os Tupinambás ou Tamoios e os Tupiniquins, habita-vam o litoral. Um outro grupo, que falava línguas do tronco macrojê, constituído pelastribos Puri-Coroado, Maxakali e Botocudo, localizavam-se no interior, principalmentena bacia do rio Paraíba do Sul. Já os Goitacás viviam próximos à foz desse rio.O extermínio dos povos indígenas do Recôncavo da Guanabara, foi extremamentecruel e desumano. No século XVI, doenças como a sífilis, a varíola, o sarampo e agripe, trazidas pelo conquistador europeu, dizimaram aldeias inteiras. Também as guer-ras, seja como aliados de franceses ou de portugueses, contribuíram para reduzir aspopulações indígenas do Rio de Janeiro, assim como a escravização e a aculturação.Os índios que habitavam a região do Recôncavo da Guanabara, se alimentavam decaça, peixe, raízes, sementes, folhas e frutos existentes na natureza. Algumas tribosplantavam milho, mandioca, amendoim e pimenta, deixando um legado importantepara a gastronomia da nossa Região, que sofreu também forte influência portuguesa eafricana, originando uma culinária com sabores diferentes e exóticos. Um exemplodisso é a tapioca, de origem indígena, feita com a fécula extraída da mandioca, conhe-cida também como goma da tapioca, goma seca, polvilho ou polvilho doce, que ao serespalhado em uma chapa ou frigideira aquecida, transforma-se num tipo de panqueca,cujo recheio varia de acordo com o gosto de cada um.Coloque o polvilho em uma vasilha e aos poucos acrescente os 300 ml de água;Misture com as mãos;Passe aos poucos, o polvilho já molhado em uma peneira fina e reserve;Aqueça uma frigideira de teflon;Coloque a massa de polvilho já peneirada, o suficiente para cobrir a frigideira;Faça com que a massa fique em forma de círculo, bem fina, como uma panqueca;Deixe por alguns minutos, até que solte da frigideira, sem dourar;Vire para o outro lado como se fosse omelete;Quando soltar da frigideira, está pronta para rechear a seu gosto;RECHEIOSBasta usar a imaginação e a suacriatividade. Queijo coalho, mussarela,carne seca, camarão, atum, presuntocom queijo, frango desfiado, enfim, oque você quiser.Pode ser ainda leite condensado comcoco ralado, chocolate, goiabada, ba-nana com canela, mel, caramelo...Vamos começar por essa premissa: Somosnós que pagamos toda essa “bagaça”, com odinheiro dos nossos impostos, que são muitose caríssimos. Verdade seja dita. Nós pagamosa conta para os políticos fazerem a “festa” equem paga a conta tem o direito, ou pelo me-nos deveria ter, de exigir que a “festa” se rea-lize de acordo com a sua vontade. Porém nãoé assim que as coisas acontecem no Brasil epor conseguinte em Itaboraí.Durante a campanha os candidatos aos car-gos públicos fazem mil promessas, garantin-do que vão atender os anseios do povo. Aí,quando são eleitos, se encastelam no poder,acham que são os donos da verdade, os “paisda pátria”, orientando as suas ações segundoa própria vontade, sem consultar o povo, queé a princpal razão da existência de governosdemocráticos, afinal democracia é o governodo povo, com o povo, pelo povo.Portanto governar é simples assim: Bastarealizar a vontade da população. O bom polí-tico administrador não precisa ser intelectualnem PHD, mas precisa acima de tudo ser umbom ouvinte para saber a vontade do povo. Eo que o povo quer? Não é necessário nem fa-zer pesquisa, mas somente ouvir a voz do seupróprio coração, que dirá: “O povo quer basi-camente e em primeiro lugar, saúde, habita-ção, segurança, educação, trabalho digno eviver numa cidade com um mínmo de quali-dade de vida, onde as crianças possam cres-cer felizes, tornando-se verdadeiros cidadãos.Em se tratando da situação nacional, vári-as questões que os cidadãos gostariam de verresolvidas, como a segurança pública, a di-minuição da maioridade penal ou a precarie-dade da saúde, são deixadas de lado pelo Con-gresso e também pelo Executivo. Outro des-caso político é a questão da demarcação dasterras indígenas, que se arrasta há sécu-los.Também no panorama municipal amaioria dos políticos não está nem aípara o povo, é claro com raríssimas ex-ceções.A administração Helil Cardozo, comapenas seis meses de atuação, já esban-jou verbas na realização de dois gran-des eventos, para os quais foram con-tratados artistas caríssimos de renomenacional. O primeiro foi o carnaval,onde se apresentaram Neguinho da Bei-ja-flor, Serjão Loroza, Mumuzinho doEsquenta, Cordão do Bola Preta e ou-tros, todos com um cachê bem gordo.No aniversário da cidade, nova fes-ta caríssima: Lulu Santos, Sorriso Ma-roto, Vitor e Leo, Cláudia Leite e os ar-tistas gospel, Rosa de Sarom eFernandinho. Calculando-se por baixo,entre artistas e a estrutura para os shows,a brincadeira não ficou por menos deR$ 4 milhões de Reais.Apopulação nãoquer circo, quer ver obras e trabalho.Enquanto isso vários DPOs estãosem efetivo policial; a cidade não tembanheiros públicos, nem rodoviária ouparadas de ônibus decentes; o trânsitoé um caos; falta água potável em váriosbairros; mais de 90% das ruas do muni-cípio não são pavimentadas e não têmrede de esgoto; não existe no municí-pio um centro público de hemodiálize;o transporte público é deficitário; exis-te carência de locais públicos para olazer da população; o patrimônio histó-rico está se perdendo sem manutenção...E aí? De que lado está o governo? Dolado do povo?
  4. 4. 4 ZB JUNHO 2013 UMAS & OUTRASPara Rir um PoucoPrincípios CristãosUrologista do SUSA SexólogaA Rosa e a Couve-FlorCopo LimpoTernos a partir de R$ 99,00Av. 22 de maio 7092 - V. da PedrasTel- 2635-7679Outra do JoãozinhoJoãozinhoSolidariedadeO Padre estava passeando pela florestaquando viu uma onça que corria em sua dire-ção. O Padre começou a correr e quando elaestava quase alcançando-o, ele teve uma idéiabrilhante. Parou, ajoelhou-se, ergueu os bra-ços para o céu e começou a rezar: Senhor, façacom que essa onça tenha princípios cristãos!Então a onça parou abruptamente, tambémergueu as mãos para o céu e disse: Senhor,abençoai esse alimento que vou comer...Joãozinho diz para sua mãe: _ “Mãe,o meu amigo, o Pedrinho, disse que eletem um ta-ta-ta-ta-ta-ta-ta-taravô! _“Ora, filho!! O Pedrinho é mentiroso”!- Não é não, mãe! Ele é gago!Dois caras resolvem tomar uma cervejinhano bar. Um deles recomenda ao garçom:_ “Copo limpo, viu?Dali a pouco o garçom volta com uma cer-veja, dois copos e pergunta:_ “Quem pediu copo limpo”?Um executivo de mais ou menos 40anos, elegante, senta-se na poltrona doavião com destino a Nova York. Ao seulado, na poltrona da janela, está umamorena escultural, pernas cruzadas, per-feitas, saia curta deixando entrever umbelíssimo par de coxas, seios no tama-nho exato, empinados, lábios carnudos,enfim, uma DEUSA... O avião decola,céu de brigadeiro, uma vontade enor-me de puxar conversa, mas a morena,impassível, lê um grosso volume commuita atençao. Vinte minutos de vôo eo cavalheiro não se conteve e puxouconversa:_ “É a primeira vez que vai a NewYork? - Ela, gentil, com uma voz muitosensual, mas reservada: _ “Nao, é umaviagem habitual... - Ele, agora anima-do: _ “Trabalha com moda, por acaso...?_ “Nao, viajo em função de minhas pes-quisas..._ “Desculpe-me a curiosidade é es-critora...?_ “Nao, sou sexóloga._ “Muito interessante e raro. Suaspesquisas dedicam-se, na sexologia, aquê, especificamente? - Ela tranqüila esempre com a mesma voz de veludo: _“No momento dedico-me a pesquisar ascaracterísticas do membro masculino,o que julgo ser um trabalho de fôlego emuito difícil._ “Nas suas pesquisas, a que con-clusões já chegou?_ “Bom, de todos os pesquisados,concluí que os índios, sem dúvida, sãoos portadores de membros maiores,mais avantajados, porém os árabes sãoos que permanecem mais tempo no coi-to, proporcionando mais prazer às suasparceiras. Além disso... Oh! Me descul-pe! Eu estou aqui falando sem parar enem sei seu nome”..._ “Mohamed Pataxó, às suas or-dens”!Um dia a rosa encontrou a couve-flor edisse:_ “Que petulância, se chamar de flor!Veja sua pele áspera e a minha, lisa e sedosa.Veja seu cheiro desagradável e meu perfume,sensual e envolvente. Veja seu corpo grossei-ro e o meu, delgado e elegante. Eu sim, souuma flor”! - E a couve-flor respondeu:_ “É...mas ninguém te come”...Um policial de uma pequena cidade do in-terior para um motorista por excesso de velo-cidade._ “Mas seu guarda, eu posso explicar - re-plica o motorista._ “Fique calado! Vou colocá-lo na cadeiaaté o Tenente chegar”! - esbravejou o policial,levando o rapaz para o xadrez._ “Mas, por favor, eu só queria dizer que”..._ “Silêncio! Você está preso ! Se abrir aboca mais uma vez, vou deixar você algema-do”! - Então, ele joga o coitado em uma cela,sozinho, e vai embora sem lhe dar atenção.Horas mais tarde, o guarda volta:_ “O Tenente está chegando! Sorte a suaque ele foi ao casamento da filha dele. Deveestar de bom humor._ “Duvido muito... Se tivesse me deixadoexplicar, saberia que o noivo sou eu”!Na escola a professora fala:_ “Quem se considerar burro fiqueem pé”.Passa um tempo e ninguém se levan-ta, até que Joãozinho fica em pé._ “Muito bem joãozinho você seacha burro”?_ “Não professora é que eu fiquei com dóde ver a senhora aí em pé sozinha”.A professora pergunta para os alunos:_ “Quem é que quer ir par ao céu”? - To-dos levantam a mão, menos o Joãozinho._ “E você Joãozinho? Não quer ir para océu?_ “Querer eu quero, mas a minha mãe fa-lou que depois da aula era para eu ir diretopara casa!A Explicação_ ”Dr. meu testículo esquerdo está escuro”... - O médico examina o local e dá odiagnóstico: _ “Tenho que cortar urgentemente o seu testículo esquerdo. Ele está comum princípio de gangrena e se eu não fizer isso você pode morrer”!!!!No mesmo dia o homem é operado. Depois de uns 15 dias, o sujeito volta ao médi-co: _ “Doutor, doutor!! Esta manhã, notei que o outro testículo também está azulado”!Preocupado, o médico começa a examinar o paciente e dá o mesmo diagnóstico. Otestículo direito é amputado. Duas semanas depois, à beira de um ataque de nervos, opaciente regressa ao consultório: _ “Doutor, doutor! Veja isto, agora é o meu pênis queestá azulado... Não me diga que terá que cortá-lo também”?!O doutor o examina e confirma o triste diagnóstico, submetendo o coitado a umacirurgia de amputação do pênis e colocando no lugar uma mangueirinha plástica trans-parente. Três semanas depois o homem regressa ao consultório e grita: _ “Doutor, quemerda está acontecendo??? O senhor sabe o que está azul agora? A mangueirinha deplástico!!! Será que tenho um grave problema sanguíneo”?O médico tenta acalmá-lo e faz um exame completo. Horas depois, com o resultadodos testes na mão e uma cara de alívio, anuncia: _ “Fique tranqüilo meu amigo. Vocêterá vida longa! Desta vez não tenho dúvidas: O SEU JEANS DESBOTA.
  5. 5. 5 DE OLHO NA CIDADEO povo não quer circo, quer trabalho e obras!ZB JUNHO 20132635-4218Rua PresidenteCosta e Silva, 31Centro - ItaboraíO prefeito Helil Cardozo, em dezembro de 2012, logo depoisda eleição, reuniu-se com representantes das linhas de vans mu-nicipais, prometendo regulamentar o transporte alternativo apósum estudo de viabilidade técnica, a partir de janeiro de 2013. Na5ª feira 25 de abril, os Vereadores votaram favoravelmente pelavolta das Vans. Foram 15 votos a favor.Enquanto isso o povo continua refém do monopólio da RioIta, esperando a decisão do prefeito. Vamos ver!!!VAN, VAN, VAN, VAN!!!INSEGURANÇA, POSTOS DE SAÚDESEMATENDIMENTO, SAÚDE DEFICI-TÁRIA, CARÊNCIA DE PROJETOSEDUCACIONAIS, CULTURAIS E ES-PORTIVOS PARA A JUVENTUDE,DPOs SEM EFETIVO POLICIAL, UR-GÊNCIA DE UMA RODOVIÁRIA, PA-RADAS DE ÔNIBUS SEM O MÍNIMOCONFORTO, TRANSPORTE COLETI-VO DEFICITÁRIO, INEXISTÊNCIADEBANHEIROS PÚBLICOS; URGÊNCIADE UM PLANEJAMENTO PARA AINFRAESTRUTURA, SANEAMENTO EURBANIZAÇÃO; INEXISTÊNCIA DEUMA POLÍTICA AGROPECUÁRIACONSISTENTE, INEXISTÊNCIA DELOCAIS PÚBLICOS PARA O LAZERDA POPULAÇÃO...Realmente os problemas encontrados peloprefeito Helil Cardozo são muitos. Por issorepetimos: “ Não é hora de festa e sim de ar-regaçar as mangas e partir para o trabalho”. Éisso que a população espera do prefeito.NÃO QNÃO QNÃO QNÃO QNÃO QUERUERUERUERUERO ISSO:O ISSO:O ISSO:O ISSO:O ISSO:Ouvir o povo,eis a questão!É preciso ter humildade e bom sen-so para ouvir as reinvindicações da po-pulação, que não quer muito, quer ape-nas poder viver com dignidade e res-peito.Afinal são os impostos caríssimosque pagamos, a mola mestra que movi-menta o sistema. A razão única e exclu-siva da existência do Estado de Direitoé o bem estar do povo.Quando o administrador públicoatende os anseios do povo, resolvendosuas carências, esse mesmo povo, atra-vés do seu voto, faz com que esse ad-ministrador permaneça no poder.Portanto é simples. Todo políticoque defender a justiça, os direitos le-gais e o bem estar dos cidadãos, terá oseu nome registrado na história comhonras e glória. Do contrário...
  6. 6. 6 ZB JUNHO 2013 ATITUDEDEU NA INTERNET ITABORAÍ X ÁRVORESIpê floridoOlha estas velhas árvores, mais belasDo que as árvores novas, mais amigas:Tanto mais belas quanto mais antigas,Vencedoras da idade e das procelas...O homem, a fera, e o inseto, à sombra delasVivem, livres de fomes e fadigas;E em seus galhos abrigam-se as cantigasE os amores das aves tagarelas.Não choremos, amigo, a mocidade!Envelheçamos rindo! envelheçamosComo as árvores fortes envelhecem:Na glória da alegria e da bondade,Agasalhando os pássaros nos ramos,Dando sombra e consolo aos que padecem!Velhas árvoresOlavo BilacMaurício PiresEm Itaboraí muita gente .... Ve-jamos somente alguns exemplos doextermínio:QUEM NÃO GOSTA DE ÁRVORES?Na rua ao lado do antigo depósitoda Brahma em Venda das Pedras, 3 ár-vores foram abatidas; uma árvore aolado da Igreja Universal também emVenda das Pedras; Uma em frente aoMercado Esquina da Carne na Av.Américo Cardoso; Uma em frente aoportão do Sindicato Rural, no Centro.O que sobrou desta ainda está lá, de pé,qual menir fossilizado. Testemunhamorta. E o que é ainda pior : INVISÍ-VEL; Três árvores abatidas na rua paralela àAv. 22 de maio no Centro, descendo para oRio Várzea; Vários arbustos e plantas do can-teiro do Posto Shell, no Centro;Recentemente mais 4 árvores foram aba-tidas na esquina da Rua Inácio Marins com 22de Maio, em frente à D’lemos. Mesmo estan-do fora da área da propriedade ( além domuro). Para não esconder o empreendimen-to, certamente.Árvores cujas raízes estão quebrandomuros ou calçadas, que estão tomadas porcupim ou muito velhas, realmente precisamser cortadas e substituídas por outras maisadequadas ao local. Porém nunca cortadasao bel prazer.
  7. 7. JUNHO 2013 Diretor Paulo Maia E-mail-zoadabonita@yahoo.com.brO TEMPO DA MINHA MÃE! Marinete RezendeMaria GorettiDANÇANDO PARA DEUSO corpo da moça, magro e esguio, rodopiava dançando graciosamente portodo o grande espaço, tal qual uma corça em campo aberto. Seus movimentosgraciosos e precisos, leves como o vento quente em noites de verão, faziam o seucoração bater acelerado, rápido como as torrentes de grandes águas correndopara o oceano. Seu coração pulsava com a força da juventude, num compassoharmonioso de amor, fé e esperança.A moça dançava e rodopiava, conduzida pela grandeza do louvor. Os seussentidos aguçados a dirigiam. No coração a certeza de amar e exaltar o nome doseu Deus. Nos olhos o brilho da fé resplandecia como a aurora da sua vida. Seuspassos ritmados, ora eram lentos, ora afoitos. Como uma garça em pleno vôo, amoça estava tomada pelo Espírito de Deus e por isso dançava, dançava, saltitan-do e rodopiando graciosamente para o seu Deus. Seu ser ardia no fogo do Espí-rito. Do seu ventre jorrava um rio de água viva, onde ela mergulhava envolvidapelo Espírito Santo. De repente para de dançar e profetiza palavras de bênçãos.Rasgando suas vestes, cai ao chão, deixando tão somente uma branca túnicasobre o corpo.Pronto... A moça mostrara que as suas vestes haviam sido lavadas no Sanguedo Cordeiro._ “ Tudo o que sabemos do átomo estábaseado em leis prováveis, apoiadas emestatísticas que se modificam.Se não podemos determinar a matériacom exatidão, devemos admitir a interven-ção de algo maior.A melhor emoção que se pode experi-mentar é a sensação do místico. Aquele aquem seja estranha tal sensação ESTÁMORTO. A experiência cósmica é a maisnobre fonte de pesquisa científica. Minhareligião consiste em admiração ao Espíri-to Superior, que se revela nos detalhes doincompreensível Universo”.A SENSAÇÃO DO MÍSTICOAlbert EinsteinO que é o tempo? Nós nascemos, crescemos, temos uma vidatoda para construir e formar família, conquistar amigos e inimigos...Porque não? Não somos perfeitos, nem queremos ser. E vivemosum tempo difícil, repleto de armadilhas, totalmente diferente da-quele em que minha mãe nasceu.Ela nasceu em 1915, e claro, vocês já fizeram as contas e estãopensando: “Era bem velhinha!” Sim, era mesmo, 97 anos. Com lu-tas, alegrias e perdas, mas sempre com muita fé em Deus. Era evangélica daquelastradicionais. Mamãe passou por muita coisa em sua estada na Terra. Não era semprebem humorada, mas tinha umas tiradas engraçadas e era uma grande contadora de his-tórias da família. E tinha muitas! Gostava de fazer crochê, de música, de ler e de cantar,e as pessoas hão de pensar “Como cantar?” Sim, ela adorava, e cantava bem. Era afina-da e vivia corrigindo as pessoas dizendo que a nota estava errada, e nós sempre acháva-mos graça, e ela, ficava bem zangada quando as pessoas riam. Tinha netos, bisnetos evivia ultimamente com minha irmã mais nova, porém, sempre com a presença dosoutros filhos, netos e os netos do coração, que eram muitos. A garotada toda chamava“Vó Mireta” e ela ficava toda feliz...Nos últimos anos fazíamos todo dia 4 de outubro ou no final de semana mais próxi-mo, uma festa comemorando o aniversário dela. Nesse dia ela era o centro das atençõese motivo para juntar toda a família. Ela era a 13ª filha dos 14 filhos da minha “Vó Cora”e do Vovô Felipe. A mais nova das mulheres de uma família muito grande com muitosirmãos e irmãs. Sua sobrinha mais velha tem, atualmente, 90 anos, e são muitos sobri-nhos, de todas as idades. Sobrinhos netos, bisnetos, enfim, é uma enorme família... Egostamos muito desse encontro, sempre em nossa casa. O encontro da família Felipe,uma alegre reunião, onde são convidados amigos e vizinhos. Mas esse ano vai ficar asaudade e as recordações daquela velhinha, meio ranzinza e reclamona, cheirosa, vai-dosa e que partiu no dia 22 de maio de 2013, quarta-feira, deixando todos muito tristes,porém, conformados, pois não queríamos que ela ficasse sofrendo por mais tempo. Nãoera justo com ela e nem com toda família que a amava tanto.Aí é que está a resposta para o tempo. Uma vida de 97 anos, que não poderia termi-nar no sofrimento de um leito hospitalar. Vó Mireta era limpa e muito exigente com ocorpo. Nós, às vezes, tínhamos que usar de certo rigor, pois pelo gosto dela, os banhoslevavam pelo menos uns 40 minutos... E foi assim até os últimos dias! Muita colônia,talquinho, enfim... Era uma velhinha danada de cheirosa!Eu amava muito a minha mãe, com seus defeitos e qualidades, como todo mundo!Estou com uma grande sensação de perda, triste e com muitas saudades! Peço a Deusque ela esteja ao lado de Jesus Cristo, a quem ela sempre serviu e acreditou.Minha mãe, Mireta Silva Pereira, partiu, aos 97 anos, em paz!Albert Einstein - físico alemão.Desenvolveu a teoria da relatividade,base da física moderna.
  8. 8. QUALIDADE DE VIDAZB JUNHO 20138Diretor Presidente - Paulo MaiaReportagens - Bianca SheckterPropaganda & Marketing -Caderno Feminino - Encarte do Jornal Zoada BonitaOs artigos e matérias assinados são da inteira responsabilidade de seusautores, não expressando necessáriamente o pensamento desse jornal.Correio Eletrônico - zoadabonita@yahoo.com.br(21) 2635-19718745-6811Marta GodoyA FORÇA DO PENSAMENTO POSITIVO!Bianca ShekterFAÇA A SUA MAQUIAGEMA nossa vida é o resultadoConheça os segredosTodos nós temos força criadoraAcredite, pense e recebaOs pensamentos são magnéticos etêm uma freqüência. Quando pensamos,emitimos essa freqüência para o Uni-verso e magneticamente atraímos tudoo que está na mesma freqüência. Tudoo que é emitido volta para a fonte: NósPortanto a mente é um poderosogerador de frequências, criadas atravésdos pensamentos, que são magnéticos.Aquilo em que mais pensamos ou nosconcentramos, se manifestará com cer-teza em nossa vida. Se quisermos mu-dar qualquer coisa para melhor, temosque mudar a freqüência, isto é, os pen-samentos. São eles que criam a vidafutura.da Lei de AtraçãoAssim como a lei da Gravidade, aLei da Atração é uma lei natural. Ela ébíblica: A Bíblia traz em Jó 3:25 - “Oque eu temia veio sobre mim; o que eureceava me aconteceu”. Também o Sal-mo 42 versículo 7: “Um abismo chamaoutro abismo”... Mateus 21.22: E tudoo que pedirdes na oração, crendo, orecebereis.Jesus Cristo, há mais de 2000 anosjá nos alertava sobre isso: “Peça e rece-berás” - ou ainda - “O Reino de Deusestá dentro de vós”.Como na história do gênio da lâm-pada, a Lei da Atração atende a todosos nossos pedidos.Muitas vezes um convite em cima da hora, para um evento, nos pega de surpresa,sem tempo para ir ao salão de beleza fazer a maquiagem. Siga as orientações dessepasso a passo e faça você mesma a maquiagem.1 - Escolha um lugar com um espelho em que você possa se ver do tórax paracima, onde a iluminação seja do tipo camarim, pois a luz que vem de cima gera som-bras no rosto. Seus produtos e equipamentos devem estar perto, limpos e higienizados.2 - Proteja seu cabelo com uma faixa e prenda-o.3 - Limpe, tonifique e hidrate sua pele.4 - Acerte as sobrancelhas. Se necessário preencha as falhas com um lápis ousombra marrom. Só use o lápis preto se a pele for negra. Com o auxílio de um pincellongo ou lápis, centralize as sobrancelhas. Encoste o pincel na aba do nariz e veja emque ponto ele toca os pelos da sobrancelha, do canto externo do olho, é onde devecomeçar. Escorregue-o até a extremidade do canto do olho, é aí que deverá terminar.5 - Use o corretivo, ele esconde as imperfei-ções da pele.6 - Passe a base com uma esponja, pincel ouos dedos (com suaves batidas), na face e no pes-coço. Espalhe bem para ficar uniforme.7 - Aplique o pó facial com esponja maciaou pincel, retirando o excesso no dorso da mãoantes de aplicá-lo na face. Com um pincel largoe macio, retire o excesso.8 - Passe uma sombra iluminadora em toda a pálpebra. Use sombra clara abaixodas sobrancelhas. Na pálpebra, utilize duas cores: uma sombra não muito escura ( dametade do olho para dentro ) e uma cor escura ( da metade da pálpebra para fora ) .Depois esfumace toda a sombra, desta forma não se percebe onde começa uma cor etermina a outra.9 - Aplique o delineador ou lápis de forma contínua, o mais próximo possível daraiz dos cílios. Aplique o lápis de fora para o meio da pálpebra, e depois de dentropara o meio, encontrando o traço. Aplique também na pálpebra inferior.10 - Aplique a máscara para cílios no sentido da raiz para as pontas dos cílios. Aopintar os inferiores, tenha cuidado para não borrar a pele.11 - Passe o blush com um pincel largo e chanfrado, retirando o excesso antes deaplicá-lo nas maçãs do rosto, conforme o formato de sua face. Passe o pó compactopara finalizar.12 - Passe o lápis de contorno dos lábios e aplique o batom com um pincel bemfininho preenchendo os lábios e finalize com o brilho, se desejar.13 - Confira o resultado e corrija os excessos, principalmente nos olhos. Casonecessite, retoque com corretivo, base, blush ou pó compacto, que são ótimos alia-dos.do que pensamosA mente é responsavel pela nossacondição espiritual, emocional, intelec-tual, sensorial e extra-sensorial e comojá disse na edição anterior, divide-se emdois departamentos: Consciente e Sub-consciente.A mente consciente é a mente raci-onal. É a parte alimentada pelos senti-dos. Está sempre alerta, raciocinando,analisando, deduzindo e concluindo. Já amente subconsciente recebe ordens da menteconsciente, aceitando e realizando tudo o quea mente consciente concluiu que é verdadei-ro. Portanto quando pensamos com fé, fazen-do desse pensamento um sentimento verda-deiro carregado de emoção, ele se concretiza-rá com certeza.Nesse Universo em que vivemos, tudo éconstituído de energia e nós humanos não fu-gimos à regra. Os pensamentos também sãoenergia. Quando pensamos em algo com fé,emoção e sentimento verdadeiro, repeti-damente, concentramos e potencializamos aenergia do pensamento, atraindo para a nossavida o que estamos sentindo. Porém não de-vemos esquecer de que quando enviamos umpensamento energizado pela força de umagrande emoção, produzimos uma frequênciavibratória que impulsionará fortemente o pro-cesso criativo, onde o que vale realmente é osentimento verdadeiro, carregado de emoçãoe não o simples desejo. Desta maneira, dese-jar prosperidade por temer a pobreza, poderáacarretar um sentimento negativo que atrairáo fracasso para os nossos empreendimentos ea pobreza virá. Desejar uma coisa e sentir ou-tra, anula o processo criativo. Não podemosesquecer: Jó 3:25 - “O que eu temia veio so-bre mim; o que eu receava me aconteceu”.Pense felicidade, pense alegria, pense saú-de, pense prosperidade. Agradeça por tudo oque você possui. Elimine conversas sobre do-enças, violência e fracasso. Assimile a idéiade que você é um sucesso. Acredite nas suaspotencialidades. Não esqueça de que você éenergia vibrante e a sua vibração é provenien-te daquilo em que você acredita, atraindo rea-lidades energéticas semelhantes. Meditação,oração e boas conversas aumentam as suasvibrações positivas. O riso atrai a alegria, cri-ando um estado emocional de tranquilidade eharmonia.TavaresPaolo Settimelli9549-32869570-3087
  9. 9. 9 ZB JUNHO 2013 ATITUDEESPAÇO DANÇA MUNIZ MENEZESBALLET, JAZZ, DANÇA CONTEMPO-RÂNEA, DANÇA DO VENTRE, DANÇA DESALÃO, STREET DANCE, STILETTO EMAIS...EDMM: AQUI É SÓ SUCESSOO mês de maio, aniversário de Itabo-raí, foi só alegria, sucesso e é claro, muitadança. A nossa participação no desfile cí-vico do dia 22 de maio foi maravilhosa, commuita harmonia entre pais, alunos e pro-fessores. Correspondemos à altura ao con-vite que recebemos para a abertura doShow do Rosa de Saron. Parabéns aos in-tegrantes do Grupo de Dança MunizMenezes: Amanda Barbosa, Artemis Ro-cha, Ana Clara Rodrigues, Beatriz Rocha,Carol Maldonado, Lany Reis, LiviaFerreira, Thaiana Neumann e ThaianyMenezes, que tiveram como coreógrafo,Brayan Estarneck, com produção deValessa Menezes e Mariah Ataide.Destaque também foi a brilhante par-ticipação do grupo de dança de rua “Nú-cleo 7.0” no “1º Encontro de Culturas Ur-banas de Itaboraí “. Juntamente com o seucoreógrafo Junior Shady, o grupo apresen-tou a coreografia “Força e Fé “ (2º Lugarno Festival de Dança Art em Movimento -Grajaú).MUITO OBRIGADO!AS MULHERES QUEREM RESPEITO, DE FATO E DE DIREITO!No livro de Evandro Lins e Silva (1991)lemos a citação onde Doca Street, após matarÂngela Diniz, confessa o crime alguns diasdepois:(...) Este fingiu se retirar da residência,arrumou as malas, colocou-as em seu auto-móvel, mas, minutos depois retornou muni-do de uma Bereta. Perseguiu-a no banheiroe a matou com vários tiros, especialmente norosto e no crânio.”.Um crime, romantizado pela mídia ondese “mata por amor”, destacando o bom cará-ter do assassino e denegrindo a vítima, comose ela impulsionasse, quase que o convidandoa matá-la.Atualmente, apesar da conquista dealguns direitos na sociedade (a exem-plo da Lei Maria da Penha), nada diferemuito do crime citado acima. As mu-lheres ainda vivem num clima de opres-são e submissão, sendo violentadas dasmais variadas formas. Há dados de que,na maioria dos casos não há denúncia.Insegurança, medo, indiferença das au-toridades públicas e da sociedade, im-punidade entre outros fatores, contribu-em para essa realidade.Muitas pesquisas revelam que noBrasil, de cada 100 mulheres, 25 sofremviolência física, sendo que 90% doscasos acontecem no ambiente familiar(violência doméstica). A maioria, pra-ticados por companheiros, maridos, pa-drastos, pais e irmãos. Prisioneiras emsuas casas ou nas ruas, em cada beco háquem aguarde a espreita. Em transpor-tes coletivos já não há garantia de se-gurança!O fato é: homens e mulheres sãoigualados em “Direitos”, mas diferen-tes em funções! Diferenças estas, quedevem ser observadas e tuteladas pelasleis. Isso demanda tempo, bem certo e envol-ve todo um processo educacional, mas creioque seja necessário também, ainda descermosum pouco mais dos saltos e experimentarmosas ruas esburacadas da nossa cidade com ospés no chão, cientes do que ainda nos falta epelo que temos que lutar ou ficaremos aindaum bom tempo, sentadas a beira do caminho,“decantadas” ou a mercê “de cantadas” maldadas e baratas daqueles que nos seduzem paranos levar à morte, seja ela do corpo ou da alma.Que o respeito às mulheres seja de fato ede Direito!Ivone ChavesA Deus, que está sempre no con-trole.A família EDMM (pais, alunose professores), pelo apoio e dedica-ção de sempre. Ao prefeito HelilCardoso e a equipe organizadora doseventos de 22 de maio, pelo apoio ecarinho. Contem conosco, sempre.Parabéns!Parabéns Valessa e ThaianyMenezes. Vocês contribuem com oseu trabalho e a sua arte, através dadança, para o crescimento culturalde Itaboraí.
  10. 10. 10 ZB JUNHO 2013
  11. 11. ZB JUNHO 201311 Gente que trabalha Sério
  12. 12. ZB JUNHO 201312 HISTÓRIAS DA VIDAProf. Paulo MaiaVILA DE SANTO ANTONIO DE SÁ, A ORIGEM DE ITABORAÍ!A Freguesia de SantoAntonio do CacerebuA origem do nome MacacuDo livro das Visitas Pastoraisfeitas pelo MonsenhorPizarro noano de 1794 - Pág. 159O Jornal Zoada Bonita traz para você aterceira parte da história da Vila de Santo An-tônio de Sá, importante entreposto comercialdurante os séculos XVIII e XIX, localizadono Recôncavo da Baia de Guanabara, entre osrios Macacu e Cacerebu, em cujo território sur-giram os atuais municípios de Itaboraí, Magé,Guapimirim, Tanguá, Cachoeiras de Macacue Rio Bonito.A pesquisa do Professor Paulo Maia ba-seia-se em fontes bibliográficas importantescomo: “O Rio de Janeiro nas visitas pastoraisdo Monsenhor Pizarro”; “Viagem às Provín-cias do Rio de Janeiro e São Paulo - J.JTschudi”; “ Vilas Fluminenses Desaparecidas- Dr. José Matoso Maia Forte”; “Reminiscên-cias de Viagens e Permanência no Brasil -Daniel P. Kidder”; “Presença de Alberto Tor-res - Barbosa Lima Sobrinho” - e outros.Então leia e fique por dentro da história deItaboraí e região.FotoarquivoZoadaBonitaSegundo o Dr. José Matoso Maia Forte,em seu livro Vilas Fluminenses Desapareci-das, foi a Freguesia de Santo Antonio doCacerebu, a mais antiga das criadas no Re-côncavo do Macacu, sendo anterior a ela, ape-nas a Sé do Rio de Janeiro. Sua jurisdição pa-roquial estendia-se, de um lado, até a Baía deGuanabara e do outro fazia divisa com CaboFrio, que nesse tempo compreendia as terrasdos atuais municípios de São Pedro da Aldeia,Barra de Sâo João, Casemiro de Abreu, Riodas Ostras, Silva Jardim, Saquarema,Araruama e parte de Rio Bonito.Outras freguesias surgiram posteriormen-te, como a da Santíssima Trindade (originouo município de Cachoeiras de Macacu);AFre-guesia de Magé (originou o município deMagé); A Freguesia de Itaboraí e Tapacorá(originaram o município de Itaboraí); A Fre-guesia de Nossa Senhora de Sernambitiba (atu-al Guapimirim).A Bacia Hidrográfica do MacacuA grande quantidade de rios e riachos naregião da Freguesia de Santo Antonio doCacerebu, facilitou a penetração para o inte-rior, através da navegação de canoas e faluas,que transportavam não só pessoas, como tam-bém os gêneros produzidos nas fazendas. OsA Fundação da Vila de SantoAntonio de Sáprincipais rios navegáveis eram o Ma-cacu, o Cacerebu, o Aldeia, oGuapimirim e o Guapiaçu. Rapidamen-te a Freguesia de Santo Antonio doCacerebu cresceu economicamente, tor-nando-se um entreposto comercial, exa-tamente por estar localizada às margensdo Macacu. Vários engenhos de açúcare aguardente também foram construídosem seu território, tanto pela facilidadede escoamento da produção, quanto pelafertilidade da terra.Em 2 de abril de 1697, Artur de Sá eMenezes tomou posse do governo dascapitanias reunidas do Rio de Janeiro,São Paulo e Minas, sucedendo a Sebas-tião de Castro Caldas. O seu período degoverno durou até julho de1702.A Vila de Santo Antonio de Sá foicriada por ele, em 5 de agosto de 1697,tendo como sede o local onde estava si-tuada a Igreja Matriz da Freguesia deSanto Antonio do Cacerebu, cujos mo-radores para homenagear o Governador,A origen do nome Cacerebu“A tradição refere que o nomeCassarábú dado ao rio assim chama-do, provém do seguinte fato: Que ca-indo nesse rio uma faca, ou outro se-melhante instrumento que os índioschamavam - Casará - e querendo elessignificar essa queda ou mergulho norio, o que faziam pelo termo - Bú -disseram - Cassarábú” - com acorruptela, o nome se transformou emCacerebu.Macacu é uma árvore da família dopau brasil, no passado abundante novale do Rio Macacu e atualmente ex-tinta, devido à exploração contínua des-de o século XVI. A origem do nome dorio, vem dessa árvore.Do livro das Visitas Pastoraisfeitas pelo MonsenhorPizarro noano de 1794 - Pág. 157“Por ordem do Sr. Rei D. Pedro II(rei de Portugal), foi nesta freguesia(Freguesia de Santo Antonio doCacerebu), fundada a Vila e Repúbli-ca, fazendo-se cabeça dela no povo-ado onde se achava situado o Con-vento de São Boaventura... Foram aodito lugar o Governador e GeneralArtur de Sá e Menezes com o seuSecretário de Governo João Pereirada Silva e o Dr. Manoel de SoizaLobo que era Ouvidor Geral eCorregedor da Comarca em toda arepartição do Sul, acompanhado dosoficiais da sua alçada”...propuseram retirar o nome Cacerebu,colocando em seu lugar o sobrenome“de Sá”, ficando por esse motivo, re-gistrado o nome da Vila como: SantoAntonio de Sá.Ata de fundação da VilaMaia Forte, em “Vilas FluminensesDesaparecidas”, cita alguns trechos daAta de fundação da Vila de Santo Anto-nio de Sá, que se encontra nos arquivosdo Instituto Histórico e Geográfico Bra-sileiro:...“Asala estava cheia de homens nobrese cidadãos da cidade do Rio de Janeiro... Eestando todos sentados, com o “aparato e adecência devidos”, dissera o General, emvoz baixa, ao Ouvidor Souza Lobo, que foraa esse lugar para o estabelecer e o erigir emVila, com seu distrito e termo, na forma dasordens de Sua Majestade; que o Ouvidorassim o fizesse saber ao povo e a nobreza,convocados para declararem se opunhama essa criação, alguma dúvida legítima...O Desembargador Souza Lobo... dirigiu-se à assembleia em voz alta... anunciando-lhe o propósito do General Governador...responderam os presentes que consentiamna criação e aprovaram tudo quanto pro-pusera o Ouvidor Geral, por ser isso servi-ço de Sua Majestade.Tratou-se logo depois de saber o nomeque teria a nova Vila... assentou-se que deentão em diante a Vila tivesse a denomina-ção de Santo Antonio, que era o Orago daFreguesia... Em obséquio e gratulação dotrabalho que o Governador tivera em ir for-mar a Vila, por ser a primeira que ilustra-va com a sua presença, pela excelência des-sa primazia, queriam condecorar mais odito nome com o apelido de - Sá -”Tratou-se em seguida de traçar os limitesda nova Vila de Santo Antonio de Sá.Continua no próximo número.Convento de São Boaventura - Segundo Pizarro, fundado em 1694. Fazia parte da Vilade Santo Antonio de Sá - O casario se espalhava em frente e dos lados do convento.
  13. 13. A Assembleia Nacional da Nigéria, votou e aprovou umalei que considera crime os “relacionamentos amorosos” entrepessoas do mesmo sexo, imputando aos transgressores, penasde até 14 anos de prisão. A nova lei vai adiante e pune tambémcom dez anos de prisão, todas as pessoas que façam apologiaao homosexualismo, participem de clubes, sociedades ou orga-nizações gays.Em muitos países da África, principalmente naqueles ondehá predominância de muçulmanos, a proibição ao homossexu-alismo é um fato comum e a perseguição a gays tem ganhadoapoio legal e se transformado em política de Estado. Por exem-plo na Etiópia, grupos religiosos estão pressionando o governopara aprovar uma lei que prevê a pena de morte para homosse-xuais.Por outro lado, a Inglaterra, os EUA e outros países ociden-tais, ameaçam interromper a ajuda internacional, o que tem con-tribuído para retardar ou inviabilizar a aprovação desse tipo delegislação em países dependentes, como Uganda e Malawi. Masem relação à Nigéria, que produz 2 milhões de barris de petró-leo por dia, gerando muitos dólares, as ameaças não surtiramefeito.As reações às ameaças dos países industrializados do Oci-dente variam nos países africanos que têm leis anti-sodomia.No Malawi, onde a primeira dupla declaradamente gay do paísfoi sentenciada a catorze anos de trabalhos forçados, após rea-lizar uma cerimônia de “noivado”, as autoridades se compro-meteram a reconsiderar a proibição, depois que o governo dosEUA ameaçaram cortar a ajuda humanitária.O grupo United for Life Ethiopia - entidade que combate osgays e defende punição severa aos que forem pegos em atos de"sodomia", afirma que o comportamento homossexual é influ-ência da cultura ocidental, e não deve ser aceito na África.Ciência e Vida13 ZB JUNHO 2013SERVIÇOPORTO DE AÇU EM SÃO JOÃO DA BARRATERÁ LIGAÇÃO FERROVIÁRIA COM O PACÍFICO!de emissário submarino/terrestreNigéria aprova Lei contra GaysO Porto de Açu, o maior investimento eminfra-estrutura portuária das Américas, estásendo construído no Distrito de Açu, litoralde Sao João da Barra, norte do Estado do Riode Janeiro, pelo bilionário brasileiro Eike Ba-tista. O porto é estratégico para a nossa in-dústria petrolífera, por sua proximidade comas bacias de Campos e do Espírito Santo e tam-bém dos grandes centros urbanos do Brasil,podendo facilmente escoar produtos pela cos-ta, através da cabotagem.O Porto de Açu e aFerrovia TranscontinentalCom a construção do Porto do Açu e daFerrovia Transcontinental, toda a Região Nortedo Estado se transformará num dos maiorespolos de desenvolvimento do Brasil.Nas imediações do porto haverá umcomplexo industrial com duas grandessiderúrgicas: a chinesa Wuhan Iron andStell (Wisco) e a ítalo-argentina Techint.Também o COMPERJ e toda a re-gião de Itaboraí, estará interligada aoPorto e a Ferrovia Transcontinental,através da reativação da E.F Rio - Cam-pos - Vitória, que poderá facilmente vol-tar a operar, devido a facilidade noslicenciamentos e no assentamento dostrilhos, pois sendo quase toda plana, dis-pensa desapropriações e terraplanagem.Devido a facilidade de execução, há umgrande interesse do Governo Federal eminiciar a obra pelo trecho fluminense.Do Porto de Açu partirá a Ferrovia Transcontinental, em direção ao Oceano Pacífico
  14. 14. 14 A CIDADE E O MUNDOZB JUNHO 2013QUEREMOS ITABORAÍ, AQUELA DA PEDRA BONITA! Paulo MaiaEF 354 - FERROVIA TRANSCONTINENTALERIC MAIA2635-19719716-8029&Música emSua Vida!O Sucessoda suaFESTA!THIAGO GOISVáriosestilos!SAÍDA PARA O PACÍFICOITAMBI: DÉCADAS DE ABANDONO!Construção de ferrovias: O futuro do Brasil caminha sobre trilhosO Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em17 de setembro de 2008, sancionou a Lei11.772 que outorgou à Valec Engenharia, em-presa pública vinculada ao Ministério dosTransportes, a concessão da EF 354, Ferro-via Transcontinental, que ligará o Litoral Nortedo Estado do Rio de Janeiro a Boqueirão daEsperança, na fronteira com o Peru.De Boa Esperança na fronteira Brasil-Peru, a Transcontinental seguirá até os por-tos do Oceano Pacífico, utilizando a malhaferroviária peruana, o que será possível atra-vés de um acordo com o governo daquele país.Saindo do Porto de Açu, em São João da Bar-ra, o traçado da EF 354 passará por Muriaé,Ipatinga e Paracatu, em Minas Gerais;Brasília; Uruaçu, em Goiás; Cocalinho, Ri-beirão Castanheira e Lucas do Rio Verde, emMato Grosso; Vilhena e Porto Velho, emRondônia; e Rio Branco e Cruzeiro do Sul,no Acre. O percurso total será de 4.400 qui-lômetros, com um custo estimado em R$ 10bilhões, sendo que estão previstos R$4,9 bilhões do PAC para esta obra.LICITAÇÃOA abertura dos envelopes do proces-so de licitação está prevista para acon-tecer no dia 12 de julho de 2013, tendoa empresa vencedora um prazo de 25meses para entregar o projeto básico daobra: Estudos de viabilidade técnica,econômica e ambiental, alem daaerofotogrametria.O Diário Oficial da União publicouna última semana de maio, o aviso delicitação para contratação da empresaque irá elaborar o projeto básico de en-genharia do trecho Porto Velho (RO) –Vilhena (RO), da EF-354. Esse trechoterá a extensão de 700 km. As propos-tas deverão ser entregues no dia 12 dejulho, às 10h, no auditório da VALEC.Esta licitação é o primeiro passo efeti-vo para o início das obras.LIGARÁ O ATLÂNTICO AO PACÍFICOITABORAÍ E ATRANSCONTINENTALO município de Itaboraí tambémestará interligado à FerroviaTranscontinental através da FerroviaRio-Campos-Vitória, que cortará o territórioitaboraiense e cujo contrato de concessão de-verá estar assinado no segundo semestre de2013, entre julho e setembro (leia matéria napág. 2). O interesse nessa interligação ferro-viária está relacionado com o COMPERJ.Entreposto de pesca está abandonadoEm outubro de 2010, uma 6ª feira, foiinaugurado o entreposto de pesca, em Itambi.Na época o blog oficial da prefeitura, aindano governo Sérgio Soares, divulgou com todaa pompa, que era uma parceria entre a Secre-taria de Agricultura, Abastecimento e Pesca ea Secretaria de Educação e Cultura de Itabo-raí, que juntas incentivariam a atividade pes-queira itaboraiense, além de garantir o consu-mo de peixe na merenda de cerca de 32 milalunos da rede municipal. Realmente oEntreposto de Pesca foi inaugurado, mas nun-ca foi utilizado pelos catadores de carangue-jo. Pelo contrário, foi abandonado, pixado edepredado e serve de moradia para mendigose é ponto de viciados em drogas.No dia da inauguração em 2010, o prefei-to Sergio Soares discursou, destacando o seucompromisso em melhorar a qualidade de vidaSérgio Soares inaugurando o EntrepostoÉ essa a situação do Entreposto de Pesca: Abandono totalO imóvel, situado na Rua Yamagata,possuia cerca de 10 boxes de vendas euma grande área para o atendimento daclientela. Foi equipado com frigorífico,materiais e ferramentas para realizar ocorte dos peixes em filés, mas nunca foiutilizado pelos catadores de carangue-da população, especialmente dos pes-cadores._ “Eu sou médico e a cada dia vejoque administrar uma cidade é como tra-tar um paciente. Cuidamos do bem-es-tar, melhoramos as condições de vida.Por isso, estou aqui para entregar oentreposto de pesca e dizer que vocêspodem contar comigo para o que preci-sarem”.ABANDONO TOTALjo. A cerimôna deinauguração serviuapenas para”inglêsver”. O nosso suadodinheirinho entroupelo ralo e a gentecontinua entrandopelo cano. O povoquer seriedade!
  15. 15. Gente que trabalha sérioZB JUNHO 201315INVESTIR NOS FUNCIONÁRIOS É INVESTIR NINVESTIR NOS FUNCIONÁRIOS É INVESTIR NINVESTIR NOS FUNCIONÁRIOS É INVESTIR NINVESTIR NOS FUNCIONÁRIOS É INVESTIR NINVESTIR NOS FUNCIONÁRIOS É INVESTIR NA EMPRESA!A EMPRESA!A EMPRESA!A EMPRESA!A EMPRESA!Um novo cenário surge no mercado lo-cal. Muitas empresas vieram para Itabo-raí atraídas por oportunidades de investi-mento. A competição nunca esteve tãoacirrada, isso é um fato, mas é possívelsobreviver nesse cenário. É o que alerta aDiretora Comercial do Grupo Alfa,Amanda Fontanin.De acordo com Amanda, as empresaslocais têm investido em um dos fatoresA importânciade FuncionáriosRua Augusto Moreira 47 - Jardim Imperial - Itaboraí RJ - 24800-221do TreinamentoO Mercado da Regiãoestá Mudando!determinantes nessa disputa, a qua-lificação dos seus funcionários._ “Normalmente, quando se pen-sa em fazer uma empresa crescer, sepensa em investir nela, seja com ca-pital próprio ou através de investi-dores externos. Muitos investem es-ses recursos em melhorias de equi-pamentos, estrutura e em outra infi-nidade de coisas, mas poucos lem-bram que uma empresa é feita depessoas para pessoas. Além disso,quando se investe na qualificaçãodos funcionários, eles se sentemmais valorizados pela empresa e,consequentemente, trabalham maismotivados.” - Destaca Amanda.Um funcionário bem treinadorealiza as tarefas com maior agili-dade e competência, melhorando aqualidade dos serviços prestados,otimizando o tempo, conquistandoa simpatia dos clientes e a sua fide-lidade.Segundo Michele Borges, Dire-tora Administrativa do Grupo Alfa,os clientes estão cada vez mais exi-gentes, obrigando as empresas àmodernização e a manter um aten-dimento profissional, com alta qua-lidade.Atualmente é fundamental que oempresário invista no seu negóciocomo um todo, encarando a qualifi-cação profissional dos funcionárioscomo um investimento indireto naempresa, que trará resultados muitoRESULTADOSPOSITIVOSpositivos e duradouros.GRGRGRGRGRUPOUPOUPOUPOUPO ALFALFALFALFALFAAAAACom essa finalidade o GRUPO ALFAvem Inovando no seguimentoAdministra-tivo/Empresarial com ênfase em ativida-des variadas, auxiliando as empresas daregião no seguimento de Recrutamento,Seleção de Pessoas e Treinamentos deEquipe, em diferentes níveisorganizacionais: Gerencial, Técnico eOperacional.Michele Borges e Amanda Fontanin, Diretoras do Grupo Alfa...“quando se investe naqualificação dos funcionári-os, eles se sentem mais valo-rizados pela empresa e,consequentemente, traba-lham mais motivados”!Amanda Fontanin
  16. 16. 16 OBRIGADO - THANK YOU - MERCI - DANKE - AZÉHARAMOPA - GRATIASZB JUNHO 2013

×