Teoria da comunicação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Teoria da comunicação

on

  • 1,466 views

Material elaborado com base no livro Curso Básico de Teoria da Comunicação de José Haroldo Pereira. Traz uma introdução sobre o que é a comunicação e algumas classificações existentes e ...

Material elaborado com base no livro Curso Básico de Teoria da Comunicação de José Haroldo Pereira. Traz uma introdução sobre o que é a comunicação e algumas classificações existentes e utilizadas.

Statistics

Views

Total Views
1,466
Views on SlideShare
1,464
Embed Views
2

Actions

Likes
4
Downloads
73
Comments
0

1 Embed 2

http://www.slideee.com 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Teoria da comunicação Teoria da comunicação Presentation Transcript

  • Profª Eloisa Lages Marketing
  • Comunicação Mercadológica
  • Palavra e Imagem Linguagem verbal e Não verbal
  • Comunicação é uma disciplina que tem teoria. E a vida em sociedade nada mais é do que troca, intercâmbio. Processo social básico primário que torna a vida em sociedade possível.
  • A Comunicação rege todas as relações humanas e não se limita apenas a tornar possível a circulação social de bens e serviços, mas tem um produto próprio. Uma mercadoria valiosa, intangível, perecível: informação, ou seja, notícias, dados, ideias, conhecimento, ficção, cultura, arte, etc.
  • Mas o que é Comunicação?
  • Comunicação No dicionário – “ato ou efeito de comunicar (algo) ou de comunicar-se (com alguém)”. O verbo vem do latim – communicare que significa – participar, fazer saber, tornar comum. A etimologia da palavra sugere que se trata de um conceito acima de tudo social na sua origem que diz respeito ao homem.
  • Mas o termo comunicação com o tempo perdeu toda a nitidez conceitual e adquiriu significados amplos e variados, cada vez mais metafóricos. Tomou sentidos fisiológicos (troca de substâncias do organismo) neurológicos (passagem de informação entre os neurônios do cérebro) mecânicos (transferência de dados entre máquinas) viários (uma ponte, um túnel, um rio, estabelecendo ligação entre dois lugares).
  • Uma definição técnica: Processo geral de emissão Transmissão Recepção de mensagem Modelo geral e mais simples: Emissor Mensagem Receptor
  • De acordo com a natureza do emissor e do receptor, podemos distinguir vários gêneros de comunicação: homem-homem, animalanimal, homem-animal, animal-homem, homem-máquina, máquina-homem, homemET, ET-homem, etc. Depende da amplitude do conceito de comunicação. Aqui o que vai nos interessar estudar é a primeira.
  • Existem muitas classificações da comunicação humana. Eis algumas dentre as mais simples e úteis: CLASSIFICAÇÃO 1 Comunicação espontânea e informal – fala, gesto, telefonema, carta, você não pensa nela, apenas usa. Comunicação profissional – a atividade do jornalista, do publicitário, do escritor, do desenhista, do fotógrafo, do cineasta, do homem de tevê, de teatro.
  • A comunicação profissional exige aprendizado técnico e teórico. Há quatro formas distintas de comunicação profissional no mercado e se distinguem pela finalidade, pelos objetivos e cada uma delas requer especialização.
  • Comunicação persuasiva – representada pela propaganda, pela publicidade, pelo discurso do político, o arrazoado* final do promotor ou advogado de defesa. Seu objetivo é persuadir, convencer, vender uma ideia http://www.youtube.com/watch?v=3kbyHLUAulU
  • Comunicação artístico-cultural – representada pelo cinema, teatro, novela, programação de rádio, show, circo, arte popular, folclore. Seu objetivo é o entretenimento, a cultura e a arte. Pode-se dizer que inclui a literatura, a poesia, a pintura, etc. http://www.youtube.com/watch?v=yuXnbJjdSSA
  • Comunicação jornalística – representada pelo jornal, pela revista, pelo telejornal, noticiário de rádio, agências de notícias. O objetivo é informar o que acontece, de acordo com o critério do interesse público do fato. http://www.youtube.com/watch?v=cuadotEn_to
  • Comunicação educativa – representada pelos livros didáticos, pelos telecursos, pelas aulas, palestras, cursos de línguas, etc. O objetivo é ensinar, transmitir, trocar e construir conhecimento. http://www.youtube.com/watch?v=XZ_sON6Vp1k
  • Podem ocorrer combinações de diferentes tipos de comunicação utilizando-se de apenas um veículo: Uma cena de novela pode ter função comercial (merchandising) e didática (receitas, campanhas de conscientização). Um telejornal (SPTV) tem a função informativa (notícias em geral) e didática (receitas). http://www.youtube.com/watch?v=CWnwmMZa2Uo
  • CLASSIFICAÇÃO 2 Segundo o órgão sensorial usado pelo receptor para captar a mensagem, existem, naturalmente, cinco categorias de comunicação humana. Comunicação visual – sinalização de trânsito, rodoviária, ferroviária, marítima, aeroviária, escrita, gestos, desenho, programação visual, fotografia, pintura, escultura, etc. http://www.youtube.com/watch?v=fBlXSt1oQPU
  • Comunicação sonora (ou dani auditiva) – fala, música, cornetas, apitos, sinos, buzinas, alarmes, aplausos, gritos, vaias. Ex: Nextel, Intel. http://www.youtube.com/watch?v=bC2TGxnHWSI http://www.youtube.com/watch?v=mRYf1JTJIEY
  • Comunicação tátil – escrita braile, aperto de mãos, tapinha nas costas, abraços, carícias, beijos, etc.
  • Comunicação olfativa – odores (como perfume) na função de mensagem. Usada pelos animais, hoje está sendo mais explorada pelo marketing. http://www.youtube.com/watch?v=mj0_EExfVtA&feature=fvst Comunicação gustativa – sabores como mensagens (oferecer à amada seus bombons prediletos no Dia dos Namorados). http://www.youtube.com/watch?v=3Uvlj-eKF1w
  • Considerada separadamente, qual das cinco seria a mais econômica, a mais prática, e por isso a mais usada universalmente pelos seres humanos?
  • A olfativa e a gustativa são raras: odores e sabores são pouco adequados para a comunicação. A tátil exige proximidade e contato físico, enquanto a visual e a sonora podem ser feitas a distância, e até mesmo a distâncias interplanetárias. A visual necessita de luz para existir e que o receptor esteja de frente para a mensagem.
  • Seria a sonora, que elimina esses últimos problemas. E especificamente a fala, que não requer instrumento artificial algum, utiliza apenas o aparelho vocal humano. Vantajosa mesmo, no entanto, é a combinação da visual com a sonora para formar a poderosa comunicação audiovisual (cinema, televisão, teatro, show).
  • CLASSIFICAÇÃO 3 Segundo a quantidade de pessoas envolvidas no processo da comunicação, desde a menor até a maior, a comunicação humana pode ser: Comunicação de massa Intrapessoal Intergrupal Interpessoal Intragrupal
  • Quando uma pessoa se comunica consigo mesma (agenda, diário, anotações para uso próprio, um lembrete – alguns autores incluem nessa categoria o pensamento, a lembrança, o sonho.
  • Intragrupal Interpessoal Intergrupal Quando a pessoa se comunica com outra . Quando as mensagens circulam dentro de um grupo (alunos elegendo o representante de turma). Quando as mensagens circulam entre grupos (turma de alunos, bancadas de partidos, nações).
  • Quando as mensagens são dirigidas ao grande público através do rádio, tevê, cinema, jornal, revista. É mais ampla porque pode atingir simultaneamente até bilhões de pessoas nos mais diferentes pontos da terra (nas Olimpíadas, na Copa do Mundo).
  • Na comunicação profissional (jornalismo, propaganda, design), duas formas de linguagem se destacam amplamente: a linguagem da palavra ou verbal (falada ou escrita) e a linguagem da imagem, que é uma das modalidades da linguagem não verbal.
  • A linguagem da palavra ou verbal abrange todas as línguas faladas e escritas no mundo. Esta linguagem opera com símbolos, que são os signos verbais (ou linguísticos). a b c d e f g... os menores elementos da escrita são signos porque foram criados para representar os fonemas (sons da fala).
  • Já a linguagem da imagem é representada pelo desenho, pintura, escultura, fotografia, cinema, etc. e se tornou uma das características do mundo moderno depois do advento da fotografia, do cinema e da tecnologia eletrônica (televisão, vídeo, DVD, computação gráfica). A linguagem da imagem opera com os signos icônicos, ou seja, com ícones visuais (os ícones, como vimos, também podem ser sonoros, gustativos, etc.). Podem ser de duas categorias: bidimensionais (desenho, foto, pintura) ou tridimensionais (escultura, miniatura, maquete).
  • Características da linguagem da palavra e da linguagem da imagem. LINGUAGEM DA PALAVRA LINGUAGEM DA IMAGEM SIMBÓLICA ICÔNICA UNIDIMENSIONAL BI OU TRIDIMENSIONAL DIGITAL ANALÓGICA < POLISSEMIA > POLISSEMIA + FECHADA + ABERTA + ABSTRATA + CONCRETA
  • SIMBÓLICA A palavra é uma representação puramente convencional da coisa, ou seja, ela é simbólica ICÔNICA Já a imagem não é puramente convencional, mas uma representação por semelhança (icônica). ELEFANTE
  • UNIDIMENSIONAL A linguagem da palavra é unidimensional. No caso da falada, a dimensão é o tempo. Quando nós falamos, as palavras saem uma após a outra da nossa boca, em sequência. Não podemos pronunciar duas, três ou quatro palavras ao mesmo tempo. No caso da escrita, a dimensão é a linha. Essa característica linear é mais visível na escrita, porque nós escrevemos em linha.
  • BI OU TRIDIMENSIONAL BIDIMENSIONAL TRIDIMENSIONAL Ao contrário, a linguagem da imagem é bidimensional ou tridimensional. Com a imagem podemos representar muitas coisas ao mesmo tempo.
  • DIGITAL A linguagem da palavra é digital. As palavras são separadas umas das outras, no caso da escrita até mesmo as letras são separadas (pelo menos na escrita mecânica normal). ANALÓGICA A linguagem da imagem é analógica, é contínua, forma um espaço análogo ou semelhante à realidade. Você não pode digitar, só digitalizar, uma foto, um desenho, etc.
  • MAIOR POLISSEMIA
  • MAIOR POLISSEMIA A imagem tem uma ambiguidade natural: pode significar muitas coisas ao mesmo tempo. Por isso, é mais fácil, por exemplo, contar uma historinha oralmente ou por escrito do que filmá-la usando só imagem. Mesmo o cinema mudo não dispensava os letreiros para explicar a imagem. Polissemia (do grego polýs: “muito” + sêma: “sinal”, “significação”).
  • MENOR POLISSEMIA Fotos do "Jogo dos Deitados" viram fenômeno no Facebook. Os internautas Gary Clarkson e Christian Langdon, da cidade britânica de Somerset, inventaram o "Jogo dos Deitados" ("The Lying Down Game", em inglês), que estimula outros usuários a enviar fotos suas deitadas em lugares diversos. O grupo tem recebido fotos de internautas em diversos lugares, tanto públicos como privados. Há imagens de pessoas deitadas no meio da rua, diante de monumentos históricos (como o Taj Mahal) e em lugares inusitados da própria casa. FONTE: SITE UOL
  • MENOR POLISSEMIA De uma maneira geral, a linguagem da palavra tem menor polissemia (multiplicidade de sentidos). A palavra é semanticamente mais precisa do que a imagem. Quando você quer explicar alguma coisa, usa a palavra. Inclusive para explicar a própria imagem, que mostra, ilustra ou sugere, mas geralmente não explica nem se explica por si mesma, necessita de apoio verbal para fazer sentido.
  • Fotos do "Jogo dos Deitados" viram fenômeno no Facebook O jornal e a revista não publicam fotos sem legendas: uma foto de pessoas estiradas no asfalto, ensanguentadas e aparentemente mortas, pode significar um massacre real, uma filmagem ou uma simulação em protesto contra a violência. Uma visita ao museu exige apoio em informações escritas e muitas vezes um guia de verdade.
  • MAIS FECHADA A linguagem da palavra é mais fechada, a da imagem mais aberta. Na verdade, se compararmos a linguagem da palavra com outros códigos humanos (gestos, morse) ou os códigos animais, ela é até muito aberta: evolui, transforma-se, refletindo as mudanças sociais. De tempos em tempos muitas palavras saem do dicionário porque se tornam obsoletas, enquanto outras entram para designar as novidades sociais. Mas, em comparação a linguagem da imagem, a verbal é relativamente fechada. Porque nós usamos sempre mais ou menos as mesmas palavras na nossa comunicação habitual. Mudam as mensagens verbais, os signos são praticamente os mesmos. As mudanças na linguagem são relativamente lentas.
  • MAIS FECHADA A palavra “você” serve-nos como o mais evidente exemplo do processo de evolução. No século 14, para se dirigir a alguém, os portugueses utilizavam duas palavras: VOSSA MERCEDES. Ao longo do tempo, tal expressão tornou-se menos formal, reduzindo-se ao termo VOSSA MERCÊ. Durante o período colonial brasileiro, com o encontro das línguas e a mistura das raças, as duas palavras se reduziram a apenas uma: VOSSEMECÊ, que posteriormente se transformou em VOSMECÊ. Por fim, finalizando o processo evolutivo, já no final do século 19, surge o conhecido VOCÊ. Vale destacar também as variações populares, utilizadas por índios e escravos, como MECÊ, VANCÊ, VASSUNCÊ e OCÊ. Com o surgimento do internetês, a abreviação VC é empregada para o mesmo significado.
  • MAIS ABERTA A linguagem da imagem utiliza indefinidamente imagens inéditas, que nunca foram vistas antes. Mudam as mensagens e também os signos. É aliás o que se espera sempre de um fotógrafo, de um cineasta, de um diretor de novela: que esteja sempre produzindo novas imagens.
  • MAIS ABERTA http://www.youtube.com/watch?v=nKnfjdEPLJ0
  • MAIS ABSTRATA O HOMEM A MULHER O CASAL A linguagem da palavra é abstrata. Não está presa ao concreto e ao imediato. A linguagem verbal não é só capaz de descrever o que está diante dos nossos olhos, falar do que acontece aqui e agora. Falamos geralmente do que ocorre em outro lugar, ou já aconteceu, ou ainda vai acontecer – ou nem vai acontecer, porque se trata de mentira ou ficção.
  • MAIS CONCRETA O HOMEM A MULHER O CASAL A imagem, ao contrário da palavra, é concreta. Não representa o homem, mas um homem. Não representa a mulher, mas uma mulher. Congela o instante, o único, o aqui e agora. É sempre presente.
  • Referência Bibliográfica Curso básico de Teoria da Comunicação José Haroldo Pereira 5ª edição Rio de Janeiro: Editora Quartet, 2009 Profª Eloisa Lages Marketing Imagens e Vídeos Fonte World Wide Web