Modalidades avaliativas pareceres descritivos-2013 - cópia

29,539 views
29,059 views

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
29,539
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
194
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Modalidades avaliativas pareceres descritivos-2013 - cópia

  1. 1. MODALIDADES AVALIATIVAS-ELABORAÇÃO DE PARECERES DESCRITIVOS, NOS ANOS INICIAIS E... Eloí de Oliveira Batista Coordenadora Pedagógica EEEF.Cândido Genro e UNOPAR- Universidade Norte do Paraná ESPECIALISTA EM LITERATURA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
  2. 2. AVALIAÇÃO EMANCIPATÓRIA   Se constitui num processo, numa trajetória de conhecimentos construídos, considerando todos os elementos do processo: professor/ alunos/ contexto; “ A EDUCAÇÃO NUNCA FEZ TANTA FALTA.” ( DEMO )
  3. 3. AVALIAÇÃO # ATRIBUIR NOTAS   Ao falarmos em avaliação emancipatória ela nos remete a avaliação de currículos e de políticas educacionais ( SAUL, 1988), mas nela estão implícitas algumas questões que pode-se levar para o campo da avaliação da aprendizagem no processo emancipatório do sujeito, no diálogo : reflexão-ação-reflexão. AVALIAR É DIFERENTE DE DAR NOTAS
  4. 4. OUTRAS CONCEPÇÕES- AVALIAR X APRENDIZAGEM Avaliação como ―promoção, como acesso a um patamar superior de aprendizagem, de acesso a um nível qualitativamente superior de conhecimento e de vida‖ diferentemente, de promoção automática de ano a ano de ensino. JUSSARA HOFFMANN, 2011.  Superar o caráter classificatório...  A serviço da aprendizagem, p/ melhoria da ação pedagógica visando a promoção moral e intelectual dos alunos.  Favorecer a evolução da trajetória do educando... 
  5. 5. COMO? --intersubjetiva  --interativa  --dialogal  --relações interpessoais  --projetos coletivo  AVALIAÇÃO # PESQUISA AVALIAR: ação, serve para coleta de dados, colocar o conhecimento a serviço da alteração; PESQUISAR: coleta de informações, análise e compreensão de dados
  6. 6. OUTRO OLHAR...  ― A medida que se concebe a avaliação como compromisso de FUTURO o olhar para trás deixa de ser explicativo ou comprobatório e transformase em ponto de partida para AÇÃO pedagógica‖. (Hoffmann, 2002)  A serviço da promoção social.  ―Processo de encontro e confronto, trocas de mensagens, interativo, dialógico,‖ ... entre professor e aluno para concretização de patamares sempre superiores.
  7. 7. FUNÇÃO DA AVALIAÇÃO-PROCESSO    DIAGNOSTICAR ACOMPANHAR CLASSIFICAR RECUPERAR ―Estudos paralelos de recuperação são inerentes a uma prática avaliativa mediadora, com a intenção de subsidiar, provocar, promover a evolução do aluno em todas as áreas do seu desenvolvimento‖ e não repetições de explicações e ou de conteúdos. Hoffmann, 2011, p.24 
  8. 8. MODALIDADES DIAGNÓSTICA  MEDIADORA  FORMATIVA  SOMATIVA...  ― É PRECISO UM OLHAR PROFUNDO ÀS MÚLTIPLAS DIMENSÕES DE APRENDIZAGEM QUE LHES CONSTITUEM A BASE. ―...CONSCIÊNCIA ACERCA DA FINALIDADE DO PROCESSO AVALIATIVO.‖ Hoffmann
  9. 9. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Como aprender os objetivos?  Coerência entre a proposição e o instrumento;  Capacidade de comunicar e expressar;  Capacidade de apreender o sentido do texto, de usar estratégias, manifestar opiniões, escrever textos, respeitar normas gramaticais...  Usar linguagem oral;  Resolver situação-problema, com os recursos disponíveis; 
  10. 10. DILEMAS E DESAFIOS  O dilema maior é que não há como ensinar a FAZER AVALIAÇÃO. Esse processo DEVE ser construído a partir da compreensão que o professor tem da avaliação classificatória.  ―Esse caminho precisa ser construído, pelo confronto de ideias, repensando e discutindo em conjunto, valores, princípios, metodologias‖ Hoffmann,2002  Essa compreensão que vai revelar alteração nas ações, nas práticas, na reflexão e no uso que se faz dos instrumento de avaliação.
  11. 11. INSTRUMENTOS  Estabelecer situações concretas de atividades que tenham coerência com o estabelecido no Plano de Estudo do Ano ( Currículo );  Experiências diversificadas e diferenciadas. Trabalho individual, em grupo, provas, testes, relatos, produções textuais, descrições de experiência... Situação inicial ( avaliação diagnóstica);  Instrumentos para avaliação constantemente... ( aval. Mediadora);  TAREFAS: segundo Hoffmann, as tarefas são propostas que integram diferentes formas de expressão do conhecimento e envolve a habilidade do estudantes estar reorganizando o conhecimento internalizado ;  Avaliação do processo de ensino para reflexão;( Aval. Formativa); PORTFÓLIO E PARECER DESCRITIVO
  12. 12. VYGOTSKI- CONCEPÇÕES  ― aluno atribui sentidos próprios às informações, a partir de experiências e aprendizagens anteriores, gerando para si, novos conhecimentos-( interação social);‖ PIAGET  ― o sujeito constroi a si mesmo em processo de interação dialética com o meio sociocultural.‖   Ambos: ―é a mediação do pensamento‖ , no entendimento do aluno.
  13. 13. COMO FAZER:  PORTFÓLIO: # documento individualizado do processo de aprendizagem, organizado com propósitos definidos a partir dos objetivos, do nível de ensino, do ano... # Relação entre ação/desempenho = AVANÇOS # Meio para avaliar capacidades/conhecimentos específicos. # Reflexão da prática educativa, centrada no aluno e no processo de aprendizagem.
  14. 14. CONFRONTAR/ DADOS  Um portfólio torna-se significativo pelas intenções de quem o organiza. Não há sentido em coletar dados para mostrá-los aos pais ou como instrumento burocrático. Ele precisa construir-se em um conjunto de dados que expresse avanços, mudanças conceituais, novos jeitos de pensar e de fazer, alusivos à progressão do estudante. Essa ―coleção‖ irá expressar, implicitamente, o valor conferido pelo professor a cada um desses momentos. Reúnemse expressões de sentido do aluno que servem para subsidiar e complementar a análise de sua progressão. ( HOFFMANN, 2005, p. 133)
  15. 15. ORGANIZAÇÃO DE DADOS Pasta onde se arquivam variados instrumentos aplicados(TAREFAS DIVERSIFICADAS/DIFERENCIADAS) para confrontar avanços e necessidades, verificando o que o estudante aprendeu, seu progresso, constatando, depois de certo tempo, a aprendizagem significativa ou não. Ocorre; ―É preciso oferecer tarefas diversificadas, recheadas de oportunidades de reflexão, buscas, pesquisas, resoluções de problemas– compromisso com o avanço.
  16. 16. EDUCAÇÃO @.COM         A EDUCAÇÃO mediada pelas tecnologias contribui para diversificar as experiências na construção de ideias. Na visão dialética, ―mediação se dá pela antítese, pelo confronto‖ Mobilização Experiência- interação Expressão Webquest Blog facebook
  17. 17. REGISTROS  ―Instrumentos de avaliação são portanto, registros de diferentes natureza. Ora o aluno é levado a fazer os registros, expressando o conhecimento em tarefas, testes, desenhos, trabalhos e outros instrumentos elaborados pelo professor. Ora é o professor quem registra o que observou do aluno, fazendo apontamentos.‖ Hoffmann
  18. 18. PARECER DESCRITIVO: REDAÇÃO DO PROFESSOR: # Relação entre os ‗objetivos‘ da aprendizagem e o critério que se estabelece para expressar o desempenho desejado, no ano em que está cursando. (direitos de aprendizagem); # Relatório personalizado com base no desempenho, em relação aos conhecimentos culturais e processuais construídos pelo aluno.( CURRÍCULO DA ESCOLA) #Deve expressar o desempenho da criança com base no Plano de Estudo desenvolvido, no trimestre ou... # Articule os saberes teóricos e práticos, sirva para mapear avanços no processo de aprendizagem do aluno realizadas em diversas e variadas oportunidades.
  19. 19. PARECER/NOTA/CONCEITO Descrição escrita sobre avanços e faltas—segundo os objetivos da disciplina expressando as habilidades e competências construídas.  HELENA CÔRTES- (PUC) , afirma que ―antes de implantar o sistema do parecer descritivo é discutir os critérios de avaliação.‖  PARECER- conceito explicado; expressa os conceitos construídos– acompanhamento do processo, feito pelo aluno, um olhar interdisciplinar/transdisciplinar.
  20. 20. IMPORTANTE: DIREÇÃO: para frente, FUTURO  Favorecer a evolução da trajetória e estabelecer novas formas de planejamento.  Faz leitura positiva da ação pedagógica do professor, do processo  Serve de mudança na ação pedagógica da escola, do professor visando promoção moral e intelectual dos alunos. 
  21. 21. FORMAS DE ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA   Em qualquer regime curricular estabelecido visa o acompanhamento, a complementaridade, os avanços de um ano para outro ou de ciclos de estudos, na progressão, respeitando o ritmo, o interesse e a necessidade, mas o foco é a aprendizagem máxima possível, EM QUALQUER NÍVEL DE ENSINO... REVER REGIMENTOS Estudos e PPP, Planos de
  22. 22. CONSELHOS  DE CLASSE PARA: Analisar a atuação docente e a aprendizagem dos alunos numa relação de parceria, coletiva, dialógica, para dessa discussão surgir um novo olhar para as práticas pedagógicas—metodologias para avaliação formativa, mediadora, EMANCIPATÓRIA.
  23. 23. INSTRUMENTOS DE REGISTROS  O problema não é trocar NOTA/CONCEITO...  Ou PARECER DESCRITIVO, o problema é como se chegou a ele ( PARECER).  Há necessidade de avaliar o processo e estabelecer uma interpretação do que foi estabelecido como critérios para expressar a caminhada percorrida– os avanços do estudante.
  24. 24. CRITÉRIO PARA ELABORAÇÃO DOS PARECERES  Estabelecer as habilidades, com base no Plano de Estudos, no tempo em que estava previsto, de acordo com a etapa ou nível de ensino em que se encontra. EX.: 1º TRIMESTRE  Lê e compreende textos , identificando diferentes gêneros. SIM ( ) EM DESENVOLVIMENTO ( ) NÃO ( ) É capaz de resolver uma situação- problema efetuando o cálculo coerente. SIM ( ) EM PARTE ( ) NÃO ( ) Participa de atividades em grupos diversificados, envolvendo-se na atividade de maneira socialmente aceitável... 
  25. 25. ELABORAÇÃO: QUANDO??? No início do ano letivo....para os 3 trimestres.????  Por trimestres...???  De acordo com a discussão dos professores, coordenadores, orientadores....e PPP da escola e Plano de Estudos do ANO.   O IMPORTANTE NESSE PROCESSO É QUE EXPRESSE E OU MAPEIE O PROCESSO DE CRESCIMENTO DOS ESTUDANTES NA CAMINHADA -CONSIDERANDO QUE PROGRESSÃO NÃO SE CONFUNDA COM PROMOÇÃO AUTOMÁTICA DE ANO PARA ANO.
  26. 26. AVALIAR PARA PROMOVER ― o primeiro passo do processo ensino deve consistir em avaliar conhecimentos e as possibilidades aprendizagem do grupo, antes realizar a atividade de leitura escrita.‖ ( conhecimentos prévios);  de os de de e Avaliação: que se refere ao nível de construção do sistema alfabético no qual a criança se encontra;( pré-silábico, silábico, silábicoalfabético, alfabético... Ortográfico )????
  27. 27. POR QUÊ? Descreve dados relevantes para subsidiar novas ações;  Recolhe dados qualitativos, analíticos, sobre o desempenho no decorrer do processo para busca de complementaridade;  Tarefas pensadas, confiáveis, coerentes com a necessidade;  Adequadas ao nível do conhecimento e interpretação do aluno;  Sirvam para FUTURO, novo planejamento;  Não incentive somente memorização;  Mapeie a expressão do processo; 
  28. 28. AVALIAÇÃO CONTÍNUA ―conjunto de elementos integrados em cada atividade que começam no planejamento, são ajustadas no transcurso, registradas em instrumentos práticos‖ e finalizados quando se sistematizam uma etapa do processo;  = EXPRESSÃO  Uma Avaliação útil deve ser contínua e descritiva  ( qual o nível de competência do aluno?)” 
  29. 29. CORREA,1995: ―A AVALIAÇÃO EM SUA PRIMEIRA FINALIDADE, DEVE CONTRIBUIR PARA O APRIMORAMENTO DE SEU SABER‖  ―Numa concepção formativa da avaliação, não se trata apenas de avaliar o nível de aprendizagem, o professor deve avaliar, seu próprio processo de ensino e a atividade que realiza‖, para poder intervir, mudar o caminho e buscar outras estratégias;
  30. 30. MODALIDADES ORGANIZATIVAS Objetiva estabelecer a coerência entre as atividades de sala de aula ( ensino) com as atividades avaliativas; METODOLOGIAS: Como? Sequência Didática  Projetos  Atividades Permanentes; Portfólios, produções... 
  31. 31. AVALIAÇÃO FORMATIVA  descrição do grau de competência da criança: em que progrediu? Em que necessita melhorar? Que ajuda precisa? Variados e diversificados instrumentos ao longo do trimestre Uma diversidade de atividades: situação-problema. Perrenoud # escutar, falar, ler e escrever; # textos de diferentes gêneros; # exposições, debates, canto, recitações, silêncio... # em diferentes momentos: individual, no grupo... 
  32. 32. PARA PERRENOUD, 1993  Aprender/ensinar  ―A aprendizagem nunca é linear, precede por ensaios, por tentativas e erros, hipóteses, recuos e avanços; um indivíduo aprenderá melhor se seu meio envolvente for capaz de lhe dar RESPOSTAS E REGULAÇÕES SOB DIVERSAS FORMAS.‖
  33. 33. AVALIAÇÃO MEDIADORA  Avaliação que faz a mediação no processo de construção de conhecimentos.  Diálogo.  Aluno e professor se comunicando.  Percepção se o aluno está apreendendo o conteúdo?
  34. 34. AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA  FEITA ANTES DE INICIAR QUALQUER PROCESSO DE ENSINO. A partir dos objetivos claros, num momento novo, de descoberta e possibilidade de novas aprendizagens, dinâmica.  Após a correção, seja discutida com os alunos para resolver problemas.  Para novas estratégias de ensino.
  35. 35. AVALIAÇÃO INICIA NO PLANEJAMENTO Decisão sobre o que fazer, o que planejar objetivos fazer isto ou aquilo?? com que  Quais os objetivos da aprendizagem (PE) do Ano.  Que conteúdos avaliar (Currículo ?)  Avaliação tem registro constante...É ética, pautada em valores...
  36. 36. REFERÊNCIAS Resumo de ideias do livro: ―ESCREVER E LER‖, de *Lluís Maruny Curto * Maribel M. Morillo * Manuel M. Teixidó, assessorados por Ana Teberosky HOFFMANN, Jussara. Avaliar para promover: as setas do caminho. Mediação. 2011. e OUTROS Livros. www.artmed.com.br VASCONCELOS, Celso. 2000. http://eduqueetransforme.blogspot.com Registros: loibatista@hotmail.com http://batista2008.blogspot.com INTERNET VAGULA, Edilaine. UNOPAR.

×