Uploaded on

 

More in: Travel , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
3,566
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
90
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. PRÓSTATA Ellen Christina Sá de Freitas
  • 2. O que é? A próstata é um pequeno órgão glandular situado logo abaixo da bexiga, atravessado pela uretra; tem o tamanho de uma amêndoa, pesa, de acordo com a idade, cerca de 20 a 30 gramas (estima-se que a próstata cresça aproximadamente 0,4 gramas por ano a partir da idade dos 30) e mede entre 20 e 30 cc
  • 3. FUNÇÃO  Produzir uma substância que, juntamente com a secreção da vesícula seminal e os espermatozóides produzidos nos testículos, vai formar o sêmem ou esperma.
  • 4. PRINCIPAIS DOENÇAS  Hiperplasia benigna da próstata (HBP)  Tumor maligno (Câncer)  Prostatite (inflamação da próstata).
  • 5. CÂNCER  O CÂNCER DA PRÓSTATA é uma doença que pode surgir com o envelhecimento do homem, a partir dos 40 anos. À medida que o homem vai envelhecendo, a incidência dessa doença vai aumentando. Quanto mais cedo essa doença atinge o indivíduo, mais grave ela será. Quanto mais tarde se fizer o diagnóstico, mais difícil será a cura. Nos Estados Unidos, é o câncer mais diagnosticado em homens e a segunda causa principal de todas as mortes por câncer. No Brasil, apesar das estatísticas não serem muitos fiéis, já caminha para a primeira causa..
  • 6. ORIGEM  Fator genético  Fator étnico os homens da raça negra têm mais predisposição  Fator hormonal o câncer de prostata regride de maneira significativa com a supressão dos hormônios masculinos (por exemplo, castração)
  • 7. ORIGEM  Fator dieta Dietas ricas em gordura predispõem ao câncer  Fator ambiental Populações de baixa incidência de CâNCER DA PRóSTATA , quando migram para áreas de alta incidência, apresentam um aumento na ocorrência de casos. Fumaça de automóveis, cigarro, fertilizantes e outros produtos químicos estão sob suspeita.
  • 8. SINTOMA  O grande problema é que, na maioria das vezes, o câncer de próstata, na sua fase inicial, não apresenta nenhum sintoma. Isto ressalta a necessidade imperiosa do exame preventivo regular a partir dos 40 anos
  • 9. DIAGNOSE  Todo o homem a partir dos 40 anos deve realizar o toque retal e dosagem do PSA, principalmente aqueles que apresentam fatores de risco independentemente de sintomas.
  • 10. EXAME PREVENTIVO  O toque retal é realizado pela introdução do dedo indicador do médico, lubrificado e enluvado, no ânus do paciente; dura de 5 a 30 segundos, é relativamente indolor e presta ao médico informações como:  1 - estado do esfíncter anal (músculo que segura as fezes).  2 - estado das fezes dentro do reto.  3 - presença ou não de tumores no reto, alcançáveis pelo dedo do médico.  4 - presença ou não de dor na próstata, vesículas seminais e reto, que pode indicar presença de inflamações.  5 - avaliação do tamanho da próstata .  6 - avaliação da mobilidade da próstata.  7 - avaliação da presença de nódulos suspeitos de câncer da próstata.  8 - avaliação da consistência da próstata; se mole, dura ou elástica.  9 - avaliação das bordas, limites e simetria da próstata.
  • 11. PRECONCEITO  O toque retal continua sendo o grande fantasma dos homens. Esse preconceito, injustificado, poderá levar a muito sofrimento e até mesmo à morte por falta de um diagnóstico tempestivo adequado Ao contrário do que se pensa, o toque retal não é um exame quot;antigoquot; ou quot;superadoquot;; não compromete a masculinidade nem é indigno. Nenhum outro exame dá as informações do toque retal.. Ao contrário do que muitos pensam, não pode nem deve ser substituído por ultra-sonografia, pelo próprio PSA ou por qualquer outro exame..
  • 12. REFERÊNCIA www.abcdasaude.com.br/artigo.php?63