Exercicios 28 09-2013 03 out

  • 285 views
Uploaded on

 

More in: Business
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
285
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
24
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. EXERCÍCIOS 1- De acordo com a NR33 o que é considerado como espaço confinado? Espaço confinado é qualquer área ou ambiente não-projetado para ocupação humana contínua, que possua meios limitados de entrada e saída, cuja ventilação existente é insuficiente para remover contaminantes ou onde possa existir a deficiência ou enriquecimento de oxigênio. 2 - Quais os aspectos a serem considerados pelo empregador para submeter o empregado à trabalho em espaço confinado? Caso a empresa em questão possua atividades a serem realizadas em espaços confinados muitas responsabilidades devem ser respeitadas.  Os trabalhadores expostos devem ser informados sobre localização e os perigos por meio de sinalização;  Devem ser adotadas medidas para impedir que trabalhadores não-preparados acessem ou trabalhem nestes espaços. Segundo o item 33.2.1 da NR 33, os seguintes aspectos devem ser considerados:  Indicar formalmente o responsável técnico pelo cumprimento desta norma;  Identificar os espaços confinados existentes no estabelecimento;  Identificar os riscos específicos de cada espaço confinado;  Implementar a gestão em segurança e saúde no trabalho em espaços confinados, por medidas técnicas de prevenção, administrativas, pessoais e de emergência e salvamento, de forma a garantir permanentemente ambientes com condições adequadas de trabalho;  Garantir a capacitação continuada dos trabalhadores sobre os riscos, as medidas de controle, de emergência e salvamento em espaços confinados;  Garantir que o acesso ao espaço confinado somente ocorra após a emissão, por escrito, da Permissão de Entrada e Trabalho, conforme modelo constante no anexo II desta NR;  Fornecer às empresas contratadas informações sobre os riscos nas áreas onde desenvolverão suas atividades e exigir a capacitação de seus trabalhadores;  Acompanhar a implementação das medidas de segurança e saúde dos trabalhadores das empresas contratadas provendo os meios e condições para que eles possam atuar em conformidade com esta NR;  Interromper todo e qualquer tipo de trabalho em caso de suspeição de condição de risco grave e iminente, procedendo ao imediato abandono do local;  Garantir informações atualizadas sobre os riscos e medidas de controle antes de cada acesso aos espaços confinados. 3 – Do ponto de vista médico, quem pode trabalhar em um espaço confinado? Podem trabalhar em um espaço confinado todos trabalhadores devidamente qualificados e que não apresentem transtornos ou doenças que possam ser desencadeadas ou agravadas durante a realização do trabalho em ambientes confinados.
  • 2. 4 - Ter saúde é suficiente para o trabalhador estar apto para exercer atividade em espaço confinado? Não, ter boa condição física apenas não é suficiente para o trabalhador desempenhar adequadamente o trabalho no espaço confinado. É necessário que o trabalhador deva estar psicologicamente preparado para o trabalho nas condições especiais que representam o espaço confinado. Deve ter suficiente grau de instrução que o permita compreender o treinamento ministrado para o trabalho. 5 - Qual o limite de peso para que um trabalhador possa atuar num espaço confinado? Não existe na norma uma regra estabelcida. Depende muito do tipo de espaço confinado e das vias de acesso para entrada e saída. Sempre deverá prevalecer o bom senso do responsável pela execução do trabalho. Não será permitido que um portador de obesidade mórbida, isto é, com Índice de Massa Corporal (IMC) acima de 40 kg/m2 trabalhe num local de difícil acesso para entrada ou saída. Alguns profissionais estabelecem como limite: IMC de 35 kg/m2 . Outros mais exigentes estabelecem como limite: IMC igual ou superior a 30 kg/m2 (obesos de acordo com a Organização Mundial da Saúde). Para os trabalhadores com IMC em torno de 30 kg/m2 é aconselhável considerar a influência da massa muscular, pois muitos trabalhadores atingem essa marca por conta do desenvolvimento da massa muscular e não de gordura corporal. 6 - Além da claustrofobia, que outros tipos de complicações impedem o trabalhador de entrar num espaço confinado? Os outros tipos de complicações impedem o trabalhador de entrar num espaço confinado são:  O excesso de peso;  Alergia respiratória como asma, rinite alérgica;  Doença cardiovascular como hipertensão arterial, arritmias cardíacas, insuficiência coronariana,  Transtornos mentais e neurológicos como ansiedade, esquizofrenia, depressão, distúrbio bipolar, epilepsia, fobia de altura (acrofobia) e outras,  Quaisquer outras doenças na fase aguda contra-indicam o trabalho em espaços confinados desde uma gripe, sinusite, dermatoses e outras. 7 - Quais os riscos para a saúde no trabalho em espaço confinado? Existem riscos biológicos, como presença de animais como ratos e moscas? Que tipo de doenças eles podem transmitir? Os riscos para a saúde no trabalho em espaço confinado basicamente riscos à vida e à saúde. A falta e excesso de oxigênio pode causar asfixia e morte. Outro risco é a presença de gases ou vapores tóxicos, sendo muito comum se encontrar gás sulfídrico (H2S) e o metano.
  • 3. Sim, podem haver riscos biológicos, que são doenças causadas por microorganismo (vírus, bactérias, helmintos e protozoários). Tais como a leptospirose, a hepatite A, e infecções da pele podem ser causadas pelo contato com matéria orgânica infectada de microorganismo. 8 - Que outros tipos de doenças se verificam com mais frequência nos trabalhadores de espaços confinados? As doenças mais frequentes são:  As decorrentes de contato com os produtos químicos usados na limpeza de tanques, reatores e outros equipamentos,  A inalação dos fumos das soldas ou a ação das radiações não-ionizantes procedentes do trabalho com solda e corte nesses ambientes,  As causadas por microorganismo (vírus, bactérias, helmintos e protozoários), 9 - Com que frequência se deve fazer os exames médicos nos trabalhadores dessa área? De acordo com a NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, nas atividades consideradas insalubres, a periodicidade do exame deve ser semestral. Mas dependerá do tipo do local confinado onde trabalham e dos fatores de riscos presentes. É importante o trabalhador ser perguntado sempre que for adentrar no espaço confinado se está em condições de exercer a atividade. No exame periódico, poderá estar apto, mas o surgimento de uma doença aguda após a realização do exame incapacitará o trabalhador para o exercício da atividade. Daí a necessidade de o trabalhador ser perguntado sobre o seu estado de saúde antes de ingressar no espaço confinado. Essa sistemática deve ser feita rotineiramente pelo supervisor do trabalho ou pelo observador (vigia). 10 - Existem vacinas a serem aplicadas nos trabalhadores de espaços confinados? Todos os trabalhadores deveriam obrigatoriamente ser vacinados contra o tétano, aqueles que forem trabalhar em locais com riscos biológicos deveriam ser vacinados contra a hepatite A e, por extensão, contra a hepatite B, além de receber no início do outono a vacina antigripal. Com relação a outras vacinas, dependeriam da realidade epidemiológica da região onde os trabalhos serão realizados. 11 – Qual a função da permissão de entrada e trabalho? Quais os itens que devem constar na PET? A Permissão de Entrada e Trabalho tem a função de minimizar os riscos de se trabalhar em espaços confinados, deve ser indicada para cada entrada. Nos estabelecimentos onde houver espaços confinados devem ser observadas, de forma complementar a NR-33, os seguintes atos normativos:  NBR 14606 – Postos de Serviço – Entrada em Espaço Confinado; e  NBR 14787 – Espaço Confinado – Prevenção de Acidentes, Procedimentos e Medidas de Proteção, bem como suas alterações posteriores.
  • 4. O procedimento para permissão de entrada e trabalho, resumidamente remete a uma lista de verificação que permitem identificar as necessidades para se trabalhar em espaços confinados. Deve conter assinatura do responsável pela liberação da entrada, dos envolvidos no trabalho a ser desenvolvido. I. Verificação do Isolamento do local; II. Teste inicial da atmosfera de trabalho;  Oxigênio (% O2)............................................................% O2 > 19,5% ou < 23,0 %  Inflamáveis (% LIE)........................................................%LIE < 10%  Gases/vapores tóxicos (ppm).......................................ver limites por tipo  Poeiras/fumos/névoas tóxicas (mg/m3 ).......................ver limites por tipo Caso se encontrem em limites inaceitáveis devem ser refeitas depois de ventilação do local. III. Bloqueios, travamento e etiquetagem preventivas; IV. Purga e/ou lavagem; V. Ventilação/exaustão - tipo, equipamento e tempo; VI. Novo Teste após ventilação e isolamento;  Oxigênio (% O2)  Inflamáveis (% LIE)  Gases/vapores tóxicos (ppm)  Poeiras/fumos/névoas tóxicas (mg/m3 ) VII. Iluminação geral VIII. Existem Procedimentos:  de comunicação  de resgate  de movimentação vertical IX. Treinamento de capacitação de todos os trabalhadores envolvidos? Estão atualizados? X. Existem equipamentos necessários; XI. Equipamentos disponíveis de monitoramento contínuo:  De gases estão aprovados e certificados por um Organismo de Certificação Credenciado (OCC) pelo INMETRO para o trabalho em áreas potencialmente explosivas de leitura direta com alarmes em condições  Lanternas  Roupa de proteção  Extintores de incêndio  Capacetes, botas, luvas
  • 5.  Equipamentos de proteção respiratória/autônomo ou sistema de ar mandado com cilindro de escape  Cinturão de segurança e linhas de vida para os trabalhadores autorizado  Cinturão de segurança e linhas de vida para a equipe de resgate  Escada  Equipamentos de movimentação vertical/suportes externos  Equipamentos de comunicação eletrônica aprovados e certificados por um Organismo de Certificação Credenciado (OCC) pelo INMETRO para trabalho em áreas potencialmente explosivas  Equipamento de proteção respiratória autônomo ou sistema de ar mandado com cilindro de escape para a equipe de resgate  Equipamentos elétricos e eletrônicos aprovados e certificados por um Organismo de Certificação Credenciado (OCC) pelo INMETRO para trabalho em áreas potencialmente explosivas XII. Os procedimentos que devem ser completados durante o desenvolvimento dos trabalhos:  Permissão de trabalhos a quente  Procedimentos de Emergência e Resgate XIII. Telefones e contatos:  Ambulância  Bombeiros  Segurança Recomendações:  A entrada no local de trabalho não pode ser permitida se algum campo citado acima não for preenchido ou contiver a marca na coluna "não".  A falta de monitoramento contínuo da atmosfera no interior do espaço confinado, alarme, ordem do Vigia ou qualquer situação de risco à segurança dos trabalhadores, implica no abandono imediato da área  Qualquer saída de toda equipe por qualquer motivo implica a emissão de nova permissão de entrada. Esta permissão de entrada deverá ficar exposta no local de trabalho até o seu término. Após o trabalho, esta permissão deverá ser arquivada.
  • 6. 12 - Um dos locais mais susceptíveis de eventos desastrosos nas plantas de ração são os túneis subterrâneos com a movimentação e transporte dos cereais sob as moegas de grãos. Nestes estão localizados os transportadores responsáveis pelo recolhimento do cereal e seu destino à planta. Como dimensões de um túnel subterrâneo serão adotados: 2m de altura x 1,5 m de largura x 30m de comprimento. O túnel está localizado sob as moegas a uma profundidade de 6 a 20m. Considerando quatro tipos de poeiras comuns nestas plantas da agroindústria; arroz, milho, soja e trigo, cujos dados encontram-se nas Tabelas abaixo: Tabela 1 – Dados das poeiras agrícolas do arroz, milho, soja e trigo (NPFA) Preencha a Tabela 2 utilizando os dados da Tabela 1 e as expressões a seguir: P. mat. = Material necessário para uma explosão = Conc. x Vol. (g/m3 x m3) P. mat Arroz = 50,3 x ( 2 x 1,5 x 30) = 50,3 x 90 = 4527 g = 4,527 kg P. mat Milho = 25 x ( 2 x 1,5 x 30) = 25 x 90 = 2250 g = 2,25 kg P. mat Soja = 35,5 x ( 2 x 1,5 x 30) = 35,5 x 90 = 3195 g = 3,195 kg P. mat Trigo = 65 x ( 2 x 1,5 x 30) = 65 x 90 = 5850 g = 5,85 kg P.Int. = Pressão interna exercida no sistema pela explosão (tf/m2 ) = Pmp x fator de conversão P. Int Arroz = 3,3 kg/cm2 x (10000/1000) = 3,3 x 10 = 33 ton/m² P. Int Milho = 5,7 x (10000/1000) = 5,7 x 10 = 57 ton/m² P. Int Soja = 6,6 x (10000/1000) = 6,6 x 10 = 66 ton/m² P. Int Trigo = 6,43 x (10000/1000) = 6,43 x 10 = 64,3 ton/m² P. Par. = Pressão exercida nas paredes durante a explosão = Pmp x S (tf/m2 ) P. Par Arroz = 33 x 210 = 6930 tf/m2 P. Par Milho = 57 x 210 = 11970 tf/m2
  • 7. P. Par Soja = 66 x 210 = 13860 tf/m2 P. Par Trigo = 64,3 x 210 = 13503 tf/m2 P.h. = Pressão da explosão sobre o homem com S=1m2 (tf) = Pmp x fator de conversão P. Par Arroz = 33 x 1 = 50,3 x 0,9 = 45,27 g = 0,04527 kg P. Par Milho = 5,7 x ( ) = 25 x 0,9 = 22,5 g = 0,0225 kg P. Par Soja = 6,6 x ( ) = 35,5 x 0,9 = 31,95 g = P. Par Trigo = 6,43 x ( ) = 65 x 0,9 = 58,5 g = A área das paredes do túnel é igual a 210 m2 Em ie, Si e Ge indicar por P, M, F, MF.