Interface	  Humano-­‐Computador	  nos	      Projetos	  realizados	  no	  LUQS	  (Laboratório de Estudos sobre Usuários e  ...
Quem somosž    O LUQS atua nas áreas de ES e IHC focando no projeto      e avaliação da interação desde 1999.ž    As pes...
Infra-EstruturaLegenda:1. Sala de testes2. Sala de observação3. Sala dedesenvolvimento4. Sala da coordenação/reunião
Br-CHI • 	  É	  um	  componente	  (capítulo	  local)	  do	  	  	  	  SIGCHI,	  que	   pertence	  a	  ACM	  (AssociaFon	  o...
Inovação do Produto
Tendência para projetos ágeis —  Compreensão dos artefatos —  Boa comunicação —  Avaliação constante —  Facilidade par...
Técnicas de IHC
Questões da Pesquisaž    Como se pode fazer inovação e ter foco nas      experiências dos usuários, quando se tem que    ...
Profissionais de IHC devem conscientizar todosenvolvidos em um projeto, para uma visão sobrea Experiência dos Usuários e p...
“eu quero ...                 avaliar a QemU <contexto de uso do SI>                          QPd <conteúdo>, <produto>, <...
Projetos e Financiadores—  Projeto SBTVD (2005) - Finep—  Projeto SAMBA (2007-2009) – Financiamento   Europeu—  Projeto...
Projeto SBTVD - 2005 UNIFORž  Objetivo – Desenvolver a aplicação Portal de    Acesso de Televisão Digitalž  Foco: Usabil...
Projeto da Aplicaçãož    Personalizaçãož    Alternativas para entrada de dados      —  Técnica principal aplicada: Test...
Testes de Usabilidade com Usuários
Conclusãož    Da	  usabilidade	  do	  produto…	    —  Modelagem	  das	  interfaces	  para	  personalização	  em	        ...
Projeto SAMBA (2007-2009)SAMBA	  (System	  for	  Advanced	  interacFve	  digital	  television	  and	  Mobile	  services	  ...
Motivações             17
Avaliação no Projeto (Schlling e Furtado, 2010)
Projeto orientado às “experiências do usuário”Técnicas:Experiência	  com	  protóFpos,	  quesFonário,	  entrevista	  Person...
Verificação das necessidades1      Revisão individual dos usuários finais    (personas), cenários de uso (storyboard).    ...
Validação das necessidades, dos requisitos e  soluções    Interpretação dos Cenários no Teatro1                           ...
Validação do Sistema                   Users´ acceptance and                                       system utility         ...
Conclusãož    Uma	  Cultura	  orientada	  ao	  Projeto	  e	  Avaliação	  para	        InformáFca	  Comunitária:	  conside...
Projeto Mplayer (2011)ObjeFvo:	  ž Analisar	  de	  forma	  qualitaFva	  a	  influência	  do	  apresentador	  de	  programa...
Incentivo à interaçãoChamada	  direta	  à	  parFcipação	  Chamada	  indireta	  à	  parFcipação	  Convite	  ao	  usuário	  ...
Passos para execução do trabalho•    Escolher	  a	  Emissora,	  tema,	  programa	  e	  apresentamos	       as	  aplicações...
Interação no Roteiro Televisivo 1º	  BLOCO	                       2º	  BLOCO	                  3º	  BLOCO	   ESCALADA	    ...
Gravação e Edição do Programa Integração entreas equipesusando o roteiro e       ž     Edição do vídeo	  :	  cenários de ...
ž    Amostra – mulheres na          faixa etária de 32 a 55.          anos, Escolaridade          fundamental incompleto,...
Conclusão•    Apresentador	  é	  um	  meta-­‐comunicador,	       mas	  quanto	  mais	  o	  usuário	  adquire	       conhec...
Projeto EAD pela TVD(2009-2012)Objetivo: Desenvolver uma ferramenta para  viabilizar a EAD via TVD, que:—  É baseada no p...
Processo iterativo e incrementalSprint 0                Identificação de necessidades e                          estabelec...
Técnicas de design participativož  Prototipaçãoda experiênciaž  Representação espaço-tempož  Prototipagem no papelž  U...
Aplicação da Prática no Estudo de Casož  Materiais   usados:
Elaboração dos conteúdos                      Tempo                      Valores:                         privacidade,    ...
Requisitos e Pré-padrões              Situação 1                           Prototipagem                           no papel
Conclusão•    Stakeholders	  de	  perfils	  variados,	  inclusive	       com	  necessidade	  especial	  •    Aplicações	  d...
Projeto de Disseminação de IHC
Objetivo:•    Criação, organização e manutenção de uma base     de conteúdo em IHC...•    … A partir de compartilhamentos ...
Metodologia de Geração das Personas                               Coletar dados                                           ...
Renato                                   Designer de Interação, 33                                   Trabalha para uma emp...
Técnica Card Sorting                         Verificar o                         percentual                               ...
E-Luqs                        KNOWLEDGE                           BASE                         TAXONOMIES                 ...
Resultados do Br-CHI (onde??)                      206 respondentes
•    Revisão	  abrangente	  de	  enfoques	  de	       V&V	  da	  Qualidade	  da	  Interação	  	  •    Integração	  entre	 ...
“Acredito nas diversas técnicas de projeto centrado no   usuário e de informática comunitária. Acredito que um   indivíduo...
ReferênciasFURTADO, ELIZABETH SUCUPIRA; SCHILLING, ALBERT; FAVA, FABRÍCIO; CAMARGO, LIÁDINA.    Promoting Communication an...
Apresentacao portfolio-luqs-2012-quixada.pptx
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Apresentacao portfolio-luqs-2012-quixada.pptx

310 views
215 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
310
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentacao portfolio-luqs-2012-quixada.pptx

  1. 1. Interface  Humano-­‐Computador  nos   Projetos  realizados  no  LUQS  (Laboratório de Estudos sobre Usuários e da Qualidade de Uso de um Software) Prof. D.sc. Elizabeth Sucupira Furtado da pós-graduação da Unifor e da graduação da UECE Bolsista CNPq – DT (2010-2013) IV Workshop da Tecnologia da Informação do Sertão Central
  2. 2. Quem somosž  O LUQS atua nas áreas de ES e IHC focando no projeto e avaliação da interação desde 1999.ž  As pesquisas são realizadas por técnicos, professores e alunos dos cursos de computação, comunicação, educação e psicologia da Unifor , institutições Brasileiras e empresas.ž  Atua em projetos para EAD e TVDi, tendo como foco a Usabilidade.
  3. 3. Infra-EstruturaLegenda:1. Sala de testes2. Sala de observação3. Sala dedesenvolvimento4. Sala da coordenação/reunião
  4. 4. Br-CHI •   É  um  componente  (capítulo  local)  do        SIGCHI,  que   pertence  a  ACM  (AssociaFon  of  Computer  Machinering).   •   Br-­‐chi  atual  (2012-­‐2014):     coordenação:  Elizabeth  Furtado,   vice-­‐coordenação:  Tayana  Comte  e  Alex  Gomes   Designer:  Stefan  MarFns     •   ObjeFvo:  Promover  IHC,  integrando  diversos  profissionais   da  academia  e  Empresas  e  nas  Regiões  onde  IHC  está   menos  disseminada    
  5. 5. Inovação do Produto
  6. 6. Tendência para projetos ágeis —  Compreensão dos artefatos —  Boa comunicação —  Avaliação constante —  Facilidade para realizar mudanças
  7. 7. Técnicas de IHC
  8. 8. Questões da Pesquisaž  Como se pode fazer inovação e ter foco nas experiências dos usuários, quando se tem que fazer entregas rápidas? —  Que técnicas aplicar? —  Que artefatos devem ser produzidos?
  9. 9. Profissionais de IHC devem conscientizar todosenvolvidos em um projeto, para uma visão sobrea Experiência dos Usuários e precisam“aplicar técnicas simples e participativa,procurando o entendimento, o projeto eapresentação rápida de soluções e aavaliação constante …”
  10. 10. “eu quero ... avaliar a QemU <contexto de uso do SI> QPd <conteúdo>, <produto>, <SI>, QPr <processo de software>, <técnica>, <prática>, CO <processo de negócio>, <empresa>, etc. Para responder <questões investigativas > Com respeito ao atendimento <ao objeto de avaliação, como normas ISO, heurísticas, modelos de certificação> Visando <aos resultados esperados, como critérios, requisitos, valores>”.Em função de critérios de um projeto, mas com planejamento
  11. 11. Projetos e Financiadores—  Projeto SBTVD (2005) - Finep—  Projeto SAMBA (2007-2009) – Financiamento Europeu—  Projeto M-PLAYER TV Digital – Finep (2010)—  Projeto de EaD via TVDi (2009-2012) – Capes e Funcap.—  Projeto de disseminação de IHC - CNPq (2010-2013)
  12. 12. Projeto SBTVD - 2005 UNIFORž  Objetivo – Desenvolver a aplicação Portal de Acesso de Televisão Digitalž  Foco: Usabilidade do Produto (alternativas para entrada de dados, apresentação das informações)
  13. 13. Projeto da Aplicaçãož  Personalizaçãož  Alternativas para entrada de dados —  Técnica principal aplicada: Teste de usabilidade
  14. 14. Testes de Usabilidade com Usuários
  15. 15. Conclusãož  Da  usabilidade  do  produto…   —  Modelagem  das  interfaces  para  personalização  em   tempo  de  execução   —  Um  processo  de  desenvolvimento  e  avaliação  das   interfaces  alinhado  ao  de  gestão  do  Cnpq;  ž  …  Em  direção  às  experiências  dos  usuários  
  16. 16. Projeto SAMBA (2007-2009)SAMBA  (System  for  Advanced  interacFve  digital  television  and  Mobile  services  in  BrAzil)    Desenvolver  uma  plataforma  que  permita  a  produção  de  conteúdos  pela  comunidade  (usuários  de  Barreirinhas)  e  sua    interação  pela  TVD   Axel Tech (Finlandia) TV Mirante (MA) Unifor (CE) FOKUS (Alemanha) APTEL (RJ) PUSP TIS Digilab CREATE-NET (Itália) (Itália)
  17. 17. Motivações 17
  18. 18. Avaliação no Projeto (Schlling e Furtado, 2010)
  19. 19. Projeto orientado às “experiências do usuário”Técnicas:Experiência  com  protóFpos,  quesFonário,  entrevista  Personas  e  cenários  Teatro  
  20. 20. Verificação das necessidades1 Revisão individual dos usuários finais (personas), cenários de uso (storyboard). [Madeira & Furtado, 2007] 2 Revisão em grupo dos usuários finais (personas), cenários de uso (storyboard).
  21. 21. Validação das necessidades, dos requisitos e soluções Interpretação dos Cenários no Teatro1 3 Edição do vídeo ilustrado 4 2 Validação dos cenários com vídeo ilustrado
  22. 22. Validação do Sistema Users´ acceptance and system utility What the users liked What they did not like Their Involvement with the content Social acceptability System usability: Problems on interaction Way to use the remote control Way to have connectivity Completeness of the goal Frequency to help Teste  de  usabilidade     em  ambiente  real  
  23. 23. Conclusãož  Uma  Cultura  orientada  ao  Projeto  e  Avaliação  para   InformáFca  Comunitária:  considera  a  comunidade   como  foco  de  atuação  para: —  Desenvolver soluções inovadoras e apropriadas ○  Soluções que possam ser compartilhadas e abrangentes para reduzir custos e tornar as tecnologias não só mais acessíveis, mas efetivamente significativas aos não atingidos —  Senhoras, que gostam de TV e estarão excluídas desta nova tecnologia
  24. 24. Projeto Mplayer (2011)ObjeFvo:  ž Analisar  de  forma  qualitaFva  a  influência  do  apresentador  de  programas  de  auditório  na  interação  dos  usuários  com  aplicações  de  TV  digital,  especificamente  as  intenções  de  uso  
  25. 25. Incentivo à interaçãoChamada  direta  à  parFcipação  Chamada  indireta  à  parFcipação  Convite  ao  usuário  para  acompanhar  os  resultados   parciais  das  votações  Momentos  que  permitem  o  usuário  responder  o  jogo    Demonstração  de  uso  do  CR  pelo  Apresentador  
  26. 26. Passos para execução do trabalho•  Escolher  a  Emissora,  tema,  programa  e  apresentamos   as  aplicações  •  Adaptar  o  roteiro  elaborado  para  incluir  cenários  com   linguagem  interaFva  •  Acompanhar  a  gravação  do  programa    •  Editar  o  programa  gravado    •  Realizar  a  avaliação  e  analisar  os  resultados  
  27. 27. Interação no Roteiro Televisivo 1º  BLOCO   2º  BLOCO   3º  BLOCO   ESCALADA   ENTREVISTA  3   CONSIDERAÇÕES   VT  APRESENTAÇÃO    DO   INTERATIVO  2   FINAIS   PERSONAGEM   VT  MARIDO   INTERATIVO  4   ENTREVISTA  1   ENTREVISTA  4   CONTATOS   ENTREVISTA  2   INTERATIVO  3   ENCERRAMENTO   INTERATIVO  1   BREAK  2   BREAK  1  •  Técnica:  cenário  de  interação    •  INTERATIVO  1-­‐  a  apresentadora  chama  para  a  1ª.  Votação  e   explica  como  interagir  fazendo  a  demonstração  das  opções   de  menu  •  Legenda  para  a  interação  para  1ª.  Votação  com  SMS  com  a   chamada  da  Apresentadora  
  28. 28. Gravação e Edição do Programa Integração entreas equipesusando o roteiro e ž  Edição do vídeo  :  cenários de Explicação  da  Ajuda  interação Inclusão  das  legendas  
  29. 29. ž  Amostra – mulheres na faixa etária de 32 a 55. anos, Escolaridade fundamental incompleto, Profissão: serviços gerais
  30. 30. Conclusão•  Apresentador  é  um  meta-­‐comunicador,   mas  quanto  mais  o  usuário  adquire   conhecimento  sobre  as  possibilidades  de   interação,  menos  ele  tende  a  ficar   dependente  e  mais  apto  a  explorar   outras  possibilidades.  •  Necessidade  para  integrar  IHC  desde  o   início  da  produção  
  31. 31. Projeto EAD pela TVD(2009-2012)Objetivo: Desenvolver uma ferramenta para viabilizar a EAD via TVD, que:—  É baseada no padrão Brasileiro—  Dá suporte ao produtor de conteúdos educativos, considerando valores que influenciam na qualidade de uso do sistema
  32. 32. Processo iterativo e incrementalSprint 0 Identificação de necessidades e estabelecimento de requisitos Sistema inovador, no Como considerar valores que influenciam no uso,Demaisqual valores devem ser quando os envolvidos têmSprints considerados e dependem do contexto dificuldades em entender   a tecnologia?
  33. 33. Técnicas de design participativož  Prototipaçãoda experiênciaž  Representação espaço-tempož  Prototipagem no papelž  Uso de pré-padrões
  34. 34. Aplicação da Prática no Estudo de Casož  Materiais usados:
  35. 35. Elaboração dos conteúdos Tempo Valores: privacidade, autoria, acesso universal,etc.Espaço
  36. 36. Requisitos e Pré-padrões Situação 1 Prototipagem no papel
  37. 37. Conclusão•  Stakeholders  de  perfils  variados,  inclusive   com  necessidade  especial  •  Aplicações  de  pre-­‐padrões  em  momentos   de  definição  de  uma  solução  
  38. 38. Projeto de Disseminação de IHC
  39. 39. Objetivo:•  Criação, organização e manutenção de uma base de conteúdo em IHC...•  … A partir de compartilhamentos de conteúdo em múltiplos grupos de redes sociaisPassos para execução do trabalho•  Conhecer os usuários•  Entender o Vocabulário para categorizar as técnicas a disseminar•  Estudar onde e como disseminar as técnicas
  40. 40. Metodologia de Geração das Personas Coletar dados Montar cartão Segmentar e para cada classificar Persona os principais perfis Definir objetivos Definir atributos e necessidades relevantes 40
  41. 41. Renato Designer de Interação, 33 Trabalha para uma empresa de Tecnologia. Possui 10 anos de estrada e um mestrado em Ciência da Computação no currículo. Acessa diariamente conteúdo de blogs da área e é leitor assíduo de listas de “Inovação é uma discussão. No entanto, confia mesmo é no atitude.” conhecimento que adquire na prática.Adoraria que fosse mais fácil...q  Tomar conhecimento de novas práticas e conceitos;q  Compartilhar algum material encontrado;q  Obter apoio para a disseminação de UCD/IHC;q  Explicar para ao restante da equipe o que é seu trabalho;q  Publicar suas experiências para a comunidade 41
  42. 42. Técnica Card Sorting Verificar o percentual Gerar a de classificação Taxonomia dos termos nas categorias
  43. 43. E-Luqs KNOWLEDGE BASE TAXONOMIES HCI COMMUNITYEDITORS ONTOLOGIESInitial content load AccessInitial Taxonomy UseInitial Ontology CollaborationContent moderation DisseminationFolksonomy moderation FOLKSONOMIES
  44. 44. Resultados do Br-CHI (onde??) 206 respondentes
  45. 45. •  Revisão  abrangente  de  enfoques  de   V&V  da  Qualidade  da  Interação    •  Integração  entre  a  Engenharia  de   Requisitos  e  Design  da  Interação  •  Avaliação  de  alternaFvas  de  design  •  Pré-­‐padrões  e  Critérios  de   Usabilidade,  Tecnológicos  e  de   Comunicação  •  Modelagem  de  Personas  Indivíduo   e  Empresa  •  Modelos  para  planejamento  de   aplicação  de  técnicas  com   responsabilidade  
  46. 46. “Acredito nas diversas técnicas de projeto centrado no usuário e de informática comunitária. Acredito que um indivíduo é capaz de superar as suas dificuldades com a tecnologia ajudado por uma série de fatores humanos e contextuais envolvidos na comunidade em que vive¨. Elizabeth Sucupira Furtado – Elizabethsfur@gmai.com Obrigada! Colaboradores (Luqs, UFC, TV Unifor, TV Diário, cursos de jornalismo) Financiadores: FUNCAP, CAPES, UNIFOR, CNPQ, União Européia
  47. 47. ReferênciasFURTADO, ELIZABETH SUCUPIRA; SCHILLING, ALBERT; FAVA, FABRÍCIO; CAMARGO, LIÁDINA. Promoting Communication and Participation Through Enactments of Interaction Design Solutions - A study case for validating requirements for Digital TV. In: International Conference on Enterprise Information Systems, Barcelona, 2008.FURTADO, ELIZABETH SUCUPIRA; KAMPF, THAIS; PICCOLO, LARA; BARANAUSKAS, CECILIA. Prospecting the Appropriation of Digital TV in a Brazilian Project. ACM Computers in Entertainment : CIE, v. 7, pp. 10-32. 2009.FURTADO, VASCO; FURTADO, ELIZABETH SUCUPIRA; AYRES, LEONARDO; CAMINHA, CARLOS; NOGUEIRA, NATÉRCIA; VASCONCELOS, EURICO. Apoio ao Projeto de Sites Colaborativos: uma Abordagem Fundamentada na Associação de Requisitos de Colaboração e de Interação com Pré- padrões de Interface, In: WAIHCWS. BH. 2010.GUIMARÃES, DANIELLY BARBOZA; CARVALHO, CARLOS ROSEMBERG; FURTADO, ELIZABETH SUCUPIRA. Panorama, Oportunidades e Recomendações para o Contexto Brasileiro de Interação Humano-Computador e Design Centrado no Usuário a partir do uso de Personas. In IHC’2011. Porto de Galinhas, Brasil, 2011.MADEIRA, KELMA; FURTADO, ELIZABETH SUCUPIRA. SEP – Sistematização para Elaboração de Personas. VII ENCONTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA. Anais do Mundo UNIFOR. Universidade de Fortaleza. Ceará. 2007.MENDES, MARILIA. DIRCE – Design da interação e levantamento de requisitos com foco na comunicação e exploração de ideia: experiências de uso aplicadas em sistemas de criação de conteúdo para a TVD. Dissertação de Mestrado em Informática Aplicada. UNIFOR. 2009.MENDES, MARILIA; FURTADO ELIZABETH SUCUPIRA. Creation of pre-patterns in a system of content creation for digital television. In: EuroiTV´2010. Finlândia. 2010.SCHILLING, ALBERT GOMES. FAVIHC – Framework de Avaliação da Interação Humano-Computador. Dissertação (mestrado) – Universidade de Fortaleza, 2009.VASCONCELOS, PATRÍCIA; FAVA, FABRÍCIO; KAMPF, THAIS; SCHILLING, ALBERT; FURTADO, ELIZABETH SUCUPIRA. Ethnographic Investigational Methodology and Evaluation on Local Television Channel Creation that Allows Interaction with the Community. In: EUROiTV, Italia, 2007.

×