Tecnologias educacionais, para quem precisa se incluir
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Tecnologias educacionais, para quem precisa se incluir

on

  • 9,976 views

 

Statistics

Views

Total Views
9,976
Views on SlideShare
930
Embed Views
9,046

Actions

Likes
0
Downloads
10
Comments
0

22 Embeds 9,046

http://sobreeducacao.blogspot.com.br 8644
http://sobreeducacao.blogspot.pt 161
http://sobreeducacao.blogspot.com 157
https://sobreeducacao.blogspot.com 16
http://www.sobreeducacao.blogspot.com.br 15
http://www.google.com.br 7
http://sobreeducacao.blogspot.cz 7
http://sobreeducacao.blogspot.jp 5
http://sobreeducacao.blogspot.ca 5
http://sobreeducacao.blogspot.com.es 5
http://sobreeducacao.blogspot.co.uk 4
http://sobreeducacao.blogspot.ru 3
http://sobreeducacao.blogspot.fr 3
http://sobreeducacao.blogspot.com.ar 3
http://translate.googleusercontent.com 2
http://webcache.googleusercontent.com 2
http://sobreeducacao.blogspot.ie 2
http://sobreeducacao.blogspot.de 1
http://sobreeducacao.blogspot.it 1
http://sobreeducacao.blogspot.kr 1
http://www.google.pt 1
http://www.bing.com 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Tecnologias educacionais, para quem precisa se incluir Presentation Transcript

  • 1. Tecnologias E ducacionais: Para quem precisa se incluir Elisangela Zampieri Abril 2012profe.elis@gmail.com
  • 2. A escola não pode ignorar o que se passa no mundo (Flilippe Perrenoud)Escola do século XIX  Alunos do século XXI
  • 3. Uniformidade o Memoriz sm ação ali du iviInd Competitividade Fragmentação
  • 4. Que novos paradigmas se apresentam?
  • 5. Co nc de abr eit ap an o m re ge nd n ais iz te ag em :Informação não é conhecimento Memória não é inteligência
  • 6. Aprender Aprender na eradigital é desenvolver estruturas de inteligência para transformar informação em conhecimento.
  • 7. Aprender com as tecnologiasMaior interação sujeito/objeto do conhecimento (sujeitos ativos)Experimentação: conflitos, hipóteses, processode reflexão, solução de problemas.Desenvolvimento das estruturas de pensamentoPossibilidade de desenvolver conhecimentossignificativos.
  • 8. Pedagogia da Autoria quem nde emA pre , qu não r.faz; dize o uve
  • 9. Um ambiente enriquecedor, que permite os ratos interagir com osAmbiente pobre em objetos brinquedos em suas gaiolas, provoca mudanças anatômicas no córtex cerebral.
  • 10. Educar crianças com deficiência intelectual não se dána lógica do concreto, nem na repetição estéril, deveser significativo, funcional e desafiador. Deve-seincentivar a expressão, a curiosidade, a pesquisa, oraciocínio, a criação de hipóteses, a seleção dasmelhores estratégias, o conflito.
  • 11. INFORMÁTICA NA INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO ESPECIAL Computador como meio;  Computador como meio; Construção do conhecimento  Construção do conhecimento de forma autônoma (buscar o de forma autônoma (buscar o conhecimento usando a informação); conhecimento usando a informação); Recurso instrucional cuja eficácia depende  Recurso instrucional cuja eficáciada maneira como é utilizado. depende da maneira como é utilizado. ONDE ESTÁ A DIFERENÇA?
  • 12. Softwares para pessoas com deficiência?• Deficiência: população heterogênea, horizonte muito amplo, perspectivas, necessidades e potencialidades muito diferenciadas;• Com que idade cronológica? com que potencial de concentração e abstração, com que capacidade de interação e comunicação verbal, com que conhecimentos anteriores, com que... etc, etc.???• Os princípios fundamentais do desenvolvimento são os mesmos para crianças com ou sem deficiência (Vygotsky)• Raciocínio, capacidade de resolução de problemas, seleção de estratégias, percepção, intuição, atenção, espacialidade, temporalidade, memória.
  • 13. De que alunos estamos falando?
  • 14. Deficiência Metal de acordo com a American Association for the Mentally Retarded Caracteriza-se por registrar um funcionamento intelectualgeral significativamente abaixo da média, oriundo doperíodo de desenvolvimento, concomitante com limitaçõesassociadas a duas ou mais áreas da conduta adaptativa ouda capacidade do indivíduo em responder adequadamenteàs demandas da sociedade, nos seguintes aspectos:comunicação, cuidados pessoais, habilidades sociais,desempenho na família e comunidade, independência nalocomoção, saúde e segurança, desempenho escolar, lazere trabalho.
  • 15. Quais seriam então as possibilidades e potencialidades dedesenvolvimento de umacriança com deficiência?
  • 16. Todo defecto crea los estímulos para elaborar una compensación. Por ello el estudio dinámico del niño deficiente no puede limitarse a determinar el nivel y gravedad de la insuficiencia, sino que incluye obligatoriamente la consideración de los procesos compensatorios, es decir, sustitutivos, sobreestruturados y niveladores, en el desarrollo y la conducta del niño. ( (VYGOTSKY, 1997, p. 14)
  • 17. Eu tenho uma deficiência, mas a razão dessa deficiência é porque o mundo me vê como alguém deficiente. (Brad Cohen)Compensação Social - VygotskyDefeito como conceito socialO destino da criança é traçado pelasconseqüências que sua deficiênciatem para os outros do grupo socialao qual pertence.
  • 18. Experiências no Laboratório de Informática – Escola Especial Hugo Miguel Sulzbach Apae Curitibanos http://umblogespecial.blogspot.com
  • 19. Culminância dos Projetos: Folclore – Apaes de Curitibanos/SC e de Ribeirão Pires /SP Participação e apresentação do Projeto no VII Congresso Iberoamericano de Informática Educativa Especial em Mar Del Plata - ArgentinaConheça minha Cidade – Apaes de Curitibanos e Joaçaba/SC – Evento presencial com visita in/loco aos locais trabalhados durante o projeto
  • 20. Mais tecnologias, menos limites...... e m ã o it e e uN a ce o c om . s ou
  • 21. Recursos de Acessibilidade1- Adaptações físicas ou órteses – São todos os aparelhos ou adaptações fixados e utilizados no corpo do aluno e que facilitam a interação do mesmo com o computador. Estabilizador de punho e abdutor de polegar
  • 22. 2- Adaptações de hardware – são todos os aparelhos ou adaptações presentes nos componentes físicos do computador. Proteção para teclado artesanal Mouse RCT
  • 23. 3 - Softwares Especiais de Acessibilidade São os componentes lógicos das TICs quando construídos como TAs. Ou seja, os programas especiais de computador que possibilitam ou facilitam a interação do aluno com deficiência com a máquina.
  • 24. “O computador se torna o caderno eletrônico para o deficiente físico, um meio em que o surdo pode usar para estabelecer relações entre o fazer e os conceitos utilizados nestas ações, um instrumento que integra diferentes representações de um determinado conhecimento para o deficiente visual, o mediador de interação da criança autista e o mundo, um objeto de desafio para a criança deficiente mental e o recurso com a qual a criança carente pode realizar-se e participar efetivamente de atividades socioculturais significativas” ( Valente, 2001)
  • 25. Um software especial... Inspiration• Inspiration
  • 26. Mapas Conceituais Definição:• Ferramenta para organizar e representar o conhecimento.• Representações gráficas semelhantes a diagramas, que indicam relações entre conceitos ligados por palavras.
  • 27. Teoria:• Desenvolvida na década de 70 pelo pesquisador norte-americano Joseph Novak.• Originalmente baseado na teoria da aprendizagem significativa de David Ausubel.
  • 28. Aprendizagem significativa (Ausubel)•A aprendizagem decorre da“ancoragem” denovos conceitos e proposições a estruturascognitivas preexistentes.• Na interação entre o novo conhecimento e ojá existente, ambos se modificam. O processo édinâmico à medida que o conhecimento vaisendo construído.
  • 29. Como podem ser usados O mapeamento conceitual é uma técnica muito flexível, em razão disso pode ser usado em diversas situações, para diferentes finalidades:• Técnica didática;• Estratégia de estudo;• Recurso de aprendizagem;• Meio de avaliação.
  • 30. Questões a considerar• Avaliar o aprendiz em relação ao que o aluno já sabe.• Mapas são pessoais e idiossincráticos.• Não existe mapa “certo”, pois ele sempre reflete a estrutura cognitiva de um indivíduo. Ênfase no processo e não no produto.• A análise de mapas conceituais é essencialmente qualitativa.
  • 31. Questões a considerar• Compartilhe o mapa com outras pessoas e examine o mapa deles• Pergunte / explique: O que significam as relações O porquê da inclusão ou ausência de conceitos Justificativas para a localização de determinados conceitos
  • 32. estõ es Su gExploraTree: Na home page você encontra todosos tipos de mapas possíveis de se criar. Depois deter criado um mapa você pode compartilhá-lo comos amigos e colegas por motivos de trabalho ouestudo. É preciso increver-se (gratuitamente) nosite para poder utilizar o ExploraTree. É, comcerteza, um serviço muito apreciado porestudantes. Mindomo: Como o anterior, esse também nospermite criar mapas mentais/conceituais onlinegratuitamente. O funcionamento e a técnica decompartilhamento se parece muito com a doGoogle Docs.
  • 33. e s tõ es: Sug MindMeister: É uma aplicação web-based que utilizandográficos, linhas e botões diversos nos permite criar ummapa conceitual preciso e claro. Esse instrumento tambémpermite modificar, exportar e compartilhar o seu própriomapa. É uma ótima ferramenta para aumentar a prórpiaprodutividade.WiseMapping: Essa também é uma aplicação web que temas mesmas características das precedentes; permite criarmapas online para depois serem compartilhados.Utiliza ométodo drag&drop (arrasta e larga) e é possível modificaros caracteres, o sombreamento e as cores.É possívelconvidar outras pessoas para colaborarem com odesenvolvimento do mapa para depois inclui-lo em qualquerpágina web. É preciso increver-se (gratuitamente) no sitepara poder utilizá-lo.
  • 34. s tõ es : S uge CmapTools: é uma ferramenta paraelaborar esquemas conceituais erepresentá-los graficamente. Pode serutilizada em diversas situações e paradiferentes finalidades, comoinstrumento de análise de um currículo,para os professores como técnicasdidáticas e recursos de aprendizagem,como meio de avaliação, entre outras.
  • 35. O que muda não é a diferença.São os olhos. O que muda não é a diferença. S[Rubem Alves] os olhos. [Rubem Alves]