Aula1 - Mídias e Tecnologias Digitais

13,344 views
13,101 views

Published on

Primeira aula da disciplina de Mídias e Tecnologias Digitais em Espaços Escolares

Published in: Education
5 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
13,344
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,731
Actions
Shares
0
Downloads
372
Comments
5
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula1 - Mídias e Tecnologias Digitais

  1. 1. Mídias Filme Internet Rádio Livros Revistas Jornais Games Televisão
  2. 2. Tecnologias Digitais
  3. 3. Mídias e Tecnologias Digitais Multimídia Livros, redes de difusão, jornais, impressos e mesmo a televisão são meios que permitem ao usuário receber informações, mas não lhe possibilitam a interação com o veículo de informação. A evolução e a popularização do computador, bem como o Imagem Texto Sons desenvolvimento das interfaces Vídeos Animações gráficas, tornou possível ter a apresentação de vários tipos de mídia (imagem, texto, sons, vídeo e animações), a Multimídia.
  4. 4. Mídias e Tecnologias Digitais Hipermídia A multimídia, mesmo possibilitando utilizar vários tipos de mídia em conjunto, ainda não permite a interação do usuário. A hipermídia fornece ao usuário ferramentas de interação, permitindo navegar dentro do documento não mais apenas de forma linear, mas sim de forma interativa. Ao clicar em um botão, o computador responde mostrando uma imagem, um vídeo ou um som.
  5. 5. A idéia básica da hipermídia é aproveitar a arquitetura não linear das memórias de computador para viabilizar obras quot;tridimensionaisquot;, dotadas de uma estrutura dinâmica que as torne manipuláveis interativamente. Hipermídia é, O TEXTO portanto, uma forma combinatória, permutacional e interativa de multimídia, em que textos, sons e imagens (estáticas e em movimento) estão ligados entre si por elos probabilísticos e móveis, que podem ser configurados pelos receptores de diferentes maneiras, de modo a compor obras instáveis em quantidades infinitas.quot;
  6. 6. Escrita A necessidade de controlar como as mercadorias eram arrecadadas e distribuídas exigiu o desenvolvimento de um registro permanente destas atividades e, provavelmente, deflagrou a criação da escrita. O desenvolvimento de sistemas de escrita foi característico das primeiras sociedades urbanas e os primeiros registros escritos geralmente não eram mais do que listas guardadas em depósitos.
  7. 7. Alfabeto A Em algumas regiões, a escrita primitiva foi pictográfica ou mais precisamente, ideográfica, com sinais para palavras ou conceitos individuais. Logo isto se tornou incômodo e eventualmente símbolos foram utilizados para sons ao invés de idéias. B A escrita foi sobretudo um outro modo de comunicar, pensar e se exprimir. Somente cerca de 2000 a.C. surge o alfabeto, possibilitando então que a escrita fosse realizada com um C número pequeno de sinais ao invés da grande quantidade de símbolos até então em uso.
  8. 8. Imprensa Em 868 d.C. foi impresso na China o primeiro livro. Em 1945, foi inventada a imprensa móvel.
  9. 9. Imprensa Ocidental No século XV a Europa já conhecia o papel, a tinta e a matriz. Foi quando Johannes Gutenberg resolveu transformar essas invenções em um equipamento, a imprensa. Em 1456 publicaram o primeiro livro impresso, uma bíblia com tiragem de 200 exemplares.
  10. 10. Literatura Um dos primeiros e mais significativos exemplos de literatura não linear foi “O 41º Beijo de Amor” (1651)), de Quirinus Kuhlmann, capaz de dar origem a 6.227.020.800 poemas diferentes a partir de treze sonetos. Em 1897 Stéphane Mallarmé apresenta “Un coup de dés” (um lance de dados), como o desenvolvimento de seu projeto inacabado de uma obra para leitura aberta, com páginas soltas sem uma ordenação definida.
  11. 11. Literatura Em 1961, Raymond Queneau trabalha a combinatória de dez sonetos, cada qual cortado em quatorze tiras em “Cent mille milliards de poèmes”
  12. 12. Literatura William Burroughs e Brion Gysin iniciaram na literatura, em 1959, o desenvolvimento da técnica chamada de cut-up, contribuição significativa ao tratamento não linear da narrativa contemporânea, principalmente para obras de hipermídia. Trata-se de uma técnica de colagem em texto e obras visuais, unindo e justapondo fragmentos de textos, construindo uma narrativa aberta que reflete as tendências associativas da mente.
  13. 13. A IMAGEM
  14. 14. A Pintura O uso da linguagem (surgimento entre 1.000.000 a.C. e 20.000 a.C.) teve um papel crucial no desenvolvimento da humanidade, pois permitiu a comunicação da informação e sua transmissão de geração em geração. Arte pré-histórica: Gruta Chauvet (França) traz pinturas e gravuras paleolíticas, tendo sido feitas entre 32000 e 17000 a.C.
  15. 15. A Pintura Arte Sacra Turner (1775-1851) Leonardo da Vinci (1452-1519) Van Gogh (1852-1890) Picasso (1881-1973) Romero Brito
  16. 16. Fotografia A busca para conseguir registrar imagens em câmeras escuras iniciou no século XVI, mas somente em janeiro de 1839 o francês Louis Daguerre divulgou o seu processo que se chamou de Daguerreotipia.
  17. 17. Telégrafo Em 1790, devido à necessidade de uma comunicação rápida e cifrada surgida com a Revolução Francesa, os irmãos Claude e Ignace Chappe começaram a construir uma cadeia de postos de transmissão entre Lille e Paris, utilizando sinais. Cada posto estava entre 6 e 16km do próximo, dependendo da distância e da visibilidade permitida pela geografia do terreno. O operador utilizava uma luneta de observação.
  18. 18. O SOM
  19. 19. Telefone Em 1875, Alexander Graham Bell e Mr Watson foram capazes de transmitir alguns sons quando experimentavam com seu telégrafo harmônico. A descoberta possibilitou que fosse desenvolvido o primeiro telefone. O dispositivo permitia a duas pessoas se comunicarem por meio auditivo, substituindo o telégrafo.
  20. 20. Fonógrafo Em 1877, enquanto aperfeiçoava o telefone, ocorreu a Thomas Edison que, se o som podia ser convertido em impulsos elétricos, também deveria ser possível gravá-lo para ouvi-lo depois. Ele mesmo inaugurou seu fonógrafo, ou “a máquina de falar”. Em 1898 o dinamarquês Valdemar Poulsen inventou o gravador magnético para som, denominado “Telegraphone”, uma nova alternativa para gravação e reprodução de sons.
  21. 21. Rádio J.A. Fleming, em 1896, desenvolveu um dispositivo capaz de conduzir correntes elétricas somente em uma direção, dando início às transmissões de rádio. Em 1912 Edwin Armstrong construiu o primeiro circuito eletrônico capaz de oscilar de modo permanente, dando origem à técnica da modulação por amplitude (AM).
  22. 22. ESCRITA, SOM e IMAGEM
  23. 23. Teatro Em 1876 foi aberto o Teatro Festpielhaus, em Bayreuth, Alemanha. O teatro trazia algumas inovações: escurecimento da sala e reverberação do som, com a platéia posicionada para ter sua atenção focalizada no palco.
  24. 24. Teatro Em 1924, surge o Teatro da Totalidade, de László Moholy- Nagy, como resultado das suas experiências na escola Bauhaus, que integrava a pintura, a fotografia, o filme, o teatro e a escultura.
  25. 25. Cinema A partir da invenção da fotografia, vários pesquisadores começaram a busca da representação do movimento, sendo que o impulso mais signicativo foi dado pelo médico fisiologista francês Etienne Jules Marey, quando em 1892 criou um aparelho capaz de obter doze imagens em uma placa fotográfica circular, com o objetivo de estudar o movimento dos homens e pássaros.
  26. 26. Cinema Em 1891 os irmãos Lumière apresentaram ao público o kinetoscópio, no qual um filme de cerca de 15 metros permitia a um único espectador observar uma cena do tamanho de um cartão de visitas. A primeira cena em movimento apresentada ao público foi “A saída da fábrica”, ainda na França.
  27. 27. Cinema O primeiro filme sonoro foi produzido nos EUA, intitulado “The Jazz Singer” em 1927. Cinemas do mundo todo começaram a converter seus sistemas de projeção para exibir filmes “falados” já no final dos anos 20. http://www.ieee-virtual-museum.org/exhibit/exhibit.php?taid=&id=159246&lid=1&seq=7
  28. 28. Cinema As grandes telas do cinema eram capazes de colocar o espectador “dentro” da história. Algumas experiências amplificavam este efeito, como o Circarama, da Walt Disney, com uma tela semi-esférica de 360º , exibida entre 1955 e 1961.
  29. 29. Cinema Em 1962, Morton Heilig, cineasta norte- americano lançou o Sensorama, uma extensão do cinema fazendo o espectador imergir em um ambiente que explorava todos os sentidos: visão, audição, paladar, tato e olfato.
  30. 30. Televisão Em 1898 depois Wladmidir Zworykin inventou o cinescópio (tubo de imagens de TV), tornando-se responsável pela invenção dos elementos chaves da transmissão e recepção da TV.
  31. 31. Televisão Na década de 50 a televisão trouxe algumas novidades para competir com o cinema. A televisão interativa, sem recursos digitais, teve sua primeira experiência em 1953 com o programa Winky Dinky and You, na rede CBS nos Estados Unidos.
  32. 32. Televisão Plot Summary for quot;Winky-Dink and Youquot; (1953) quot;winky-dink and youquot; was the pioneer in interactive programming. The core of the program was children sent away for a kit. The kit had a plastic screen that stuck to the TV tube with static electricity. Crayons were used to draw on the screen. When a character needed special help, children would be asked to draw on the screen, give assistance and free the character from trouble. If a character needed to cross a river with no bridge, the viewer would draw a line so a crossing could be made and escape trouble. Everyone watched and helped winky-dinky in his adventures and had fun. http://www.imdb.com/title/tt0045456/plotsummary
  33. 33. História da Tecnologia Educativa
  34. 34. História Tecnologia Interativa Anos 40: disciplina acadêmica de tecnologia educativa surge nos EUA, com cursos para especialistas militares apoiados em instrumentos audiovisuais. A utilização dos meios audiovisuais com uma finalidade formativa constitui o primeiro campo específico da tecnologia educativa.
  35. 35. História Tecnologia Interativa Anos 50: psicologia da aprendizagem vai sendo incorporada no currículo dos programas de tecnologia educacional. Criação de novos paradigmas de aprendizagem que influenciam enormemente no desenvolvimento da tecnologia educacional como disciplina.
  36. 36. História Tecnologia Interativa Anos 60: A década de 60 tem no desenvolvimento dos meios de comunicação de massas um fator de extraordinária influência social. A revolução provocada pela televisão e o rádio propicia uma profunda revisão dos modelos de comunicação utilizados (principalmente nos EUA e Canadá). Inevitavelmente, tais modificações também são incorporadas à tecnologia educacional, na vertente das aplicações educacionais dos meios de comunicação de massas.
  37. 37. História Tecnologia Interativa Anos 70: o desenvolvimento da informática consolida a utilização dos computadores com finalidades educacionais, especialmente em aplicações como o ensino assistido por computador. Com o surgimento dos PCs, esta opção se tornou generalizada e uma alternativa de enormes possibilidades, fundamentalmente sob a concepção do ensino individualizado.
  38. 38. História Tecnologia Interativa Anos 80: novas tecnologias de informação que permitem armazenar, processar e transmitir grandes quantidades de informação. A novidade reside na natureza dos novos suportes de apoio educacional, e na utilização conjunta destes meios (programas multimídia).
  39. 39. História Tecnologia Interativa Anos 90: a interação começa a tomar proporções importantes nos ambientes computacionais para educação. Os softwares hipermídia enfatizam esta característica, permitindo que através da interação o estudante tenha um papel mais ativo na construção de conceitos e conhecimento, tornando-se menos passivo, menos receptor de informações.
  40. 40. História Tecnologia Interativa Anos 2000: a tecnologia permite que os sistemas computacionais sejam empregados como meios de interação e cooperação entre alunos, e entre professores e alunos. Ferramentas computacionais (fóruns, chat, diários de bordo, ...) facilitam a implantação de ambientes de aprendizagem à distância, em modalidades não presencial ou semi-presencial.
  41. 41. Bibliografia Bugay, E. L. e Ulbricht, V.R. Hipermídia. Florianópolis, SC: Visual Books. 2000. Pons, J. de P. Visões e Conceitos sobre a Tecnologia Educacional. Em Sancho, J. M. (org.). Para uma Tecnologia Educacional. Porto Alegre: Artmed, 1998. pp. 50-71. Gosciola, V. Roteiro para as Novas Mídias: do Game à TV Interativa. São Paulo, SP: Editora Senac. 2003.

×