Introducao agroecologia

3,165 views
2,976 views

Published on

Agroecologia - Introdução

Published in: Health & Medicine
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,165
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
352
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Introducao agroecologia

  1. 1. Introdução à Agroecologia
  2. 2. AGRICULTURA A expressão origina-se do Latim Ager = campo, do campo. Culture = cultivo, modo de cultivar o campo. AGRICULTURA: FITOTECNIA E ZOOTECNIA.
  3. 3. ORIGEM DA AGRICULTURA Acredita-se que tenha surgido quando o homem passou de nômade a sedentário. Os registros históricos apontam que a agricultura surgiu mais ou menos na mesma época em diversas partes do mundo, tais como na Ásia, na América, na África e na Europa. Os registros também apontam que não existia contato entre estas populações. Evidencia-se, assim, um estágio da história da humanidade.
  4. 4. HISTÓRICO DA AGRICULTURA NO PASSADO, a agricultura foi considerada como uma arte e um ofício. HOJE é uma ciência, pois se torna cada vez menos empírica e, ao mesmo tempo, mais eficiente e previsível. É renovada não no campo atrav és de experimentos casuais, mas em laborat órios, campos experimentais, centros de pesquisa, universidades e escolas.
  5. 5. HISTÓRICO DA AGRICULTURA O desenvolvimento da agricultura associou-se à domesticação de espécies . O avanço da agricultura foi acompanhado pelo avanço da degradação, via-de-regra. Exemplos: Mesopotâmia – salinização das terras irrigadas; destruição das florestas e Grécia – degradação dos campos de cultivo ;
  6. 6. HISTÓRICO DA AGRICULTURA Em diversas ocasiões (Ex. final da Idade Média) houveram crises sociais ocasionadas pela baixa produção da agricultura: secas, ataque de pragas, doenças, desgaste do solo, e outras. Por outro lado, tais adversidades fizeram com que o homem do campo acumulasse um vasto conhecimento, ao longo da hist ória, sobre técnicas de preparo do solo, de fertiliza ção, de seleção de espécies e variedades, dentre outras. Tais avanços são registrados na hist ória como as Revoluções Agrícolas.
  7. 7. AGRICULTURA CONVENCIONAL Efeitos: Degradação ambiental (compactação do solo; eliminação, inibição e redução da flora microbiana do solo; perda acentuada do potencial produtivo do solo); Exclusão social (desemprego rural; êxodo rural); Concentração de terra, renda e poder ; Poluição alimentar (absorção desequilibrada de nutrientes, produzindo alimentos desnaturados, prejudicando a cadeia alimentar; também, facilitando o ataque de pragas e doenças);
  8. 8. AGRICULTURA CONVENCIONAL Efeitos: Encarecimento violento dos custos de produção (maquinaria e insumos; monetarização da atividade e endividamento); Erosão cultural (introdução de pacotes tecnológicos fechados; monetariza ção da vida); Aumento da fome (problema não est á na produção, mas na distribui ção dos alimentos); Redução da biodiversidade (Segundo a FAO, a humanidade usou cerca de 7000 esp écies de plantas para se alimentar e 75000 poderiam ser utilizadas; hoje cerca 30 esp écies cobre 90% da dieta mundial).
  9. 9. Perda da biodiversidade: exemplo. Principal Variedade comercial Variedades crioulas de tomate
  10. 10. Perda da biodiversidade: exemplo.
  11. 11. “a agricultura moderna é insustentável – ela não pode continuar a produzir comida suficiente para a população global, a longo prazo, porque deteriora as condições que a tornam possível” (GLIESSMANN, 2001, p. 33).
  12. 12. Para a próxima aula: Em duplas, trazer uma definição do que agroecologia;  Anotar o nome do autor, site ou livro consultados. 
  13. 13. AGRICULTURAS DE BASE ECOLÓGICA Surgiu a partir da segunda metade do s éculo XX (há antecedentes desde o in ício do século). Surgiu como resposta aos problemas ambientais, sociais, econômicos, de sa úde e nutricionais gerados pela agricultura convencional. Contribuíram três grandes aspectos : os movimentos ambientalistas passam a ser propositivos; o livro Primavera Silenciosa (Rachel Carson); e a atitude de respeito à natureza.
  14. 14. AGRICULTURAS DE BASE ECOLÓGICA No Brasil, começou a tomar corpo ao longo da década de oitenta do s éculo XX. Há diversas correntes: agricultura natural, agricultura biológica, agricultura ecol ógica, agricultura biodinâmica, agricultura orgânica e agroecologia. Pela diversidade de correntes e de experiências, foi cunhada a expressão “agriculturas de base ecol ógica” (COSTABEBER & CAPORAL), pois, apesar das diferenças pontuais, há profundas semelhanças – a sustentabilidade dos
  15. 15. AGRICULTURAS DE BASE ECOLÓGICA Agricultura orgânica versus agroecologia. AGRICULTURA ORGÂNICA: Afirmação no mercado; Pacotes tecnológicos verdes (tecnologia limpa); Manutenção da dependência, dos custos elevados, da concentra ção e da exclusão. A agricultura orgânica não representa uma reorganização do sistema de produ ção; poderá reforçar os problemas sociais e econômicos, resolvendo apenas parcialmente os
  16. 16. AGRICULTURAS DE BASE ECOLÓGICA Agricultura orgânica versus agroecologia. AGROECOLOGIA Conceitos/idéias centrais: • Importância fundamental dos microorganismos e da mat éria orgânica; • Solo é um corpo vivo; • Harmonia e equil íbrio entre água, solo e planta; • Holismo – visão sistêmica, visão global, inter-relação;
  17. 17. AGRICULTURAS DE BASE ECOLÓGICA Agricultura orgânica versus agroecologia. AGROECOLOGIA Conceitos/idéias centrais: • Harmonização com a natureza – utilização racional da terra e seus produtos na perspectiva da sustentabilidade de longo prazo.
  18. 18. AGRICULTURAS DE BASE ECOLÓGICA Agricultura orgânica versus agroecologia. AGROECOLOGIA Bases tecnológicas: • Diversificação da produção – biodiversidade; • Melhoria da capacidade produtiva do solo; • Conservação do meio ambiente; • Nutrição equilibrada das plantas (velocidade natural); • Fitossanidade preventiva (aumentar resistência das plantas e equilíbrio do ecossistema) e não curativo;
  19. 19. AGRICULTURAS DE BASE ECOLÓGICA Agricultura orgânica versus agroecologia. AGROECOLOGIA Bases tecnológicas: • Qualidade biológica e sanitária dos alimentos; • Qualidade nutricional dos alimentos; • Otimização do balanço energético ; • Continuidade do fluxo produtivo em longo prazo; • Sementes nativas (crioulas) ; • Conhecimento e recursos locais (end ógeno).
  20. 20. AGRICULTURAS DE BASE ECOLÓGICA Agricultura orgânica versus agroecologia. AGROECOLOGIA Bases sócio-econômicas: • Inclusão social; • Pequena escala (agricultura familiar); • Diminuição da dependência do agricultor acerca dos insumos externos; • Implica em uma consciência que se aplica ao cultural, ao econômico, ao político, ao social e à concepção da vida. • Capital social, capital cultural
  21. 21. Exemplos de sistemas produtivos com biodiversidade
  22. 22. Goiabeiras – PB Zona da Mata
  23. 23. Graviola e mandioca – PB Zona da Mata
  24. 24. Assist. Técnica a Associação de Jovens Rurais PB
  25. 25. “a agroecologia pode prover as diretrizes ecológicas para que o desenvolvimento tecnológico seja apontado na direção certa, mas, no processo, as questões teconlógicas devem assumir o seu devido lugar, servindo como uma estratégia do desenvolvimento rural que incorpore os problemas sociais e econômicos” (ALTIERI, 1989, P. 37) Ela deve envolver e atender os aspectos ambientais, sociais, culturais e econômicos.
  26. 26. FIM

×