Psicopatologia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Psicopatologia

on

  • 4,824 views

Aula Medicina 3o ano

Aula Medicina 3o ano

Statistics

Views

Total Views
4,824
Views on SlideShare
4,817
Embed Views
7

Actions

Likes
4
Downloads
123
Comments
0

3 Embeds 7

https://www.facebook.com 5
https://m.facebook.com&_=1404729088800 HTTP 1
https://m.facebook.com&_=1404729077092 HTTP 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Psicopatologia Psicopatologia Presentation Transcript

  • Psicopatologia Elisa BrietzkeDepartamento de PsiquiatriaEscola Paulista de Medicina
  • Slides da aulawww.slideshare.net/elisabrietzke/psicopatologia
  • Roteiro da aula• Avaliação do paciente em psiquiatria• Semiologia Psiquiátrica • Entrevista psiquiátrica • Exame do estado mental• Psicopatologia • Sinais e sintomas em psiquiatria • Principais síndromes psiquiátricas • O diagnóstico em psiquiatria
  • Objetivos da Avaliação Psiquiátrica• Formar uma aliança terapêutica• Obter informações• Explorar a presença ou ausência de sinais e sintomas• Investigar o impacto dos sinais e sintomas• Entender a perspectiva do paciente e familiares• Hipótese diagnóstica• Plano terapêutico
  • Objetivos da Avaliação Psiquiátrica• Formar uma aliança terapêutica• Obter informações• Explorar a presença ou ausência de sinais e sintomas• Investigar o impacto dos sinais e sintomas• Entender a perspectiva do paciente e familiares• Hipótese diagnóstica• Plano terapêutico 20 a 90 minutos
  • Avaliação Psiquiátrica• Começa assim que o problema é conhecido• Se desenrola durante a entrevista e o EEM• É estruturada mas não é fixa
  • Avaliação Psiquiátrica
  • A Entrevista Psiquiátrica
  • A Entrevista Psiquiátrica1. Dados de identificação2. Queixa principal3. Informantes4. Motivo da consulta ou admissão em hospital5. História da doença atual6. História psiquiátrica pregressa7. História médica geral8. História psicossocial e funcionamento pré-mórbido9. História familiar e heredograma
  • A Entrevista Psiquiátrica10. Exame do estado mental11. Formulação diagnóstica12. Diagnóstico diferencial13. Diagnóstico multiaxial14. Recursos e pontos-forte15. Plano de tratamento
  • A Entrevista Psiquiátrica1. Dados de identificação • Nome completo • Idade • Sexo • Profissão • Estado civil • Naturalidade e procedência
  • A Entrevista Psiquiátrica2. Queixa principal • palavras do paciente
  • A Entrevista Psiquiátrica3. Informantes • Sempre: retardo mental, dependência de substâncias, demência, psicose, agitação • Selecionar o melhor informante • Com o paciente ou sozinho • Confidencialidade
  • A Entrevista Psiquiátrica4. Motivo da consulta ou admissão em hospital • Quem encaminhou • Motivo do encaminhamento • Tipo de internação (voluntária ou involuntária) • Riscos
  • A Entrevista Psiquiátrica5. História da doença atual • Natureza do problema • Gravidade • sofrimento • prejuízo • Início • Curso • Fatores de melhora e piora • Outros sinais e sintomas associados
  • A Entrevista Psiquiátrica6. História psiquiátrica pregressa • Sintomas e diagnósticos prévios • Tratamentos prévios • Efetividade e tolerabilidade dos tratamentos prévios • Percepção das experiências prévias • Internações • Ideação e comportamento suicida
  • A Entrevista Psiquiátrica7. História médica geral • Doenças médicas gerais • Medicamentos e tratamentos • Gravidez, amamentação e puerpério • Uso de método anticoncepcional
  • A Entrevista Psiquiátrica8. História psicossocial e funcionamento pré-mórbido • História pessoal • Eventos estressores • Fatores perinatais • Desenvolvimento, infância e adolescência • História educacional e ocupacional • Relacionamentos íntimos • História social
  • A Entrevista Psiquiátrica9. História familiar e heredograma• Mãe, pai, irmãos, filhos, avós e netos• Diagnósticos, sintomas, álcool e drogas, suicídio, internações
  • Tipos de entrevista Centrada Centradana doença no paciente
  • Tipos de entrevistaCentrada da doença Centrada no paciente• Modelo médico • Modelo introspectivo• Doença como agrupamento de • Doença como experiência sinais e sintomas, com individual evolução típica. • Orientada para sentimentos,• Orientada para sintomas emoções e comportamentos.• Perguntas abertas- perguntas • Psicoterapia fechadas• Ênfase no sofrimento e comportamento que motivou busca de ajuda• DSM, CID
  • Relação médico-paciente• Rapport• Clima favorável para que o paciente se expresse• Conforto• Empatia: “imagine-se pensando e sentindo o que o paciente tem com o nível de insight dele.”• Insight: perspectiva do paciente • CD: “Isso que vc está vendo não é real.” • CP: “Vou dar a você uma medicação que vai ajudar você a não se sentir tão ansioso com essas visões.”
  • Relação médico-paciente• Aliança terapêutica • “Você é o médico. Vou fazer o que você mandar.”• Expertise• Liderança: • Dependência• Confiança
  • Técnicas de Entrevista• Pacientes cooperativos• Pacientes difíceis • Medo das consequencias legais • Opositores • Com dificuldade de se expressar • Amedrontados pelas experiências psíquicas • Outra cultura • Dificuldade de estabelecer vínculos • Agressivos
  • Técnicas de Entrevista• Proteja-se sempre!• Risco de violência- paciente: • agitado no PS • em contexto forense • psicótico • com delirium ou demência • portador de arma de fogo ou arma branca • intoxicado • ambiente não controlado (domicílio)
  • Técnicas de Entrevista• Ter um escape• Evitar comportamentos que provoquem raiva• Permitir que o paciente fale sobre sua raiva• Tenha um familiar, colega ou outra pessoa presente• Evite brincos, cabelos soltos, etc.
  • Início da Entrevista• Se apresentar e apresentar outros membros da equipe• Orientar sobre os procedimentos da entrevista• Permitir que o paciente fale sobre sua raiva• Tenha um familiar, colega ou outra pessoa presente• Evite brincos, colares grades, cabelos soltos, etc.• Pergunta aberta• Perguntas fechadas• Anotações
  • O que não se deve fazer...• Julgamentos morais, religiosos, políticos• Demonstrar irritação, tédio, pressa, ansiedade• Interromper bruscamente o relato para obter informações mais precisas• Expôr de forma direta as contradições do paciente• Dar explicações ou conclusões prematuramente• Pôr em dúvida sintomas referidos ou relatados• Evitar perguntas que envolvam mais de um tema simultaneamente.
  • Exame do Estado MentalMétodos• Observação • Aparência • Nível de consciência • Atividade psicomotora • Linguagem corporal • Afeto
  • Exame do Estado Mental• Conversação • Fala • Inteligência • Pensamento • Insight • Afeto • Julgamento • Conteúdo do pensamento • Concentração • Memória
  • Exame do Estado Mental• Exploração: colaboração do paciente • Conteúdo do pensamento (obsessões, ideias de suicídio ou agressão) • Amnésias • Mudanças de personalidade • Sensações somáticas • Confirmação de impressões do clínico
  • Exame do Estado Mental• Testagem: alto grau de cooperação • Componente quantitativo do EEM • Amnésias • Mudanças de personalidade • Sensações somáticas • Confirmação de impressões do clínico
  • EEM- Objetivos• Elucidar a psicopatologia atual• Sintomas: o que é referido pelos pacientes• Sinais: o que pode ser observado• Descrição “fotográfica”.
  • Sintomas Psiquiátricos• Forma• Conteúdo
  • Dificuldades no EEM Pacientes Mutismo, Estupor (paciente consciente mas em catatonia). É importante assegurar-seIrresponsivos que: 1.O paciente entende a língua 2.Houve tempo para a resposta 3.Vários tópicos foram tentados 4.O paciente consegue ou não expressar- se por escrito. 5.Os olhos estão fechados ou abertos. 6.Fazer um exame neurológico.
  • Dificuldades no EEMPacientes Agitados Mania. 1.Evitar muitas perguntas. 2.Observações do comportamento 3.Contenção mecânica (melhorar ou piorar).
  • Dificuldades no EEMPacientes Confusos Pacientes que apresentam-se confusos, amedrontados, perplexos, desorientados. Sempre entrevistar um acompanhante.
  • EEM- FunçõesConsciência• Consciente/lúcido• Torpor• Estupor• Coma
  • EEM- FunçõesAparência e comportamento• Aparência geral: roupas, cabelos, maquiagem, peso idade, asseio.• Expressão facial: humor, ansiedade, mímica facial.• Postura• Movimento: atividade psicomotora, agitação, mov. Involuntários, tiques, distonias,• Comportamento social: desinibição, comp. bizarro• Sinais de violência iminente
  • EEM- FunçõesAtenção e Concentração• Habilidade de direcionar e manter o foco.• Teste dos 7• Hipo/hipervigil• Hipo/hipertenaz
  • EEM- FunçõesSenso-percepção• Alterações quali ou quantitativas das sensações e percepções.PERCEPÇÃO Vs. IMAGINAÇÃO• Imaginação eidética
  • EEM- FunçõesSenso-percepção• Intensidade Mania: cores vívidas, aumento da percepção sonora Depressão: redução da intensidade das cores e sons Alucinógenos• Qualidade Ilusões: interpretação errônea do estímulo externo. Ocorre nas seguintes situações: 1. Privação sensorial 2. Desatenção 3. Prejuízo da consciência 4. Estímulo emocional
  • EEM- FunçõesSenso-percepção• Qualidade Alucinações: Percepção na ausência de um estímulo externo. Características fundamentais: percepção verdadeira fora da cabeça Tipos de alucinações 1. Auditivas 2. Visuais 3. Gosto e cheiro 4. Táteis 5. Sensações corporais
  • EEM- FunçõesOrientação• Tempo• Espaço• Pessoa
  • EEM- FunçõesMemória• Avaliada diretamente ou através de indícios dados pelo comportamento.• MMSE• Imediata • Conversação ou Span de dígitos• Recente • Conversação ou perguntas específicas• Remota • Eventos pessoais ou públicos do passado
  • EEM- FunçõesMemória• Amnésia anterógrada.• Amnésia retrógrada.• Deja vu e Jamais vu• Confabulação
  • EEM- FunçõesInteligência• Inferida no EEM.• Capacidade de interpretação de conceitos complexos, abstratos• Interpretação de provérbios
  • EEM- FunçõesAfeto• Subjetivo.• Diferenciar de humor= objetivo1. Natureza: • Deprimido • Eutímico • Elação • Euforia • Irritável
  • EEM- FunçõesAfeto2. Constância: • Modulado • Labilidade • Incontinência afetiva • Hipomodulado • Plano3. Congruência: • Congruente • Incongruente
  • EEM- FunçõesPensamentoInferido a partir da fala, escrita e comportamento.Anormalidades no fluxo: • Rápido • Pobreza • BloqueioAnormalidades da forma (associações): • Fuga de ideias • Perda das associações • Perseveração
  • EEM- FunçõesPensamentoAnormalidades no conteúdo: • Preocupações • Pensamentos mórbidos (culpa, suicídio, desamparo, etc) • Obsessões • Ideias supervalorizadas • Delírios
  • EEM- FunçõesPensamentoDelírios: crença falsa, firme e inadequadamente arraigada, não é afetada pelo pensamento racional e não é compatível com nível educacional e contexto cultural do indivíduo.PrimárioSecundário
  • EEM- FunçõesPensamentoDelírios: • Persecutório • Referência Bizarros • vs. Grandiosidade Não-bizarros • Culpa • Niilista • Hipocondríaco • Ciúme • Sexual ou amoroso • Controle • Possessão, roubo, inserção e irradiação de pensamento
  • EEM- FunçõesPensamentoDelírios: fenômenos específicos • Humor delirante • Percepção delirante • Memória delirante • Folie à deux
  • EEM- FunçõesPensamentoObsessões: pensamentos recorrentes e persistentes, impulsos, imagens que invadem a mente apesar do indivíduo tentar impedi-los, reconhece como sem sentido e produto da sua mente. • Ruminações obsessivas • Dúvidas obsessivas • Impulsos obsessivos • Imagens obsessivas
  • EEM- FunçõesPensamentoObsessões: temas comuns1. Sujeira e contaminação2. Agressão3. Ordem e simetria4. Doença5. Sexo6. Religião e blasfêmia
  • EEM- FunçõesLinguagemFala1. Velocidade: Bradilálico Normolálico Taquilálico1. Curso: Circunstancialidade Impressionismo Tangencialidade
  • EEM- FunçõesInsightExtensão em que o paciente é capaz de entender seus próprios sintomas, doença, prognóstico e tratamento de forma semelhante ao entendimento que o médico tem.1. Velocidade: Bradilálico Normolálico Taquilálico1. Curso: Circunstancialidade Impressionismo Tangencialidade
  • Diagnóstico em Psiquiatria• Por que diagnosticar? • Estudar grupos de pacientes com características específicas • Comunicar-se adequadamente com outros profissionais • Predizer um etiologia comum e um curso previsível• Como diagnosticar? • Buscar abarcar a complexidade e as características únicas de casa paciente • Diagnóstico multiaxial
  • Diagnóstico Multiaxial• Eixo 1: doenças mentais propriamente ditas• Eixo 2: quadros que persistem por toda a vida (retardo mental e transtornos de personalidade).• Eixo 3: doenças físicas• Eixo 4: problemas sociais• Eixo 5: extensão do prejuízo funcional
  • Critérios Diagnósticos
  • Critérios Diagnósticos• Características principais• Características associadas• Duração• Gravidade• Exclusões