Biblioteca como espaço de mediação, expressão e inovação

2,919 views
2,734 views

Published on

Apresentação realizada na Biblioteca da Faculdade de Saúde Pública da USP em 2007.

Published in: Education, Technology
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,919
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
14
Actions
Shares
0
Downloads
59
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Biblioteca como espaço de mediação, expressão e inovação

  1. 1. Biblioteca como espaço de mediação, expressão e inovação Elisabeth Adriana Dudziak 2007
  2. 2. Biblioteca como espaço de mediação Biblioteca como espaço de expressão Biblioteca como espaço de inovação
  3. 3. Espaço de mediação Desfazer os nós, trabalhar junto
  4. 4. Leitura na Escola – Projeto desenvolvido na Índia
  5. 5. Mediação em Bibliotecas - Ásia
  6. 6. Processo conjunto de construção de significados entre bibliotecários e usuários
  7. 7. Mediação • A mediação na biblioteca é sempre um processo de aprendizado que propõe construir nas pessoas o pensar organizado. Busca-se favorecer a aquisição de competências relacionadas à informação e ao conhecimento. • Conhecer, fazer, saber ser e estar no mundo. • É colocar-se no lugar do “outro” , entendendo o seu espaço e o seu tempo de aprendizado.
  8. 8. Mediar é... – Ouvir, perguntar, dialogar, a fim de cooperar. É uma relação recíproca. É construir pontes entre as pessoas. – A mediação é intencional e organizada. – Necessita flexibilidade e abertura. – É informal, exigindo porém um envolvimento no processo.
  9. 9. Início da Mediação Troca de Informações Negociação Consensos e Conclusão
  10. 10. Competência em Informação Processo de internalização de habilidades, conhecimentos e valores relativos à informação, ao conhecimento e à aprendizagem Uma pessoa competente em informação tem consciência de: t Que tem necessidade de informação aQue sabe onde buscar sQue sabe como acessar eQue sabe organizar a informação aQue reflete sobre a informação e a transforma em conhecimento eQue compartilha com outros a informação cQue produz novas informações e conhecimentos Que aprende Que se transforma em uma pessoa melhor aQue pode transformar a sociedade
  11. 11. O que é ser competente em informação (information literate) • É uma pessoa que: – Conhece e se apropria do universo da informação; – Sabe como buscar, acessar, organizar e apresentar a informação; – Avalia criticamente esta informação; – Considera as implicações de suas ações e conhecimentos; – É um aprendiz independente; – Aprende ao longo da vida.
  12. 12. Espaço de expressão
  13. 13. Teatro de Marionetes – Portugal
  14. 14. Bronx Library Center for Learning and Knowledge
  15. 15. Bibliothèque de l’Assemblée - Ontario Canada
  16. 16. Biblioteca de Engenharia Elétrica da POLI
  17. 17. Sikeston Public Library's Mother-Daughter Tea
  18. 18. Memorial da América Latina- Brasil
  19. 19. Biblioteca da Comunidade Chico Mendes
  20. 20. Biblioteca como espaço de expressão •Biblioteca como espaço da comunidade •Democratizar a informação •Contribuir na formação para a recepção e produção de bens culturais, a partir de: - Incentivo à leitura; - Diversidade das expressões culturais; - Colaboração para a produção cultural e sua disseminação; - Estímulo à participação popular. • Cultura viva e vivida • Ação cultural
  21. 21. Espaço de inovação Bibliotheek Amsterdam Oosterdokseiland
  22. 22. The Bibliotheca Alexandrina
  23. 23. Second Life 3D Virtual World
  24. 24. The librarians in Second Life
  25. 25. The librarians of Second Life have a staff meeting
  26. 26. • Inovar é... – Abrir a mente às novidades – Pensar diferente, superar modelos mentais consolidados, aprender – Processo de apropriação social – A emergência de irregularidades logo legitimadas a partir de movimentos e imperativos sociais, tecnológicos e de mercado – Ver as bibliotecas como parceiras na construção da Sociedade do Conhecimento
  27. 27. • Inovações – Centradas nos usuários/clientes – Inclusão, aprendizado, vida social – Novos bibliotecários, mais próximos do público – Participação comunitária – Bibliotecas globais – Inovações conjuntas • Todos os materiais acessíveis pela Internet • Espaços flexíveis – novo design • Espaços interativos virtuais (Fusão do real com o virtual) • Eventos
  28. 28. Bibliotecas Crise de valores 2005-... Complexidade Crise de identidade 2002- Integração à Educação e seus processos Crise de controle 1998-2002 – Gestão do Conhecimento Crise estrutural 1994-1998 – Bibliotecas Virtuais, Redes de informação 1990-1994 – Informação como Recurso Tempo (Fo nte : Adaptado de Ge rryts , 2004)
  29. 29. Visão do Poder Público ... no Brasil 2005- Casas Brasil – Integração, Telecentros, Complexidade Bibliotecas Digitais, Leitura, Mediação Pedagógica 1998-2004 – Alfabetização Digital, EAD, Bibliotecas Digitais, Virtuais, Portais, Vortais, Telecentros, popularização da Ciência 1996-1998 – Programa Sociedade da Informação, Alfabetização Computacional, OPACs, Bibliotecas Eletrônicas 1988-1996 – Bitnet, ANSP, RNP, Infra- estrutura de Tecnologia de Informação e Comunicação 1976-1988 - Rede de informação em C & T Tempo
  30. 30. Ciclo de Vida das Bibliotecas ? Inovação Maturidade Crescimento Declínio? Formação Serviços Serviços de Virtualização Gestão de Integração nos Bibliotecários Informação Conhecimento processos acadêmicos 1980-1990 1990-1994 1994-1998 1998-2002- 2002- (Fo nte : Traduzido de Ge rryts , 2004)
  31. 31. Visão do Poder Público ... no Brasil Complexidade Comportamento (do grupo) Comportamento (do indivíduo) Atitudes Conhecimentos Tempo (Fo nte : Traduzido de Ge rryts , 2004)
  32. 32. IATUL Conferences • 2008 – Descobertas digitais • 2007 – Acesso global à Ciência • 2006 – Bibliotecas imersas em aprendizado e investigação • 2005 – Informação e inovação • 2004 – Gestão de bibliotecas em tempos de transformação • 2003 – Bibliotecas e educação em ambientes de redes de informação • 2002 – Parcerias e consórcios
  33. 33. IFLA Conferences • 2008 – Bibliotecas sem fronteiras – navegando em direção ao entendimento global • 2007 – Bibliotecas para o futuro: progresso, desenvolvimento e parcerias • 2006 – Bibliotecas - engenhos dinâmicos para a sociedade da informação e do conhecimento • 2005 – Bibliotecas – uma viagem de descoberta • 2004 – Bibliotecas – ferramentas para a educação e o desenvolvimento • 2003 – Biblioteca-ponto de acesso – meio, informação e cultura • 2002 – Bibliotecas para a vida – democracia, diversidade e entrega
  34. 34. Matriz para quatro cenários de desenvolvimento da Biblioteca Alta retenção de valores Biblioteca Biblioteca convencional transformadora Eco-Estrutura Eco-Estrutura fraca Ausência de Biblioteca forte Biblioteca tecnocentrista Baixa retenção de valores (BELL, 1999)
  35. 35. Biblioteca transformadora • Ambiente de sustentabilidade – social, ambiental e econômica • Transparência e clareza de propósitos • nfase em valores e na cultura de valores • Colaboração interna e externa – ultrapassar fronteiras • Visão de futuro: learning organization
  36. 36. Diferentes visões sobre a Biblioteca Biblioteca como espaço de inovação Biblioteca como espaço de encontro e expressão Biblioteca como espaço de estudo, leitura e aprendizado Biblioteca como espaço de acesso e acervo
  37. 37. Referências BELL, S. Using the scenario approach for achieving sustainable development in academic Libraries. In: ACRL NATIONAL CONFERENCE, 9., Detroit,1999. Proceedings. ALA, 1999. Disponível em: http://www.ala.org/ala/acrl/ Acesso em out. 2007. GERRYTS, E.D. Managing challenges of the academic library: Shift the paradigm and put the library on the move. In: ANNUAL IATUL CONFERENCE, 24., Ankara, 2004. Proceedings. 2004. Disponível em: http://www.iatul.org/doclibrary/public/Conf_Proceedings/2003/ GERRYTS.ppt Acesso em: out. 2007.

×