Infertilidade humana

5,014 views
4,743 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,014
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
106
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Faça clique para adicionar notas
  • Faça clique para adicionar notas
  • Faça clique para adicionar notas
  • Faça clique para adicionar notas
  • Faça clique para adicionar notas
  • Infertilidade humana

    1. 1. Infertilidade Humana
    2. 2. Manipulação da fertilidade <ul>Infertilidade: incapacidade temporária ou permanente de procriar. Segundo OMS, é a ausência de concepção depois de pelo menos dois anos de relações sexuais não protegidas . </ul>
    3. 3. Manipulação da fertilidade
    4. 5. Infertilidade <ul>Absolutas: <li>Casos irreversíveis que só
    5. 6. podem ser ultrapassados por
    6. 7. técnicas de procriação medi-
    7. 8. camente assistida- esterilidade </li></ul><ul>Relativas: <li>Causas não definidas, podem ser ultrapassadas por terapêuticas clássicas - hipofertilidade. </li></ul><ul>Causas: </ul>
    8. 9. Infertilidade <ul>Causas: </ul><ul>Ambientais </ul><ul>Psicossociais </ul><ul>Biológicos </ul>
    9. 10. <ul>Nota: de entre todos os fatores que influenciam a infertilidade, está aprovado que a idade da mulher é o fator que mais contribui para o decréscimo da fertilidade . </ul>Infertilidade Fatores que contribuem para o decréscimo da infertilidade
    10. 11. Fatores que contribuem para o decréscimo da infertilidade <ul>Psicossociais <li>Crescente aposta na escolarização e carreira profissional feminina;
    11. 12. Estilos de vida marcados pela depressão, fármacos, tabaco, etc.
    12. 13. Comportamentos e disfunções sexuais de alguns indivíduos;
    13. 14. Atividade sexual precoce </li></ul><ul><li>Maior nº parceiros sexuais;
    14. 15. Maior exposição as DSTs;
    15. 16. Gravidez indesejada;
    16. 17. Abortos;
    17. 18. Uso prolongado de contraceptivos </li></ul>
    18. 19. Fatores que contribuem para o decréscimo da infertilidade <ul>Ambientais </ul><ul>A determinação do contributo destes fatores parece ser essencial para a alteração de hábitos de vida, podendo contribuir, numa perspectiva preventiva, para a saúde reprodutiva. </ul>
    19. 20. Fatores que contribuem para o decréscimo da infertilidade <ul>Ambientais </ul><ul>Físicos: Calor, radiações não ionizantes, ruídos e vibrações </ul><ul>Químicos: Exposição prolongada a pesticidas, metais, solventes orgânicos, drogas, álcool, dieta, agentes citotóxicos e gases anestésicos. </ul>
    20. 21. Fatores que contribuem para o decréscimo da infertilidade <ul>Biológicos </ul>Masculinos Disfunções hormonais: (pode ser causado pelo stress crónico) <ul><li>Produção insuficiente ou nula de espermatozíodes;
    21. 22. Produção de espermatozóides de fraca qualidades; </li></ul>Disfunções metabólicas: <ul><li>Mau fucionamento da próstata ou vesícula seminal;
    22. 23. Gametogénese anormal;
    23. 24. Inviabilidade da sobrevivência do espermatozóide. </li></ul>
    24. 25. Fatores que contribuem para o decréscimo da infertilidade <ul>Biológicos </ul>Masculinos Deficiências testiculares: <ul><li>Danos ao nível dos testículos;
    25. 26. Malformações dos testículos;
    26. 27. Anomalias congéntas;
    27. 28. Presença de varicocelos
    28. 29. Cancro testicular </li></ul>Fator tubárico: <ul><li>Problemas hormonias ou deficiências nos ductos impedindo a maturação e transporte para o exterior. </li></ul>
    29. 30. Fatores que contribuem para o decréscimo da infertilidade <ul>Biológicos </ul>Masculinos Infertilidade imunológica: <ul><li>Deficiências na mobilidade dos gâmetas e/ou na sua capacidade fecundativa, devido aos anticorpos produzidos pelo organismo, na sequência de traumas, infecções ou vasectomias. </li></ul>Disfunções sexuais: <ul><li>Anomalias na libertação de gâmetas -ejaculação retrógrada;
    30. 31. Disfunção erétil;
    31. 32. impotência. </li></ul>
    32. 33. CARACTERÍSTICAS DOS ESPERMATOZÓIDES NÚMERO – durante uma ejaculação normalmente expulsam-se 2 a 5 ml de esperma, contendo 15 a 250 milhões de espermatozóides por ml. Estes podem não existir - azoospermia – ou então, encontrar-se em número reduzido. MOBILIDADE ESPERMÁTICa - pelo menos 50% dos espermatozóides produzidos devem ser móveis e 25% devem movimentar-se rapidamente.
    33. 34. CARACTERÍSTICAS DOS ESPERMATOZÓIDES MORFOLOGIA - os espermatozóides com cabeças não ovais, peças intermédias partidas ou mal-formadas, ou com flagelos incapazes de gerar movimento, apresentam problemas de participar na fecundação. Segundo a OMS 60% dos espermatozóides deve possuir morfologia normal.
    34. 35. INFERTILIDADE MASCULINA
    35. 36. Fatores que contribuem para o decréscimo da infertilidade <ul>Biológicos </ul>Femininos Perturbações na ovulação provocadas por disfunções hormonais: Ausência de ovulação; Ovulação pouco frequente. Perturbações na ovulação provocadas por disfunções ováricas: <ul><li>As alterações ováricas, como por exemplo tumores, podem impedir a maturação dos folículose consequente libertação do oócito. </li></ul>
    36. 37. Fatores que contribuem para o decréscimo da infertilidade <ul>Biológicos </ul>Femininos Anomalias nas trompas de Falópio: Bloqueio das trompas; Danificação, alteração ou obstrução. endometriose: <ul><li>Tecido hormonal cresce e descama fora do útero, originando lesões em qualquer ponto da pélvis. </li></ul>
    37. 38. Fatores que contribuem para o decréscimo da infertilidade <ul>Biológicos </ul>Femininos Disfunções uterinas: <ul><li>Malformações e alterações da posição do útero;
    38. 39. Presença de quistos. </li></ul>Problemas no colo do útero: <ul><li>Obstrução do cevix;
    39. 40. Produção de um muco cervical muio espesso que bloqueia a entrada dos espermatozóides. </li></ul>
    40. 41. Fatores que contribuem para o decréscimo da infertilidade <ul>Biológicos </ul>Femininos Infertilidade imunológica: <ul><li>Produção de anticorpos antiesperma;
    41. 42. Produção de anticorpos antifosfolipídicos – reagem contra o embrião. </li></ul>
    42. 43. INFERTILIDADE FEMININA

    ×