parametros qualidade agua

28,171 views
27,860 views

Published on

Published in: Health & Medicine
1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
28,171
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
49
Actions
Shares
0
Downloads
328
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

parametros qualidade agua

  1. 1. <ul><li>1. Parâmetros de qualidade de água para consumo humano; </li></ul>CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PEDRO D’ARCÁDIA NETO Elias Fernando Daniel - Farmacêutico Industrial
  2. 2. <ul><li>É a água para consumo humano cujos parâmetros microbiológicos, físicos, químicos e radioativos atendam ao padrão de potabilidade e que não ofereça risco à saúde </li></ul><ul><li>Pode ser consumida por pessoas e animais sem riscos de adquirirem doenças por contaminação da mesma. Ela pode ser oferecida à população urbana ou rural com ou sem tratamento prévio </li></ul>Água Potável
  3. 3. Água Potavel <ul><li>Dados provam que 70% do planeta é constituído de água, sendo que somente 3% são água doce. O que quer dizer que a maior parte da água própria para consumo é mínima perto da quantidade total de água da Terra. </li></ul><ul><li>O tratamento de água visa reduzir a concentração de poluentes até o ponto em que não apresentem riscos para a saúde pública . </li></ul>
  4. 4. <ul><li>A demanda crescente dos diversos usos de água tem </li></ul><ul><li>despertado o interesse dos mais variados setores motivando-os a elaborar modelos de uso e gestão capazes de compatibi-lizar as demandas com a relativa escassez do produto e a sua qualidade adequada. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>A qualidade da água tem sido comprometida desde o manancial, pelo lançamento de efluentes e resíduos , exigindo investimento nas plantas de tratamento e mudanças na dosa gem de produtos para se garantir a qualidade da água na saída das estações </li></ul>
  6. 6. <ul><li>A água de abastecimento público deve apresentar-se sem sabor, cor ou cheiro , para que a sua ingestão seja saudável e agradável. Seguir os parâmetros de qualidade. </li></ul>
  7. 7. Legislação <ul><li>Ministério da saúde, estabelece padrões de qualidade produção e distribuição de água potável. </li></ul><ul><li>A legislação define, ainda, a quantidade mínima e a freqüência em que as amostras de água devem ser coletadas, bem como os parâmetros e limites permitidos. </li></ul><ul><li>O controle da qualidade da água de consumo humano se tornou uma ação de saúde pública a partir da década de 1970, </li></ul>
  8. 8. <ul><li>1975- M.S institui padrões de qualidade pra água </li></ul><ul><li>1077 – Padrão de potabilidade </li></ul><ul><li>1988- Nova constituição </li></ul><ul><li>2000- Procedimentos e controles na qualidade da agua </li></ul><ul><li>2004 -Portaria n.º 518 Ministério da Saúde, estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para uso humano. </li></ul>
  9. 9. 3 Componentes <ul><li>a) a análise permanente e sistemática da informação sobre a qualidade da água para confirmar se o manancial, o tratamento e a distribuição atendem aos objetivos e regulamentos estabelecidos na legislação vigente; </li></ul><ul><li>b) avaliação sistemática das diversas modalidades de fornecimento de água às populações, seja coletiva ou individual, de forma a verificar o grau de risco representado à saúde pública em função do manancial abastecedor, adequabilidade do tratamento e questões de ordem operacional; </li></ul><ul><li>c) análise da evolução da qualidade físico, química e microbiológica, e sua correlação com as enfermidades relacionadas com a qualidade da água em todo o sistema de abastecimento de água, a fim de determinar o impacto na saúde dos consumidores. </li></ul>
  10. 10. Parametros para analise da qualidade <ul><li>1) Parâmetros organolépticos e de natureza físico química. </li></ul><ul><li>2) Parâmetros microbiológicos </li></ul><ul><li>3) Parâmetros considerados como substâncias indesejáveis e outros correspondentes a substâncias tóxicas  </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Atualmente, o Brasil conta com a Portaria n. 518 (2004), da Secretaria de Vigilância em Saúde, estabelece critérios, parâmetros e padrões de qualidade para água usada para consumo humano. Dentre os parâmetros cujos limites foram fixados pela Portaria n. 518 (2004) estão incluídos os níveis de de substâncias. </li></ul>
  12. 12. Parâmetros de Qualidade <ul><li>COR: </li></ul><ul><li>A Cor é uma medida que indica a presença na água de substâncias dissolvidas, ou finamente divididas (material em estado coloidal). Assim como a turbidez, a cor é um parâmetro de aspecto estético de aceitação ou rejeição do produto. </li></ul><ul><li>De acordo com a Portaria 518/04 do Ministério da Saúde o valor máximo permissível de cor na água distribuída é de 15,0 U.C. </li></ul>
  13. 13. Turbidez <ul><li>É a medição da resistência da água à passagem de luz. É provocada pela presença de material fino (partículas) em suspensão (flutuando/dispersas) na águA. A turbidez é um parâmetro de aspecto estético de aceitação ou rejeição do produto. De acordo com a Portaria 518/04 do Ministério da Saúde o valor máximo permissível de turbidez na água distribuída é de 5,0 NTU. </li></ul>
  14. 14. Padrão de Turbidez
  15. 15. pH <ul><li>O pH é uma medida que estabelece a condição ácida ou alcalina da água . É um parâmetro de caráter operacional que deve ser acompanhado para otimizar os processos de tratamento e preservar as tubulações contra corrosões ou entupimentos. É um parâmetro que não tem risco sanitário associado diretamente à sua medida. De acordo com a Portaria 518/04 do Ministério da Saúde a faixa recomendada de pH na água distribuída é de 6,0 a 9,5. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Flúor </li></ul><ul><li>O flúor é um elemento químico adicionado à água de abastecimento, durante o tratamento, devido à sua comprovada eficácia na proteção dos dentes contra a cárie. </li></ul><ul><li>O teor de flúor na água é definido de acordo com as condições climáticas (temperatura) de cada região, em função do consumo médio diário de água por pessoa. Para o estado de São Paulo o teor ideal de flúor é de 0,7 mg/l (miligramas por litro) podendo variar entre 0,6 a 0,8 mg/l . A ausência temporária ou variações de flúor na água de abastecimento não tornam a água imprópria para consumo. </li></ul>
  17. 17. Padrão microbiológico <ul><li>A água potável deve estar dentro padrão MO </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Coliformes </li></ul><ul><li>É um grupo de bactérias que normalmente vivem no intestino de animais de sangue quente, embora alguns tipos possam ser encontrados também no meio ambiente. </li></ul>
  19. 20. Padrão de substâncias Risco a Saúde
  20. 24. Padrão de radiotividade
  21. 25. Padrão de aceitação
  22. 26. Padronização <ul><li>Conferiu qualidade a água pra consumo humano </li></ul><ul><li>Referência pra todas as unidades do pais </li></ul>
  23. 27. - CONAMA – CONSELHO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE. Resolução n. 357 de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes. Brasília, 17mar. 2005. - PROGRAMA NACIONAL DE VIGILANCIA EM SAÚDE AMBIENTAL, Relacionada a Qualidade da Água para consumo humano, Brasília, 2005. - BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de vigilância em saúde, coordenação geral de vigilância em saúde ambiental, PortariaMS nº 518/2004 Brasília, 2005 Bibliografia
  24. 28. Obrigado!!!

×