• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Chamados - João, discipulo amado
 

Chamados - João, discipulo amado

on

  • 9,730 views

 

Statistics

Views

Total Views
9,730
Views on SlideShare
9,730
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
62
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Chamados - João, discipulo amado Chamados - João, discipulo amado Presentation Transcript

    • SÉRIE:
      OS CHAMADOS
      JOÃO;
      O DISCÍPULO AMADO
    • 23 Um deles, o discípulo a quem Jesus amava, estava reclinado ao lado dele.
      24 Simão Pedro fez sinais para esse discípulo, como a dizer: "Pergunte-lhe a quem ele está se referindo".
      25 Inclinando-se esse discípulo para Jesus, perguntou-lhe: "Senhor, quem é?"
      JOÃO 13.23-25
    • João:
      nome que significa, Deus é gracioso.
      Era filho de Zebedeu, irmão mais novo de Tiago (Mt 10.2-4), provavelmente sua mãe era Salomé, uma das mulheres que levaram ungüento no túmulo de Jesus (Mc 16.1 cfe. Mt 27.56). Seu pai tinha empregados, por isso talvez certa posição social (Mc 1.20).
    • Jesus apelidou a ele e seu irmão de “Boanerges”, que significa “filhos do trovão”, por seu caráter intempestivo (Mc 3.17, Lc 9.49). Certamente João era “o discípulo que Jesus amava” (Jo13.23; 19.26; 20.2; 21.7,20).
      Foi incumbido de cuidar de Maria aos pés da cruz do Mestre (Jo 19.26,27). Ele pastoreava em Éfeso quando foi exilado na Ilha de Patmos, e ali escreveu o Apocalipse no ano 95dC.
    • João era um jovem cheio de fé, expectativas messiânicas e devoção a Deus, mas é lembrado e mencionado como alguém que confiava no amor de Deus, ou “o discípulo que Jesus amava” (v.23).
      João, maior escritor dos apóstolos (5 livros) mais do que outro qualquer falava profundamente do amor de Deus: “Deus é amor”, “perdoados por amor”; “grande amor nos concedeu o Pai”, “conhecemos o amor”; “cremos no amor que Deus nos tem” - (1Jo 4.8; 2.7; 3.1;3.16; 4.16).
    • É MARAVILHOSO CRER NO AMOR DE DEUS POR NÓS.
      “Deus ama cada um de nós como se houvesse apenas um para amar”. (Agostinho)
    • Descanse. Deus te ama muito.
      Assim que você começou a orar, houve uma resposta, que eu lhe trouxe porque você é muito amado. (Dn 9.23)
    • 1. A NÃO NECESSIDADE DE AUTO-PROMOÇÃO (v.23,24)
      - O “discípulo amado” não tem orgulho do seu status, não precisa se auto-afirmar, ou promover-se publicamente em seus escritos.
      - Não há referências ao seu nome pessoal no livro.
      “Algumas coisas são amadas porque tem valor. Algumas coisas tem valor porque são amadas”. (Ian Pitt-Wattson, Seminário Fuller)
    • 2. ATITUDE DE INTIMIDADE (v.23)
      - João demonstra confiar no amor de Cristo pelo modo como se porta diante dele. Ele reclina sobre Jesus, debruça-se, entrega-se. Ele relaxa diante de Deus, sem medo, sem preocupação de ser avaliado, ser cobrado ou julgado. Ele desfruta da presença de Jesus.
      -A oração: Momento de intimidade, é você, no seu quarto, com aquele que te vê em secreto.
    • 3. RECONHECIMENTO DOS DEMAIS (v.24)
      - A intimidade com Cristo é sempre visível, perceptível. Até porque ninguém que é íntimo de Cristo gostaria de esconder esse feito.
      - Pedro, outro discípulo chegado de Cristo, pede que João investigue, interceda, faça algo que os outros não puderam fazer. Quem é amado de Deus é sempre inquerido a interceder por outros.
    • Declarou Robert Murray McCheyne: -
      “Se eu pudesse ouvir Cristo orando por mim na sala ao lado, eu não temeria milhões de adversários. Sem dúvida a distância não faz a mínima diferença. Ele está orando por mim neste momento: “...vivendo sempre para interceder por eles...”
    • 4. A OUSADIA DE QUESTIONAR O MESTRE (v.25)
      - João demonstra total certeza no amor de Cristo ao não se incomodar, ou amedrontar-se em questionar ao Mestre.
      - John Donne, três epidemias de peste bubônica em Londres. 40 Mil pessoas mortas, e o próprio Donne doente. “Porque eu Senhor?”. Mas nunca excluiu Deus dos propósitos de sua vida, até que aprendeu a encontrar Deus nos sofrimentos.
    • Inglaterra vislumbrou um amor parecido em 1878. A segunda filha da Rainha Victoria era a Princesa Alice. O filho dela, aos quatro anos, ficou infectado com uma aflição horrível conhecida como difteria preta. Os médicos quarentenaram o menino e avisaram a mãe para se manter afastada dele.
      Mas ela não pôde. Um dia ela o escutou sussurrando para a enfermeira, “Por que minha mãe não me beija mais?” As palavras derreteram o coração dela. Ela correu ao filho e o cobriu de beijos. Dentro de alguns dias, ambos foram enterrados.