Your SlideShare is downloading. ×
Alf. ler e escrever
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Alf. ler e escrever

1,612
views

Published on


0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,612
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
33
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Disciplina de Fund. e Metod. da Alfabetização e Letramento. Profª. Nara Nehme Borges Alunas: Eliane Maricato e Marina Maricato
  • 2. Artigo: “Não apenas o texto, mas o diálogo em língua escrita é o conteúdo da aula de português”. “Ler é produzir sentido. Ensinar a ler é contextualizar textos: o leitor atribui ao texto que tem diante de si o sentido que lhe é acessível.” (GUEDES, 1999,pag.135).
  • 3. Ensinar a ler é alfabetizar e levar o aluno a decifrar os códigos. Dar condições para que os alunos dominem a língua escrita através da ortografia e regras, mas que também saibam interpretar e entender diversos tipos de textos.
  • 4. O português padrão por uma questão política- cultural é a que devemos ler e escrever, mas não é a que falamos. É preciso ensinar o português aos alunos para que eles possam ser capazes de entender o que está sendo lido.
  • 5. É tarefa da escola ensinar a língua escrita... “Ensinar português(...) e não tratar os alunos como se devessem ter aprendido a língua escrita antes de chegar na escola, pois eles só vão poder aprender português, uma língua que não falam, na escola, lendo uma grande quantidade de textos, expondo-se à língua escrita assim como aprenderam a língua que falam ouvindo por toda a parte e tentando falar como falavam as pessoas ao seu redor.” (GUEDES, 1999, pag.141).
  • 6. Quantos professores preocupam-se em ensinar os alunos a produzir um texto? A maioria dos professores não fazem antes de solicitar um resumo de um texto aos seus aluno, uma síntese, para verificar a real dificuldade dessa tarefa. Muito poucos também não usam dos erros para que se tornem construtivos. A grande maioria dos professores trabalham exigindo textos perfeitos dos alunos sem ter dado base aos mesmos.
  • 7. “Para o aprofundar a leitura dos textos importantes para a formação dos alunos, solicitar que cada aluno expresse o seu entendimento desses textos com vistas a um confronto de leituras por meio da leitura em voz alta do texto, da produção de resumos comparativos de diferentes textos sobre o mesmo assunto.” (GUEDES, 1999, pag.141).
  • 8. Somos capazes de escrever... Essa capacidade brota do trabalho de escrever (e não de uma inspiração iluminada) e do diálogo do texto resultante desse trabalho com seus leitores. Esse dialogo só faz sentido se for para subsidiar uma ou mais reescritas do texto com a finalidade de construir a respeito do assunto a clareza possível neste momento histórico pelo qual passa o autor do texto.
  • 9. O texto precisa ser tratado como diálogo e não apenas como estrutura. “Ensinar a escrever na aula de português e, portanto, apresentar os contextos de dialogo em língua escrita e propiciar aos alunos a participação nesses contextos.” (GUEDES, 1999, pag.149).
  • 10. ... poderá surgir aquele gosto pela leitura com o qual não se nasce, porque não é um instinto. (RODARI, 1990).
  • 11.  Nós como futuras professoras, devemos nos preocupar com a formação integral de nossos alunos, formando cidadãos conscientes, críticos e leitores. A leitura é uma ferramenta indispensável para a formação do aluno, através dela o aluno pode viajar, conhecer lugares, experimentar situações novas, enfim, obter conhecimentos não só de escrita e de leitura, mas de vida.
  • 12. Os alunos devem ser incentivados a lerem de forma prazerosa. A leitura deve ser um hábito e estar presente no cotidiano das crianças.
  • 13. O texto tem que interagir com o leitor, através de assuntos que chamam sua atenção e que não sejam monótonos. Ex. histórias infantis, onde a explicação se faz na maioria das vezes desnecessária, isto porque a criança entende perfeitamente, porque a literatura infantil se faz entender pelo seu contexto.
  • 14. A leitura deve ser significativa para o aluno. É preciso que haja interação entre a obra e o leitor.
  • 15. A leitura deve ter um espaço maior e mais importante dentro das salas de aulas.
  • 16. Os profissionais da educação devem estimular a leitura entre seus alunos. Há diversas maneiras de interação e de preparação de aulas mais dinâmicas e interessantes, que chamem a atenção das crianças para o hábito da leitura com prazer.
  • 17. “(...) um grande objetivo consiste em fazer que os jovens desejem descobrir o livro, pegá-lo nas mãos com expectativa, apropriar-se dele e, conseqüentemente, lê- lo. (GUEDES, 1999, pag.162).