Formas Farmaceuticas Parte 2

63,151
-1

Published on

Descripcion de las formas farmaceuticas muy interesante aunque este en portugues se entiende perfectamente

Published in: Health & Medicine, Business
1 Comment
8 Likes
Statistics
Notes
  • http://www.fioricetsupply.com is the place to resolve the price problem. Buy now and make a deal for you.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
63,151
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
1,215
Comments
1
Likes
8
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Formas Farmaceuticas Parte 2

  1. 1. FORMAS FARMACÊUTICAS Prof a. Ms Ligiane Silva email: [email_address] 2007
  2. 2. <ul><li>Droga (drug = remédio, medicamento, droga): substância que modifica a função fisiológica com ou sem intenção benéfica. </li></ul><ul><li>Remédio (re = novamente; medior = curar): substância animal, vegetal, mineral ou sintética; procedimento; fé ou crença; infuência: usados com intenção benéfica. Remédios naturais: água, sol, dieta, exercícios massagem…..). </li></ul><ul><li>Medicamento (medicamentum): fármaco com propriedades benéficas, comprovadas cientificamente. </li></ul>Introdução
  3. 3. <ul><li>Farmacologia: estudo dos fármacos como: fonte, solubiilidade, absorção, destino no organismo, mecanismo de ação, efeitos, reações adversas aos medicamentos (RAM) </li></ul><ul><li>Fármaco (pharmacon): estrutura química conhecida, propriedades de modificar uma função fisiológica já existente). </li></ul><ul><li>Placebo (placeo = agradar): tudo que é feito com intenção benéfica para aliviar o sofrimento: fármaco/medicamento/droga/remédio (em concentração pequena ou mesmo na ausência). </li></ul><ul><li>Noplacebo: efeito placebo negativo. O “medicamento” piora a saúde) </li></ul>Introdução
  4. 4. <ul><li>Forma farmacêutica: medicamentos dispostos para o uso imediato, resultante da mistura de substâncias adequadas para determinadas finalidades terapêutica. </li></ul><ul><ul><li>Maneira como as drogas se apresentam para o uso. </li></ul></ul><ul><ul><li>De acordo com a forma farmacêutica, têm-se a via de administração. </li></ul></ul>Introdução
  5. 5. <ul><li>Substância ativa : </li></ul><ul><li>Base </li></ul><ul><li>Adjuvante </li></ul>Substância componentes de uma forma farmacêutica Corretivo: Edulcorantes Corantes Veículo: Excipiente Intermediário
  6. 6. <ul><li>Substância Ativa  representa o componente da formulação responsável pelas ações farmacológicas. </li></ul><ul><li>No caso de have mais de uma substância ativa, teremos: </li></ul><ul><ul><li>Base : é a substância ativa com maior atividade farmacológica, quer pelo seu potencial de ação, quer pelo seu volume. </li></ul></ul><ul><ul><li>Adjuvante : outra (s) subs. Ativa que complementam a ação da base. </li></ul></ul>Componentes de uma formulação
  7. 7. <ul><li>Veículo:  parte da forma farmacêutica que lhe confere forma e volume, gerando maior estabilidade, ação tem ação farmacológica. </li></ul><ul><ul><li>Excipente: é o veículo que tem ação passiva destina-se a dar forma, aumentar o volume; </li></ul></ul><ul><ul><li>Intermediário : estabilidade física e homogeneidade. </li></ul></ul>Componentes de uma formulação
  8. 8. <ul><li>Corretivo:  todo ingrediente encontrado numa formulação que visa corrigir o produto final em suas propriedades organolépticas e visuais. </li></ul><ul><ul><li>Edulcorantes : conferem sabor agradável à preparação. </li></ul></ul><ul><ul><li>Corantes : conferem cor as formas farmacêuticas </li></ul></ul>Componentes de uma formulação
  9. 9. <ul><li>Formas Farmacêuticas Magistrais  são aquelas cuja fórmula é de autoria do clínico. </li></ul><ul><li>Formas Farmacêuticas Oficinais  são aquelas cuja fórmula e técnica encontram-se inscritas e descristas nas Farmacopéias em Formulários. </li></ul><ul><li>Formas Farmacêuticas de Especialidades  encontram-se preparadas e embaladas, apresentam nome fantasia ou DCB da substância ativa de sua formulação. </li></ul>Classificação das formas Farmacêuticas
  10. 10. <ul><li>Sólidas </li></ul><ul><li>Cápsulas </li></ul><ul><li>Comprimidos (orais e vaginais) </li></ul><ul><li>Drágeas </li></ul><ul><li>Hóstias </li></ul><ul><li>Implantações </li></ul><ul><li>Óvulos </li></ul><ul><li>Papéis </li></ul><ul><li>Pérolas </li></ul><ul><li>Pílulas </li></ul><ul><li>Pós </li></ul><ul><li>Supositórios </li></ul><ul><li>Pastosas </li></ul><ul><li>Cataplasma </li></ul><ul><li>Cremes </li></ul><ul><li>Pastas </li></ul><ul><li>Pomadas </li></ul><ul><li>Unguentos </li></ul>Quanto a forma Física
  11. 11. <ul><li>Líquidas </li></ul><ul><li>Alcoolatos </li></ul><ul><li>Alcoolaturas </li></ul><ul><li>Colutório </li></ul><ul><li>Emulsões </li></ul><ul><li>Enemas </li></ul><ul><li>Linimentos </li></ul><ul><li>Óleos medicinais </li></ul><ul><li>Poções </li></ul><ul><li>Tinturas </li></ul><ul><li>Xaropes </li></ul><ul><li>Especiais </li></ul><ul><li>Aerossóis </li></ul><ul><li>Ampolas </li></ul><ul><li>Bandagens </li></ul><ul><li>Colírios </li></ul><ul><li>Gasosa </li></ul><ul><li>Vaporização </li></ul>Quanto a forma Física
  12. 12. <ul><li>Comprimidos  São FF cilíndricas ou lenticulares, que resultam da compressão de um pó cristalino ou de um granulado. </li></ul><ul><ul><li>Podem ser adm via oral, subcutâneos aplicados no local. </li></ul></ul><ul><li>Cápsulas  São pequenos invólucros destinados a conter, um pó ou um líquido. Tem forma cilíndrica e são formados por duas partes que se encaixam. </li></ul><ul><ul><li>Gastro-resistentes  revestimento de quitina ou glúten </li></ul></ul>Forma Física: Sólida
  13. 13. <ul><li>Drágeas  São comprimidos revestidos por uma substância de modo a evitar a sua fácil desagregação, para: </li></ul><ul><ul><li>Proteger a substância ativa da umidade e luz, </li></ul></ul><ul><ul><li>Ocultar características organolépticas indesejáveis; </li></ul></ul><ul><ul><li>Facilitar a ingestão; </li></ul></ul><ul><ul><li>Proteger o p.a da destruição estomacal. </li></ul></ul><ul><li>Pós  São substâncias medicamentosas separada por dose individual/divididas para facilitar a administração, podem ser: </li></ul><ul><ul><li>Simples  pulverização de substâncias dessecadas a baixa temperatura (<45 o C ou 25 o C ); </li></ul></ul><ul><ul><li>Composta  resultante da mistura cuidadosa de pós simples incorporados em poções, xaropes, cápsulas, papéis, comprimidos ou aplicação tópica </li></ul></ul><ul><ul><li>Obs: Devem ser bem protegidos da umidade e abrigo da luz </li></ul></ul>Forma Física: Sólida
  14. 14. <ul><li>Óvulos  São preparações destinadas a serem introduzidas na vagina. </li></ul><ul><ul><li>Os excipientes mais utilizados (baixo ponto fe fusão), são gelatina glicerinada (subst. hidrossolúveis) e manteiga de cacau (subs. lipossolúvel). </li></ul></ul><ul><li>Supositórios  São formas farmacêuticas da consistência firme, de forma cônica, destinadas a serem inseridas no reto, onde devem desintegrar-se ou fundir -se a temperatura do organismo, liberando o farmáco e exercendo efeito local ou sistêmico. </li></ul><ul><ul><li>Os excipientes mais utilizados (baixo ponto fe fusão), são óleo de cacau ou sucedâneos (subs. lipossolúvel) ou gelatina glicerinada polietilenoglicois (subst. hidrossolúveis). </li></ul></ul>Forma Física: Sólida
  15. 15. <ul><li>Cataplasmas  São preparações geralmente magistrais, de aplicação tópica na pele. </li></ul><ul><ul><li>Farinha  linhaça, amido, fécula etc e água, misturados são levados ao fogo até obter a consistência desejada. </li></ul></ul><ul><ul><li>Efeito de vasodilatação local </li></ul></ul><ul><li>Ceratos  São um tipo de pomada, em que o excipente é constituído por uma mistura de cera e óleo. </li></ul><ul><li>Pastas  São pomadas espessas devido a grande quatidade de pó insolúvel que veiculam. Podem ser dérmicas ou orais </li></ul>Forma Física: Pastosas
  16. 16. <ul><li>Cremes  São um tipo de pomada em que o excipente utilizado é uma emulsão do tipo água/óleo (creme) ou óleo/água (Cold-cream). </li></ul><ul><ul><li>Óleos emulsionados em 60 a 80% de água, de modo a formar um líquido espesso ou um sólido mole </li></ul></ul><ul><li>Pomadas  São preparações de consistência mole, destinadas a serem aplicadas externamente. </li></ul><ul><ul><li>Preparações semi-sólidas numa base gorda como a lanolina ou a vaselina </li></ul></ul><ul><ul><li>Completa ou moderadamente absorvidas pela pele </li></ul></ul><ul><ul><li>Conservam a umidade pelo que aumentam a absorção do fármaco </li></ul></ul><ul><ul><li>São o veículo mais eficaz para a absorção de fármacos pela pele. </li></ul></ul>Forma Física: Pastosas
  17. 17. <ul><li>Alcoolatos  São preparações farmacêuticas que se obtém pela maceração olcoólica de plantas frescas, seguidas de destilação </li></ul><ul><li>Alcoolaturas  São preparações que resultam da ação disssolvente do álcool a frio nas graduações de 75, 80 ou 95° , sobre plantas frescas, com o objetivo de lhes retirar a substância ativa. </li></ul><ul><li>Colutórios  São preparações magistrais destinadas a serem depostas na mucosa bocal ou orofaríndea. São soluções viscosas devido à presença de mel ou glicerina. As substâncias ativas empregues são anti-sépticos. </li></ul>Forma Física: Líquidas
  18. 18. <ul><li>Emulsões  São sistemas dispersos constituídos por duas fases líquidas, que podem ser f eitas a partir de água em óleo (A/O) ou o contrário (O/A). </li></ul><ul><ul><li>Disfarçar o mau sabor ou proporcionar uma melhor solubilidade do fármaco. </li></ul></ul><ul><ul><li>Devem ser agitadas antes da administração </li></ul></ul><ul><li>Elixires  São preparações de fármaco num solvente alcoólico. </li></ul><ul><ul><li>Utilizados para fármacos não solúveis em água. </li></ul></ul>Forma Física: Líquidas
  19. 19. <ul><li>Enemas ou Clister  São FF destinadas a serem introduzidas na porção terminal do intestino. </li></ul><ul><ul><li>pode ser líquidos (chás de plantas apropriadas, geralmente camomila, hortelã, goiabeira). </li></ul></ul><ul><ul><li>Essa prática ajuda a limpeza intestinal, o que favorece o bem-estar do doente febril ou com doenças agudas. </li></ul></ul><ul><li>Linimentos  São preparações ofininais ou magistrais, destinadas exclusivamente a uso externo, em unção ou fricção sobre a pele </li></ul><ul><ul><li>Efeito vasodilatador por ação do movimento mecânico de massagem </li></ul></ul>Forma Física: Líquidas
  20. 20. <ul><li>Óleos Medicinais  Podem ser preparados por dissolução simples da tintura medicamentosa em um óleo fixo (azeite, soja, girassol, algodão, dentre outros) ou por extração dos princípios ativos de plantas secas. </li></ul><ul><li>Poções  São preparações oficinais ou magistrais, extemporânea e que devem ser consumidas rapidamente. </li></ul><ul><ul><li>A substância ativa pode estar dissolvida, suspensa ou emulsificada. </li></ul></ul>Forma Física: Líquidas
  21. 21. <ul><li>Soluções  São m isturas homogêneas de duas ou mais substâncias ativas (normal// sólidas) em solventes líquidos (norma// água), em concentrações inferiores à sua solubilidade à temperatura ambiente </li></ul><ul><li>Tinturas  São preparações oficinais que resultam da ação do álcool por maceração, sobre produtos secos de origem animal, vegetal ou mineral. </li></ul><ul><ul><li>São portanto soluções alcoólicas a 10 ou 20% </li></ul></ul><ul><ul><li>Pode ser utilizada por via tópica, poções ou xaropes. </li></ul></ul>Forma Física: Líquidas
  22. 22. <ul><li>Chá ou Infusão  São FF magistrais, que resultam da ação da água sobre plantas secas, a fim de lhes retirar a substância ativa. Podem ser obtivas de várias maneiras: </li></ul><ul><ul><li>Maceração : Ação prolongada da água a temperatura ambiente sobre a planta seca. Utilizada para substâncias termolábeis; </li></ul></ul><ul><ul><li>Digestão : Ação prolongada em água morna(40 a 50 °C) sobre a planta seca.Utilizada para substâncias ativas termolábeis; </li></ul></ul><ul><ul><li>Decocção: Ação da água desde a temperatura ambiente até à ebulição sobre a planta. Utiliza-se para substâncias termos resistentes. </li></ul></ul><ul><ul><li>Infusão: Ação instantâneas da água fervente sobre a planta. </li></ul></ul>
  23. 23. <ul><li>Xaropes  São FF em que a substância Ativa, sob a forma de pó, líquido se encontra dissolvida numa solução aquosa açucarada concentrada ( 1 parte de água para 2 partes de açúcar). </li></ul><ul><ul><li>Vantagens  correção de sabor desagradável do fármaco e conservação do mesmo na forma farmacêutica de administração. </li></ul></ul>
  24. 24. <ul><li>Vaporizações  São FF magistrais resultantes da libertação de vapor de água por si só, ou contendo anti-sépticos, e que se destinam a ser inalados </li></ul><ul><li>Fumigações  São gases resultantes da combustão de determinadas plantas, ou liberação de gases (p. ex. Formal) com fins desinfetantes de espaços ou dirigidos para as vias resiratórias com fins medicamentosos anti-sépticos - inalação </li></ul>Forma Física: Gasosas
  25. 25. <ul><li>Denominam-se FF especiais aquelas que, ou não se podem facilmente inserir num determinado grupo, ou que tem inserção em mais de um grupo. </li></ul><ul><li>Aerossois  Se caracterizam por constituírem um “nevoeiro não molhante” formado por micro gotas (diâmetro compreendido entre 0,05 e 0,2 micrômetro). </li></ul><ul><ul><li>Formam uma suspensão coloidal, em que a fase contínua é o gás e a fase dispersa é o líquido. </li></ul></ul>Forma Especiais
  26. 26. <ul><li>Ampolas  São tubos de vidro ou plástico, colorido ou incolor, estirados nos dois topos, ou pequenas “garrafas” seladas, podem conter líquido ou pó. </li></ul><ul><ul><li>Servem para facilitar a esterilização e conservação do seu conteúdo; </li></ul></ul><ul><ul><li>O pó normalmente é utilizado na preparação extemporânea de solutos injetáveis. </li></ul></ul><ul><ul><li>O conteúdo poder ser aplicado via parenteral, oral ou tópico </li></ul></ul>Forma Especiais
  27. 27. <ul><li>Sprays  São semelhantes aos aerossóis, mas o diâmetro da partícula é maior (0,5 micrômetro), podem ser considerados “nevoeiros molhantes” </li></ul>Forma Especiais
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×