http://youtu.be/S8ZWQ1hfkpg Bem-vindos ao futuro:
Texto1: EaD: antes e depois da cibercultura <ul><li>Equipe: </li></ul><ul><li>Eleison Diettrich de São Christovão …… 20081...
Um pouco de história da EaD: <ul><li>Após fases de evolução, como a instrucionista, através de cursos por correio (década ...
Décadas de 40, 50 e 60:  http://youtu.be/WvYeiluUBQw
Três abordagens na EaD, segundo Valente (1999) <ul><li>Segundo Valente (1999) existem três abordagens na EaD.  </li></ul><...
<ul><li>2 - A virtualização da sala de aula presencial, onde o professor transfere para o espaço virtual a mesma dinâmica ...
<ul><li>3 - E por último, a abordagem “estar junto virtual” onde predomina a dinâmica comunicacional, mediada pelo profess...
Seguindo a história da Ead e os avanços tecnológicos: <ul><li>A Web 1.0 (primeira geração) não permitia ainda a vivência d...
Foi  com o advento da Web 2.0 (segunda geração)  que a cibercultura se consolida. <ul><li>Com a segunda geração da Interne...
Segunda Geração – Web 2.0 <ul><li>Agora, com a cibercultura, o usuário insere-se como produtor e desenvolvedor de conteúdo...
Interatividade em Ead e seus alcances: <ul><li>Para Lévy (1997), as TIC (tecnologias da informação e comunicação), trazem ...
Este vídeo vem mostrar a potencialidade da interatividade na cibercultura mediada pelas ferramentas da Web 2.0. <ul><li>ht...
Assim se resume a contribuição da cibercultura para o avanço qualitativo da EaD: <ul><li>A cibercultura acena outra lógica...
<ul><li>O registro das interações no ciberespaço traz uma importante contribuição para a metarreflexão do aluno, do profes...
Conclusão: <ul><li>Os alunos da EaD (educação a distância) ainda não perceberam o potencial de suas intervenções num ambie...
Referências Bibliográficas: <ul><li>TV ESCOLA –  Cibercultura: o que muda na educação  – Disponível em: </li></ul><ul><li>...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Cibercultura: O que muda na educação- FINAL

1,221 views
1,107 views

Published on

Trabalho realizado no curso de licenciatura em Pedagogia do Cederj - Disciplina: educação a distância.

AD2

Cibercultura: O que muda na educação
Texto base 1: EaD: antes e depois da cibercultura

Lucila Pesce

Grupo:Eleison Diettrich de São Christovão …… 20081208452
Flávia Nascimento de Oliveira ……………. 20081208798
Marcos Paulo Fógia …………………………….. 20081208010



Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,221
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
20
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cibercultura: O que muda na educação- FINAL

  1. 1. http://youtu.be/S8ZWQ1hfkpg Bem-vindos ao futuro:
  2. 2. Texto1: EaD: antes e depois da cibercultura <ul><li>Equipe: </li></ul><ul><li>Eleison Diettrich de São Christovão …… 20081208452 </li></ul><ul><li>Flávia Nascimento de Oliveira ……………. 20081208798 </li></ul><ul><li>Marcos Paulo Fógia …………………………….. 20081208010 </li></ul>
  3. 3. Um pouco de história da EaD: <ul><li>Após fases de evolução, como a instrucionista, através de cursos por correio (década de 40), fitas cassetes (década de 70) e até os Cd’s e Dvd’s (década de 80) , a educação a distância toma um impulso quântico com o advento da internet (na década de 90) e se firma como novo modo de pensar o mundo e de conceber as relações com o conhecimento Pierre Lévy (1997). </li></ul><ul><li>http://youtu.be/j47qTc18_Qg </li></ul>
  4. 4. Décadas de 40, 50 e 60: http://youtu.be/WvYeiluUBQw
  5. 5. Três abordagens na EaD, segundo Valente (1999) <ul><li>Segundo Valente (1999) existem três abordagens na EaD. </li></ul><ul><li>1 - A chamada broadcast, que nada mais é do que a transmissão da informação via aparato tecnológico. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>2 - A virtualização da sala de aula presencial, onde o professor transfere para o espaço virtual a mesma dinâmica da aula presencial. </li></ul><ul><li>Infelizmente, isso é o que mais vemos por aí: </li></ul><ul><li>http://youtu.be/xLRt0mvvpBk </li></ul><ul><li>2 - A virtualização da sala de aula presencial, onde o professor transfere para o espaço virtual a mesma dinâmica da aula presencial. </li></ul><ul><li>Infelizmente, isso é o que mais vemos por aí: </li></ul><ul><li>http://youtu.be/xLRt0mvvpBk </li></ul>
  7. 7. <ul><li>3 - E por último, a abordagem “estar junto virtual” onde predomina a dinâmica comunicacional, mediada pelo professor, através da tecnologia, efetuando-se o ciclo construcionista “descrição-execução-reflexão-depuração-descrição”. </li></ul><ul><li>http://youtu.be/ShRODbkFIJ0 </li></ul>
  8. 8. Seguindo a história da Ead e os avanços tecnológicos: <ul><li>A Web 1.0 (primeira geração) não permitia ainda a vivência da dialogia digital e da mediação partilhada (PESCE & BRUNO), entre professores e alunos, a vivência do conceito de coautoria ainda não se pronunciava. </li></ul>
  9. 9. Foi com o advento da Web 2.0 (segunda geração) que a cibercultura se consolida. <ul><li>Com a segunda geração da Internet, a chamada Web 2.0, é que a cibercultura se consolida. Com a chegada da Web 2.0, a arquitetura intertextual, hipermidiática, dialógica e coautoral da cibercultura pôde ser pensada com mais propriedade no âmbito educacional, conforme veremos a seguir, a partir de apontamentos em publicação anterior (PESCE, 2010). </li></ul><ul><li>http://www.youtube.com/watch?v=hCFXsKeIs0w </li></ul>
  10. 10. Segunda Geração – Web 2.0 <ul><li>Agora, com a cibercultura, o usuário insere-se como produtor e desenvolvedor de conteúdo e não somente como receptor de mensagem e/ou conteúdo de aprendizagem postado por outrem. </li></ul><ul><li>A cibercultura conjuga texto, áudio, imagem, animação é vídeo, de natureza hipermidiática, potencializando publicação, compartilhamento e organização de informações, ampliando o espaço de interação. </li></ul><ul><li>http://youtu.be/NJsacDCsiPg </li></ul>
  11. 11. Interatividade em Ead e seus alcances: <ul><li>Para Lévy (1997), as TIC (tecnologias da informação e comunicação), trazem um novo modo de pensar o mundo e de conceber as relações com o conhecimento. </li></ul><ul><li>As redes sociais se opõem à indústria cultural, causando impactos às atuais organizações societárias (ADORNO & HORKHEIMER, 1985), e para Antoun (2008), em contraposição à mídia irradiada, elas promovem comunidades de atividade ou interesse, graças a democratização não só do acesso à informação, mas também da publicação de produções e da “vigilância participativa” , termo que se refere ao conjunto das expressões de opinião postadas como comentários nos ambientes digitais. </li></ul>
  12. 12. Este vídeo vem mostrar a potencialidade da interatividade na cibercultura mediada pelas ferramentas da Web 2.0. <ul><li>http://youtu.be/ugzHL4qA0eo </li></ul><ul><li>Para assistir o vídeo com legendas em Português, depois do vídeo aberto, você tem que clicar num ícone CC em vermelho e abrirá um leque de opções para algumas línguas, então você pode escolher inglês ou português. </li></ul>É um ícone como esse só que em vermelho!
  13. 13. Assim se resume a contribuição da cibercultura para o avanço qualitativo da EaD: <ul><li>A cibercultura acena outra lógica para a EaD, que não a instrumental, pragmática e prescritiva; </li></ul><ul><li>A cibercultura possibilita a ampliação da perspectiva de alteridade, promovendo vínculos entre sujeitos sociais de distintas culturas, que vivem circunstâncias sócio-históricas semelhantes; </li></ul><ul><li>A cibercultura oferece a possibilidade de se trabalhar com diferentes dimensões da linguagem (textual, imagética, sonora...); </li></ul>
  14. 14. <ul><li>O registro das interações no ciberespaço traz uma importante contribuição para a metarreflexão do aluno, do professor e do grupo, sobre o processo de construção do conhecimento, na interface entre as dimensões intra e intersubjetiva; </li></ul><ul><li>As características coautorais dos dispositivos e interfaces da cibercultura oportunizam a vivência plena da dialogia digital e mediação partilhada: elementos fundantes da formação de comunidades de aprendizagem, para além dos tempos e espaços da sala de aula. </li></ul>http://www.slideboom.com/presentations/355612/PIGEAD_UFF_AVMC_Tarefa-Semana4_Silvio_Luis_de_Carvalho
  15. 15. Conclusão: <ul><li>Os alunos da EaD (educação a distância) ainda não perceberam o potencial de suas intervenções num ambiente de interação (AVA) e aprendizagem. Eles não percebem a importância das suas palavras ali ditas, registradas, seja de forma síncrona ou assíncrona, o fato daquele determinado grupo e talvez o mundo todo, ter lido suas palavras e compartilhado seu conhecimento, e não parando por aí, uma vez ali registradas, podem ainda ser acessadas por milhões e milhões de pessoas, quantas vezes quiserem. Se fôssemos compará-la com o ensino presencial, onde essas mesmas palavras podem simplesmente ser ignoradas, esvanecidas, esquecidas e jamais revisitadas. </li></ul>
  16. 16. Referências Bibliográficas: <ul><li>TV ESCOLA – Cibercultura: o que muda na educação – Disponível em: </li></ul><ul><li>http:/tvbrasil.org.br/fotos/salto/series/212448cibercultura.pdf . Acesso em 13 de maio de 2011. </li></ul><ul><li>SILVA, Marco – O que é interatividade – Disponível em: </li></ul><ul><li>http://youtu.be/ShRODbkFIJ0 . Acesso em 13 de maio de 2011. </li></ul><ul><li>CARVALHO, Sílvio L. – Pigead/Uff – AVMC – Disponível em: http://www.slideboom.com/presentations/355612/PIGEAD_UFF_AVMC_Tarefa-Semana4_Silvio_Luis_de_Carvalho Acesso em 14 de maio de 2011. </li></ul>

×