TV Digital e Personalização

686 views

Published on

Jornada de Informática da UNESP Bauru 2011

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
686
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
16
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

TV Digital e Personalização

  1. 1. TV Digital e Personalização<br />Profª Ms. Elaine Cecília Gatto<br />12ª Jornada de Informática da UNESP<br />21 a 23 de Setembro de 2011<br />
  2. 2.
  3. 3. Sinal Analógico e Sinal Digital<br /><ul><li>Sinal analógico: sempre há sinal de TV, entretanto gera fantasmas, ruídos e chiados;
  4. 4. Sinal digital: 0 ou 1. Nem sempre há sinal de TV, entretanto não há ruído, chiados e fantasmas.</li></ul>10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />3<br />
  5. 5. TV Analógica X TV Digital no Brasil<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms. Eng.ª Elaine Cecília Gatto<br />4<br />Figura de Toshio Izawa (http://imagemesomhd.blogspot.com/2009/11/recepcao-de-tv-digital.html)<br />
  6. 6. TV Analógica X TV Digital no Brasil<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms. Eng.ª Elaine Cecília Gatto<br />5<br />Figura de Toshio Izawa (http://imagemesomhd.blogspot.com/2009/11/recepcao-de-tv-digital.html)<br />
  7. 7. TV Analógica X TV Digital no Brasil<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms. Eng.ª Elaine Cecília Gatto<br />6<br />Figura de Toshio Izawa (http://imagemesomhd.blogspot.com/2009/11/recepcao-de-tv-digital.html)<br />
  8. 8. Sistema de TVD<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />7<br />
  9. 9. Sistema de TVD<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />8<br />Ambiente da empresa radiodifusora ou provedora de conteúdo<br />
  10. 10. Sistema de TVD<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />9<br />Ambiente do cliente (usuário telespectador)<br />
  11. 11. O receptor de TVD<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms. Eng.ª Elaine Cecília Gatto<br />10<br />
  12. 12. Conjunto de padrões adotados no sistema brasileiro<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />11<br />
  13. 13. Relação de Aspecto<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />12<br />
  14. 14. Definição do Sinal Digital<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms. Eng.ª Elaine Cecília Gatto<br />13<br />
  15. 15. Fórum SBTVB<br />http://www.forumsbtvd.org.br e http://www.dtv.org.br<br />O Fórum do Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre foi formalmente instaurado em novembro de 2006 com a missão de auxiliar e estimular a criação e melhoria do sistema de transmissão e recepção de sons e imagens digitais no Brasil, propiciando padrão e qualidade compatíveis com as exigências dos usuários;<br />Membros: representantes das emissoras de TV, fabricantes de equipamentos de recepção e transmissão, indústria de software, governo federal e entidades de ensino e pesquisa.<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />14<br />
  16. 16. ISDB-TB<br />Integrated Services Digital Broadcasting – Terrestrial Brazil ouSistema Integrado de Radiodifusão Digital Terrestre;<br />ISDB: sistema desenvolvido no Japão, adotado e atualizado pelo Brasil (atualizações tecnológicas nas partes de áudio, vídeo e interatividade);<br />Estréia da TVD no Brasil: 02/12/2007<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />15<br />
  17. 17. Normas Brasileiras - ABNT<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />16<br />
  18. 18. Regiões transmitindo TVD no Brasil<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />17<br />
  19. 19. Cronograma de Implantação<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />18<br />
  20. 20. 10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />19<br />
  21. 21. Tipos de Interatividade<br />Nenhuma: sem canal de retorno;<br />Interatividade local: sem canal de retorno. O usuário telespectador recebe e pode interagir livremente com os dados que ficam armazenados no seu receptor;<br />Interatividade Unidirecional: com canal de retorno. O recebimento das informações ocorre via torres de transmissão, mas o retorno à central de transmissão ocorre pelo telefone;<br />Interatividade Bidirecional: com canal de retorno. O recebimento e envio de dados ocorre via rede (wimax por exemplo)<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />20<br />
  22. 22. Middleware Ginga<br />“Ginga® é o nome do Middleware Aberto do Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD). Ginga é constituído por um conjunto de tecnologias padronizadas e inovações brasileiras que o tornam a especificação de middleware mais avançada e a melhor solução para os requisitos do país. O middleware aberto Ginga é subdividido em dois subsistemas principais interligados, que permitem o desenvolvimento de aplicações seguindo dois paradigmas de programação diferentes. Dependendo das funcionalidades requeridas no projeto de cada aplicação, um paradigma será mais adequado que o outro.”<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />21<br />
  23. 23. Middleware Ginga<br />“Esses dois subsistemas são chamados de Ginga-J (para aplicações procedurais Java) e Ginga-NCL (para aplicações declarativas NCL). Os links acima possuem informações específicas sobre os dois sistemas. O Ginga é fruto do desenvolvimento de projetos de pesquisa coordenados pelos laboratórios Telemídiada PUC-Rio e LAViDda UFPB. Todas as informações oficiais sobre o middleware Ginga possuem referências neste site.”<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />22<br />
  24. 24. Java DTV<br />API utilizada para o desenvolvimento de aplicações interativas usando a linguagem JAVA;<br />A API Java DTV utiliza a API LWUIT para interface com o usuário;<br />A API Java DTV usa a API Java TV, um pacote opcional do Java Micro Edition (Java ME) que fornece controle sobre funcionalidades únicas para receptores de televisão;<br />Especificação GINGA-J;<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />23<br />
  25. 25. NCLua<br />NCL: Nested Context Language. linguagem utilizada para o desenvolvimento de aplicações para TVD. Linguagem de marcação, como o HTML. Desenvolvida pela PUC-RIO<br />Lua: linguagem de script utilizada junto à linguagem NCL para o desenvolvimento de aplicações interativas para TVD – complementa a linguagem NCL. Desenvolvida pela PUC-RIO.<br />Especificação Ginga-NCL;<br />10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />24<br />
  26. 26. Personalização<br />Na computação, a Personalização é uma área de pesquisa que anda junto com a Privacidade. Isto porque na maioria das vezes, para aplicar a Personalização, é necessário coletar dados dos usuários. Portanto, caminham juntas, permitindo que dados sejam coletados de forma a não prejudicar o usuário.<br />
  27. 27. Personalização<br />Automatiza um processo comum do cotidiano das pessoas. Exemplo:<br />Eu gostaria de ir ao cinema. Mas não estou certa de qual filme assistir.<br />Eu tenho uma sugestão para você. Que tal assistir “Death Note”? É um filme muito bom. Hehehehe!<br />
  28. 28. Personalização<br />Muito aplicada em sistemas de e-commerce:<br /><ul><li>Submarino
  29. 29. Amazon</li></li></ul><li>Sistemas de Recomendação<br />Sistemas de recomendação concentram-se em encontrar informações que podem ser úteis ao usuário. A recomendação é obtida a partir da identificação das preferências - perfil do usuário - e da interação com o próprio sistema.<br />
  30. 30. Sistemas de Recomendação<br />Etapas básicas de um Sistema de Recomendação<br />
  31. 31. Sistemas de Recomendação<br />Na TV Digital o processo de recomendar conteúdos pode acontecer de duas formas:<br />Local: o software é embutido no middleware; todas as informações são coletadas, armazenadas e processadas no dispositivo receptor de TV;<br />Local e Remoto: o software coleta os dados do dispositivo receptor, entretanto, faz o armazenamento e processamento em servidores remotos;<br />
  32. 32. Sistemas de Recomendação<br />Filtragem Baseada em Conteúdo<br />No caso da TV Digital itens são os programas de TV. <br />O Guia Eletrônico de Programação – EPG – é utilizado para fazer o “casamento”. <br />Os itens visualizados são os programas assistidos pelo usuário.<br />
  33. 33. Sistemas de Recomendação<br />Filtragem Colaborativa: recomenda-se itens semelhantes às preferências de outros usuários que tenham interesses em comum. comum - encontra usuários com perfis semelhantes. Exemplo de uma livraria:<br />
  34. 34. Sistemas de Recomendação<br />Quem é semelhante a quem?<br />Itens não avaliados pelos usuários;<br />O sistema fará a previsão de qual avaliação o usuário Valter dará para o livro 3.<br />
  35. 35. Sistemas de Recomendação<br />Ana e Valter compartilham os mesmos gostos;<br />Edson, Rosalina e Paula não compartilham - totalmente - dos mesmos gostos que Ana e Valter (isso é visualizado pelas pontuações dadas)<br />Portanto, Ana influenciará na previsão da nota de Valter<br />Cálculos matemáticos – que medem a similaridade - são utilizadas para fazer a previsão<br />
  36. 36. Sistemas de Recomendação<br />HÍBRIDOS:<br />Utilizam tanto técnicas de recomendação baseada em conteúdo, quanto técnicas de recomendação colaborativa<br />
  37. 37. Trabalhos na Área<br />Recommender TV: Suporte ao desenvolvimento de Aplicações de Recomendação para o Sistema Brasileiro de TV Digital<br />Foi desenvolvido um novo módulo na implementação de referência do middleware Ginga, que possibilita suporte ao desenvolvimento de sistemas de recomendação<br />Fornece APIs para outros desenvolvedores que desejam usar os dados coletados para suas aplicações<br />
  38. 38. Trabalhos na Área<br />Personalização para Televisão Digital utilizando a estratégia de Sistema de Recomendação para ambientes multiusuário<br />O objetivo principal do sistema consiste em identificar os padrões de comportamento e tendências dos membros de um grupo. <br />Utiliza mineração de dados – algoritmo apriori – biblioteca Weka e foi desenvolvido com XLETS<br />
  39. 39. Trabalhos na Área<br />Personalização de Programas de TV no contexto da TV Digital Portátil Interativa<br />
  40. 40. Demonstração<br />
  41. 41. Links importantes<br />http://www.softwarepublico.gov.br/spb/ver-comunidade?community_id=1101545<br />http://www.ginga.org.br/<br />http://www.ncl.org.br/<br />http://clube.ncl.org.br/<br />http://www.gingancl.org.br/<br />http://www.lua.org/<br />http://www.eclipse.org/<br />http://laws.deinf.ufma.br/ncleclipse/installation.html<br />http://www.vmware.com/products/player/<br />http://manoelcampos.com/tvd/lua-slide-show/<br />https://groups.google.com/group/gingajava?hl=pt-BR<br />https://groups.google.com/group/devdtv?hl=pt-BR<br />
  42. 42. 10/09/2011<br />Prof.ª Ms.Elaine Cecília Gatto<br />41<br />MUITO OBRIGADA<br />elaine.gatto@usc.br<br />elainececiliagatto@gmail.com<br />http://garotascpbr.com.br<br />http://groups.google.com/group/javanoroeste?hl=pt-BR<br />http://www.usc.br/graduacao/curso.php?codigo=25<br />

×