Linguagem C - Estruturas

1,520 views
1,349 views

Published on

Linguagem C - Estruturas

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,520
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
79
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Linguagem C - Estruturas

  1. 1. ESTRUTURAS Profª Ms. Engª Elaine Cecília Gatto Curso de Bacharelado em Engenharia de Computação Universidade do Sagrado CoraçãO – USC Bauru/SP
  2. 2. Estruturas: conceito/definição • São coleções de variáveis relacionadas agrupadas sob um único nome. • Podem conter variáveis de muitos tipos de dados diferentes. • São usadas para declarar registros a serem armazenados em arquivo. • Estruturas de dados mais complexas: listas, filas, pilhas e árvores. • Ponteiros e estruturas facilitam a formação dessas estruturas. • Tipos de dados derivados (e não primitivos)
  3. 3. Declarações de Estruturas • Declaração de uma estrutura: struct card { char * face; char *suit; }; • STRUCT é a palavra chave para estrutura; • TAG DE ESTRUTURA: neste caso é a palavra CARD. A Tag de Estrutura é usada para declarar variáveis desse tipo de estrutura, é o identificador deste tipo de estrutura. • As variáveis dentro da estrutura chamam-se MEMBROS. • Não esquecer do ponto e vírgula ao final da declaração!
  4. 4. Declarações de Estruturas • Obs.: dois tipos de estruturas diferentes podem ter membros com o mesmo nome; • Vetores e matrizes tem um único tipo. Exemplo um vetor de reais ou uma matriz de inteiros. • Estruturas podem ter vários tipos de dados diferentes. Exemplo: struct funcionario { char nome[20]; char sobrenome[20]; int idade; char sexo; double salario; };
  5. 5. Estrutura Autorreferenciada • É uma estrutura que contém um membro que é um ponteiro para o mesmo tipo de estrutura. São usadas para criar listas interligadas. Exemplo: struct funcionario2 { char nome[20]; char sobrenome[20]; int idade; char sexo; double salario; struct funcionario2 *ePtr; //estrutura autorreferenciada }
  6. 6. Declarações de variáveis de tipos de estrutura • Declarações de estruturas não criam espaço na memória; • Declarações de estruturas criam um novo tipo de dado; • Esse novo tipo de dado é usado para declarar variáveis que então ocupam espaço na memória; • Exemplo: struct card aCard, deck[52], *carPtr; OU struct card { char *face; char *suit; } aCard, deck[52], *carPtr; • aCard: é uma variável do tipo struct card; • deck: é um vetor com 52 posições do tipo struct card; • carPtr: é um ponteiro para struct card;
  7. 7. Nomes para tags de estruturas • O nome para a tag de estrutura é opcional; • Entretanto, sempre forneça um nome, é uma prática recomendada; • Escolha um nome significativo para a tag de estrutura. Isto ajuda a tornar o programa mais legível e melhor documentado. • Se uma declaração de estrutura não tiver um nome para a tag de estrutura, as variáveis do tipo da estrutura só poderão ser declaradas na declaração da estrutura, e não em uma declaração separada.
  8. 8. Operações que podem ser realizadas nas estruturas • Operações válidas: • Atribuição de variáveis da estrutura a variáveis da estrutura de mesmo tipo; • Coleta de endereço de uma variável de estrutura (operador &); • Acesso aos membros de uma variável de estrutura; • Uso do operador sizeof para determinar o tamanho de uma variável de estrutura. • NÃO PODEMOS: • Comparar estruturas usando == e !=
  9. 9. Inicialização de estruturas • Parecido com vetores e matrizes. Exemplo: struct card aCard = {“Três”, “Copas”}; • Inicializa o membro da estrutura FACE com o valor TRÊS e o membro SUIT com o valor COPAS. • Atenção: se o número de inicializadores na lista for menor que os membros na estrutura, os membros restantes serão automaticamente inicializados em zero, ou NULL se o membro for um ponteiro.
  10. 10. Acesso a membros da estrutura • Dois operadores são usados para acessar os membro de uma estrutura: • Operador de membro de estrutura ou operador de ponto ( . ) – é um ponto de fato! • Operador de ponteiro de estrutura ou operador de seta (  ) – é uma seta de fato! • Exemplo 1: printf(“%s”, aCard.suit); • Exemplo 2: printf(“%s”, cardPtr->suit); • Ambos imprimem na tela o conteúdo de SUIT;
  11. 11. Acesso a membros da estrutura /* Usando operadores de membro da estrutura e deponteiro da estrutura */ #include <stdio.h> #include <conio.h> #include <stdlib.h> /* Declaração da estrutura da carta */ struct card { char *face; //ponteiro char * suit; //ponteiro }; //fim da estrutura
  12. 12. Acesso a membros da estrutura int main(void){ struct card aCard; //declaração de variável struct card *cardPtr; //declaração de ponteiro //coloca strings em aCard aCard.face = “Ás”; aCard.suit = “Espadas”; //atribui o endereço de aCard a cardPtr cardPtr = &aCard; printf(“ %s%s%s n %s%s%s n %s%s%s n ”, aCard.face, “ de ”, aCard.suit, cardPtr->face, “ de ”, cardPtr->suit, (*cardPtr).face, “ de ”, (*cardPtr).suit); return 0; //conclusão bem sucedida }
  13. 13. Uso de estruturas com funções • As estruturas podem ser passadas a funções ao: • Passar membros da estrutura individuais; • Passar uma estrutura inteira; • Passar um ponteiro para uma estrutura; • Quando as estruturas ou membros individuais da estrutura são passados a uma função, eles são passados por valor; • Os membros das estruturas passados por valor não podem ser modificados pela função utilizada; • Para passar uma estrutura por referência: • Passe o endereço da variável da estrutura;
  14. 14. Uso de estruturas com funções • • • • Um array pode ser passado por valor usando uma estrutura; Para isto faça: Crie uma estrutura que tenha o array como membro; Estruturas são passadas por valor, de modo que o array também é passado por valor; • ERRO LÓGICO: supor que estruturas como arrays sejam passadas automaticamente por referência e tentar modificar os valores da estrutura passadas por valor na função utilizada; • DICA: passar estruturas por referência é mais eficiente do que passar estruturas por valor;
  15. 15. TYPEDEF • TYPEDEF: oferece um mecanismo de criação de sinônimos para tipos de dados previamente definidos; • Usado para definir um tipo da estrutura, de modo que a tag da estrutura não é necessária; • Exemplo 1: typedef struct card Card; • Exemplo 2: typedef struct { char *face; char *suit; } Card;
  16. 16. TYPEDEF • A declaração anterior cria o tipo de estrutura Card sem a necessidade de uma instrução typedef separada. Agora Card pode ser usado para declarar variáveis do tipo struct card. Card deck[52]; • Criar um novo nome com TYPEDEF não cria um novo tipo; • Typedef simplesmente cria um novo nome de tipo, que pode ser usado como um alias par aum nome de tipo existente; • Use TYPEDEF para ajudar a tornar o seu programa mais portável; • Também pode ser usado para criar alias para os tipos de dados básicos.
  17. 17. Exemplo 1 /* Cria uma estrutura para armazenar dados de um aluno */ #include <stdio.h> #include <stdlib.h> struct aluno { int nmat; //número da matrícula float nota[3]; //notas float media; //média };
  18. 18. Exemplo 1 int main () { struct Aluno Jose; //declara uma variável do tipo struct Jose.nmat = 456; Jose.nota[0] = 7.5; Jose.nota[1] = 5.2; Jose.nota[2] = 8.4; Jose.media = (Jose.nota[0] + Jose.nota[1] + Jose.nota[2]) / 3.0; printf(“Matrícula: %d n ”, Jose.nmat); printf(“Média: %2f n ”, Jose.media); system(“Pause”); return 0; }
  19. 19. Exemplo 2 /* estruturas aninhadas */ #include <stdio.h> #include <stdlib.h> typedef struct { int dia; char mes[10]; int ano; } Data; typedef struct { int pecas; float preço Data diavenda; } Venda;
  20. 20. Exemplo 2 int main () { static Venda A = {20, 110.0, {7, “novembro”, 2001}}; printf(“Peças: %d n”, A.pecas); printf(“Preço: %d n”, A.preco); printf(“Data: %d de %s de %d n”, A.diavenda.dia, A.diavenda.mes, A.diavenda.ano); system(“PAUSE”); return 0; }
  21. 21. Exemplo 3 /* Mostra a passagem de estruturas para funções por valor. Mostra uma função que retorna uma estrutura */ #include <stdio.h> #include <stdlib.h> typedef struct Venda { int pecas; float preco; } Venda; Venda TotalVendas(Venda C, Venda D); //protótipo
  22. 22. Exemplo 3 int main () { Venda A, B, Total; printf(“ Venda A n ========== n”); printf(“ Insira o número de peças”); scanf(“%d”, &A.pecas); printf(“ Insira o preço”); scanf(“%d”, &A.preco); printf(“ Venda B n ========== n”); printf(“ Insira o número de peças”); scanf(“%d”, &B.pecas); printf(“ Insira o preço”); scanf(“%d”, &B.preco);
  23. 23. Exemplo 3 //estruturas como argumento e retorno Total = TotalVendas(A, B); printf(“ n n Venda Total n ===========”); printf(“ n Total de Peças %d.”, Total.pecas); printf(“ n Preço Total: %.2f n”, Total.preco); system(“PAUSE”); return 0; } Venda TotalVendas(Venda C, Venda D) { Venda T; T.Pecas = C.pecas + D.pecas; T.Preco = C.preco + D.preco; Return T; }
  24. 24. Exercícios 1. Forneça a definição para uma estrutura ESTOQUE que contém um array de caracteres nomePeca[30], o inteiro numPeca, o preço em ponto flutuante, o inteiro quantidade e o inteiro pedido. 2. Forneça a definição para uma estrutura chamada endereço, que contém os arrays de caracteres rua[25], cidade[20], estado[2] e cep[8]. 3. Forneça a definição para uma estrutura aluno que contém os arrays nome[15] e sobrenome[15] e a variável endResid do tipo struct endereço do exercício 2.

×