Middleware para TV Digital Portátil/Móvel
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Middleware para TV Digital Portátil/Móvel

on

  • 563 views

Middleware para TV Digital Portátil/Móvel

Middleware para TV Digital Portátil/Móvel

Statistics

Views

Total Views
563
Views on SlideShare
563
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Middleware para TV Digital Portátil/Móvel Presentation Transcript

  • 1. Middlewares para Tv digital portátil Luiz Miguel Quaggio Augusto Prof.ª Ms. Elaine Cecília Gatto Disciplina: Princípios de Telecomunicações Engenharia de Computação
  • 2. Agenda • Características dos dispositivos portáteis; • Principais Sistemas Operacionais; • Análise Comparativa.
  • 3. Imagens
  • 4. Características de Dispositivos Portáteis Os dispositivos portáteis possuem características específicas que precisam ser observadas quanto ao desenvolvimento de aplicativos. Podemos citálas: • Uso de bateria, que exige um consumo moderado de energia. Aplicações nesse escopo podem ser sumariamente terminadas, e precisam se adequar ao fato. Um outro ponto é que o consumo de energia gerado pela aplicação precisa ser baixo. • Limite de processamento e de memória. • Mobilidade, com processo de handoff. • Tamanho de tela pequeno. • A conversa, no caso do celular, como funcionalidade principal.. Qualquer outra atividade fica em segundo plano. • Teclado limitado. • Limite maior de banda.
  • 5. Principais Sistemas Operacionais Symbian: O sistema operacional Symbian vem sendo desenvolvido pela empresa de mesmo nome, a Symbian Ltd, fundada em 1993, e tem a Nokia, Ericsson, Siemens AG, Panasonic, Samsung e a Sony Ericsson como suas acionistas; todas indústrias de dispositivos portáteis. O principal foco no desenvolvimento do Symbian foi criar um gerenciamento que evitasse o uso excessivo e desnecessário de memória ou a ocorrência de vazamentos, o que ocorre quando um espaço de memória não mais utilizado continua alocado. No que tange a TV Digital, Symbian possui uma versão, a 9.5, que oferece suporte a esse tipo de aplicação, aceitando, atualmente, dois padrões de modulação/transmissão de TV Digital, o DVB-H e o ISDB-T (Symbian Limited).
  • 6. Principais Sistemas Operacionais Windows: O Windows possui duas versões que são: Windows CE e Mobile. Windows CE: O Windows CE é um sistema componentizado do tipo Hard Real Time (Hall, 2007). A sua versão 6.0 possui cerca de setecentos componentes que podem ser usados para montar um sistema operacional que atenda aos requisitos específicos de um ambiente. E fazendo a escolha da componentização pode implicar no tamanho da imagem, ou seja ela poder ser maior ou menor dependendo da escolha. Mobile: O Windows mobile se baseia no Windws CE, mas nele é oferecida uma API genérica, ou seja, é uma aplicação desenvolvida para que o mobile funcione em qualquer dispositivo que esteja instalado.
  • 7. Principais Sistemas Operacionais RIM: A empresa RIM não se disponibiliza o seu sistema operacional para que as outras empresas utilizem. O desenvolvimento nesse sistema pode ser feito utilizando a linguagem Java com o uso de um pacote de desenvolvimento utilizado apenas pela empresa. Os aparelhos fabricados por essa empresa são os Black Berry, nos quais não possuem uma boa interação com outros tipos de dispositivos.
  • 8. Principais Sistemas Operacionais Linux: O linux é um sistema bem flexível, pois oferece uma grande diversidade de métodos de instalação, fazendo com que ele funcione em uma grande quantidade de sistemas heterogêneos. E umas das vantagens desse sistema é que o desenvolvimento de aplicações pode ser feito sem custos, uma vez que as muitas ferramentas gratuitas disponíveis no ambiente fixo podem ser usadas. No caso do linux tem algumas dificuldades como exemplo encontrar drivers para cada hardware específico dos dispositivos portáteis.
  • 9. Principais Sistemas Operacionais PalmOS: As últimas versões desse sistema foram a PalmOS Garnet e a PalmOS Cobalt, sendo que a última nem chegou a ser lançada comercialmente. A primeira versão foi feita para dispositivos com menos recursos de hardware, enquanto que a segunda foi desenvolvida para aparelhos mais modernos, como os smartphones (Palm OS, 2007). O desenvolvimento de ambas as versões foi paralisado e um novo desenvolvimemto começou a ser realizado, o da ACCESS Linux Platform (ACL). Ele será baseado em um kernel Linux e foi lançado para pré-venda em fevereiro de 2007. Essa é uma nova tentativa de alavancar o sistema e fazer frente à concorrência.
  • 10. Análise Comparativa O PalmOS está tentando se alavancar no mercado e não possui nenhuma versão sendo relevantemente utilizada. O BlackBerry por outro lado, possui plataforma fechada, tem poucas opções de desenvolvimento e, em comparação ao Symbian e ao Windows Mobile, possui uma participação pequena no mercado, sem tendências aparentes de crescimento. Por esses motivos, esses dois sistemas foram descartados.
  • 11. Padrões de Middleware Ginga é a camada de software intermediário (middleware), entre o hardware/Sistema Operacional e as aplicações, que oferece uma série de facilidades para o desenvolvimento de conteúdo e aplicativos para TV Digital, entre elas a possibilidade desses conteúdos serem exibidos nos mais diferentes sistemas de recepção, independente da plataforma de hardware do fabricante e tipo de receptor (TV, celular, PDAs etc.). As aplicações executadas sobre Ginga são classificadas em duas categorias, dependendo da forma em que elas são escritas. Aplicações procedurais são escritas usando a linguagem Java e aplicações declarativas são escritas usando linguagem NCL. O middleware aberto Ginga é subdividido em dois subsistemas principais interligados, que permitem o desenvolvimento de aplicações seguindo os dois paradigmas de programação diferentes. Dependendo das funcionalidades requeridas no projeto de cada aplicação, um paradigma será mais adequado que o outro. Esses dois subsistemas são chamados de Ginga-J (para aplicações procedurais Java) e Ginga-NCL (para aplicações declarativas NCL).
  • 12. Referências ftp://139.82.16.194/pub/docs/techreports/08_03_cruz.pdf: Acesso em: 20 novembro 2011.