Modelo de von neumann melhorado

2,904 views

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,904
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
71
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Modelo de von neumann melhorado

  1. 1. Introdução àArquitetura deComputadoresProf.ª Ms. Elaine Cecília Gatto 1
  2. 2. Modelo com Barramentos deSistema• A arquitetura de von Neumann foi melhorada com o passar dos anos. Atualmente, os programas e dados armazenados podem ser buscados de dispositivos mais lentos, como os HDs, pen drives, cds, dvds, e então são copiados antes da execução, quando necessário, nos dispositivos mais rápidos, RAMs, Cachê e Registradores. Devido a essas melhorias, hoje existe o chamado modelo com barramentos de sistema. 2
  3. 3. Modelo com Barramentos deSistema 3
  4. 4. Modelo com Barramentos deSistema• Neste modelo há 3 tipos de barramentos externos à CPU: • Dados: Responsável por mover os dados da memória principal para os registradores da CPU e vice-versa • Endereço: Responsável por armazenar o endereço dos dados que o barramento de dados está acessando naquele momento; • Controle: Responsável por carregar os sinais de controle necessários que especificam como a transferência de informações deve ser feita.• Outras melhorias feitas no modelo de von Neumann: • Registradores de indexação para endereçamento; • Dados de ponto flutuante; • Interrupções de entrada e saída assíncrona; • Memória virtual; • Registradores gerais; 4 • Etc.
  5. 5. Lei de Moore• Gordon Moore, fundador da Intel afirmou: “A densidade de transistores em um circuito integrado irá dobrar a cada ano”• Atualmente diz-se: “A densidade dos chips de silício dobra a cada 18 meses”• Esta é a lei de Moore: quantos transistores cabem em um circuito integrado (ou pastilha)? Quão pequenos poderão se tornar? Quanto ainda conseguiremos empacotar chips?• Moore gostaria que o seu “postulado” durasse por 10 anos, mas não foi isso que aconteceu e está acontecendo. Esta lei está valendo há mais de 40 anos e ainda não há um prognóstico para definir os limites da integração.• Entretanto, existem limitações físicas e financeiras que ditarão 5 o fim da lei de Moore.
  6. 6. Lei de Rock• “O custo de capital de equipamentos para construir semicondutores irá dobrar a cada quatro anos”. Postulado criado por Arthur Rock, antigo capitalista de Intel.• A lei foi formulada a partir das observações de Rock a respeito da própria Intel. Rock viu o preço da fábrica de chips, passar de 12.000 dólares em 1968, para 12 milhões nos anos 90. O custo para abrir uma nova fábrica de chips nos anos 2000 era de 3 bilhões de dólares.• Qual será o preço de custo da construção de chips cada vez mais rápidos e menores? As fábricas de chips estão dispostas a arcar com esses custos?• Computação orgânica, computação quântica, física molecular, supercondução, etc, são resultados de pesquisas que procuram novas formas para construção de novas tecnologias computacionais. 6
  7. 7. Referencias1. MONTEIRO, Mario A. Introdução a Organização de Computadores. 5ª ed. Rio de Janeiro: LTC, 20072. TANENBAUM, Andrew S. Organização Estruturada de Computadores. 5ª ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.3. STALLINGS, William. Arquitetura e Organização de Computadores. 8ª ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.4. NULL, Linda. Princípios Básicos de Arquitetura e Organização de Computadores. 2ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.5. LORIN, Harold. Introducao a Arquitetura e Organizacao de 7 Computadores. Rio de Janeiro: Campus, 11985.
  8. 8. Referencias1. PATTERSON, David A.; HENNESSY, John L. Computer Organization and Design: The Hardware And Software Interface. 2ª ed. San Francisco, USA: Morgan Kaufmann, 1998.2. PATTERSON, David A.; HENNESSY, John L. Organização e Projeto de Computadores: A Interface Hardware e Software. 2ª ed. Rio de Janeiro: LTC, 2000.3. WEBER, Raul Fernando. Fundamentos de Arquitetura de Computadores. 3ª ed. Porto Alegre, RS: Bookman, Instituto de Informatica da UFRGS, 2008.4. TANENBAUM, Andrew S. Organização Estruturada de Computadores. 4ª ed. Rio de Janeiro: LTC, 2001. 85. TANENBAUM, Andrew S. Organização Estruturada de Computadores. 5ª ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.
  9. 9. Referencias1. HENNESSY, JOHAN L. Arquitetura de Computadores: uma abordagem quantitativa. Rio de Janeiro: Campus, 2003.2. REBONATO, MARCELO T. Organização de Computadores: notas de aula. Universidade de Passo Fundo.3. RICARTE, IVAN l. M. Organização de Computadores. Universidade Estadual de Campinas. 9

×