Your SlideShare is downloading. ×
Resumo norte
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Resumo norte

388
views

Published on


0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
388
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. RESUMO: REGIÃO NORTE • • • • • • • Região Norte: a mais extensa do país 45% do território nacional. Apenas 7,6% da população brasileira. Aproximadamente 200 mil indígenas. Presença da floresta Amazônica. Clima equatorial (quente e úmido) Relevo (em geral, baixas altitudes e planaltos residuais) Grande quantidade de rios. Lembre-se: Este é apenas um roteiro para que você saiba o que é mais importante! Estude utilizando o livro, as atividades feitas por você e os mapas! OCUPAÇÃO: Intensificou-se nos séculos XIX com o Ciclo da Borracha e XX com a implantação de vários projetos econômicos. Tem ocorrido de forma desordenada causando transtornos sócio-ambientais. A região Norte e a Amazônia Tipos de vegetação: cerrado, campos, vegetação Litorânea, Amazônia (que ocupa 80% do território da região Norte e ainda ultrapassa as fronteiras brasileiras). Níveis da floresta: Mata de Igapó, Mata de Várzea, Floresta de Terra Firme e Floresta Semi-úmida. Biodiversidade da Amazônia Ecossistema com variadas espécies animais e vegetais. A maior biodiversidade do mundo. Muitas espécies ainda desconhecidas. Todos os elementos físicos da Amazônia estão interligados formando um ambiente complexo, veja: Clima (quente e úmido) Rios (extensos e volumosos) Floresta Relevo (desgastado e rebaixado, apenas com planaltos residuais) Solo (serrapilheira) • • • • Muitas chuvas... Oba!!! Muitas chuvas e pouca variação da temperatura: Baixa amplitude térmica anual. Grande quantidade e variedade de plantas e floresta sempre verde. Evapotranspiração: responsável por 50% da umidade atmosférica. Chuvas de convecção = Evaporação das águas dos rios e lagos + evapotranspiração + diferença de temperatura, altas temperaturas durante o dia e menores à tarde.
  • 2. O relevo e os rios da Amazônia • • • Rios: Vias de transporte – cotidiano da população. Extensos e volumosos – Amazonas é o maior do mundo. A maior parte dos rios corre sobre planícies, alguns em planaltos e depressões. Os solos amazônicos Os solos são influenciados pelo relevo, pelas águas e pela floresta. Solos mais férteis: várzeas (inundadas em épocas de cheias pelas águas da Cordilheira dos Andes); algumas áreas dos estados de Rondônia e do Acre. Demais solos amazônicos: pobres em nutrientes, enriquecidos apenas por uma fina camada de matéria orgânica formada a partir da serrapilheira – camada de folhas, excrementos de animais e etc. absorvida pelas próprias plantas. Uma fronteira agropecuária e industrial Uma ocupação planejada: • Século XIX – Ciclo da Borracha (atraiu muitos migrantes, principalmente nordestinos). • Século XX – Década de 60 – Fronteira econômica do Brasil. Por causa da demanda por áreas agropecuárias e industriais o Governo Federal passou a incentivar a sua ocupação, para isso criou a SUDAM (Superintendência para o Desenvolvimento da Amazônia), órgão federal atualmente extinto que era encarregado de implantar vários projetos. • Construção de rodovias; • Abertura de áreas para o desenvolvimento da agropecuária, principalmente ao longo das rodovias; • Abertura de áreas para a exploração mineral; • Zona Franca de Manaus. Problemas sócio-ambientais: Rodovias: Derrubada das florestas, gastos exorbitantes e além do previsto, abandono de obras, solos frágeis e propícios à erosão. Projetos agropecuários: a) Pequenas propriedades familiares: conflito por terras distribuídas pelo governo ao longo das rodovias, baixa produtividade devido aos solos pouco férteis, falta de assistência da SUDAM aos produtores, falta de apoio técnico e financeiro. b) Grandes latifúndios empresariais: Desmatamento para a formação de pastagens, Presença de latifúndios improdutivos, servindo apenas à especulação imobiliária ou à apropriação dos recursos naturais. O Norte e a produção agropecuária • • • • Agricultura monocultora comercial (nos solos mais férteis: soja no TO, cacau e café em RO, malva e juta no AM e PA, o guaraná no AM e a pimenta-do-reino no PA). Pecuária extensiva (principalmente gado bovino e bufalino) Agricultura de subsistência (mandioca, feijão, milho e arroz) Agricultura itinerante A exploração Mineral na região Norte 1960 e 1970: Descoberta de jazidas de ferro, cobre, manganês e cassiterita, além de jazidas de ouro. Apoio do governo para exploração e instalação de grandes empresas mineradoras, sobretudo européias, norteamericanas e japonesas – através de: • Benefícios fiscais; • Infra-estrutura de transportes, energia elétrica, etc. • Implantação de grandes projetos tanto de vocação mineral, quanto agropecuária e florestal: Grande Carajás, Rondônia, Roraima, Tapajós e Trombetas.
  • 3. As jazidas da região Norte são responsáveis pela maior parte da produção mineral do país. A garimpagem: Atividade extrativa mineral com técnicas rudimentares Concentram-se no Vale do Rio Tapajós, no vale do Rio Madeira, no norte de Roraima e no Rio Tocantins. Causa sérios problemas como: • Invasão de terras indígenas em busca de ouro; • Contaminação dos rios e intoxicação da população e dos próprios garimpeiros pelo mercúrio; • Precárias condições de vida dos garimpeiros. O extrativismo vegetal: (látex, castanha do Pará, piaçava, malva, açaí, etc) Foi substituída em parte por outras atividades como a agropecuária e a indústria, mas ainda hoje emprega uma numerosa mão de obra. A indústria na região Norte: Apenas 5% do valor da produção industrial do Brasil Criação em 1960 da Zona Franca de Manaus onde as mercadorias são produzidas e comercializadas sem a cobrança de impostos. Estão situadas nesta área montadoras de aparelhos eletrônicos, de motocicletas e bicicletas e indústrias do setor madeireiro. Centro industrial de Belém do Pará (indústrias alimentícias, têxteis, madeireiras e bebidas) Complexo metalúrgico da Albrás em Barcarena nas proximidades de Belém. A população da região Norte • • • Norte: Região menos povoada do Brasil. Densidade demográfica em torno de 3hab/km2 Foi a população que mais cresceu nas últimas quatro décadas Intensa miscigenação (mistura de povos) devido a presença de migrantes de diversas partes do país e dos indígenas que já habitavam a região. Crescimento urbano na região Norte • Crescimento da população urbana foi bem maior em relação à população rural, principalmente devido ao fracasso dos projetos agropecuários do governo e da elevada concentração fundiária. Transformações no espaço geográfico da região: • Concentração da população nas capitais, • Aumento do número de centros regionais, • Centros regionais principalmente ao longo das rodovias. • Formação de vilas e povoados nas áreas de expansão da fronteira econômica na região. A população indígena da Amazônia • • A Amazônia concentra a maior parte dos indígenas do Brasil (60%, aproximadamente 200 mil pessoas) Algumas tribos ainda vivem isoladas e preservam suas características culturais, mas vários outros povos perderam grande parte de sua riqueza cultural devido ao contato com a sociedade não-indígena. A ocupação intensa da região Norte após a década de 1950 tem contribuído para a ocorrência de intensos conflitos envolvendo a população indígena: • Invasão de terras indígenas por agropecuaristas, garimpeiros, madeireiros, etc. • Terras de vários povos cortadas por rodovias ou inundadas por hidrelétricas. • Enfermidades transmitidas por garimpeiros, agricultores e demais habitantes da região: sarampo, gripe, tuberculose e doenças venéreas. Em certos casos exterminam grupos inteiros. • Os direitos dos povos indígenas são assegurados pela constituição e sua luta, divulgada pela imprensa, vem alcançando a esfera internacional através de Organizações não-governamentais nacionais e
  • 4. estrangeiras, mas muito ainda deve ser conquistado, pois os povos indígenas ainda são seriamente ameaçados pelos interesses econômicos.

×