Your SlideShare is downloading. ×
Apres Sancho
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Apres Sancho

1,317
views

Published on

Published in: Education

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,317
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
15
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. SANCHO, Juan M. Tecnologias para transformar a educação. Porto alegre: Artmed, 2006. 200p. ISBN 85- 363-0709-9 De tecnologias da informação e comunicação a recursos educativos
  • 2. computador e internet escola 1980 convidada pelo CRIEP computadores = soluções para os problemas na educação.
  • 3. Finalidade do capítulo: Problematizar as concepções sobre o ensino e a aprendizagem vigentes e profundamente arraigadas nas escolas tendo como referências as TIC. O argumento principal é a dificuldade – quase impossibilidade – de tornar as TIC meios de ensino que melhorem os processos e resultados da aprendizagem. Os professores, diretores, assessores pedagógicos, especialistas em educação e pessoal da administração não revisarem sua forma de entender. Como se ensina e como aprendem as crianças e jovens de hoje em dia; as concepções de currículo; o papel da avaliação; os espaços educativos e a gestão escolar.
  • 4. O CARÁTER TRANSFORMADOR DAS TIC As NTIC, conforme Inis (cf. Tedesco 1995), tem três tipos de efeito: Alteram as estruturas de interesse (as coisas em que pensamos) Mudam o caráter dos símbolos (as coisas com as quais pensamos) Modificam a natureza da comunidade (a área em que se desenvolve o pensamento)
  • 5. Todo esse preâmbulo sustenta dois argumentos básicos: - As tecnologias da informação e comunicação estão aí e ficarão por muito tempo, estão transformando o mundo e deve-se considerá-las no terreno da educação. - As tecnologias da informação e comunicação não são neutras. Estão desenvolvidas e utilizadas em um mundo cheio de valores e interesses que não favorecem toda a população, deve-se lembrar que os processos gerados pela combinação dessas tecnologias e das práticas políticas e econômicas dominantes nem sempre é positivo para os indivíduos e a sociedade.
  • 6. AS TIC E A EDUCAÇÃO Conclusões do II Congresso Europeu sobre Tecnologia da Informação em Cidadania educadores - prisioneiros das estruturas administrativas e organizativas. comunidades educativas mais preparadas para a mudança que a incorporação das TIC provocará - condições de trabalho, a legislação vigente e o orçamento lhe permitem. necessário impulsionar ou reconhecer iniciativas de cima a baixo - estruturas que as favoreçam e não as sufoquem.
  • 7. O VÁCUO PEDAGÓGICO DAS TIC O computador oferece um conjunto extremamente diversificado de uso. As correntes condutivistas e neocondutivistas do ensino viram o computador como a máquina de ensinar, o sistema especializado ou o tutor inteligente por excelência, e existe uma importante atividade no âmbito da criação e do desenvolvimento de programas de ensino feitos em computador. As visões cognitivas da aprendizagem e do ensino, que transformaram o computador em metáfora explicativa do cérebro humano, o vêem como ferramenta que transforma o que toca.
  • 8. Para quem considera que o problema da aprendizagem reside na expressividade e na diversificação dos códigos utilizados para representar a informação nos meios de ensino, a facilidade de integrar textos, gráficos e linguagens audiovisual e pictória proporcionada pelos sistemas multimídia. Vem a ser a resposta para os problemas de motivação e rendimento dos alunos (e inclusive dos professores). Quem considera que a aprendizagem se baseia na troca e na cooperação, no enfrentamento de riscos, na elaboração de hipóteses, no contraste, na argumentação, no reconhecimento do outro e na aceitação da diversidade vê nos sistemas informáticos, na navegação pela informação e na ampliação da comunicação com pessoas e instituições geograficamente distantes a resposta às limitações do espaço escolar.
  • 9. ALÉM DAS TIC: EM BUSCA DA TRANSFORMAÇÃO DA ESCOLA. Em 2000, a Comissão Européia, criou um projeto de pesquisa e desenvolvimento denominado A Escola do Amanhã. A Idéia era desenvolver: - Ambientes múltiplos de aprendizagem e materiais inovadores que pudessem apoiar e administrar processos educativos e interações sociais entre os estudantes, os professores e a comunidade escolar. - Aprendizagem de atividades cognitivas de ordem superior orientada a fomentar a autonomia, a criatividade, a resolução de problemas e o trabalho em grupo. - Aplicações das TIC fáceis de usar e com um custo razoável para aumentar a possibilidade de obter recursos distantes da escola e de casa.
  • 10. O processo School + que um sistema in formático para construir a escola do amanhã foi um dos 11 projetos selecionados em toda Europa. Contudo, na maioria das vezes não consideram as necessidades das escolas, as limitações dos atuais currículos e os temas organizativos envolvidos no uso efeito das TIC no processo de ensino aprendizagem. A introdução das TIC na escola não promove formas alternativas de ensinar e aprender, pelo contrário, costuma reforçar as estruturas preexistentes do conteúdo do currículo e as relações de poder.
  • 11. OS OBJETIVOS DO PROJETO: 1. Planejar, desenvolver e avaliar um ambiente de ensino e aprendizagem virtual. 2. Desenvolver paralelamente tecnologias organizativas e simbólicas para poder prevenir desvios quanto ao uso educativo das TIC ou à falta de compreensão da complexidade das escolas. 3. Favorecer a reorganização do ambiente escolar para poder abordar o tema do uso das TIC nas escolas com base em suas raízes, mediante a integração e adaptação das TIC às necessidades emergentes das escolas e sua tarefa de educar indivíduos com predisposição para continuar aprendendo durante a vida.
  • 12.
    • OS RESULTADOS E AS APRENDIZAGENS DO PROJETO
    • Os resultados mais importantes deste processo foram o conjunto de estratégias desenvolvidas em cada escola para promover mudanças fundamentais nas perspectivas dos institutos e dos professores sobre:
    • o que significa ensinar no século XXI:
    • a interação docente;
    • o papel dos professores e dos alunos no processo de aprendizagem;
    • a melhor maneira de administrar o tempo e o espaço;
    • o papel das diferentes linguagens – textual, visual, audiovisual, informáticas, etc. – no ensino, na aprendizagem e no acesso ao conhecimento, etc.
    • Mesmo não conseguindo reorganizar as escolas a partir de suas raízes, conseguiu-se colocar em prática novas perspectivas organizativas e simbólicas em determinados períodos da vida escolar.
  • 13.
    • Os principais problemas identificados na implementação de novas perspectivas de ensino e aprendizagem incorporando as TIC são encontrados em :
    • Especificações e níveis dos currículos atuais;
    • Restrições da própria administração;
    • Esquemas organizativos do ensino (aulas de 45-50 minutos)
    • A organização do espaço - acesso aos computadores, número de estudantes por sala de aula...;
    • Os sistemas de formação permanente dos professores que impedem a mudança educativa;
    • O conteúdo disciplinar dos currículos que dificultam as propostas transdisciplinares baseada em problemas;
    • As restrições na organização de espaço e tempo;
    • A falta de motivação dos professores para introduzir novos métodos;
    • A pouca autonomia de professores e alunos.
  • 14.
    • SETE AXIOMAS PARA CONVERTER AS TIC EM MOTOR DE INOVAÇÃO PEDAGÓGICA
    • Como demonstram projetos do tipo School +, a cada dia parece mais claro que a estrutura pedagógica e organizativa da escola atual não é a mais adequada para a incorporação das TIC.
    • McClintock concluiu, que, em todos os projetos, apenas era cumprido o primeiro axioma, relativo à necessidade de contar com uma infra-estrutura informática que realmente possibilitasse a utilização educativa do computador.
    • Ou seja, é mais fácil conseguir fundos para comprar equipamentos do que para transformar as concepções e práticas educativas. Infra-estrutura tecnológica adequada
  • 15.
    • SETE AXIOMAS PARA CONVERTER AS TIC EM MOTOR DE INOVAÇÃO PEDAGÓGICA SÃO:
    • - Infra-estrutura tecnológica adequada
    • - Utilização dos novos meios nos processos de ensino e aprendizagem
    • cenário típico -> incorporação das TIC – atividades extracurriculares, novas disciplinas ou uso eventual em uma determinada disciplina sem aplicação didática
  • 16.
    • - Enfoque construtivista da gestão
    • Planejar e gerir a escola na era da informação exige considerar o contexto social do ensino para poder tomar decisões sobre a própria estrutura da escola, a concepção do currículo, a própria forma de tomar decisões, o papel dos diferentes membros da comunidade escolar, os sistemas de comunicação externa e interna, as características dos recursos necessários e como conseguí-los e o desenvolvimento pessoal e profissional dos professores.
    • Este conjunto de decisões que reflete e garante a cultura da escola em um sentido ou outro é a base da gestão integral da escola e possibilita a criação e implantação de um projeto educacional compartilhado.
  • 17.
    • Investimento na capacidade do aluno de adquirir sua própria educação
    • As escolas planejarão a utilização dos recursos tecnológicos como um investimento na capacidade dos alunos de adquirir sua própria educação.
    • Impossibilidade de prever os resultados da aprendizagem
    • Os educadores devem abandonar a premissa de que podem prever o que terá aprendido um bom estudante como resultado de uma experiência educativa.
  • 18.
    • Ampliação do conceito de ação docente
    • As salas de aula devem tornar-se lugares em que estudantes e professores se comunicam de forma interativa entre si, e com especialistas e companheiros na localidade, na cultura e no globo.
    • Questionar o senso pedagógico comum
    • É imprescindível uma profunda revisão e o questionamento das convicções pedagógicas relativas ao que é e não é “uma idade apropriada” para aprender, quem pode realizar escolhas pedagógicas válidas e como deve funcionar o controle do processo educacional.
  • 19.
    • CONCLUINDO
    • Esta forma de abordar a temática da transformação das TIC em recursos educativos se fundamenta na evidência contrastada de que não são os instrumentos que mudam as práticas docentes profundamente enraizadas e, sim, estas práticas acabam domesticando as novas ferramentas.
    • Para que o uso das TIC signifique uma transformação educativa que se transforme em melhora, como se argumentou até aqui, muitas coisas terão que mudar. Muitas estão nas mãos dos próprios professores, que terão que redesenhar seu papel e sua responsabilidade na escola atual. Mas tantas outras escapam de seu controle e se inscrevem na esfera da direção da escola, da administração e da própria sociedade.
  • 20.
    • Por Eguimara Branco
    • [email_address]