• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Workshop de produtos Alfacomp
 

Workshop de produtos Alfacomp

on

  • 1,299 views

Ao longo de 19 anos de existência dedicados a automação industrial, nossa atuação no segmento do saneamento recebeu uma atenção especial. Este workshop objetiva apresentar os produtos que foram ...

Ao longo de 19 anos de existência dedicados a automação industrial, nossa atuação no segmento do saneamento recebeu uma atenção especial. Este workshop objetiva apresentar os produtos que foram desenvolvidos para a automação e telemetria do saneamento, e que tem aplicação em todo o tipo de processo industrial.

Statistics

Views

Total Views
1,299
Views on SlideShare
1,293
Embed Views
6

Actions

Likes
0
Downloads
15
Comments
1

2 Embeds 6

http://www.linkedin.com 5
http://www.slashdocs.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

11 of 1 previous next

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • blessing_11111@yahoo.com

    My name is Blessing
    i am a young lady with a kind and open heart,
    I enjoy my life,but life can't be complete if you don't have a person to share it
    with. blessing_11111@yahoo.com

    Hoping To Hear From You
    Yours Blessing
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Workshop de produtos Alfacomp Workshop de produtos Alfacomp Presentation Transcript

    • Eduardo Grachten - Eng. Eletricista Observe Pense Solucione Produtos Alfacomp Workshop
    • Calendário de Workshops para 2012 Local: Sede da Alfacomp em Porto Alegre - RS 11 Dezembro 13 Novembro 16 Outubro 18 Setembro 21 Agosto 17 Julho 19 Junho 15 Maio 17 Abril 13 Março 14 Fevereiro Janeiro 17
    • Evento acontecido em 20/12/2011
    • Agenda do Workshop Instrutor Jeferson Souza Almeida – Gerente técnico Manhã 9h00 às 12h00 Coffee break 10h30 às 10h45 Almoço 12h00 às 14h00 Tarde 14h00 às 17h30 Coffee break 15h30 às 15h45
    • Ao longo de 19 anos de existência dedicados a automação industrial, nossa atuação no segmento do saneamento recebeu uma atenção especial. Este workshop objetiva apresentar os produtos que foram desenvolvidos para a automação e telemetria do saneamento, e que tem aplicação em todo o tipo de processo industrial. Objetivo serial serial serial Elevatória de água Reservatório CLP CLP Centro de controle
      • Os produtos desenvolvidos para compor os painéis de telemetria possuem características únicas. Entre as vantagens que nossos produtos apresentam, podemos citar:
      • Múltiplas funções por módulo
      • Relação custo x benefício
      • Tamanho reduzido
      • Originalidade
      Produtos que complementam o CLP
      • Seccionador de fase e neutro
      • Tomada no padrão brasileiro
      • Fusíveis
      • Varistores de óxido metálico
      • Fixação para trilho DIN
      Observe Pense Solucione Seccionador, DPS e tomada SW3300 Curso de utilização
    • A principal utilização do módulo SW3300 é no seccionamento e proteção contra surtos em quadros elétricos compactos.
      • O módulo Alfacomp SW3300 foi projetado para compor painéis elétricos de comando e automação e integra as seguintes funções:
      • Seccionamento;
      • Proteção contra sobre corrente por meio de fusíveis;
      • Proteção contra sobre tensões por meio de Varistores;
      • Tomada bipolar com terra;
      • Sinalização luminosa de energização.
      •  
      • Por incluir diversas funções em um módulo único, o dispositivo simplifica a montagem do quadro e contribui para lay-outs mais compactos.
      Aplicação SW3300
      • Economia de espaço: O módulo SW3300 substitui com vantagens um seccionador + dois fusíveis + uma tomada + três DPSs.
      Vantagens competitivas
      • Instalação: O módulo é fixado no trilho DIN por grampo plástico de encaixe rápido na traseira do módulo.
      SW3300 3 DPS 2 fusíveis Tomada Seccionador
    • Características técnicas principais Tensão de utilização 110 ou 220 VCA entre Fase e Neutro Corrente nominal máxima 5 A Proteção contra sobre corrente 2 fusíveis de 5 A Proteção contra sobre tensões 3 varistores de óxido metálico com capacidade de 20 KA e tensão máxima de 275V Dimensões (montado em trilho DIN horizontal) Altura 53 x Largura 67 x Profundidade 79 mm Forma Placa eletrônica alojada em suporte metálico com fixação para trilho DIN Sinalização A chave seccionadora possui lâmpada neon que indica o estado ligado Tomada Tomada 2 P + T padrão ABNT Tensão de alimentação 24 VCC, 110VCA ou 220VCA (selecionável pela conexão) Elementos de iluminação 12 Leds brancos de alta intensidade Comutador Chave fim de curso NF Dimensões Altura 24 x Largura 56 x Profundidade 65 mm Formato Gabinete metálico Tensão de utilização 110 ou 220 entre Fase e Neutro Corrente nominal máxima 5 A Proteção contra sobre corrente 2 fusíveis de 5 A Proteção contra sobre tensões 3 varistores de óxido metálico com capacidade de 20 KA e tensão máxima de 275V Dimensões (montado em trilho DIN horizontal) Altura 53 x Largura 67 x Profundidade 79 mm Forma Placa eletrônica alojada em suporte metálico com fixação para trilho DIN Sinalização A chave seccionadora possui lâmpada neon que indica o estado ligado Tomada Tomada 2 P + T padrão ABNT 53 mm 79 mm 67 mm
    • O módulo SW3300 é fixado ao trilho DIN pelo grampo plástico de engate rápido. A figura abaixo mostra uma instalação típica em um quadro elétrico compacto. Instalação
    • Conexões do módulo A figura abaixo apresenta o esquema interno do módulo e o diagrama de ligações.
      • Entrada de 95 a 250 VCA
      • Saída de 12VCC/1,5 A
      • Saída de 24VCC/2,0 A
      • Saída digital indicadora de rede presente
      • Bateria interna de 7Ah
      • Entradas e saídas protegidas
      Observe Pense Solucione Fonte de Alimentação com bateria 2061 Curso de utilização
    • O módulo 2061 foi projetado para alimentar quadros dotados de CLPs de pequeno porte e rádios modem em configurações típicas de telemetria e telecomando. Um exemplo de aplicação seria nos quadros de automação de estações elevatórias de água e esgoto. Dotada de bateria interna de 12V/7Ah, fornece em suas saídas as tensões de 24V para o CLP e 12V para o rádio. Enquanto a alimentação está presente na entrada CA, o módulo mantém a carga na bateria. Quando acontece a interrupção da energia da rede, a bateria sustenta o fornecimento nas saídas de 24V e 12V. Aplicação 12V 110 / 220 VCA 24V Fonte com bateria CLP Rádio
    • A figura abaixo apresenta a fonte Alfacomp 2061 instalada no painel de telemetria PT5501. Exemplo de utilização
      • Economia: A fonte Alfacomp 2061 substitui com economia de espaço e custo a utilização de um UPS (no-break) + uma fonte 12 VCC + uma fonte 24 VCC.
      • Tamanho: O espaço ocupado pelo módulo é menor que o dos equipamentos mencionados acima.
      • Instalação: A fonte é presa a placa de montagem por meio de 4 parafusos. Para tanto, o produto é dotado de furos de engate fácil.
      • Originalidade: Não existe produto similar no mercado.
      • Indicador de estado: Saída digital em 24V informa se o painel está sendo alimentado pela rede ou pela bateria.
      Vantagens competitivas
    • Conexões do módulo e descrição do funcionamento Os terminais " Ponte " permitem interromper a ligação interna da bateria e devem ser conectados a uma chave ou borne fusível. Quando ocorrer uma falta de energia, a bateria interna irá alimentar os circuitos que fornecem as tensões de saída. Nessa situação, a única forma de interromper o funcionamento da fonte é abrindo a chave que estabelece contato entre os terminais " Ponte ". Para reativar a fonte é necessário reenergizar a entrada de tensão CA, ou pressionar a chave de rearme, localizada na base do gabinete.
    • Características técnicas principais Tensões de saída 12V/1,5A e 24V/2,0A Alimentação 95 a 250 VCA Ripple máximo Menor que 2% das tensões nominais de saída Consumo 100W Sinalização visual LED indicador de fonte ativa Temperatura de operação 0 o a 50 o C Indicação de funcionamento Sinal digital em 24VCC indicando a presença de energia na entrada CA do módulo. Pode ser ligado à entrada digital de um CLP para alarmar falta de energia na rede da instalação e informar que a bateria está suprindo a alimentação. Dimensões Altura 187mm, largura 130mm e profundidade 120mm 130 mm 120 mm 187 mm
    • Construção interna O equipamento é composto internamente de uma placa modelo FC01AC como mostram as figuras a seguir e uma bateria de 12V / 7Ah.
    • Conexões da placa FC01A O módulo de energia ininterrupta FC01AC possui três conjuntos de conectores. A polaridade negativa da bateria e os negativos das fontes de 12V de 24V são interligados no terminal 5 do conector II. Os conectores I e II são do tipo tomada e necessitam de terminais especias para a conexão. Conector 1 - Entrada de energia 1 Entrada CA (Linha) 2 Entrada CA (Linha / Neutro) 3 Pino de terra Conector 2 - Saídas 1 Conexão Bateria 2 Conexão Bateria 3 Fonte 24V (Positivo) 4 Fonte 12V (Positivo) 5 GND (Negativo) 6 Sinal verificador de rede Conector 3 - Bateria 1 Polaridade negativa da bateria 2 Polaridade positiva da bateria
    • Ajustes da placa FC01A A placa FC01AC é pré-ajustada de forma a fornecer, em condições nominais, a tensão de flutuação da bateria de 13.7V a 13.9V. As fontes de tensão contínua são ajustadas para fornecer 12V e 24V respectivamente. O ajuste das tensões de flutuação e de saída são efetuados por meio de dois potenciômetros localizados na placa. Caso seja necessário o reajuste do módulo, o seguinte procedimento deve ser adotado: 1) Inicialmente o módulo deve estar desconectado da rede elétrica. As fontes de 12V e de 24V não devem estar conectadas à carga durante o procedimento de ajuste das tensões. 2) Ligar a bateria no conector III verificando a polaridade. 3) Conectar um jumper nos terminais 1 e 2 do conector II. 4) Ligar a rede elétrica no conector I. 5) Ajustar o potenciômetro “ Pot 1 ” até que a tensão nos terminais 4 e 5 do conector II seja de 13.9V. 6) Ajustar o potenciômetro “ Pot 2 ” até que a tensão nos terminais 3 e 5 do conector II seja de 24.0V. 7) Conectar a carga aos terminais 3, 4 e 5 do conector II e verificar as tensões.
      • Iluminação para painéis elétricos compactos
      • Possui 12 LEDs de alta intensidade
      • Um contato seco indica porta aberta
      • Chave fim de curso embutida
      Observe Pense Solucione Iluminador de painel SW3301 Curso de utilização
    • Além de iluminar, o SW3301 também sinaliza que a porta do quadro está aberta por meio de um contato seco. Este sinal pode ser ligado a uma entrada digital do CLP para alarmar intrusão. O módulo pode ser alimentado por 110 VCA, 220 VCA ou 24 VCC. Quando o módulo é alimentado por 24 VCC e o painel é alimentado por fonte dotada de bateria, a iluminação continuará funcionando mesmo quando há interrupção de energia na rede. Aplicação SW3301 A principal utilização do módulo SW3301 é na iluminação de quadros elétricos compactos.
      • Economia de espaço: O módulo SW3301 substitui uma lâmpada e duas chaves fim de curso com a vantagem de não ocupar espaço na placa de montagem
      Vantagens competitivas
      • Instalação: Simples quando comparada a de uma lâmpada e duas chaves fim de curso.
      • Alimentação: Versatilidade de alimentação em 110 VCA, 220 VCA ou 24 VCC.
      Lâmpada convencional Chaves fim de curso + SW3301
    • Características técnicas principais Tensão de alimentação 24 VCC, 110VCA ou 220VCA (selecionável pela conexão) Elementos de iluminação 12 Leds brancos de alta intensidade Comutador Chave fim de curso NF Dimensões Altura 24 x Largura 56 x Profundidade 65 mm Formato Gabinete metálico Tensão de alimentação 24 VCC, 110VCA ou 220VCA (selecionável pela conexão) Elementos de iluminação 12 Leds brancos de alta intensidade Comutador Chave fim de curso NF Dimensões Altura 24 x Largura 56 x Profundidade 65 mm Formato Gabinete metálico
    • O módulo SW3301 é fixado à borda do painel por meio de dois parafusos M3. O iluminador é dotado de dois furos com rosca para essa finalidade. Instalação
    • Conexões do módulo As figuras abaixo apresentam os diagramas de ligação nas três opções de alimentação. Alimentação em 24 VCC Alimentação em 110 VCA Alimentação em 220 VCA
      • 8 entradas em 4 a 20mA
      • Saída em frequência (600 a 3KHz)
      • Funciona como borneira
      • Funciona como I/O remoto a dezenas de metros
      • Protegido contra surto de tensão
      • Protegido contra sobre corrente
      Observe Pense Solucione Interface analógica IA2820 Curso de utilização
    • A principal utilização do módulo IA2801 esta na criação de 8 entradas analógicas em 4 a 20mA para pequenos CLPs que não possuem capacidade de expansão. O módulo IA2820 é conectado a 3 saídas digitais e uma entrada digital rápida do CLP, e funciona de forma multiplexada. Para cada sinal analógico existe um borne destacável com os sinais 24V, EAN e GND que permite conectar transmissores a dois fios diretamente ao módulo, que funciona também como borneira. Aplicação CLP 3 saídas digitais 1 entrada digital 8 sinais analógicos em 4 a 20 mA IA2820 600 a 3000 Hz
      • Economia: 8 canais analógicos protegidos contra surto e curto circuito pelo menor preço do mercado.
      • Simplicidade: O CLP é programado com rotina que pode ser elaborada em qualquer linguagem de programação. Rotinas prontas para Expert DX, PL104, DUO350 e FBs estão disponíveis sem custo.
      • Tamanho: O módulo ocupa apenas 23 mm no trilho DIN.
      • Instalação: A instalação e substituição são facilitadas por bornes destacáveis. A fixação ao trilho DIN se dá por grampo plástico de engate rápido
      • Originalidade: Não existe produto similar no mercado.
      • I/O remoto: O módulo pode ser instalado a dezenas de metros do CLP e funciona como I/O remoto.
      Vantagens competitivas
    • O circuito é composto por uma chave analógica multiplex que seleciona uma entre 8 entradas analógicas. Esta seleção é feita nas três entradas SL0, SL1 e SL2. O canal selecionado fornece o sinal para o conversor de corrente/freqüência. O conversor de freqüência fornece na saída OUT um sinal pulsado de freqüência proporcional a corrente do canal selecionado. O sinal tem a amplitude da tensão de alimentação, normalmente 24V, e freqüência variando de 600Hz a 3000Hz. Na aplicação, o clp deverá ser programado para selecionar seqüencialmente os 8 canais, e contar os pulsos relativos a cada entrada analógica. Abaixo é mostrado o algoritmo sugerido. 1 - Canal = 0 2 - Aguarda 0,1 segundos 3 - Contador = 0 4 - Aguarda 0,417 segundos 5 - Leitura da Entrada (Canal) = (Contador - 250) 6 - Canal=Canal+1 7 - Se Canal > 7, então Canal = 0 8 - Volta para 2   Descrição do funcionamento
    • Conexões do módulo A figura ao lado apresenta o diagrama típico de interligações do módulo IA2820 a um CLP e a 8 sensores em 4 a 20mA a dois fios. Recomenda-se a utilização de cabos blindados na conexão dos sensores ao módulo para minimizar interferências. Calibração - O módulo IA2820 é calibrado em fábrica. Para o seu ajuste, siga o seguinte procedimento: 1 - Desligue as entradas SL0, SL1 e SL2. 2 - Ligue a alimentação. 3 - Ligue uma fonte de corrente à entrada EA0. 4 - Ajuste a fonte de corrente para 20 mA. 5 - Ajuste o trimpot SPAN para obter 3000 Hz na saída OUT. 6 - Ajuste a fonte de corrente para 4 mA. 7 - Ajuste o trimpot ZERO para obter 600 Hz na saída OUT. 8 - Repita os passos de 4 a 7 até completar a calibração.
    • Características técnicas principais Alimentação 18 a 30 VDC Consumo   200 mA máximo (considerando todos os sensores a dois fios e transmitindo sinal máximo de 20mA) Entradas Analógicas 8 entradas 4 a 20mA— Impedância de 220 ohms Saída Pulsos com amplitude da tensão de alimentação e freqüência de 600 a 3000 Hz. Entradas de Seleção 3 entradas em 24 VDC. Proteções Entradas analógicas e conexão aos 24V protegidas por supressor de transientes (Transorb) e fusíveis rearmáveis (PTC). Proteção de 600W por 1 ms com tempo de reposta menor de 5 ps. Dimensões   Largura 23 mm, Altura 103 mm, Profundidade 101 mm (conectores incluídos). O módulo é construído em gabinete metálico com fixação para trilho DIN.
    • A figura abaixo apresenta o circuito dos dois primeiros canais analógicos da interface analógica IA2820. Cada entrada é protegida contra sobre tensões por diodos TVS; D1 e D2 no exemplo. Os termistores PTC proporcionam proteção contra sobre correntes causadas pelo mau funcionamento dos sensores a dois fios. Em funcionamento normal o PTC utilizado apresenta resistência de 2,5 ohms. Quando aquecido aumenta a resistência para centenas de ohms, limitando a corrente em 50 mA. No exemplo abaixo, o sensor conectado a entrada EA2 está em curto, aplicando 24V a entrada analógica. O diodo D2 limita a tensão em 6V impedindo a queima do resistor R2. O excesso de corrente provoca o aquecimento de PT2, que limita a corrente preservando o circuito. Quando o curto é removido, o PTC esfria e volta a ter 2,5 ohms de resistência. Ou seja, o PTC funciona como um fusível rearmável. Proteção contra curto circuito e sobre tensão 4 a 20mA 24V
      • Converte pulsos em sinal analógico
      • Transforma uma saída digital de CLP em analógica
      • Saídas simultâneas em 0 a 10V e 4 a 20mA
      • Circuito microcontrolado
      • Pequenas dimensões
      Observe Pense Solucione Conversor de pulsos para sinal analógico IA2801 Curso de utilização
    • A principal utilização do módulo IA2801 esta na conversão de pulsos de uma saída digital de CLP para sinal analógico em tensão e corrente. Pequenos CLPs que não possuem saídas analógicas podem através da IA2801 controlar dispositivos como conversores de frequência para acionamento de motores por um custo extremamente competitivo.   O CLP deve gerar um trem de pulsos entre 1 e 255 na saída digital selecionada e o módulo IA2801 irá converter em sinal analógico com resolução de 8 bits. Aplicação IA2801 Conversor Motor Saída digital em 24V CLP 0 a 10V ou 4 a 20mA
      • Economia: Viabiliza implementar controles proporcionais utilizando CLPs de baixo custo.
      • Simplicidade: O CLP deve ser programado com uma rotina sem preocupação com precisão de frequência ou PWM.
      • Tamanho: O módulo ocupa apenas 23 mm no trilho DIN.
      • Instalação: A instalação e substituição são facilitadas por bornes destacáveis.
      • Originalidade: Não existe produto similar no mercado.
      • Customização: Sob consulta, o módulo pode ter seu funcionamento alterado para converter outra formas de pulso em sinal analógico. Ex: Faixas específicas de frequência.
      Vantagens competitivas
    • O módulo efetua a conversão de pulsos, na faixa de 1 a 255 pulsos, em tensão analógica de 0 a 10V e corrente analógica de 4 a 20mA. Se a quantidade de pulsos for maior que 255 pulsos, o conversor leva as saídas analógicas para o fundo de escala, 10V e 20mA. A totalização dos pulsos é encerrada quando houver um intervalo maior que 0,5 segundos. Após transcorrido este intervalo, a saída analógica é atualizada. Se a entrada de pulsos for silenciada por 30 segundos, as saídas analógicas são zeradas. Descrição do funcionamento 1 a 255 pulsos 0,5 a 30 segundos
    • Características técnicas principais Tensão de Alimentação +24Vcc Consumo de energia 100 mA max Entrada Trem de pulsos (1 a 255 pulsos com amplitude de 24Vpp) Saídas Tensão: 0 a 10V - 50mA máx ( Resistência de carga: >200Ω ) Corrente: 4 a 20mA ( Resistência de carga: <500Ω ) Temperatura de operação -40° a +80°C Umidade 10% a 90% (não condensante) Dimensões Altura 73 x Largura 23 x Profundidade 51 mm Forma Placa eletrônica alojada em gabinete metálico para encaixe em trilho DIN 23 mm 51 mm 73 mm
    • Conexões do módulo A figura abaixo apresenta um exemplo de ligações típico. O CLP e o módulo são alimentados pela mesma fonte. Uma saída digital (SD) do CLP é conectada à entrada de pulsos do módulo. A saída 0 a 10V do IA2801 é conectada a entrada de referência do conversor de frequência. Fonte Carga 24V 0V SD 0V 24V 0V EAN 0V Ex: conversor de frequência CLP
      • Interface isoladora com 8 saídas independentes
      • Conectores destacáveis
      • Funciona como borneira e economiza espaço
      • LEDs indicam os estados dos relés
      • Ocupa apenas 23mm no trilho DIN
      Observe Pense Solucione Isolador a relé ID2908 Curso de utilização
      • A principal utilização dos isoladores a relé ID2908 é no acionamento de cargas em sistemas de automação industrial.
      • As saídas digitais em 24V acionam os relés do módulo que, por sua vez, acionam as cargas externas. Ex: Contatores.
      • A utilização de relés externos ao CLP proporciona, entre outras, as seguintes vantagens:
      • Danos causados por sobre-cargas não irão prejudicar as saídas digitais do CLP;
      • Ruídos causados pelo acionamento de cargas indutivas ficam contidos no relé e não dentro do CLP.
      Aplicação CLP ID2908 Contator Motor Saídas digitais em 24V
      • Economia de espaço: Imagine instalar 64 relés em um trilho DIN para obter 64 saídas digitais a relé. Utilizando-se relés convencionais, o espaço ocupado no trilho pelos 64 relés será de 32 cm. As mesmas 64 saídas digitais podem ser obtidas utilizando-se 8 módulos ID2908 que ocupam 18,4 cm, pouco mais de metade do espaço ocupado por relés convencionais.
      Vantagens competitivas 64 saídas isoladas em 18,4 cm
      • Manutenção: O produto é montado em placa de circuito impresso e pode ser facilmente reparado utilizando-se componentes de mercado.
      • Sinalização: 8 LEDs indicam o estado dos relés.
      • Instalação: A instalação e substituição são facilitadas por bornes destacáveis.
    • Características técnicas principais Tensão de acionamento 24 VCC Capacidade de comutação 2A em 220 VCA Indicação 8 leds indicam o estado dos relés Dimensões Altura 88 x Largura 23 x Profundidade 74 mm (conectores incluídos) Formato Placa eletrônica em suporte metálico aberto e fixação para trilho DIN
    • Conexões do módulo O isolador a relé ID2908 deve ser conectado às saídas digitais de um CLP em 24V. Quando uma determinada saída digital do CLP fornecer 24V, o relé acionado pela mesma irá ligar. Cada relé está ligado a dois contatos, ex: S0 e S0 Os contatos dos 8 relés estão isolados entre si, permitindo acionar cargas em diferente potenciais. No circuito ao lado exemplificamos a utilização no acionamento de 8 cargas interligadas por um neutro comum.
    • Exemplo de instalação A figura abaixo apresenta o módulo ID2908 instalado em um painel de telemetria. O módulo é fixado em trilho DIN por meio do grampo plástico localizado na face traseira. Utilize uma chave de fenda para liberar o dispositivo do trilho.
      • Converte RS232 para RS485
      • Dispensa RTS para controle
      • Possui terminação resistiva
      • Imunidade a ruídos
      Observe Pense Solucione Conversor Serial CS485V Curso de utilização
    • Se uma aplicação consiste de vários dispositivos em lugares diferentes, ou se um sistema é composto de diversas unidades, cada uma com determinada função, certamente um meio de comunicação entre eles se faz necessário. Apesar do RS-232 ser a interface mais comumente utilizada para comunicação serial, ele tem suas limitações. O padrão RS-485, é capaz de prover uma forma bastante robusta de comunicação multiponto que vem sendo muito utilizada na indústria em controle de sistemas e em transferência de dados para taxas de até 10 Mbps. . O padrão RS485 permite a comunicação de até 32 dispositivos em distâncias de até 1200 metros. Aplicação Multimedidor-2 CS485-V Até 1200m PC Rede-RS485 RS232 Multimedidor-1 Multimedidor-3 Multimedidor-4
    • Características técnicas principais Tensão de alimentação 24 VCC Porta serial 1 – RS232 RJ12 Porta serial 2 - RS485 Borne destacável com 5 conexões Velocidade serial 57600 bps Consumo de energia 100mA max. Temperatura de operação -40°C a +80°C Umidade 10% a 90% (não condensante) Dimensões (montado horizontal) Altura 70 x Largura 50 x Profundidade 58 mm Proteções A porta RS485 é dotada de dispositivos de tipo Transorb para proteção contra surtos de tensão
    • Conexões do módulo – RS232 Conversor RJ12 PC DB9 fêmea
        • Cabo para Conectar ao PC
      • O módulo não necessita do sinal de RTS para assumir o barramento RS485
      Interligação – RS232 2 - RXD 3 - TXD 5 - GND 2 - RXD 3 - TXD 5 - GND 7 - RTS 8 - CTS Vista do conector RJ12 PINO DESCRIÇÃO SENTIDO 2 RXD – Dados recebidos pela RS485 Saída 3 TXD – Dados transmitidos pela RS485 Entrada 5 GND
    • Conexões do módulo – RS485 Interligação – RS485 O circuito parcial a seguir, apresenta as conexões internas da porta RS485. Observe que os sinais A e B da conexão serial RS485 são protegidos contra sobre tensões por Transorbs. O Jumper J1 conecta a terminação resistiva de 120 ohms. Esta terminação deve ser utilizada nas pontas da rede RS485. Consulte as normas EIA para saber mais sobre este padrão serial PINO DESCRIÇÃO SENTIDO +V Alimentação: 24Vcc 0V Alimentação: 0V GND Conectar a malha do cabo RS485 RS485 (GND) A A (+) RS485 (TX+ / RX+) B B (-) RS485 (TX- / RX-)
    • Exemplo de instalação A figura abaixo apresenta o módulo CS485V instalado em um painel de CCO, onde utilizamos o rádio modem junto a antena e distante do painel, diminuindo as perdas do cabo de RF, obtendo um melhor sinal de rádio. Até 200m Painel CCO KIT RPE1
      • Rádio de dados Spread Spectrum 2.4 GHz
      • Interfaces RS232 e RS485
      • Até 1,6 km com visada
      • 60mW
      Observe Pense Solucione Rádio modem RM2071 Curso de utilização
    • A principal utilização dos rádios modem dessa categoria está na comunicação de dados entre dispositivos que utilizam interface serial RS232 ou RS485 com velocidades entre 1.200 e 115.200 bps em distâncias de dezenas de metros até 10m em ambientes fechados e 1,6km com antenas direcionais e visada direta. Ex: telemetria de status e parâmetros de um conjunto de motores em um pavilhão e em sistemas de telemetria no saneamento onde as distâncias sejam pequenas. Aplicação serial serial CLP Centro de controle serial CLP
    • Características técnicas principais Potência de saída 60mW Alcance Até 100m em ambiente fechado e 1,6km com antenas direcionais e visada Baud rate serial 1200 a 115.2 Kbps Baud rate de RF 250 kbps Sensibilidade do receptor -100 dBm típico Software de configuração Baseado em Windows - fácil utilização Faixa de operação ISM 2.4 GHz Tecnologia IEEE 802.15.4 — DSSS (Direct Sequence Spread Spectrum) Topologia de rede Ponto a ponto e ponto-multiponto Número de saltos de frequência 50 saltos de frequência em cada canal selecionado Número de redes 13 Conexão de RF SMA fêmea Conexão serial RS232 RJ12 macho Conexão serial RS485 Borne destacável modelo STL(Z) – Juntamente com a alimentação Tensão de alimentação 10 a 30 VCC Consumo de energia 100 mA durante transmissão e 80 mA fora de transmissão (em 12 V) 50 mA durante transmissão e 40 mA fora de transmissão (em 24 V) Temperatura de operação -40° a +80°C Umidade 10% a 90% (não condensante) Dimensões Altura 80 x Largura 25 x Profundidade 98 mm
    • Sinalização frontal Quatro LEDs localizados no painel frontal do rádio indicam o funcionamento do equipamento. LED Descrição PWR Ligado - indica que a unidade está alimentada. LINK Indicador do estado na unidade. TX Pulsando - indica que a unidade está transmitindo dados pelo RF. RX Pulsando - indica que a unidade está recebendo dados pelo RF.
    • Conexão serial RS232 O conector RJ12 contém a porta serial RS232. A pinagem é mostrada abaixo. O transceptor Alfacomp RM2060 é chamado DCE ( Data Communication Equipment ). Um DCE pode ser conectado a um DTE ( Data Terminal Equipment ), por exemplo um PC, através de um cabo pino a pino. A figura ao lado apresenta a configuração do cabo para interligar o rádio à porta serial de um PC. Pino Descrição Sentido 2 RXD - Dados recebidos pelo rádio Saída 3 TXD - Dados a serem transmitidos pelo rádio Entrada 4 RTS - Request to send Entrada 5 GND 6 CTS - Clear to send Saída 2 – RXD 3 – TXD 4 – RTS 5 – GND 6 - CTS 2 – RXD 3 – TXD 4 – RTS 5 – GND 6 - CTS Rádio RJ12 PC DB9-F
      • O EIA ( Electronic Industries Allience ) registrou sob o código RS-232-C o padrão de conexão binária serial que estabelece comunicação entre um DTE ( Data Terminal Equipment ) e um DCE ( Data Circuit-terminating Equipment ). No PC, a porta serial segue o padrão RS-232. Originalmente concebido para conectar um terminal de computador a um modem, o padrão sofreu diversos desvios e modificações, sendo utilizado em um número bem mais amplo de aplicações. O padrão exige que os sinais elétricos sejam transmitidos em +12V (nível 0) e -12V (nível 1), mas os receptores devem distinguir até +3V e -3V. Alguns equipamentos utilizam +5V e -5V ou +9V e -9V. Na primeira definição do RS-232, foi utilizado o conector DB25. Outros conectores são utilizados hoje em dia e a tabela abaixo apresenta a pinagem do conector DB9.
      • Pino 1 – CD - Carrier Detect
      • Pino 2 – RXD – Received Data
      • Pino 3 – TXD – Transmitted Data
      • Pino 4 – DTR – Data Terminal Ready
      • Pino 5 – GND – Ground
      • Pino 6 – DSR – Data Set Ready
      • Pino 7 – RTS – Request to Send
      • Pino 8 – CTS – Clear to Send
      • Pino 9 – RI – Ring Indicator
      O padrão serial RS232
    • Controle de fluxo - Handshaking Controle XON XOFF – Denota a utilização do RS232 em que não é necessário controle de fluxo. Apenas 3 fios são necessários: RXD, TXD e GND. Handshaking por RTS/CTS – Equipamento que irá transmitir ativa a linha de RTS ( Request do Send ) e aguarda o sinal de CTS do outro equipamento ser ativado. Quando o equipamento receptor estiver livre para receber os dados, ele irá ativar a linha CTS ( Clear do Send ), permitindo a transmissão.
    • Conexão serial RS485 A porta serial RS485 está presente no mesmo conector utilizado para alimentar o rádio. O conector é do tipo STL(Z) da Phoenix Mecano . A pinagem do conector é apresentada na tabela que segue. Pino Descrição Sentido +V Alimentação: 10 a 30 VCC 0V Alimentação: 0V GND Conecta a malha do cabo RS485 RS485 (GND) A A (+) RS485 (+TX/+RX) B B (-) RS485 (-TX/-RX)
    • Terminação resistiva do RS485 A porta serial RS485 está presente no mesmo conector utilizado para alimentar o rádio, conforme pode ser visto no esquemático abaixo. O conector é do tipo STL(Z) da Phoenix Mecano. Observe-se que os sinais A e B da conexão serial RS485 são protegidas contra sobre-tensões por Transorbs. O Jumper JP1 conecta a terminação resistiva de 120 ohms. Essa terminação deve ser utilizada nas pontas da rede RS485. O rádio possui um orifício na tampa de fechamento que dá acesso ao Jumper. O Jumper pode ser colocado e retirado utilizando-se um alicate de bico fino. A foto a seguir apresenta o orifício de acesso e a disposição interna do Jumper.
    • O padrão serial RS485 O padrão RS485 é uma evolução do RS422. Enquanto o RS422 utiliza dois pares de fios, um para transmitir e outro para receber, o RS485 utiliza apenas um par. Até 32 equipamentos podem ser conectados a uma rede RS485 e a comunicação tem de ser half-duplex , ou seja, transmissões e recepções simultâneas não são possíveis. O barramento é mantido em tri-state e assumido por um equipamento de cada vez. Como no RS422, até 1.200 metros de distância são possíveis com o RS485. Terminações resistivas são necessárias nas pontas da rede.
    • Interligação das interfaces seriais As interfaces RS232 e RS485 estão interligadas internamente no rádio. Isso significa que um frame serial recebido pelo rádio será simultaneamente reproduzido na RS232 assim como na RS485. Da mesma forma, os frames recebidos na RS232 assim como na RS485 serão transmitidos pelo rádio. Não existe seleção de interfaces; ambas estão ativas. Isto pode ser útil na composição de repetidoras, por exemplo, em que interligamos rádios pela RS485 e comunicamos com um CLP local pela RS232, ou interligamos rádios pelas RS232, cruzando TX e RX, e ligamos um CLP à RS485. A figura abaixo apresenta uma das maneiras de interligar rádios e CLP em uma estação repetidora. Aponta para a próxima estação Aponta para a central RS232 RS485 Rede B Rede A
    • Fixação em trilho DIN O rádio pode ser fixado em trilho DIN por meio do grampo plástico localizado na face traseira. Utilize uma chave de fenda para liberar o equipamento do trilho.
    • A topologia de uma rede se refere à forma como as unidades que a compõem se interconectam umas às outras, e à forma através da qual as mesmas se comunicam. O transceptor Alfacomp RM2071 pode integrar redes Ponto a Ponto ou Ponto-Multiponto. A rede ponto a ponto consiste em configurar o Canal da rede e o Identificador do sistema (ID) . Esse tipo de configuração pode, por exemplo, estabelecer comunicação entre dois CLPs. Topologias de rede – Rede ponto a ponto
    • Topologias de rede – Rede ponto-multiponto Para sistemas Ponto-Multiponto, devemos configurar o Canal da rede e o Identificador do sistema (ID) , assim como no sistema Ponto a Ponto, pois o transceptor funciona como se fosse uma rede RS485, onde os dados que são enviados por um rádio, são recebidos por todos os rádios da mesma rede, de mesma forma quando outro dispositivo transmite dados de resposta, os outros recebem este dados. Canal 14 Canal 14 Canal 14
    • Software configurador do transceptor RM2071 X-CTU é baseado na plataforma Windows. O programa foi desenvolvido para interagir com os arquivos de firmware encontrados nos produtos Digi, e possui uma interface gráfica de fácil utilização. O programa deve ser utilizado em computadores rodando o Windows 98 ou superior. O programa está disponível para download no site www.alfacomp.ind.br ou baixado do web site da Digi . PC Settings : Permite selecionar a porta de comunicação e configurar os parâmetros de comunicação com o rádio. Range Test : Permite realizar um teste de alcance entre dois rádios. Terminal : Implementa um hyper terminal. Esta aba também permite acessar o firmware via comandos AT. Modem Configuration : Permite programar o firmware do rádio para ajuste de configurações internas ao rádio. Nesta aba também é possível alterar a versão de firmware do rádio.
      • Para alterar o firmware do rádio, siga os passos abaixo:
      • Conecte o rádio a porta serial do PC
      • • Ajuste os parâmetros da aba PC Settings para os valores de fábrica
      • • Na aba Modem Configuration, selecione “Read” na seção Modem Parameters and Firmware
      • Uma vez lido o firmware do rádio, os ajustes de configuração apresentam três diferentes cores:
      • • Preto – não alterável, apenas pode ser lido
      • • Verde – valor de fábrica (default)
      • • Azul – Alterado pelo usuário
      • Para modificar os parâmetros alteráveis, click no comando associado e digite o novo valor. Para facilitar a compreensão, uma descrição simples e limites de ajuste são apresentados na base da janela. Uma vez alterados todos os parâmetros desejados, basta salvá-los na memória não volátil do Rádio. Para enviar os parâmetros alterados para a memória não volátil do rádio, pressione o botão Write localizado na seção Modem Parameters and Firmware.
      Lendo o firmware do rádio
    • Teste de enlace de rádio e comunicação Aba Range Test Nesta aba é possível verificar o alcance de um enlace de rádio. Para isso, é enviado um pacote de dados definido pelo usuário e é avaliada a recepção do pacote devolvido dentro de um tempo pré-definido. O tamanho default do pacote é de 32 bytes . Os dados e o tamanho do pacote podem ser alterados pelo usuário. Para alterar o tamanho do pacote, altere o valor próximo ao campo “ Create Data” e clique no botão “Create Data”. Para alterar os dados do pacote, delete o texto na janela de transmissão e digite os dados desejados.
    • Terminal de dados
      • A parte em branco da janela desta aba é a área onde as informações de comunicação podem ser vistas quando o X-CTU é utilizado como emulador de terminal.
      • O texto digitado aparece em azul. Este texto é direcionado a porta serial do rádio para ser transmitido.
      • O texto em vermelho apresenta os dados recebidos pelo rádio.
      • Os indicadores em Line Status apresentam o estado das linhas de controle fluxo de hardware do RS232. Verde indica sinal ativo, enquanto que preto indica sinal inativo.
      • .
    • Utilização do RM2071 em painel de telemetria
      • A figura ao lado apresenta uma utilização típica do rádio RM2071 em um painel de telemetria.
      • O painel é alimentado pela rede e possui um seccionador e DPS SW3300.
      • A fonte de alimentação com bateria Alfacomp 2061 fornece 24V para o CLP e para o rádio.
      • O rádio RM2071 é ligado ao centelhador de RF por um cabo interno de RF.
      • O cabo interno de RF é composto por um cabo RG58 dotado de conectores SMA macho e N macho.
      • O centelhador de RF é instalado na lateral, ou na base do quadro e fornece uma conexão N para dentro e outra para fora do painel.
      • O cabo externo de RF interliga o painel e a antena.
      • O cabo externo de RF é composto por um cabo RGC213 dotado de conectores N macho.
      24V CLP AC AC fonte rádio Centelhador de RF serial Painel de telemetria DPS Cabo externo de RF
    • Utilização do RM2060 próximo a antena 24V CLP AC AC fonte rádio serial Painel de telemetria DPS Cabo CAT5
      • A figura ao lado apresenta uma utilização típica do rádio RM2071 próximo à antena, utilizando a interface RS485. Essa forma de utilização oferece as seguintes vantagens:
      • A perda no cabo de RF é virtualmente zerada.
      • O cabo CAT5 tem baixo custo e é de fácil instalação.
      • O rádio e a antena podem ser colocados bem mais afastados do CLP do que utilizando cabos de RF.
      • Nesse tipo de instalação, sugerimos a utilização do conversor CS485-V interligando o CLP ao rádio.
      • A instalação do rádio RM2071 próximo à antena é facilitada pelo emprego do KIT RPE1.
    • KIT RPE1 – instalação do rádio junto à antena O KIT RPE1 foi concebido para permitir a instalação do rádio RM2071 próximo à antena. Com essa solução, as perdas no cabo de RF são minimizadas e podemos instalar o rádio afastado do CLP, interligado por cabo de rede CAT5. A alimentação do rádio e a comunicação em RS485 são transportadas pelo cabo em distâncias de até 200 metros. O gabinete utilizado tem grau de proteção IP67 e pode ser instalado ao tempo.
    • Testando rádios passo a passo
        • Antes de instalar os rádios no campo, em seus painéis de telemetria, conectados aos dispositivos que deverão comunicar através desses, sugerimos que sejam feitos testes em bancada.
        • Programar os rádios, ajustando as configurações necessárias.
        • Executar o teste serial de ECO em bancada que está descrito na sequência. Afaste os rádios de pelo menos 2 metros. O excesso de sinal dificulta a comunicação.
        • Executar o teste de comunicação entre os equipamentos definitivos, em bancada. Exemplo: software supervisório e CLP.
        • Instalar os rádios no campo e testar os enlaces utilizando o software de teste de enlaces.
        • Executar novamente o teste de ECO, agora utilizando antenas e à distância.
        • Por fim, testar a comunicação entre os equipamentos definitivos como foi feito em bancada.
    • Conectando equipamentos para o teste de ECO Conecte o rádio à COM1 do PC utilizando o cabo de programação descrito ao lado. Prepare um conector RJ12 com os pinos 2 (RXD) e 3 (TXD) interligados e encaixe no rádio CLIENTE. O objetivo é retransmitir todos os bytes recebidos. 2 – RXD 3 – TXD 4 – RTS 5 – GND 6 - CTS 2 – RXD 3 – TXD 4 – RTS 5 – GND 6 - CTS Rádio RJ12 PC DB9-F 2 – RXD 3 – TXD 4 – RTS 5 – GND 6 - CTS Conector de ECO RJ12
    • Conectando equipamentos para o teste de ECO Ligue os rádios às suas fontes de alimentação, instale as antenas de teste e afaste os mesmo de pelo menos 2 metros, pois o excesso de sinal causa falhas de comunicação. 2 – RXD 3 – TXD RJ12 ECO Antena AN2404 Cabo de programação Antena AN2404 Afastar de 2 metros no mínimo
    • Teste de ECO utilizando o software AirTest Para realizar o teste de ECO, pode ser utilizado qualquer programa de comunicação serial, como por exemplo o Hyper Terminal do Windows. Nosso teste é baseado no programa AirTest que a Teledesign disponibiliza em seu site www.teledesignsystems.com e que pode ser baixado sem custos. Depois de instalado o AirTest, a tela inicial aparece assim.
      • Na barra de menus clique em Setup para ter acesso a janela ao lado.
      • Marque o “ Repeated Message:”
      • Digite uma mensagem a ser transmitida como a do exemplo.
      • Marque a caixa “ Send and Receive Packet Number” para que cada mensagem seja transmitida com um número sequencial.
      • Clique na aba P ort para ativar a próxima tela.
    • Esta janela permite ajustar os parâmetros seriais. Ajuste como na figura para 9600 bps, sem paridade, 1 stop bit e 8 bits de dados. Clique na aba “ Control L ine”.
    • A aba “ Control L ine” permite ajustar as linhas de controle. Desmarque a caixa “ Active transmit with RTS”. Clique no botão OK para efetivar os ajustes e voltar para a tela de monitoração.
    • Na tela de monitoração, clique no botão “ Start transmission” para iniciar o teste. Na janela Tx Data, irá aparecer a mensagem digitada sendo transmitida com um contador incremental para cada transmissão. Se estiver tudo correto, a mensagem transmitida será repetida na janela Rx Data como na figura abaixo. Com esse teste, foi verificado o funcionamento dos rádios passando pelas portas seriais em 9600 bps, sem paridade. O teste pode ser repetido para outros ajustes seriais. Procure testar dentro das condições em que os equipamentos definitivos irão funcionar.
    • Dúvidas comuns A elaboração deste item foi motivada pelas perguntas e dúvidas mais frequentes dos usuários que pela primeira vez têm contato com nossos rádios modem. Quando se faz a primeira tentativa de comunicar equipamentos dotados de portas seriais via rádio e a comunicação não funciona, a pergunta é: ONDE ESTÁ O PROBLEMA? A resposta pode ser, entre outras: Baud rate, paridade, time-out de comunicação, pinagem de cabos, endereçamento de rádios, endereçamento dos equipamentos. Nossa sugestão é separar os sistemas e testar os rádios isoladamente. Fazer funcionar na bancada antes de levar a campo. “Quando nada mais der certo, leia o manual!”. Outras dúvidas Quais protocolos o RM2071 suporta? RESPOSTA: O RM2071, assim como a maioria dos rádios modem de sua categoria, não interpreta protocolos. Os rádios se limitam a receber bytes e transmiti-los para serem recebidos por outro rádio, que irá emitir os mesmos bytes por sua porta serial. Como funciona a paridade? RESPOSTA: O rádio não interpreta a paridade do byte transmitido. Quando ajustamos o rádio para trabalhar com paridade, este se prepara para transmitir bytes de 11 bits (start + 8 bits + paridade + stop). Quando ajustamos o rádio para trabalhar sem paridade, este transmite bytes de 10 bits (start + 8 bits + stop). Se a paridade transmitida corresponde aos 8 bits, isso não faz diferença para o rádio. Qual o comprimento máximo do cabo entre o rádio e a antena? RESPOSTA: Quem determinará isto será a intensidade de sinal. O cabo RGC 213 tem uma perda aproximada de 50 dB a cada 100 metros. Se o sinal é forte, podemos admitir cabos mais longos. Apenas o projeto de rádio pode determinar o comprimento máximo. Uma resposta simplista seria: TENTAR MANTER O COMPRIMENTO ABAIXO DE 10 METROS. Utilizando o KIT RPE1 as perdas são minimizadas.
    • Dicas úteis sobre softwares supervisórios Vamos supor que os rádios se destinem a interligar um micro rodando um software supervisório e um CLP. Sugerimos testar diretamente, via cabo, a comunicação entre o micro e o CLP para ter certeza de que o supervisório se comunica com o CLP. Tendo funcionado isto, substitua a conexão via cabos pelos rádios. Se a comunicação não ocorrer, revise primeiramente o time-out de comunicação ajustado no supervisório. Depois, revise os cabos. Na comunicação por rádio, existe um tempo entre o dado sair do equipamento origem e chegar ao equipamento destino. A resposta enviada pelo CLP também sofre atraso. Por isso, em comunicações via rádio é necessário ajustar o time-out de comunicação. Experimente inicialmente ajustar o time-out em 100ms e faça incrementos de 100ms até estabelecer a comunicação. Por fim, ajuste o time-out para o melhor desempenho. Otimize a comunicação via rádio, agrupando os TAGS em blocos de comunicação quando utilizar comunicação via rádio. A comunicação por TAGS individuais pode resultar muito lenta.
    • MM2415 - Antena omni direcional 2.4GHz / 15dBi Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2071 A Antena omni direcional Alfacomp MM2415 foi especialmente desenvolvida para utilização com rádios Spread Spectrum na faixa de 2.4 GHz. De pequenas dimensões e construída em PVC pintado com tinta resistente às irradiações UV, é adequada às aplicações de telemetria e telecomando.
      • Características
      • Conector: N fêmea
      • Faixa de operação: 2.4 a 2.5 GHz
      • Ganho: 15 dBi
      • Impedância: 50 ohms
      • Polarização: Vertical
      • Máxima potência: 50 W
      • Peso: 1100 gr
      • Comprimento: 104 cm
      • Resistência a vento: 100 km/ h
    • TL-AN2405C - Antena omni direcional 2.4GHz / 5dBi Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2071 A Antena omni direcional foi especialmente desenvolvida para utilização com rádios Spread Spectrum na faixa de 2.4 GHz. De pequenas dimensões e construída em plástico, é adequada às aplicações de telemetria e telecomando.
      • Características
      • Conector: SMA fêmea ou macho
      • Faixa de operação: 2.4 a 2.5 GHz
      • Ganho: 5 dBi
      • Impedância: 50 ohms
      • Polarização: Vertical
      • Dimensões: 50 x 201 mm
      • Cabo: RG174 - 130 cm
      • Base: magnética
    • MM2412S60 – Antena setorial 2.4GHz / 12dBi Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2071 Antena setorial desenvolvida para utilização com rádios Spread Spectrum na faixa de 2.4 GHz. De pequenas dimensões e construída em alumínio pintado com tinta resistente às irradiações UV, é adequada às aplicações de telemetria e telecomando. Suporte em alumínio anodizado com ajuste de ângulo.
      • Características
      • Conector: N fêmea
      • Faixa de operação: 2.4 a 2.5 GHz
      • Ganho: 12 dBi
      • Impedância: 50 ohms
      • Polarização: Vertical
      • Máxima potência: 50 W
      • Peso: 490 gr
      • Diâmetro: 17 cm
      • Resistência a vento: 100 km/ h
    • ASA-2.4GHZ – Antena direcional 2.4GHz / 9dBi Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2071 Antena direcional desenvolvida para utilização com rádios Spread Spectrum na faixa de 2.4 GHz. De pequenas dimensões e construída em latão, pintado com tinta a base de epóx, resistente às irradiações UV, é adequada às aplicações de telemetria e telecomando. Muito leve e de fácil utilização.
      • Características
      • Conector: SMA fêmea
      • Faixa de operação: 2.4 a 2.5 GHz
      • Ganho: 9 dBi / 11,15dBi
      • Impedância: 50 ohms
      • Polarização: Vertical / horizontal
      • Máxima potência: 50 W
      • Peso: 150 gr
      • Comprimento: 210 mm
      • Resistência a vento: 100 km/ h
    • KIT RÁDIO ENLACE 2.4 GHz Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2071 O KIT RÁDIO ENLACE 2 reúne os equipamentos e materiais necessários para estabelecer a comunicação serial entre dois pontos. O padrão de comunicação pode ser em RS232 ou RS485. A velocidade serial admitida é de 1.200 a 115.200 bps. Alcance do enlace é de até 1,6 km com visada. Exemplo de aplicação: comunicação entre CLPs.
      • Composição do KIT
      • 2 Rádio modem SPREAD SPECTRUM 2.4 Ghz
      • RM2071 / 60mW.
      • 2 Antena Omni TL-AN2405C de 5 dBi.
      • 1 Cabo de programação do rádio modem.
      • 1 Conector para teste de loop back .
      • 1 CD contendo softwares de programação e teste.
      • Rádio de dados Spread Spectrum 900 MHz
      • Interfaces RS232 e RS485
      • Até 32 km com visada
      • 1W
      Observe Pense Solucione Rádio modem RM2060 Curso de utilização
    • A principal utilização dos rádios modem dessa categoria está na comunicação de dados entre dispositivos que utilizam interface serial RS232 ou RS485 com velocidades entre 1.200 e 115.200 bps em distâncias de dezenas de metros até 32 km com visada direta. Ex: telemetria de reservatórios e elevatórias de água e esgoto no saneamento. Aplicação serial serial serial Elevatória de água Reservatório CLP CLP Centro de controle
    • Características técnicas principais Potência de saída 1000mW Alcance Até 32 km com visada Baud rate serial 1200 a 115.2 Kbps Baud rate de RF 76.8 kbps Sensibilidade do receptor -110 dBm típico Software de configuração Baseado em Windows - fácil utilização Faixa de operação 902-928 MHz Tecnologia Frequency Hopping Spread Spectrum (Espalhamento Espectral por Saltos de Frequência) Topologia de rede Ponto a ponto e ponto-multiponto Número de saltos de frequência 50 saltos de frequência em cada canal selecionado Número de canais 32 Segurança Identificador ID de um byte. Chave de encriptação de 56 bits Conexão de RF SMA fêmea Conexão serial RS232 RJ12 macho Conexão serial RS485 Borne destacável modelo STL(Z) – Juntamente com a alimentação Tensão de alimentação 10 a 30 VCC Consumo de energia 800 mA durante transmissão e 40 mA fora de transmissão (em 12 V) 400 mA durante transmissão e 25 mA fora de transmissão (em 24 V) Temperatura de operação -40° a +80°C Umidade 10% a 90% (não condensante) Dimensões Altura 80 x Largura 25 x Profundidade 98 mm
    • Sinalização frontal Quatro LEDs localizados no painel frontal do rádio indicam o funcionamento do equipamento. LED Descrição PWR Ligado - indica que a unidade está alimentada. LINK Ligado - indica que a unidade está em alcance e comunicando com outra unidade. Quando o rádio é programado como SERVIDOR (mestre), o LED de LINK permanece sempre aceso. Quando o rádio é programado como CLIENTE (escravo), o LED de LINK irá acender se houver um rádio SERVIDOR ao alcance e programado no mesmo canal. TX Pulsando - indica que a unidade está transmitindo dados pelo RF. RX Pulsando - indica que a unidade está recebendo dados pelo RF.
    • Conexão serial RS232 O conector RJ12 contém a porta serial RS232. A pinagem é mostrada abaixo. O transceptor Alfacomp RM2060 é chamado DCE ( Data Communication Equipment ). Um DCE pode ser conectado a um DTE ( Data Terminal Equipment ), por exemplo um PC, através de um cabo pino a pino. A figura ao lado apresenta a configuração do cabo para interligar o rádio à porta serial de um PC. Pino Descrição Sentido 2 RXD - Dados recebidos pelo rádio Saída 3 TXD - Dados a serem transmitidos pelo rádio Entrada 4 RTS - Request to send Entrada 5 GND 6 CTS - Clear to send Saída 2 – RXD 3 – TXD 4 – RTS 5 – GND 6 - CTS 2 – RXD 3 – TXD 4 – RTS 5 – GND 6 - CTS Rádio RJ12 PC DB9-F
      • O EIA ( Electronic Industries Allience ) registrou sob o código RS-232-C o padrão de conexão binária serial que estabelece comunicação entre um DTE ( Data Terminal Equipment ) e um DCE ( Data Circuit-terminating Equipment ). No PC, a porta serial segue o padrão RS-232. Originalmente concebido para conectar um terminal de computador a um modem, o padrão sofreu diversos desvios e modificações, sendo utilizado em um número bem mais amplo de aplicações. O padrão exige que os sinais elétricos sejam transmitidos em +12V (nível 0) e -12V (nível 1), mas os receptores devem distinguir até +3V e -3V. Alguns equipamentos utilizam +5V e -5V ou +9V e -9V. Na primeira definição do RS-232, foi utilizado o conector DB25. Outros conectores são utilizados hoje em dia e a tabela abaixo apresenta a pinagem do conector DB9.
      • Pino 1 – CD - Carrier Detect
      • Pino 2 – RXD – Received Data
      • Pino 3 – TXD – Transmitted Data
      • Pino 4 – DTR – Data Terminal Ready
      • Pino 5 – GND – Ground
      • Pino 6 – DSR – Data Set Ready
      • Pino 7 – RTS – Request to Send
      • Pino 8 – CTS – Clear to Send
      • Pino 9 – RI – Ring Indicator
      O padrão serial RS232
    • Controle de fluxo - Handshaking Controle XON XOFF – Denota a utilização do RS232 em que não é necessário controle de fluxo. Apenas 3 fios são necessários: RXD, TXD e GND. Handshaking por RTS/CTS – Equipamento que irá transmitir ativa a linha de RTS ( Request do Send ) e aguarda o sinal de CTS do outro equipamento ser ativado. Quando o equipamento receptor estiver livre para receber os dados, ele irá ativar a linha CTS ( Clear do Send ), permitindo a transmissão.
    • Conexão serial RS485 A porta serial RS485 está presente no mesmo conector utilizado para alimentar o rádio. O conector é do tipo STL(Z) da Phoenix Mecano . A pinagem do conector é apresentada na tabela que segue. Pino Descrição Sentido +V Alimentação: 10 a 30 VCC 0V Alimentação: 0V GND Conecta a malha do cabo RS485 RS485 (GND) A A (+) RS485 (+TX/+RX) B B (-) RS485 (-TX/-RX)
    • Terminação resistiva do RS485 A porta serial RS485 está presente no mesmo conector utilizado para alimentar o rádio, conforme pode ser visto no esquemático abaixo. O conector é do tipo STL(Z) da Phoenix Mecano. Observe-se que os sinais A e B da conexão serial RS485 são protegidas contra sobre-tensões por Transorbs. O Jumper JP1 conecta a terminação resistiva de 120 ohms. Essa terminação deve ser utilizada nas pontas da rede RS485. O rádio possui um orifício na tampa de fechamento que dá acesso ao Jumper. O Jumper pode ser colocado e retirado utilizando-se um alicate de bico fino. A foto a seguir apresenta o orifício de acesso e a disposição interna do Jumper.
    • O padrão serial RS485 O padrão RS485 é uma evolução do RS422. Enquanto o RS422 utiliza dois pares de fios, um para transmitir e outro para receber, o RS485 utiliza apenas um par. Até 32 equipamentos podem ser conectados a uma rede RS485 e a comunicação tem de ser half-duplex , ou seja, transmissões e recepções simultâneas não são possíveis. O barramento é mantido em tri-state e assumido por um equipamento de cada vez. Como no RS422, até 1.200 metros de distância são possíveis com o RS485. Terminações resistivas são necessárias nas pontas da rede.
    • Interligação das interfaces seriais As interfaces RS232 e RS485 estão interligadas internamente no rádio. Isso significa que um frame serial recebido pelo rádio será simultaneamente reproduzido na RS232 assim como na RS485. Da mesma forma, os frames recebidos na RS232 assim como na RS485 serão transmitidos pelo rádio. Não existe seleção de interfaces; ambas estão ativas. Isto pode ser útil na composição de repetidoras, por exemplo, em que interligamos rádios pela RS485 e comunicamos com um CLP local pela RS232, ou interligamos rádios pelas RS232, cruzando TX e RX, e ligamos um CLP à RS485. A figura abaixo apresenta uma das maneiras de interligar rádios e CLP em uma estação repetidora. Aponta para a próxima estação Aponta para a central RS232 RS485 Servidor Cliente
    • Fixação em trilho DIN O rádio pode ser fixado em trilho DIN por meio do grampo plástico localizado na face traseira. Utilize uma chave de fenda para liberar o equipamento do trilho.
    • A topologia de uma rede se refere à forma como as unidades que a compõem se interconectam umas às outras, e à forma através da qual as mesmas se comunicam. O transceptor Alfacomp RM2060 pode integrar redes Ponto a Ponto ou Ponto-Multiponto. A rede ponto a ponto consiste de um simples par de transceptores. A rede ponto a ponto substitui um cabo de comunicação. Esse tipo de configuração pode, por exemplo, estabelecer comunicação entre dois CLPs. Topologias de rede – Rede ponto a ponto
    • Topologias de rede – Rede ponto-multiponto Sistemas Ponto-Multiponto possuem uma estação central (Servidor), que controla a comunicação, e diversas outras unidades chamadas remotas (Clientes). Programando os transceptores com diferentes configurações de canal e identificador de sistema (ID), podemos criar redes diferentes dentro de uma mesma área. Servidor Cliente 2 Cliente 1
    • Software configurador do transceptor RM2060 O configurador do Alfacomp 2060 foi desenvolvido para ambiente Windows e não exige cabos especiais para seu funcionamento. O software é compatível com Windows 95, 98, 2000, Me, NT e XP, Vista e W7. O programa está disponível para download no site www.alfacomp.ind.br . Instalação - Descompacte o arquivo Configurador 2060.zip dentro do diretório no qual o mesmo será utilizado. A descompactação extrai o arquivo Configurador do Rádio Modem Alfacomp 2060.exe . Quando executado o Configurador 2060, a tela se apresenta como ao lado.
    • Baud Rate - Este parâmetro define a velocidade de comunicação entre o rádio e o equipamento conectado à sua porta serial. O baud rate entre rádios é fixo em 76.8 Kbps e é independente do Baud Rate da interface serial. O Baud Rate ajustado em fábrica é de 9600 bps. O ajuste do Baud Rate deverá ser igual ao do equipamento conectado ao rádio. Cliente/Servidor - Determina se a unidade é Servidor (gera sincronismo) ou Cliente (sincroniza com sinal de um Servidor). Número do Canal - Seleciona o número da rede à qual a unidade irá pertencer. Este número pode variar de 16 a 47. Retentativas de Transmissão - Este valor determina o número máximo de retentativas de envio de pacotes quando for detectada falha no envio. O ajuste de fábrica é 6. Se a comunicação for perdida e o LED de LINK do cliente estiver ligado, tente aumentar este número em pequenos incrementos até que a comunicação seja restabelecida. Este parâmetro faz sentido de ser ajustado em redes Ponto a Ponto. O valor pode ser ajustado entre 1 e 255. Retentativas de Broadcast - Este parâmetro representa o número máximo de tentativas de transmissão de um pacote em modo Broadcast. O valor de fábrica é 6. Se a comunicação for perdida e o LED de LINK do cliente estiver ligado, tente aumentar esse número em pequenos incrementos até que a comunicação seja restabelecida. Este parâmetro faz sentido de ser ajustado em redes Ponto-Multiponto. O valor pode ser ajustado entre 1 e 255. Identificação do Sistema - Um número entre 0 e 255, que permite aumentar o nível se segurança das redes. Este parâmetro é utilizado em conjunto com o Número do Canal e serve como uma senha que mantém a segurança das comunicações. Transceptores pertencentes a redes distintas dentro da mesma área de alcance, devem necessariamente ser programados com Número do Canal diferentes para evitar a inoperabilidade dos sistemas. O parâmetro Identificação do Sistema não evita a colisão de redes se o Número do Canal for o mesmo. Todas as unidades pertencentes a uma rede devem possuir Número do Canal e Identificador do Sistema idênticos. Endereço de Destino - O endereço MAC de uma unidade remota em uma rede Ponto a Ponto é utilizado para otimizar a comunicação pela implementação de confirmação de RF.
    • Chave de Encriptação - Encriptação é o processo de codificação de informações com o objetivo de aumentar a segurança e privacidade de comunicações. O sistema DES utiliza uma chave de 56 bits e um algoritmo consagrado e seguro. O receptor deverá necessariamente utilizar a mesma chave utilizada pelo transmissor. Potência - Permite selecionar a potência mínima (10mW), potência média (200mW) ou potência máxima (1W). Versão de Firmware - Apresenta a versão de firmware do transceptor. Transmissão RF - Apresenta o modo de transmissão como Broadcast se a comunicação for ponto-multiponto e Endereçada se a comunicação for ponto-a-ponto. Endereço MAC - Trata-se de um número seriado composto de 6 bytes atribuindo um endereço Ethernet único e individualizado para cada unidade de rádio. Broadcast - Habilita o modo Brodcast pelo qual um transceptor irá enviar pacotes a todas as outras unidades pertencentes à mesma rede. Encriptação de Dados - Habilita o uso da chave de encriptação. Todas as unidades pertencentes a uma mesma rede devem ter o mesmo ajuste de encriptação. Habilita RTS - Habilita o uso da linha de controle Request to Send . Quando habilitado o RTS, o fluxo de dados é controlado por RTS/CTS. Com Paridade - Habilite esta opção quando a comunicação tiver 11 bits na palavra, ou seja: start bit + 8 bits de dados + paridade + stop bit. Full Duplex - Apesar de o rádio ser tecnicamente half duplex , quando esta opção estiver habilitada o transceptor otimiza o fluxo de dados aumentando a taxa geral de comunicação. Todos os rádios de uma mesma rede têm de operar como o mesmo ajuste. Função Modem - Não aplicável neste modelo. Deixar desmarcado.
    • Porta - Porta serial do PC conectada ao rádio. Baud Rate - Deve ser igual ao ajuste do transceptor que será configurado. Configura Sistema - Tipo de rede configurada; Ponto a Ponto (um Servidor e um Cliente) ou Ponto-multiponto (um Servidor e múltiplos Clientes). O configurador do Alfacomp 2060 foi desenvolvido para ambiente Windows e não exige cabos especiais para seu funcionamento. O software é compatível com Windows 95, 98, 2000, Me, NT e XP, Vista e W7. Software configurador do transceptor RM2060
      • Conecte o Alfacomp RM2060 à porta serial do PC utilizando um cabo pino a pino.
      • Alimente o transceptor e certifique-se de que o LED PWR está ligado.
      • Execute o software Configurador RM2060.
      • Selecione a porta serial do PC à qual o transceptor está conectado.
      • Selecione o Baud Rate. Os rádios são ajustados para 9600 bps em fábrica.
      • Selecione Lê do Rádio para mostrar o ajuste corrente do transceptor.
      • Modifique os ajustes de acordo com suas necessidades.
      • Após todas as alterações terem sido feitas, selecione Envia p/ Rádio para enviar os ajustes para a unidade conectada.
      • Desligue e religue a fonte que alimenta o rádio para que as alterações se tornem efetivas.
    • Analisador de enlace Alfacomp 2060AE O Software Analisador de Enlace Alfacomp RM2060AE permite, ao instalador de campo determinar a qualidade de recepção de sinal entre dois transceptores. O RSSI ( Received Signal Strength Indication , ou indicador de intensidade do sinal recebido) é apresentado graficamente e pode ser utilizado para posicionar e direcionar antenas. A tela é composta de duas janelas Hop Bin Analyzer e Network Query . O programa está disponível para download no site www.alfacomp.ind.br .
    • Instalação do software analisador de enlace Alfacomp AE Descompacte o arquivo Alfacomp Diagnostic.zip em um diretório temporário, execute o Setup e siga as instruções.
      • Configuração do software
      • Clique em Settings e selecione:
      • A porta serial através da qual o micro irá se comunicar com o rádio;
      • O Baud Rate de comunicação;
      • As margens para comunicação boa ( Good Marginal Threshold ) e comunicação marginal ( Marginal to Bad Threshold ).
    • Janela de indicação de intensidade de sinal e saltos de frequência - O Transceptor Alfacomp RM2060 transmite pequenos pacotes de dados em uma dada frequência e então pula para a próxima, transmite outro pacote e assim por diante. Cada frequência dentro da faixa utilizada é chamada hop bin . A janela Hop Bin Analizer apresenta a intensidade do sinal recebido entre os rádios. As barras verdes representam sinais de boa intensidade, as barras amarelas, intensidade marginal e as barras vermelhas, sinais de baixa intensidade. Verde claro apresenta sinal recebido pelo cliente e verde escuro, pelo servidor.
    • A janela de busca de rádios A Network Query Window permite varrer uma região e encontrar os rádios que estão dentro do alcance do servidor. O servidor envia uma solicitação de identificação, e todos os rádios que recebem a mensagem irão enviar seus códigos identificadores ao servidor. O usuário pode então selecionar um entre os clientes registrados e executar um teste de desempenho de enlace. O teste de qualidade de enlace é apresentado na metade inferior da janela Network Query Window . O resultado do teste é mostrado em um indicador no formato de display analógico (com ponteiro). O indicador irá mover para as áreas verde, amarela ou vermelha, se a qualidade do enlace for boa, marginal ou ruim, respectivamente. As funções da janela são descritas abaixo: Number: Identificador sequencial (ID) do rádio que respondeu à varredura do servidor. MAC Address: Endereço hexadecimal do rádio. Type: Indica se o rádio que respondeu é cliente ou servidor. RF Channel: Número do canal do rádio que respondeu ao servidor. Number of Responses: Indica o número de vezes que o rádio já respondeu ao servidor. Este número é incrementado a cada nova resposta. Description: Campo editável onde pode ser dado um nome a cada rádio. Run Query Pushbutton: Inicia a varredura e procura por rádios que estão dentro do alcance. Stop Query Pushbutton: Para a varredura e procura por rádios. Run Test Pushbutton: Inicia o teste de qualidade de enlace com o rádio selecionado no campo Select Radio to Test. Stop Test Pushbutton: Para o teste de qualidade de enlace. Clear Results Pushbutton: Limpa os resultados de teste mostrados pelo indicador analógico de qualidade de enlace. Select a Radio to Test: Permite selecionar para teste de qualidade de enlace, um entre os rádios que responderam à varredura do servidor.
    • Utilização do RM2060 em painel de telemetria
      • A figura ao lado apresenta uma utilização típica do rádio RM2060 em um painel de telemetria.
      • O painel é alimentado pela rede e possui um seccionador e DPS SW3300.
      • A fonte de alimentação com bateria Alfacomp 2061 fornece 24V para o CLP e para o rádio.
      • O rádio RM2060 é ligado ao centelhador de RF por um cabo interno de RF.
      • O cabo interno de RF é composto por um cabo RG58 dotado de conectores SMA macho e N macho.
      • O centelhador de RF é instalado na lateral, ou na base do quadro e fornece uma conexão N para dentro e outra para fora do painel.
      • O cabo externo de RF interliga o painel e a antena.
      • O cabo externo de RF é composto por um cabo RGC213 dotado de conectores N macho.
      24V CLP AC AC fonte rádio Centelhador de RF serial Painel de telemetria DPS Cabo externo de RF
    • Utilização do RM2060 próximo a antena 24V CLP AC AC fonte rádio serial Painel de telemetria DPS Cabo CAT5
      • A figura ao lado apresenta uma utilização típica do rádio RM2060 próximo à antena, utilizando a interface RS485. Essa forma de utilização oferece as seguintes vantagens:
      • A perda no cabo de RF é virtualmente zerada.
      • O cabo CAT5 tem baixo custo e é de fácil instalação.
      • O rádio e a antena podem ser colocados bem mais afastados do CLP do que utilizando cabos de RF.
      • Nesse tipo de instalação, sugerimos a utilização do conversor CS485-V interligando o CLP ao rádio.
      • A instalação do rádio RM2060 próximo à antena é facilitada pelo emprego do KIT RPE1.
    • KIT RPE1 – instalação do rádio junto à antena O KIT RPE1 foi concebido para permitir a instalação do rádio RM2060 próximo à antena. Com essa solução, as perdas no cabo de RF são minimizadas e podemos instalar o rádio afastado do CLP, interligado por cabo de rede CAT5. A alimentação do rádio e a comunicação em RS485 são transportadas pelo cabo em distâncias de até 200 metros. O gabinete utilizado tem grau de proteção IP67 e pode ser instalado ao tempo.
    • Testando rádios passo a passo
        • Antes de instalar os rádios no campo, em seus painéis de telemetria, conectados aos dispositivos que deverão comunicar através desses, sugerimos que sejam feitos testes em bancada.
        • Programar os rádios, um rádio como SERVIDOR e os demais como CLIENTES.
        • Executar o teste serial de ECO em bancada que está descrito na sequência. Afaste os rádios de pelo menos 2 metros. O excesso de sinal dificulta a comunicação.
        • Executar o teste de comunicação entre os equipamentos definitivos, em bancada. Exemplo: software supervisório e CLP.
        • Instalar os rádios no campo e testar os enlaces utilizando o software de teste de enlaces.
        • Executar novamente o teste de ECO, agora utilizando antenas e à distância.
        • Por fim, testar a comunicação entre os equipamentos definitivos como foi feito em bancada.
    • Programando os rádios para o teste de ECO Teste de eco significa enviar uma mensagem pelo rádio SERVIDOR para o rádio CLIENTE e recebê-la de volta. Como a mensagem é ecoada de volta, o teste é chamado de eco. O primeiro passo é programar um rádio como SERVIDOR e outro como CLIENTE. As figuras a seguir apresentam estas configurações.
    • Os rádios assim programados irão comunicar a 9600 bps e sem paridade.
    • Conectando equipamentos para o teste de ECO Conecte o rádio SERVIDOR à COM1 do PC utilizando o cabo de programação descrito ao lado. Prepare um conector RJ12 com os pinos 2 (RXD) e 3 (TXD) interligados e encaixe no rádio CLIENTE. O objetivo é retransmitir todos os bytes recebidos. 2 – RXD 3 – TXD 4 – RTS 5 – GND 6 - CTS 2 – RXD 3 – TXD 4 – RTS 5 – GND 6 - CTS Rádio RJ12 PC DB9-F 2 – RXD 3 – TXD 4 – RTS 5 – GND 6 - CTS Conector de ECO RJ12
    • Conectando equipamentos para o teste de ECO Ligue os rádios às suas fontes de alimentação, instale as antenas de teste e afaste os mesmo de pelo menos 2 metros, pois o excesso de sinal causa falhas de comunicação. 2 – RXD 3 – TXD RJ12 ECO Cliente Antena AN2404 Servidor Cabo de programação Antena AN2404 Afastar de 2 metros no mínimo
    • Teste de ECO utilizando o software AirTest Para realizar o teste de ECO, pode ser utilizado qualquer programa de comunicação serial, como por exemplo o Hyper Terminal do Windows. Nosso teste é baseado no programa AirTest que a Teledesign disponibiliza em seu site www.teledesignsystems.com e que pode ser baixado sem custos. Depois de instalado o AirTest, a tela inicial aparece assim.
      • Na barra de menus clique em Setup para ter acesso a janela ao lado.
      • Marque o “ Repeated Message:”
      • Digite uma mensagem a ser transmitida como a do exemplo.
      • Marque a caixa “ Send and Receive Packet Number” para que cada mensagem seja transmitida com um número sequencial.
      • Clique na aba P ort para ativar a próxima tela.
    • Esta janela permite ajustar os parâmetros seriais. Ajuste como na figura para 9600 bps, sem paridade, 1 stop bit e 8 bits de dados. Clique na aba “ Control L ine”.
    • A aba “ Control L ine” permite ajustar as linhas de controle. Desmarque a caixa “ Active transmit with RTS”. Clique no botão OK para efetivar os ajustes e voltar para a tela de monitoração.
    • Na tela de monitoração, clique no botão “ Start transmission” para iniciar o teste. Na janela Tx Data, irá aparecer a mensagem digitada sendo transmitida com um contador incremental para cada transmissão. Se estiver tudo correto, a mensagem transmitida será repetida na janela Rx Data como na figura abaixo. Com esse teste, foi verificado o funcionamento dos rádios passando pelas portas seriais em 9600 bps, sem paridade. O teste pode ser repetido para outros ajustes seriais. Procure testar dentro das condições em que os equipamentos definitivos irão funcionar.
    • Dúvidas comuns A elaboração deste item foi motivada pelas perguntas e dúvidas mais frequentes dos usuários que pela primeira vez têm contato com nossos rádios modem. Quando se faz a primeira tentativa de comunicar equipamentos dotados de portas seriais via rádio e a comunicação não funciona, a pergunta é: ONDE ESTÁ O PROBLEMA? A resposta pode ser, entre outras: Baud rate, paridade, time-out de comunicação, pinagem de cabos, endereçamento de rádios, endereçamento dos equipamentos. Nossa sugestão é separar os sistemas e testar os rádios isoladamente. Fazer funcionar na bancada antes de levar a campo. “Quando nada mais der certo, leia o manual!”. Outras dúvidas Quais protocolos o RM2060 suporta? RESPOSTA: O RM2060, assim como a maioria dos rádios modem de sua categoria, não interpreta protocolos. Os rádios se limitam a receber bytes e transmiti-los para serem recebidos por outro rádio, que irá emitir os mesmos bytes por sua porta serial. Comunicação Ponto a Ponto ou Ponto-multiponto? RESPOSTA: Sugerimos sempre a comunicação Ponto-Multiponto , mesmo quando estamos utilizando apenas dois pontos, porque na comunicação ponto a ponto é necessário selecionar um endereço de destino que seria o endereço MAC de fábrica do rádio destino. Com frequência, o usuário esquece de selecionar o endereço e a comunicação não funciona por isso. Como funciona a paridade? RESPOSTA: O rádio não interpreta a paridade do byte transmitido. Quando ajustamos o rádio para trabalhar com paridade, este se prepara para transmitir bytes de 11 bits (start + 8 bits + paridade + stop). Quando ajustamos o rádio para trabalhar sem paridade, este transmite bytes de 10 bits (start + 8 bits + stop). Se a paridade transmitida corresponde aos 8 bits, isso não faz diferença para o rádio. Qual o comprimento máximo do cabo entre o rádio e a antena? RESPOSTA: Quem determinará isso será a intensidade de sinal. O cabo RGC213 tem uma perda aproximada de 15 dB a cada 100 metros. Se o sinal é forte, podemos admitir cabos mais longos. Apenas o projeto de rádio pode determinar o comprimento máximo. Uma resposta simplista seria: TENTE MANTER O COMPRIMENTO ABAIXO DE 10 METROS.
    • Problemas e soluções
        • Problema
        • Solução
        • Lê do Rádio apresenta a mensagem “Falha na leitura&quot;.
        • Confira se o ajuste do PC na seção Ajustes do PC está correto.
        • Verifique se cabo que liga o rádio ao PC está correto.
        • A falha pode acontecer se algum outro programa que utiliza a mesma porta serial estiver ativo. Desative programas conflitantes e tente novamente.
        • Envia p/ Rádio apresenta a mensagem “Falha ao enviar configuração”.
        • Desligue e religue o rádio.
        • Leia do rádio, faça as alterações na configuração e envie para o rádio novamente.
        • Dados errôneos recebidos.
        • Verifique os ajustes de Encriptação de Dados .
        • O LED LINK não liga.
        • Verifique a alimentação do rádio.
        • Desligue e religue o rádio.
        • O LED LINK está ligado, mas os dados não são transmitidos ou recebidos.
        • Verifique se o rádio está conectado a porta serial correta do PC.
        • Confira os ajustes de Baud Rate, paridade e RTS da porta serial.
        • Experimente aumentar o número Retentativas de Transmissão ou de Retentativas de Broadcast até que a comunicação seja restabelecida.
        • Conecte um cabo null modem entre o rádio e o dispositivo HOST.
        • Verifique o ajuste de Endereço Destino .
    • Dicas úteis sobre softwares supervisórios Vamos supor que os rádios se destinem a interligar um micro rodando um software supervisório e um CLP. Sugerimos testar diretamente, via cabo, a comunicação entre o micro e o CLP para ter certeza de que o supervisório se comunica com o CLP. Tendo funcionado isto, substitua a conexão via cabos pelos rádios. Se a comunicação não ocorrer, revise primeiramente o time-out de comunicação ajustado no supervisório. Depois, revise os cabos. Na comunicação por rádio, existe um tempo entre o dado sair do equipamento origem e chegar ao equipamento destino. A resposta enviada pelo CLP também sofre atraso. Por isso, em comunicações via rádio é necessário ajustar o time-out de comunicação. Experimente inicialmente ajustar o time-out em 100ms e faça incrementos de 100ms até estabelecer a comunicação. Por fim, ajuste o time-out para o melhor desempenho. Otimize a comunicação via rádio, agrupando os TAGS em blocos de comunicação quando utilizar comunicação via rádio. A comunicação por TAGS individuais pode resultar muito lenta.
    • Viabilidade do enlace de rádio A viabilidade de comunicação entre dois pontos de rádio pode ser avaliada pelo cálculo de rádio enlace. A figura abaixo apresenta a fórmula para o cálculo do sinal recebido pelo receptor considerando a não existência de obstruções. O sinal calculado recebido pelo receptor deve ser comparado com o parâmetro sensibilidade de rádio para avaliar se o enlace é viável. Recomenda-se obter no mínimo um sinal 20dB acima do nível de sensibilidade do equipamento sendo avaliado. Ex.: Supondo-se um rádio com sensibilidade de -100 dBm, o enlace é confiável se o sinal calculado recebido for -80 dBm ou mais forte.
    • Viabilidade do enlace de rádio Considera-se que um enlace é livre de obstruções quando a primeira zona de Fresnel não está invadida por prédios, morros ou qualquer outro tipo de interferência física. Como mostrado na figura abaixo, a primeira zona de Fresnel tem o formato de um elipsóide e pode ser calculada. Utilizando mapas e levantamento de coordenadas por GPS, podemos avaliar o grau de liberação da primeira zona. Os pontos de obstrução são avaliados e a perda por obstrução quantificada. Essa perda somada a equação anterior irá determinar a viabilidade de enlace de rádio entre dois pontos. As fórmulas detalhadas para os cálculos acima podem ser encontradas na ampla literatura disponível.
    • Regulamentação ANATEL aplicável O transceptor Alfacomp RM2060 está homologado junto à Anatel e enquadrado como Transceptor de Radiação Restrita – Espalhamento Espectral – Categoria II. Transcrevemos abaixo alguns trechos da resolução 365. RESOLUÇÃO 365 – Republica o regulamento sobre equipamentos de radiocomunicação de radiação restrita e estabelece as condições de uso de radiofrequência para que possam ser utilizados com dispensa da licença de funcionamento de estação e independentes de outorga de autorização de uso de radiofrequência. Artigo 9º. - § 4º Os limites de intensidade de campo média, medida a uma distância de 3 metros, de um equipamento de radiação restrita operando nas faixas 902-907,5 MHz, 915-928 MHz, 2400-2483,5 MHz, 5725-5875 MHz e 24,00-24,25 GHz não devem exceder ao especificado na Tabela III. A intensidade de campo de pico de qualquer emissão não deve exceder o valor médio especificado por mais de 20 dB. As emissões fora das faixas de frequências especificadas, exceto harmônicos, devem estar atenuadas por, no mínimo, 50 dB do nível da fundamental ou atender aos limites gerais de emissão da Tabela II, devendo-se considerar o menor entre os dois valores. Art. 40º - V – Em adição ao estabelecido nos incisos anteriores, os requisitos a seguir sistemas de salto em frequência operando nas faixas 902-907,5 MHz e 915-928 MHz: a) A potência de pico máxima de saída do transmissor não deve ser superior a 1 Watt para sistemas que empreguem no mínimo 50 canais de salto e 0,25 Watt para sistemas empregando menos de 50 canais de salto; Art. 43. Exceto nos casos previstos a seguir, equipamentos utilizando tecnologia de espalhamento espectral ou outras tecnologias de modulação digital, que façam uso de antenas de transmissão com ganho direcional superior a 6 dBi, devem ter a potência de pico máxima na saída do transmissor reduzida para valores abaixo daqueles especificados nos incisos V, VI e VII do art. 40 e no inciso II do art. 41, pela quantidade em dB que o ganho direcional da antena exceder a 6 dBi.
    • AN2401 - antena omni direcional 900MHz 7 dBi Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2060 A Antena omni direcional Alfacomp AN2401 foi especialmente desenvolvida para utilização com rádios Spread Spectrum na faixa de 900 MHz. De pequenas dimensões e construída em PVC pintado com tinta resistente às irradiações UV, é adequada às aplicações de telemetria e telecomando.
      • Características
      • Conector: N fêmea
      • Faixa de operação: 915 a 928 MHz
      • Ganho: 7 dBi
      • Impedância: 50 ohms
      • Polarização: Vertical
      • Máxima potência: 10 W
      • Peso: 1500 gr
      • Comprimento: 142 cm
      • Resistência a vento: 150 km/
    • AN2404 - antena para teste de comunicação Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2060 Antena omni direcional criada para testes de bancada dos rádios RM2060. De pequenas dimensões e construída em cabo RF flexível, deve ser conectada diretamente ao conector SMA do rádio modem. Afaste os rádios de 2 metros para realizar os testes de comunicação.
      • Características
      • Conector SMA Macho
      • Faixa de operação: 900 a 930 MHz
      • Ganho: 1 dBi
      • Impedância: 50 ohms
      • Polarização: Vertical
      • Máxima potência: 10 W
    • AN2405 - antena omni movel 900 MHz 3 dBi Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2060
      • A antena omni direcional Alfacomp AN2405 foi especialmente desenvolvida para a utilização com rádios Spread Spectrum na faixa de 900 MHz. Possui base magnética protegida por borracha que facilita a instalação em aplicações móveis.
      • Características
      • Conector N macho ou SMA macho
      • Faixa de operação: 900 a 930 MHz
      • Ganho: 3 dBi
      • Impedância: 50 ohms
      • Polarização Vertical
      • Máxima potência: 10W
      • R.O.E.: < 1,5:1
      • Cabo: RG 174
      • Peso: 320 gr
      • Comprimento: 32 cm
      • Resistência a vento: 150 km/h
    • CF914 - antena Yagi 900 MHz 14 dBi Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2060
      • A antena Yagi CF914 foi desenvolvida para a utilização com rádios Spread Spectrum na faixa de 900 MHz. De pequenas dimensões e construída em alumínio pintado com tinta resistente às irradiações UV, é adequada às aplicações de telemetria e telecomando.
      • Características
      • Conector: N fêmea
      • Faixa de operação: 900 a 960 MHz
      • Ganho: 14 dBi
      • Impedância: 50 ohms
      • Polarização: Linear (Vertical ou Horizontal)
      • Relação frente/costa: 15 dB
      • Peso: 720 gr
      • Comprimento: 116 cm
      • Resistência a vento: 150 km/h
    • CF917 - antena Yagi 900 MHz 17 dBi Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2060
      • A antena Yagi foi desenvolvida para a utilização com rádios Spread Spectrum na faixa de 900 MHz. De pequenas dimensões e construída em alumínio pintado com tinta resistente às irradiações UV, é adequada às aplicações de telemetria e telecomando.
      • Características
      • Conector: N fêmea
      • Faixa de operação: 900 a 960 MHz
      • Ganho: 17 dBi
      • Impedância: 50 ohms
      • Polarização: Linear (Vertical ou Horizontal)
      • Relação frente/costa: 18 dB
      • Peso: 1520 gr
      • Comprimento: 1530 cm
      • Resistência a vento: 120 km/h
    • Conectores SMA Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2060 Os conectores da Série SMA têm impedância de 50Ω e são fabricados de acordo com as normas IEC 169-15 e MIL-C 39012. São utilizados em estações de base, instrumentação, controle de processos, telecomunicações e redes.
      • Características
      • Frequência de operação: 0 a 12 GHz em cabos flexíveis 0 a 18 GHz em cabos semi-rígidos
      • Impedância: 50 Ω
      • Tensão máxima de operação: 750 Volts
      • Tensão máxima de teste: 1000 Volts rms
      • VSWR: ≤ 1,05 + 0,01 f(GHz)
      • Perda de retorno: 20 dB até 4 GHz
      • Perda de inserção: máx. 0,1 √f(GHz) dB
      • Resistência de contato central: ≤ 3 mΩ
      • Resistência de contato externo: ≤ 2,5 mΩ
      • Resistência de isolação: ≥ 5GΩ min
      • Resistência de isolação após conexão: ≥ 200MΩ min
      • Temperatura de operação: -65ºC a 165ºC
    • Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2060
      • Características
      • Impedância: 50 Ω
      • Frequência de operação: 0 a 11 GHz
      • Tensão máxima de operação: 1400 Volts
      • Tensão máxima de teste: 2500 Volts rms
      • VSWR: conector reto: ≤ 1,3 até 4 GHz - conector angular: ≤ 1,35 até 4 GHz
      • Perda de retorno: conector reto: 18 dB até 4 GHz a conector angular: 17 dB até 4 GHz
      • Perda de inserção: 0,15 dB até 4 GHz
      • Resistência de contato: contato central: ≤ 1 mΩ - contato externo: ≤ 0,2 mΩ
      • Resistência de isolação: ≥ 5GΩ min
      • Resistência de isolação após conexão: ≥ 200MΩ min
      • Temperatura de operação: -65ºC a 155ºC
      Conectores N Os conectores da Série N com impedância de 50 Ω são fabricados de acordo com as normas IEC 169-16, MIL-C-39012 e MIL-55339. São utilizados em antenas, instrumentação, estações de base, celular, rádio de microondas, radar, proteção de onda, radiodifusão, rádios e redes de computadores.
    • Protetor contra surtos duplo N Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2060 Também conhecido como centelhador de RF, este dispositivo protege a conexão entre o rádio e a antena contra surtos. Possui as mesmas características elétricas dos conectores da linha N e é composto por duas conexões N fêmeas.
    • Cabo interno de RF Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2060 Composto de cabo RG58 e dotado de um conector SMA macho e um conector N fêmea, este cabo interliga o rádio ao centelhador de RF.
    • Cabo de programação do RM2060 Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2060 Composto de cabo serial e dotado de um RJ12 e um conector DB9 fêmea, este cabo interliga a porta serial RS232 do RM2060 à porta serial de um microcomputador PC. Pode ser utilizado tanto para programar o rádio quanto para o PC transmitir e receber dados via rádio. 2 – RXD 3 – TXD 4 – RTS 5 – GND 6 - CTS 2 – RXD 3 – TXD 4 – RTS 5 – GND 6 - CTS Rádio RJ12 PC DB9-F
    • KIT RÁDIO ENLACE 1 Produtos Alfacomp relacionados ao rádio modem RM2060 O KIT RÁDIO ENLACE 1 reúne os equipamentos e materiais necessários para estabelecer a comunicação serial entre dois pontos. O padrão de comunicação pode ser em RS232 ou RS485. A velocidade serial admitida é de 1.200 a 115.200 bps. O alcance do enlace é de até 30 km com visada. Exemplo de aplicação: comunicação entre CLPs.
      • Composição do KIT
      • 2 Rádio modem SPREAD SPECTRUM 900 Mhz RM2060 - 1W
      • 2 Cabo interno de RF com conectores SMA e N macho
      • 2 Protetor de surto de RF (Centelhador)
      • 2 Cabo externo de RF RGC213 - comprimento 10 metros - com conectores N macho
      • 2 Antena Yagi de 14 dBi
      • 2 Antena para teste em bancada
      • 1 Cabo de programação do rádio modem
      • 1 Conector para teste de loop back
      • 1 CD contendo softwares de programação e teste
    • OBRIGADO A TODOS ALFACOMP AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL LTDA. Rua Visconde do Herval, 1195 – Azenha – Porto Alegre - RS Fone: +55 51 3029-7161 [email_address] www.alfacomp.ind.br