Your SlideShare is downloading. ×
0
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Revolução Francesa
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Revolução Francesa

1,436

Published on

www.elton.pro.br

www.elton.pro.br

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,436
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
116
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Revolução Francesa Prof. Elton Zanoni
  • 2. A Liberdade Guiando o Povo, por Eugène Delacroix.2 www.elton.pro.br
  • 3. Execução de Robespierre3 www.elton.pro.br
  • 4. Revolução Francesa  Transição: feudalismo  capitalismo  Ascensão da burguesia ao poder político  França  mundo  Ideais iluministas: igualdade, liberdade, fraternidade  Progresso 4 www.elton.pro.br
  • 5. Antes da Revolução  Estrutura social extremamente desigual  Maioria marginalizada  Estado autoritário  Governo ineficiente e alienado  Estrutura arcaica, perdulária e corrupta  Sociedade estamental:  Divisão em ordens  Privilégios de nascimento  Imobilidade  Leis diferentes 5 www.elton.pro.br
  • 6. 1º e 2º Estados ALTO CLERO E NOBREZA (3%) -Isentos de impostos -Cargos públicos, pensões -Cobrança de tributos feudais 3º Estado TODO O RESTANTE DA SOCIEDADE (97%) Urbano -Burguesia (alta, média e baixa) -Sans-culottes Rural (80%) -Servos -Arrendatários -Pequenos proprietários -Camponeses (massa) 25 milhões de franceses (vésperas da Revolução) 6 www.elton.pro.br
  • 7. 7 www.elton.pro.br
  • 8. Absolutismo francês  Monarquia absolutista  Teoria do direito divino dos reis  Luís XVI (desde 1774); esposa Maria Antonieta (austríaca)  Incapaz de atender às aspirações populares  Autoritarismo e perseguições  Bastilha  Fortalecimento da burguesia  Restrição de poderes do clero e da nobreza  Reaproximação da nobreza quando eclode a Revolução  Reis + nobreza = obstáculos para a burguesia 8 www.elton.pro.br
  • 9. Luís XVI MariaAntonieta 9 www.elton.pro.br
  • 10. Situação econômica  Crise do Estado francês desde Luís XV  Ineficiência administrativa  Corte parasitária  Déficit público  Dívida externa  Dificuldades da indústria –Tratado de 1786 com a Inglaterra (industrializados x agrícolas)  Envolvimento em guerras - dívidas (Independência - EUA)  Crises agrícolas na década de 1780 – questões climáticas  Falta de alimentos – alta nos preços – fome/insatisfação 10 www.elton.pro.br
  • 11. 11 www.elton.pro.br
  • 12. Fases da Revolução  Quadro pré-Revolução:  Assembleia dos Notáveis (alto clero + nobreza, 1787)  Assembleia dos Estados Gerais (1789)  Assembleia Nacional (1789-1791)  Monarquia Constitucional (1791-1792)  República Jacobina (1792-1795)  Diretório (1795-1799) 12 www.elton.pro.br
  • 13. Fases da Revolução  Controladores das finanças: constantes trocas no comando  Turgot: reformas - fim aos privilégios (demitido em 1776)  Calonne: convocação da Assembleia dos Notáveis (1787); fim das vantagens fiscais  demitido após protestos  Necker: convocação da Assembleia dos Estados Gerais (abril/1789) Necker 13 www.elton.pro.br
  • 14. DISPUTAS – FORMAS DEVOTAÇÃO ASSEMBLEIA DOS ESTADOS GERAIS POR ORDEM SOCIAL INDIVIDUALMENTE VITÓRIA 1º E 2º ESTADOS VITÓRIA 3º ESTADO FORMA QUE PERMANECEU Votos do 3º Estado Parte da nobreza esclarecida Parte do baixo clero Separaram-se (deputados rebeldes) Reuniram-se em Assembleia Nacional Obs.: Última reunião ocorrera em 1614. 14 www.elton.pro.br
  • 15. Assembleia Nacional (1789-1791)  Juramento do Jogo da Pela  Assembleia Nacional Constituinte  Reação de Luís XVI: 20 mil soldados cercandoVersalhes  Parisienses armados: Guarda Nacional x Exército real  Tomada da Bastilha (prisão símbolo): 14/7/1789  No campo: plantações destruídas, palácios atacados, nobres executados  Grande Medo 15 www.elton.pro.br
  • 16. O juramento da Pela16 www.elton.pro.br
  • 17. Assembleia Nacional (1789-1791)  Temor diante da radicalização (alta burguesia – nobreza)  Manutenção de Luís XVI  Modificação do regime absolutista:  Abolição de privilégios feudais  Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão  Igualdade/liberdade/direito à propriedade  Constituição Civil do Clero:  Confisco e nacionalização dos bens da Igreja  Padres  funcionários civis  Descentralização administrativa 17 www.elton.pro.br
  • 18. GRUPOS POLÍTICOS Divisão dos deputados naAssembleia RADICAIS MODERADOS CONSERVADORES CENTRO-DIREITA (PARTE BAIXA) PLANÍCIE/PÂNTANO CENTRO DIREITAESQUERDA 18 www.elton.pro.br
  • 19. 19 www.elton.pro.br
  • 20. Assembleia Nacional (1789-1791)  Tentativa de fuga de Luís XVI:  Reconhecido e preso emVarennes  Reconduzido a Paris  Palácio dasTulherias (21/06/1791) 20 www.elton.pro.br
  • 21. O retorno de Luís XVI a Paris após sua desastrada fuga.21 www.elton.pro.br
  • 22. 22 www.elton.pro.br
  • 23. Assembleia Nacional (1789-1791)  Constituição concluída – setembro/1791:  Monarquia constitucional  Monarca – executivo;Assembleia – legislativo  Mandatos de 2 anos aos deputados  Voto direto e censitário (renda)  Extinção das antigas ordens  Manutenção das primeiras decisões daAssembleia  Escravidão nas colônias 23 www.elton.pro.br
  • 24. Monarquia Constitucional (1791-1792)  2ª etapa da Revolução: sentimento de traição ao povo  Manutenção de Luís XVI: ares de continuísmo  Fúria das massas  Burguesia: queria conquistas, mas com as massas afastadas  Invasão da França por Áustria e Prússia (planos da nobreza emigrada + Luís XVI)  Aumento da hostilidade das massas à nobreza e deputados da pequena burguesia se tornam lideranças populares:  Danton – advogado  Marat – médico “sem diploma”  Robespierre – advogado e juiz 24 www.elton.pro.br
  • 25. 25 www.elton.pro.br
  • 26. Monarquia Constitucional (1791-1792)  Criação da “Comuna Insurrecional de Paris” – massas (sans- culottes) armados para cobates  Nobres detidos em prisões de Paris (Massacre de Setembro)  Invasão do Palácio Real pelo povo: rei e família presos  Exército austro-prussiano derrotado pelas tropas populares (Batalha deValmy, 20/09/1792)  Assembleia Legislativa substituída pela Convenção Nacional (voto direto e universal) – Proclamação da República (22/09/1792) 26 www.elton.pro.br
  • 27. República Jacobina (1792-1795)  Etapa radical e popular da Revolução  Luís XVI julgado por traição e desvio de verbas para contrarrevolucionários (dezembro de 1792)  Condenado à guilhotina em janeiro/1793 A execução de Luís XVI 27 www.elton.pro.br
  • 28. Joseph Ignace Guilhotin propôs o uso de um dispositivo mecânico para realizar as penas de morte na França.28 www.elton.pro.br
  • 29. República Jacobina (1792-1795) Girondinos Jacobinos  Direita  Alta/média burguesia  Posições conservadoras  Preocupados em manter o direito à propriedade e a liberdade de comércio  Esquerda  Pequena burguesia  Elementos populares (sans- culottes)  Medidas liberais radicais  Aprofundar as conquistas revolucionárias Grupo de centro  Oportunismo, indefinição, oscilação conveniente 29 www.elton.pro.br
  • 30. República Jacobina (1792-1795)  No início, controle dos girondinos  Depois das eleições  jacobinos maioria  Liderança de Robespierre – medidas de largo alcance social:  Fim da escravidão nas colônias  Fim das prisões por dívida  Lei do Máximo (preços)  Pensões a viúvas, inválidos, idosos  Venda dos bens da Igreja e da nobreza  Criação do ensino público e gratuito  Novo calendário (22/09/1792  1º dia do ano 1)  Reforma agrária 30 www.elton.pro.br
  • 31. República Jacobina (1792-1795)  Março/1793 – criações:  Tribunal Revolucionário (crimes da contrarrevolução)  Abril: Comitê de Salvação Pública + Comitê de Segurança Nacional (segurança interna e controle do Exército)  Exército Popular Revolucionário: combate às tropas invasoras  Junho/1793 – nova Constituição (2ª), inspirada no pensamento de Rousseau (iluminista)  Robespierre no lugar de Danton no Comitê de Salvação Pública  início da “fase do terror” (milhares de guilhotinados)  Radicalismo divide os jacobinos 31 www.elton.pro.br
  • 32. 32 www.elton.pro.br
  • 33. República Jacobina (1792-1795) Radical/raivosa Moderada/indulgente  Eliminação de todos os opositores políticos  Danton  Estabilização da Revolução  Consolidação das conquistas  Fim do “terror” 33 www.elton.pro.br
  • 34. República Jacobina (1792-1795)  Isolado, Robespierre voltou-se contra os dois grupos e executou seus líderes  Enfraquecimento dos jacobinos  Articulação de golpe da alta burguesia contra Robespierre e a Convenção Nacional (9 deTermidor – 27/07/1794)  ReaçãoTermidoriana: fim do governo jacobino  Robespierre e outros líderes foram guilhotinados  Tentativa de golpe monarquista sufocado  Girondinos votaram uma nova Constituição 34 www.elton.pro.br
  • 35. ReaçãoTermidoriana 35 www.elton.pro.br
  • 36. A Morte de Marat (1793), tela do pintor francês Jacques-Louis David. 36 www.elton.pro.br
  • 37. República Jacobina (1792-1795)  Ação militar contra os monarquistas – destaque de Napoleão Bonaparte  Convenção Nacional extinta e substituída por um Diretório (5 membros) 37 www.elton.pro.br
  • 38. Diretório (1795-1799)  Alta burguesia no poder  Anulação de medidas populares  Volta do voto censitário (para evitar líderes populares)  Constituição do Pântano (agosto/1795)  Diretório – 5 diretores eleitos pelo legislativo  Câmaras – Conselho dos 500 / Conselho dosAnciãos (eleitos pelo voto censitário) 38 www.elton.pro.br
  • 39. Diretório (1795-1799)  Instabilidade: Alta burguesia girondina X realistas (monarquistas) e jacobinos/socialistas utópicos  Conjuração dos Iguais – Graco Babeuf (fim da propriedade privada, crítica à corrupção)  Vitória jacobina nas eleições de 1798 (ameaça de um avanço popular)  Interesse da burguesia: paz, ordem e estabilidade para instalar um Estado liberal 39 www.elton.pro.br
  • 40. Diretório (1795-1799)  Substituição do Diretório – Golpe de 18 Brumário  Napoleão Bonaparte no poder  Fim da Revolução Francesa – continuidade do projeto da burguesia. 40 www.elton.pro.br

×