Profissões na Idade Média     Disciplina de Cidadania e Empregabilidade                Curso EFA 2011-2012                ...
Profissões na idade media       A Astrologia teve       importante papel na       Medicina Medieval;       os médicos de  ...
A Medicina medieval na EuropaOcidental era uma mistura de ideiasexistentes desde a antiguidade, influênciasespirituais e o...
No começo da Idade Média, após aqueda do Império Romano, oconhecimento médico padrão erabaseado principalmente em textos a...
A Medicina na idade média ainda está impregnada da crenças mágicas e religiosas.Naquela altura havia:- Os Curandeiros ambu...
Naquela altura era praticada a sangria (fazia-seum corte numa das veias, deixando correralgum sangue) com o fim de tirar a...
Barbeiro-cirurgião era uma dasprofissões mais comuns na área médicadurante a Idade Média, que eramgeralmente incumbidos do...
Os Barbeiros-cirurgiões na Arte                                  Durante a idade média, a cirurgia foi                    ...
História da            MedicinaHipócrates é considerado o pai damedicina. Considera-se que viveuentre 460 a 377 a.C. e dei...
Na Idade Média os religiosos assumiramo controle da arte de curar através demedicamentos e deixaram para osbarbeiros, que ...
Cirurgia: cruel, suja eterrivelmente dolorosa      Os cirurgiões da época tinham      pouquíssimo conhecimento sobre a    ...
“Dwale”: um anestésico cruel    que podia ser fatal           A cirurgia na idade média era usada           somente em cas...
Feitiços: rituais pagãos ou penitência    religiosa como forma de cura              Tratamentos medievais, normalmente,   ...
Cirurgia de catarata: doloroso e raramentesalvava o olho do paciente    Uma operação de catarata incluía a    inserção de ...
. Bexiga bloqueada: um cateter demetal inserido diretamente na bexiga      O bloqueio da bexiga, devido à sífilis ou a    ...
. Cirurgiões em campos de batalha: puxar flechasnão é um trabalho fácil             Como remover flechas dos corpos       ...
4. Sangria: a cura para quase qualquerdoença Os médicos da idade média achavam que praticamente todas as doenças eram caus...
Parto: mulheres, quando grávidas, erampreparadas para a própria morte.                Dar a luz na idade média era tão mor...
Hemorróidas: a agonia     anal tratada com ferro     quenteO tratamento para hemorróidas era queima-lascom ferro quente. H...
Trabalho feito por Maria Antonieta
É o profissional que desenha, corta, costura e reforma roupas. Há uns que trabalham como autónomos, atendendoos clientes e...
A alfaiataria desenvolve-se na Europa por volta dos séculos XII e XIV. Com o decorrer dos anos o alfaiate passa a ter a   ...
Durante o século XIV, as roupas das classes dominantes ganharam muitos enfeites e acessórios, como botões     e cintos orn...
Os alfaiates, em geral, executavampara os homens pelotesde qualquer feitio, capas de capelo,gibões enchumaçados a dois for...
http://trajes.no.sapo.pt/GiboesMasculinos.secXV.XVI.htmhttp://trajes.no.sapo.pt/TextoAlfaiates.secXV.XVI.htmhttp://pt.wiki...
ALMOCREVE
Os almocreves eram pessoas que conduziam animais de carga e/oumercadorias de uma terra para outra em Portugal, durante a I...
Dedicavam-se ao comércio. Utilizavamsobretudo as rotas marítimas ou fluviais, mais baratas e rápidas que as terrestres.  A...
A economia de subsistência baseava-se na horticultura e na exploraçãode courelas e hortejos em que pontificavamcereais, am...
Muitos locais onde se organizavam asfeiras deram origem a Burgos – núcleosurbanos com intensa vida comercial e ativaproduç...
As feiras livres não têm ao certo uma data para seu surgimento.Elas surgiram da necessidade da troca de produtos diversos,...
Trabalho realizado pela alunaCurso EFARegina Rodrigues
PROFISSÕES NA IDADE MEDIA
A maior parte dos camponeses eraformada por servos da gleba, isto é,trabalhadores que, embora não fossemescravos, não podi...
Muitos deles descendiam deantigos colonos ou de escravosromanos.
Outros servos tiveram origem empequenos proprietários de terras, queainda eram relativamente numerosos atéao século XI.
Por causa das constantesameaças de guerras einvasões,    a    maioriaacabou por entregar assuas terras a um nobrefeudal, o...
Entre eles, alguns tornavam-se servos,outros, conhecidos como vilões, eramlivres, isto é, tinham o direito de deixar aterr...
Como por exemplo; “O Censo” - tributoque os vilões (pessoas livres) deviampagar, em dinheiro, para a nobreza.
A TalhaEra uma obrigação pela qualo servo deveria passar, para osenhor feudal, metade detudo que produzia nas terrasque oc...
A CorvéiaEsta obrigaçãocorrespondia aopagamento atravésde serviços prestadosnas terras ouinstalações do senhorfeudal
CorveiaDe 3 a 4 dias porsemana, o servo eraobrigado a cumprirdiversos trabalhoscomo, por exemplo,fazer a manutençãodo cast...
. Corveia Podia também realizar trabalhosde plantio ecolheita no mansoou reservasenhorial (parte dasterras do feudo deuso ...
BanalidadesEsta obrigaçãocorrespondia aopagamento pelautilização dasinstalações docastelo. Se oservo precisasseusar o moin...
OutrasobrigaçõesAlém da talha,da corveia edasbanalidades, osservos tambémdeviam pagaroutras taxas eimpostos.
Havia a mão-morta, que erauma espécie detaxa que oservo deviapagar aosenhor feudalparapermanecer nofeudo quando opai morria.
Haviatambém oTostão dePedro (10% daprodução),que o servodevia pagar àIgreja de suaregião.
SITES:  mekstein.blogspot.com/.../83-principais-  obrigacoes-dos-servos-ao.ht...pt.wikipedia.org/wiki/Camponêswww.suapesqu...
Trabalho elaboradopor: Esmeralda Marques
PROFISSÕES NA IDADE MÉDIA O Ferreiro                                       Esmeralda RodriguesA n o   L e c t i v o   2 0 ...
Quem é?   O ferreiro é um indivíduo extremamente respeitado e  admirado no seio da comunidade, que cria objectos ouferrame...
A Forja   A forja é o lugar onde trabalha                     o ferreiro. Sobre uma          pequena construção de pedra  ...
Aí, o ferreiro moldava as suaspeças aquecidas a  nível extremo apartir da força físicade que era provido, bem como da sua ...
Utiliza instrumentos como:O O FoleO A BigornaO O Martelo
Na sua oficina não podiam também faltar instrumentos  como o cavalete ou safra; o calçador, a talhadeira e o    ponteiro e...
Origem deverá ter tido origemEsta profissão cerca de 2000 anos a.C., quando o   homem aprendeu a manipular e a  trabalhar ...
Todos sabemos,que metais, não  são materiais    facilmente  dobráveis. E o   processo deaquecê-los para     facilitar a  m...
Foi também um dos profissionais mais solicitados  na Idade Média pela necessidade de equipar osexércitos com couraças, elm...
Os traje de combate típico da Idade Média, elaborado com pequenosaros de metal entrelaçados entre si.    Vestimenta de alt...
Elmo: Peça metálica para proteção da cabeça,utilizada sobre o capuz de malha. Podia ser semi-circular (aberto) ou em forma...
Maça: Arma largamenteutilizada na Idade Média, era     composta de um hastemetálica e uma extremidade  arredondada ou poli...
Besta: Precursoradas espingardas,as bestas eramarmas depropulsão quedisparavam setas(tambémconhecidas comoquadrelos) porme...
A couraça :É uma peça de armadura largamenteutilizada, nomeadamente pelos cavaleiros, em diversosperíodos da Idade Média.D...
Se em tempos de guerra o papel do ferreiro era umdos mais importantes, também em tempos de paz eraum dos oficiais mais pro...
Algumas das    alfaisagrícolas naidade média.
AradoArado é um instrumento que serve para lavrar (arar) os campos,revolvendo a terra com o objetivo de descompactá-la e, ...
O trabalho na IdadeMédia, era coisa para osservos (conhecidos nonosso dia-a-dia comotrabalhadores escravos).A sociedade er...
A crise no mundo feudal foi causada pela melhoria noarado e na rotação de culturas, resultando em umagrande produção de al...
==O trabalho==O modo de produção feudal próprio do Ocidenteeuropeu tinha por base a economia agrária, deescassa circulação...
Metalurgia. É aciência que estuda os metaisdesde sua extracção dosubsolo até á suatransformação em produtosadequados ao us...
Actualmente, esta profissão, a de ferreiro, caiu em desuso devido ao desenvolvimento da indústria.
Bibliografia: www.suapesquisa.com/feudalismopt.wikipedia.org/wiki/Ferreirohttp://www.tecmundo.com. www.tecmundo.com.
Profissões na Idade Média
Profissões na Idade Média
Profissões na Idade Média
Profissões na Idade Média
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Profissões na Idade Média

16,926

Published on

Published in: Career
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
16,926
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
13
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Profissões na Idade Média

  1. 1. Profissões na Idade Média Disciplina de Cidadania e Empregabilidade Curso EFA 2011-2012 Vale do Paraíso
  2. 2. Profissões na idade media A Astrologia teve importante papel na Medicina Medieval; os médicos de conhecimentos mais elevados eram treinados em astrologia básica e utilizavam-na em suas práticas.
  3. 3. A Medicina medieval na EuropaOcidental era uma mistura de ideiasexistentes desde a antiguidade, influênciasespirituais e o aquilo que Claude Lévi-Strauss identificou como "complexoxamanístico" e "consenso social.“ Naquelaépoca, não havia a tradição da medicinacientífica e as observações andavam lado alado com influências espirituais.
  4. 4. No começo da Idade Média, após aqueda do Império Romano, oconhecimento médico padrão erabaseado principalmente em textos antigosda Grécia e de Roma, preservados emmosteiros e em outros locais. Osconceitos sobre a origem e a cura dasdoenças não estavam separadas doespiritualismo. Estavam, sim, baseadasnuma visão de mundo na qual fatorescomo destino, pecado e astrologiaatuavam em grande parte como qualquercausa física. Ao invés da evidênciaempírica, as crenças do paciente e domédico estavam tão atrelados à eficáciada cura que frequentemente o remédiofísico ficava subordinado à intervençãoespiritual.
  5. 5. A Medicina na idade média ainda está impregnada da crenças mágicas e religiosas.Naquela altura havia:- Os Curandeiros ambulantes que andavam de terra em terra a acalmarem diferentes problemasdo corpo;- O Endireitas que reduziam as fracturas ou metiam no sítio os ossos deslocados;- Os Boticários que preparavam remédios a partir de plantas ou outras substâncias naturais;- Os Barbeiros Cirurgiões que faziam as "operações":- Os Físicos, que eram os doutores dos reis;- Os Arranca-Dentes que arrancavam os dentes podres (sem anestesia);
  6. 6. Naquela altura era praticada a sangria (fazia-seum corte numa das veias, deixando correralgum sangue) com o fim de tirar assubstâncias impuras do corpo do doente.Também era praticada a colocação de ventosasque devia descongestionar o doente.Já se utilizava a análise da urina mas erapouco fiável, também aplicavam tisanas ouxaropes de especiarias para lavagens aoestômago.
  7. 7. Barbeiro-cirurgião era uma dasprofissões mais comuns na área médicadurante a Idade Média, que eramgeralmente incumbidos do tratamentode soldados durante ou após batalhas.Nesta época, cirurgias em geral nãoeram realizadas por médicos, mas porbarbeiros, que também faziampequenas cirurgias nos ferimentos doscamponeses e sangrias.Comumente, os barbeiros-cirurgiõesfixavam residência próxima acastelos, onde também forneciamserviços para os abastados.
  8. 8. Os Barbeiros-cirurgiões na Arte Durante a idade média, a cirurgia foi pouco beneficiada pelos progressos da anatomia. Os cirurgiões ainda eram considerados inferiores e, por conseguinte, mal remunerados. Nos séculos XVI e XVII, eram os barbeiros-cirurgiões - barbeiros que atuavam como médicos - que exerciam toda a prática manual da medicina através de pequenas cirurgias. Os profissionais desta área pertenciam a uma classe desprestigiada, cujo trabalho era basicamente mecânico, sem preparação científica. Somente em 1686, após a recuperação de Luís XIV de uma fístula anal crônica, nas mãos do cirurgião Félix, é que a prática cirúrgica provou ser nobre e rentável.
  9. 9. História da MedicinaHipócrates é considerado o pai damedicina. Considera-se que viveuentre 460 a 377 a.C. e deixou umlegado ético e moral válido até hoje.Precursor do pensamento científico,procurava detalhes nas doenças deseus pacientes para chegar a umdiagnóstico, utilizando explicaçõessobrenaturais, devido à limitação doconhecimento da época. Aindaantes da era cristã, Asclepíades deBitínia tentou conciliar o atomismode Leucipo e Demócrito com aprática médica. No primeiro séculoda era cristã, Cláudio Galeno, outromédico grego, deu contribuiçõessubstanciais (baseado emexperiências de animais) para odesenvolvimento da medicina.
  10. 10. Na Idade Média os religiosos assumiramo controle da arte de curar através demedicamentos e deixaram para osbarbeiros, que já lidavam com a navalha,a arte de drenar abcessos e retirarpequenas imperfeições do pénis. Aformação de secreções purulentas eraconsiderada normal e saudável.
  11. 11. Cirurgia: cruel, suja eterrivelmente dolorosa Os cirurgiões da época tinham pouquíssimo conhecimento sobre a anatomia humana, sobre antissépticos, que fizessem com que as feridas não infeccionassem, e sobre anestésicos. Não era agradável ser um paciente nessas horas, mas não havia muita escolha. Para se livrar da dor, você era submetido a mais dor. Na maioria dos casos, monges se tornavam cirurgiões, já que eles tinham acesso à literatura sobre medicina. No entanto, em 1215, o Papa pediu para que eles não fizessem mais o trabalho. A tarefa sobrou para fazendeiros que tinham experiência tratando animais.
  12. 12. “Dwale”: um anestésico cruel que podia ser fatal A cirurgia na idade média era usada somente em casos de vida ou morte. Uma razão é que não havia anestésico “confiável” que pudesse aliviar a dor enorme de um procedimento cirúrgico. Algumas poções usadas para amortecer o paciente ou induzir o sono podiam ser letais. Um dos exemplos é o Dwale, uma mistura de suco de alho, suco de cicuta, ópio, vinagre e vinho que era dado ao paciente antes de uma cirurgia. O suco de cicuta sozinho poderia ser fatal – ele é tão forte como anestésico que o paciente para de respirar.
  13. 13. Feitiços: rituais pagãos ou penitência religiosa como forma de cura Tratamentos medievais, normalmente, eram uma mistura de factos científicos, crenças pagãs e imposições religiosas. Um exemplo é que, quando alguém contraía a peste bubônica, era determinado que ele passasse por um período de penitência, confessando-se com um padre. Como a doença era vista como um castigo de Deus, se o paciente admitisse seus pecados, talvez sua vida fosse poupada.
  14. 14. Cirurgia de catarata: doloroso e raramentesalvava o olho do paciente Uma operação de catarata incluía a inserção de uma faca ou de uma agulha pela córnea, forçando as lentes do olho até o fundo do órgão. Posteriormente, uma seringa era usada para extrair por sucção a catarata.
  15. 15. . Bexiga bloqueada: um cateter demetal inserido diretamente na bexiga O bloqueio da bexiga, devido à sífilis ou a outras doenças venéreas, era comum na época, já que não havia antibiótico. O cateter urinário (um tubo de metal inserido através da uretra até a bexiga) começou a ser usado em meados de 1300. Quando o tubo não conseguia passar pela uretra, outros aparelhos eram usados – provavelmente apresentando um risco tão grande quanto o da própria doença.
  16. 16. . Cirurgiões em campos de batalha: puxar flechasnão é um trabalho fácil Como remover flechas dos corpos de soldados? Normalmente a ponta da flecha ficava dentro do corpo do soldado, enquanto só era possível tirar o cabo. Esse problema foi “resolvido” com a colher de flecha, que era inserida na ferida causada pelo disparo e “pescava” a ponta da flecha.
  17. 17. 4. Sangria: a cura para quase qualquerdoença Os médicos da idade média achavam que praticamente todas as doenças eram causadas por excesso de líquido no corpo. Então a solução era tirar o sangue dos pacientes. Havia dois métodos “principais”. O primeiro usava sanguessugas para tirar o sangue. O bicho era colocado sobre o local e sugava uma boa quantidade do líquido. O outro era um tradicional corte na veia, normalmente no braço.
  18. 18. Parto: mulheres, quando grávidas, erampreparadas para a própria morte. Dar a luz na idade média era tão mortal que a Igreja pedia que as grávidas se preparassem para morrer. E teve uma época em que parteiras mais experientes foram perseguidas como bruxas, já que usavam métodos para aliviar a dor das suas pacientes. Quando um bebé estava morto no útero, uma faca era usada para que ele fosse desmembrado ainda na barriga da mãe, para facilitar a “retirada” do feto.
  19. 19. Hemorróidas: a agonia anal tratada com ferro quenteO tratamento para hemorróidas era queima-lascom ferro quente. Há até uma história sobre ummonge que, sofrendo com suas hemorróidasenquanto trabalhava no jardim, sentou se em umapedra que, milagrosamente, o curou do problema.A pedra existe até hoje, com a marca dashemorróidas do monge, e é visitada por muitos queesperam curar seu “problema” até hoje.
  20. 20. Trabalho feito por Maria Antonieta
  21. 21. É o profissional que desenha, corta, costura e reforma roupas. Há uns que trabalham como autónomos, atendendoos clientes em casa ou costurando as peças por encomenda, e os que são empregados de indústrias de confeções,nas linhas de montagem de roupas. Podem ainda trabalhar em lojas, efetuando consertos, alargando ou ajustandoas peças prontas ao corpo do cliente, ou na confeção de figurinos para espetáculos. Já os alfaiates tradicionais têm oseu próprio atelier.
  22. 22. A alfaiataria desenvolve-se na Europa por volta dos séculos XII e XIV. Com o decorrer dos anos o alfaiate passa a ter a mesma importância que o tecelão. No início da idade média, as classes dominantes vestiam túnicas e mantos enfeitados com fios de ouro, pedras preciosas e pérolas. Já as classes mais pobres vestiam apenas as túnicas simples e blusas. Essas vestimentas inicialmente eram confecionadas em casa, com a lã que retiravam das ovelhas criadas em casa e com o linho que cultivavam. Quando as cidades começaram a crescer, surgiram lojas especializadas, dirigidas por tecelões, alfaiates, remendões e outros artesãos que faziam roupas.
  23. 23. Durante o século XIV, as roupas das classes dominantes ganharam muitos enfeites e acessórios, como botões e cintos ornamentados com pedrarias. Os alfaiates, por sua vez, eram responsáveis pela confeção sendo mestres especializados e tidos em grande consideração por toda a população. Os tecidos variavam de acordo com a classe social A maioria das pessoas Já as pessoas mais humildes vestiam-se vestiam roupas de lã e com roupas feitas de pele de cabra linho. carneiro ou lobo. Os muito ricos vestiam seda e enfeitavam as suas roupas com peles valiosas.E porque assim o era, a nenhum era dada uma carteira profissional, sem que antes passassem por um examerigoroso de habilidade, e conhecimento de todos os materiais e técnicas utilizados. Tinham mesmo de saber talhar,cortar e executar qualquer peça.
  24. 24. Os alfaiates, em geral, executavampara os homens pelotesde qualquer feitio, capas de capelo,gibões enchumaçados a dois forros eGolpeados. Capas e mantos. Para as senhoras talhavam e cortavam qualquer Tecido em qualquer feitio. As fraldilhas costuravam-se com vantagem na traseira, os saios e sainhos a dois debruns com mangas e as cotas de forma prática, para andar a cavalo.Estes profissionais estavam proibidos de tingir os tecidos cinzentos ou brancos com tintas azuis e pretas, vender ouvoltar a costurar peças de vestuário velho e coser, cortar, bordar ou vincar qualquer tecido antes de ser vendido.Podiam dar dicas do resultado final, mas só o faziam em concreto depois da pessoa decidir e pagar.Na época um alfaiate ganhava vinte e cinco reis por dia, com a obrigação de confecionar, por exemplo, sete gibões em quatro dias.
  25. 25. http://trajes.no.sapo.pt/GiboesMasculinos.secXV.XVI.htmhttp://trajes.no.sapo.pt/TextoAlfaiates.secXV.XVI.htmhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Alfaiatehttp://blog-dos-alfaiates.blogspot.pt/2007/10/vesturio-na-idade-mdia.htmlhttp://www.jornalvivabrasil.com.br/profissoes/index.php?option=com_content&view=article&id=14:alfaiate&catid=1:a&Itemid=7 Trabalho realizado por: Maria do Carmo Narciso Pereira Gomes
  26. 26. ALMOCREVE
  27. 27. Os almocreves eram pessoas que conduziam animais de carga e/oumercadorias de uma terra para outra em Portugal, durante a Idade Média e até tempos bem recentes - meados do século XX.
  28. 28. Dedicavam-se ao comércio. Utilizavamsobretudo as rotas marítimas ou fluviais, mais baratas e rápidas que as terrestres. Acorriam aos mercados e feiras para vender seus produtos. Os mercados eram realizados nascidades em um dia da semana ou vários. As feiras eram bem maiores, ocorriam duas ou três vezes por ano e envolviam mercadorias de vários lugares.
  29. 29. A economia de subsistência baseava-se na horticultura e na exploraçãode courelas e hortejos em que pontificavamcereais, amendoeiras, oliveiras, figueiras e alfarrobeiras que permitiam avenda de excedentes das colheitas, para o orçamento familiar;Por outro lado, a aldeia dispunha dealfaiate, sapateiro, ferreiro, carpinteiro, pedreiros, barbeiros, cesteiros, albardeiros, fiandeiras, tecedeiras e costureiras, por exemplo.
  30. 30. Muitos locais onde se organizavam asfeiras deram origem a Burgos – núcleosurbanos com intensa vida comercial e ativaprodução artesanal.
  31. 31. As feiras livres não têm ao certo uma data para seu surgimento.Elas surgiram da necessidade da troca de produtos diversos, ouseja, naquela época o dinheiro não era tão visado, mas sim osistema da troca de mercadorias que o outro não possuía.
  32. 32. Trabalho realizado pela alunaCurso EFARegina Rodrigues
  33. 33. PROFISSÕES NA IDADE MEDIA
  34. 34. A maior parte dos camponeses eraformada por servos da gleba, isto é,trabalhadores que, embora não fossemescravos, não podiam abandonar os seuslotes de terra.
  35. 35. Muitos deles descendiam deantigos colonos ou de escravosromanos.
  36. 36. Outros servos tiveram origem empequenos proprietários de terras, queainda eram relativamente numerosos atéao século XI.
  37. 37. Por causa das constantesameaças de guerras einvasões, a maioriaacabou por entregar assuas terras a um nobrefeudal, ou à Igreja, emtroca de proteção.
  38. 38. Entre eles, alguns tornavam-se servos,outros, conhecidos como vilões, eramlivres, isto é, tinham o direito de deixar aterra, mas também se submetiam a umasérie de obrigações.
  39. 39. Como por exemplo; “O Censo” - tributoque os vilões (pessoas livres) deviampagar, em dinheiro, para a nobreza.
  40. 40. A TalhaEra uma obrigação pela qualo servo deveria passar, para osenhor feudal, metade detudo que produzia nas terrasque ocupava no feudo. Secolhesse 20 quilos de batata,10 quilos deveriam serseparados para o pagamentoda talha.
  41. 41. A CorvéiaEsta obrigaçãocorrespondia aopagamento atravésde serviços prestadosnas terras ouinstalações do senhorfeudal
  42. 42. CorveiaDe 3 a 4 dias porsemana, o servo eraobrigado a cumprirdiversos trabalhoscomo, por exemplo,fazer a manutençãodo castelo, construirum muro, limpar ofosso do castelo,limpar o moinho, etc
  43. 43. . Corveia Podia também realizar trabalhosde plantio ecolheita no mansoou reservasenhorial (parte dasterras do feudo deuso exclusivo dosenhor feudal).
  44. 44. BanalidadesEsta obrigaçãocorrespondia aopagamento pelautilização dasinstalações docastelo. Se oservo precisasseusar o moinhoou o forno,deveria pagaruma taxa emmercadoria parao senhor feudal.
  45. 45. OutrasobrigaçõesAlém da talha,da corveia edasbanalidades, osservos tambémdeviam pagaroutras taxas eimpostos.
  46. 46. Havia a mão-morta, que erauma espécie detaxa que oservo deviapagar aosenhor feudalparapermanecer nofeudo quando opai morria.
  47. 47. Haviatambém oTostão dePedro (10% daprodução),que o servodevia pagar àIgreja de suaregião.
  48. 48. SITES: mekstein.blogspot.com/.../83-principais- obrigacoes-dos-servos-ao.ht...pt.wikipedia.org/wiki/Camponêswww.suapesquisa.com/feudalismo/talha_corveia_banalidades.htm
  49. 49. Trabalho elaboradopor: Esmeralda Marques
  50. 50. PROFISSÕES NA IDADE MÉDIA O Ferreiro Esmeralda RodriguesA n o L e c t i v o 2 0 1 1 / 2 0 1 2 – C u r s o E F A
  51. 51. Quem é? O ferreiro é um indivíduo extremamente respeitado e admirado no seio da comunidade, que cria objectos ouferramentas a partir da forja do metal, seja este ferro, aço,ou outro qualquer, utilizando como método o aquecimento dos metais até que fiquem incandescentes de modo a que possam ser trabalhados.
  52. 52. A Forja A forja é o lugar onde trabalha o ferreiro. Sobre uma pequena construção de pedra fica a fornalha, onde se coloca o carvão ardido. Dum lado leva uma pedra vertical, com um buraco no fundo, onde entra e apoia o bico do fole. Este, de grandes proporções, é de couro nos lados e, em cima, debaixo e no meio, de madeira, funcionando através de uma alavanca.
  53. 53. Aí, o ferreiro moldava as suaspeças aquecidas a nível extremo apartir da força físicade que era provido, bem como da sua capacidade artística, pelo que martelava cada peça em cima dabigorna, de modo aque esta adquirisse a forma desejada.
  54. 54. Utiliza instrumentos como:O O FoleO A BigornaO O Martelo
  55. 55. Na sua oficina não podiam também faltar instrumentos como o cavalete ou safra; o calçador, a talhadeira e o ponteiro encaixados em “vergueiros” de carvalho, rachados numa ponta e apertados por argolas ou arames, para calçar, cortar ou furar sobre a safra; ostufos (tacos de ferro para fazer o olho das enxadas, dassacholas, dos machados, etc.); a sofrideira, para dar as formas ao ferro; a craveira, para fazer as cabeças dos cravos e dos pregos; a rosca, para fazer as roscas dos parafusos; as tenazes de vários tamanhos e formas; o engenho de furar; e o rebolo para afiar a ferramenta, constituído por uma pedra redonda, como uma pequena mó de moinho, apoiada ao centro num ferro com um dos lados em forma de manivela para ser accionado pelo pé.
  56. 56. Origem deverá ter tido origemEsta profissão cerca de 2000 anos a.C., quando o homem aprendeu a manipular e a trabalhar os metais, sendo da sua responsabilidade a produção de: armas (espadas, lanças, dardos, flechas e escudos); ferramentasagrícolas (arados, foices, machados,enxadas, pás e picaretas); utensílios domésticos (facas, tesouras e navalhas); artefactos para animais (ferraduras, freios e estribos); e outros objectos como correntes e ferramentas de uso diverso.
  57. 57. Todos sabemos,que metais, não são materiais facilmente dobráveis. E o processo deaquecê-los para facilitar a maleabilidade pode se tornar demorado. (Processo, que aliás, ficou famoso na Idade Média).
  58. 58. Foi também um dos profissionais mais solicitados na Idade Média pela necessidade de equipar osexércitos com couraças, elmos e outros dispositivos de protecção dos soldados, ou de armas, como espadas, lanças e flechas em ferro temperado de grande resistência.
  59. 59. Os traje de combate típico da Idade Média, elaborado com pequenosaros de metal entrelaçados entre si. Vestimenta de alto custo, era utilizada maioritariamente pela nobreza e mercenários abastados. No século XII, predominava a cota de malha decorpo inteiro, que protegia desde a cabeça até os pés. Capuz de malha: parte integrante da cota, provia protecção à cabeça e ao pescoço do combatente.
  60. 60. Elmo: Peça metálica para proteção da cabeça,utilizada sobre o capuz de malha. Podia ser semi-circular (aberto) ou em forma de bacinete (fechado).
  61. 61. Maça: Arma largamenteutilizada na Idade Média, era composta de um hastemetálica e uma extremidade arredondada ou poligonal dotada de pontas afiladaspara ferir o inimigo. E outros, como o escudo oblongo, utilizado por combatentes cristãos. O escudo arredondado , era característico das tropas muçulmanas, embora fosseutilizado por ambos os lados.
  62. 62. Besta: Precursoradas espingardas,as bestas eramarmas depropulsão quedisparavam setas(tambémconhecidas comoquadrelos) pormeio de umsistema depropulsão similarao dos arcos,accionado por umgatilho ou chave.
  63. 63. A couraça :É uma peça de armadura largamenteutilizada, nomeadamente pelos cavaleiros, em diversosperíodos da Idade Média.Dupla-couraça - era umavariedade da couraça sembraçais ou escarcelas e queapresentava no peito o auxílioprotetor de uma chapa deferro, anexada por parafusos,que protegia do ataque deprojéteis das armas de fogomais primitivos, todavia erampesados e o seu custo defabrico era exacerbado, peloque o seu uso não era muitocomum.
  64. 64. Se em tempos de guerra o papel do ferreiro era umdos mais importantes, também em tempos de paz eraum dos oficiais mais procurados, quer no campo, quer na cidade, sendo que o seu trabalho se revela de extrema importância em todas as actividades, mas muito em especial nas ligadas à agricultura – tantopara o afiar das ferramentas, como para concertar ou fazer de novo forquilhas, enxadas, sacholas, machados, cunhas e tudo o demais necessário aos serviços da lavoura.
  65. 65. Algumas das alfaisagrícolas naidade média.
  66. 66. AradoArado é um instrumento que serve para lavrar (arar) os campos,revolvendo a terra com o objetivo de descompactá-la e, assim,viabilizar o desenvolvimento das raízes das plantas. É uma dasetapas agrícolas que antecede a semeadura .Além desse objetivoprimacial, a aração permite um maior arejamento do solo, o quepossibilita o desenvolvimento dos organismos úteis, como asminhocas, além de, em alguns casos, permitir a mistura denutrientes (adubos, químicos ou orgânicos; corretivos de acidez,etc.)Nossos antepassados usavam galhos de árvores para afofar osolo e fazer sulcos onde eram colocadas as sementes, comoenxadas primitivas. Um dos primeiros usos dos metais foi aconfecção de instrumentos para trabalhar a terra.
  67. 67. O trabalho na IdadeMédia, era coisa para osservos (conhecidos nonosso dia-a-dia comotrabalhadores escravos).A sociedade era declasses e quem nasciaservo morria servo, ouseja só as pessoas quenasciam em famíliaspobres realmentetrabalhavam e nãoganhavam com seutrabalho o suficiente paraviverem, os outros sóusufruíam do que era feito
  68. 68. A crise no mundo feudal foi causada pela melhoria noarado e na rotação de culturas, resultando em umagrande produção de alimentos....esse excedente passaa ser comercializado entre os feudos.. .. o comérciorenasce.... as moedas voltam a circular.... a populaçãodos feudos aumenta e o senhor feudal não tem comosustentá-los.... muitos partem para sercomerciantes.....logo surgem muitas feiras e muitasdessas se tornam cidades....essas cidades crescem tanto que passam a reivindicarautonomia dos feudos a quem pertenciam.....
  69. 69. ==O trabalho==O modo de produção feudal próprio do Ocidenteeuropeu tinha por base a economia agrária, deescassa circulação monetária, auto-suficiente. Apropriedade feudal pertencia a uma camadaprivilegiada, composta pelos senhores feudais, altosdignitários da Igreja (o clero) e longínquosdescendentes dos chefes tribais germânicos.
  70. 70. Metalurgia. É aciência que estuda os metaisdesde sua extracção dosubsolo até á suatransformação em produtosadequados ao uso. Designaum conjunto deprocedimentos e técnicaspara extracção, fabricação,fundição e tratamento dosmetais e das suas ligas.
  71. 71. Actualmente, esta profissão, a de ferreiro, caiu em desuso devido ao desenvolvimento da indústria.
  72. 72. Bibliografia: www.suapesquisa.com/feudalismopt.wikipedia.org/wiki/Ferreirohttp://www.tecmundo.com. www.tecmundo.com.

×