Your SlideShare is downloading. ×
Variação linguistica   aulão
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Variação linguistica aulão

49,865
views

Published on

Aulão sobre variações linguísticas, o papel social da linguagem, tipos de gramática e o preconceito lingüístico.

Aulão sobre variações linguísticas, o papel social da linguagem, tipos de gramática e o preconceito lingüístico.


2 Comments
10 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
49,865
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
1,194
Comments
2
Likes
10
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Professora Jordana Érica
  • 2. Você se descabela quando pensa em estudar a Língua Portuguesa?
  • 3. Se acha incapaz de aprender?
  • 4. Aprender Língua Portuguesa pode parecer difícil, mas não é, afinal, é a língua que você fala.
  • 5. Há diferentes gramáticas
  • 6. Alguns exemplos: Gramática normativa Gramática internalizada
  • 7. [...] qualquer falante de português possui um conhecimento implícito e altamente elaborado da Língua, muito embora não seja capaz de explicitar esse conhecimento.
  • 8. A gramática normativa trata apenas da modalidade padrão da língua, mas não podemos esquecer que a linguagem é influenciada por muitos fatores.
  • 9. Modalidade: 1. Escrita e falada Variações linguísticas
    • 1. Variantes regionais
    • 2. Variantes sociais ( norma culta e norma popular)
    • 3. Variantes de época
  • 10. Modalidade escrita e modalidade falada
    • FALA - não há tanta preocupação com a norma padrão;
    • - uso de gestos, expressão corporal e facial.
    • ESCRITA – preocupação com a norma padrão.
  • 11. Variantes regionais
  • 12. Minas gerais
  • 13. ceará
  • 14.
    • Variante social
  • 15. Norma popular, coloquial ou informal
    • Sou fio das mata, canto da mão grossa, Trabáio na roça, de inverno e de estio. A minha chupana é tapada de barro, Só fumo cigarro de paia de mío. Sou poeta das brenha, não faço o papé De argun menestré, ou errante cantô Que veve vagando, com sua viola, Cantando, pachola, à percura de amô. Não tenho sabença, pois nunca estudei, Apenas eu sei o meu nome assiná. Meu pai, coitadinho! Vivia sem cobre, E o fio do pobre não pode estudá. Meu verso rastero, singelo e sem graça, Não entra na praça, no rico salão, Meu verso só entra no campo e na roça Nas pobre paioça, da serra ao sertão. (...) (Patativa do Assaré)
  • 16.  
  • 17.  
  • 18. Norma culta, padrão ou formal
    • “ A paz e a guerra são dados que aparentemente sempre se verificam na experiência histórica. No entanto nós estamos diante de uma situação inédita em que, ....”
  • 19.
    • Variante de época
  • 20. Variantes de época
    • Antigamente "Antigamente, as moças chamavam-se mademoiselles e eram todas mimosas e muito prendadas. Não faziam anos: completavam primaveras, em geral dezoito. Os janotas, mesmo sendo rapagões, faziam-lhes pé-de-alferes, arrastando a asa, mas ficavam longos meses debaixo do balaio.“
    • Carlos Drommond de Andrade
  • 21. Variantes de época
    • - E aí, cara? Vamos no cinema? - Sei lá, Marcos. Tô deprê...
    • - Eu também tava, cara. Mas já tô melhor. E lá fomos nós. O ônibus atrasou, e nós pagamos o maior mico, porque, quando chegamos, o filme já tinha começado. Teve até um mané que perguntou se a gente tinha chegado pra próxima seção. Saímos de lá, comentando: - Que filme massa! - Maneiro mesmo! Mas já era tarde, e nem deu pra contar os últimos babados pro Zeca. Afinal, segunda-feira é dia de trampo e eu detesto queimar o filme com o patrão. Não vejo a hora de chegar o final de semana de novo para eu agitar um pouco mais.
  • 22.  
  • 23.
    • Uma questão polêmica
  • 24. Existe erro? Até que ponto se deve ensinar a modalidade coloquial da língua na escola? Por causa do livro “Por uma vida melhor” criou-se uma polêmica em torno dessas questões.
  • 25.  
  • 26.
    • Não há certo ou errado no uso da língua, o que há na verdade é uma forma adequada ou inadequada de usar a linguagem num determinado contexto.
  • 27.
    • Casos:
    • 1. Um advogado num tribunal do júri:
    • - É evidente que a testemunha está faltando com a verdade.
    • 2. Um advogado conversando com um colega:
    • - Tá na cara que a testemunha tá enrolando.
  • 28. Cabe ao professor desenvolver nos alunos a competência linguística necessária para que ele saiba utilizar a linguagem adequada às diversas situações de comunicação.
  • 29.  
  • 30.
    • Todas as variedades constituem sistemas linguísticos perfeitamente adequados para a expressão comunicativa e cognitiva dos falantes. O preconceito linguístico é uma forma de discriminação que deve ser enfaticamente combatida.
  • 31.
    • ATIVIDADE
  • 32.  
  • 33.  
  • 34.  
  • 35.  
  • 36.  
  • 37.  
  • 38.  
  • 39.  
  • 40.  
  • 41.  
  • 42.  
  • 43.  
  • 44.  
  • 45.  
  • 46.  
  • 47.  
  • 48.  
  • 49.  
  • 50.  
  • 51.  
  • 52.  
  • 53.  
  • 54.  
  • 55.  
  • 56.  
  • 57.  
  • 58.  
  • 59.  
  • 60.