Atendimento pré hospitalar -1

34,618 views
34,340 views

Published on

Published in: Education
3 Comments
16 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
34,618
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
3
Likes
16
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Atendimento pré hospitalar -1

  1. 1. ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR Enfº Eduardo Gomes da Silva COREN 001790 Enfª Juliana Lopes Figueiredo COREN 99792
  2. 2. Cronograma <ul><li>Apresentação do curso </li></ul><ul><li>Introdução do APH </li></ul><ul><li>Revisão anatômica </li></ul><ul><li>Aspectos éticos e legais do APH </li></ul><ul><li>Suporte Básico à Vida </li></ul><ul><li>Equipamentos Utilizados e Rotina Pré-Hospitalar </li></ul><ul><li>Central de Regulação Médica e setor operacional </li></ul><ul><li>Biomecânica do trauma </li></ul><ul><li>Atendimento Pré-Hospitalar ao Traumatizado </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  3. 3. Cronograma <ul><li>Trabalho de parto e considerações obstétricas </li></ul><ul><li>Suporte Básico à Vida em Pediatria e Considerações especiais no trauma pediátrico </li></ul><ul><li>Noções em Suporte Avançado em Cardiologia </li></ul><ul><li>Catástrofes </li></ul><ul><li>Produtos perigosos </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  4. 4. Finalidade <ul><li>Proporcionar aos técnicos de enfermagem, conhecimentos e habilidades necessárias em atendimento pré-hospitalar de vítimas de traumas ou emergências médicas de origem clínica </li></ul><ul><li>Estabilizar vítimas dentro dos limites do Código de Ética Profissional de Enfermagem e de acordo com protocolos reconhecidos pelo Ministério da Saúde </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  5. 5. Finalidade <ul><li>Transportar vítimas com segurança ao ambiente de Pronto Atendimento para receber assistência médica adequada e definitiva </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  6. 6. Objetivos de Desempenho <ul><li>Assegurar a cena de emergência </li></ul><ul><li>Avaliar a cena de emergência e prestar informações da situação à central de regulação médica </li></ul><ul><li>Solicitar suporte adicional necessário </li></ul><ul><li>Obter acesso até a vítima </li></ul><ul><li>Selecionar e utilizar de forma adequada os equipamentos e materiais para ocorrência </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  7. 7. Objetivos de Desempenho <ul><li>Efetuar estabilização da vítima conforme protocolo do M.S. </li></ul><ul><li>Remover e transportar adequadamente a vítima </li></ul><ul><li>Transmitir informações sobre as condições da vítima e procedimentos adotados </li></ul><ul><li>Preparar equipamentos e materiais para atendimentos </li></ul><ul><li>Efetuar registros e relatórios correspondentes à ocorrência atendida </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  8. 8. Avaliação do Processo de Ensino <ul><li>Trabalhos e avaliações de valores 0,0 (zero) a 10,0 (dez), com média mínima 7,0 </li></ul><ul><li>Simulações variadas </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  9. 9. Aspectos Gerais <ul><li>A certificação implica na garantia que todos os objetivos do curso foram alcançados, conforme avaliações e práticas </li></ul><ul><li>Não será permitido uso de telefones celulares, pager ou aparelhos eletrônicos durante as aulas desde que não atrapalhe o raciocínio dos demais ocupantes </li></ul><ul><li>Evitar-se-á interrupções desnecessárias durante as aulas, exceto em casos extremos </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  10. 10. Aspectos Gerais <ul><li>Uso de fumo </li></ul><ul><li>Uniformes </li></ul><ul><li>Materiais de consumo </li></ul><ul><li>Peças anatômicas </li></ul><ul><li>Laboratório </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  11. 11. Definições de Atendimento Pré-Hospitalar <ul><li>É a prestação de suporte básico ou avançado de vida, por profissional qualificado e habilitado de acordo com a legislação vigente para avaliar, identificar e corrigir, no local da ocorrência, os problemas que comprometam a vida de uma vítima acidentada ou por condições clínicas, transportando-a com segurança ao recurso hospitalar </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  12. 12. Definições de Atendimento Pré-Hospitalar <ul><li>Conjunto de medidas e procedimentos técnicos que objetivam o suporte de vida à vítima/paciente/cliente (básico ou avançado), estabelecendo padrão vital que mais se assemelhe da normalidade </li></ul><ul><li>Tem como conceito supremo não agravar lesões já existentes ou gerar lesões que não existam (iatrogenias), bem como transportar a vítima para centro hospitalar </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  13. 13. Atendimento Pré-Hospitalar Móvel <ul><li>De acordo com MS, o nível pré-hospitalar móvel na área de urgência, é o atendimento que procura chegar precocemente à vítima, após um agravo de saúde de natureza clínica, cirúrgica, traumática ou psiquiátrica </li></ul><ul><li>Em todos os casos pode levar ao sofrimento, sequelas ou mesmo à morte sendo necessário prestar-lhe atendimento ou transporte adequado a um serviço devidamente hierarquizado e integrado ao SUS </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  14. 14. Atendimento Pré-Hospitalar Móvel <ul><li>Deve ser entendido como atribuição da área de saúde, sendo vinculado a uma Central de Regulação, com equipe e frota de veículos compatíveis com as necessidades de saúde da população de um município ou uma região </li></ul><ul><li>O serviço deve contar com a retaguarda da rede de serviços de saúde devidamente regulada, disponibilizada conforme critérios de hierarquização e regionalização </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  15. 15. Atendimento Pré-Hospitalar Móvel <ul><li>O mesmo deve estar vinculado a uma Central de Regulação de Urgências e Emergências </li></ul><ul><li>A central deverá ser de acesso fácil ao público, por via telefônica, em sistema gratuito com número 192 (número nacional de emergência) </li></ul><ul><li>Todos os pedidos de socorro médico que derem entrada por meio de outras centrais, como da polícia militar, corpo de bombeiros devem ser retransmitidos à Central de Regulação por intermédio do sistema de comunicação </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  16. 16. Atendimento Pré-Hospitalar Móvel <ul><li>O número deve ser amplamente divulgado à comunidade </li></ul><ul><li>O atendimento no local é monitorado via rádio pelo médico regulador que orienta a equipe de intervenção quanto aos procedimentos necessários à condução do caso </li></ul><ul><li>Deve existir uma rede de comunicação entre a Central, as ambulâncias e todos os serviços que recebem os pacientes </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  17. 17. Equipe Profissional <ul><li>Devem contar com equipes profissionais oriundos da área de saúde </li></ul><ul><li>Os profissionais de enfermagem devem estar habilitados pelos núcleos de educação em urgências, cuja indicação é indicada pelo presente Regulamento e cumpram o conteúdo curricular mínimo nele proposto </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  18. 18. Equipe Profissional <ul><li>Coordenador do Serviço: profissional oriundo da área de saúde, com experiência e conhecimento comprovados na atividade de atendimento pré-hospitalar às urgências e de gerenciamento de serviços e sistemas </li></ul><ul><li>Responsável técnico: médico responsável pelas atividades médicas do serviço </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  19. 19. Equipe Profissional <ul><li>Responsável de enfermagem: enfermeiro responsável pelas atividades de enfermagem </li></ul><ul><li>Médicos reguladores: médicos que com base nas informações colhidas dos usuários, quando estes acionam a central de regulação; são responsáveis pelo gerenciamento, definição e operacionalização dos meios disponíveis e necessários para responder a tais solicitações, utilizando-se de protocolos técnicos e da faculdade de arbitrar sobre equipamentos de saúde do sistema necessários ao adequado atendimento ao paciente </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  20. 20. Equipe Profissional <ul><li>Médicos intervencionistas: médicos responsáveis pelo atendimento necessário para reanimação e estabilização do paciente, no local do evento e durante o transporte </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  21. 21. Equipe Profissional <ul><li>Enfermeiros assistenciais: enfermeiros responsáveis pelo atendimento de enfermagem necessário para reanimação e estabilização do paciente, no local do evento e durante o transporte </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  22. 22. Equipe Profissional <ul><li>Auxiliares e técnicos de enfermagem: atuação sob supervisão imediata do profissional enfermeiro </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  23. 23. Equipe Profissional <ul><li>Além desta equipe de saúde, em situações de atendimento às urgências relacionadas às causas externas ou de pacientes em locais de difícil acesso, deverá haver ação pactuada, complementar e integrada de outros profissionais não oriundos da área de saúde (bombeiros militares, policiais militares e rodoviários) formalmente reconhecidos pelo gestor público para o desempenho de ações de segurança, socorro público e salvamento </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  24. 24. Equipe Profissional <ul><li>Essas ações consistem em sinalização do local, estabilização de veículos acidentados, reconhecimento e gerenciamento de riscos potenciais (incêndio, materiais energizados, produtos perigosos) obtenção de acesso ao paciente e suporte básico à vida </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  25. 25. Perfil do Profissional Técnico de Enfermagem em APH <ul><li>Profissional devidamente habilitado pelo Conselho Regional de Enfermagem </li></ul><ul><li>Conclusão de Cursos de especialização em Atendimento Pré-Hospitalar em escolas devidamente credenciadas e regulamentadas pelo MEC </li></ul><ul><li>Condicionamento físico: devido às particularidades do serviço que exige esforço físico decorrente do grande número de ocorrências diárias atendidas </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  26. 26. Perfil do Profissional Técnico de Enfermagem em APH <ul><li>Boa apresentação pessoal: representa organização. Por questões de biossegurança, uso de uniforme padronizado </li></ul><ul><li>Sigilo profissional </li></ul><ul><li>Controlar vocabulário: termos inapropriados ou que porventura aborreça a vítima e seus acompanhantes – uso de gírias </li></ul><ul><li>Estabilidade emocional: evitando envolvimento no atendimento da ocorrência; neutralidade </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  27. 27. Perfil do Profissional Técnico de Enfermagem em APH <ul><li>Iniciativa: condutas adequadas para assumir controle da situação e assegurando recursos necessários para atendimento </li></ul><ul><li>Amabilidade: compreensão do sofrimento alheio; respeito! </li></ul><ul><li>Criatividade: “APH não é piscina; é mar aberto” </li></ul><ul><li>Trabalho em equipe </li></ul><ul><li>Capacidade de trabalhar sob pressão </li></ul>Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  28. 28. Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino
  29. 29. Obrigado. Enfº Eduardo Gomes da Silva – COREN 001790 Contatos e cursos: [email_address] [email_address] (013) 96150647 Informações: Escola Técnica Skin-Line - 32376550 Grupo Aliança de Enfermagem Salvando Vidas com Qualidade de Ensino

×