MatemáTica Estudo Dos Log
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

MatemáTica Estudo Dos Log

on

  • 46,228 views

 

Statistics

Views

Total Views
46,228
Views on SlideShare
46,228
Embed Views
0

Actions

Likes
4
Downloads
224
Comments
2

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

12 of 2

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    MatemáTica Estudo Dos Log MatemáTica Estudo Dos Log Document Transcript

    • 1 LOGARITMOS Professor Cláudio Kaneko E-mail: claudiokaneko@hotmail.com ESTUDO DOS LOGARITMOS LOGARITMO DE UM NÚMERO REAL Sejam a e b números reais positivos e b ≠ 1. Conclusão: a base de um logaritmo não pode ser Chama-se logaritmo de a na base b o expoente x tal negativa, não pode ser igual a zero nem igual a um. x que b = a. Ou seja: d) Não existe log 2 (-8) , pois não existe x real para que x x log b a = x ⇔ b = a se tenha 2 = -8. Onde: e) Não existe log 5 0, pois não existe x real para que se x a → logaritmando ou antilogaritmo tenha 5 = 0. b → base Conclusão: o logaritmando não pode ser negativo e x → logaritmo nem igual a zero. a > 0 Exemplo: C.E. :  0 < b ≠ 1 Determine: a) log 2 8 Resolução: CONSEQUÊNCIAS DA DEFINIÇÃO Exemplo: Representando por x o valor procurado, temos: x x 3 Considerando a definição e as condições de existên - log 2 8 = x ⇔ 2 = 8 ⇔ 2 = 2 ⇔ x = 3 cia de um logaritmo, calcule: Portanto, log 2 8 = 3 a) log 5 1 Resolução: b) log 3 9 Representando por x o valor procurado, temos: Resolução: x x 0 Representando por x o valor procurado, temos: log 5 1 = x ⇔ 5 = 1 ⇔ 5 = 5 ⇔ x = 0 x x 2 Ou seja: log 5 1 = 0 log 3 9 = x ⇔ 3 = 9 ⇔ 3 = 3 ⇔ x = 2 Portanto, log 3 9 = 2 b) log 3 3 Resolução: APLICAÇÕES Representando por x o valor procurado, temos: x 1 01. Calcule: log 3 3 = x ⇔ 3 = 3 ⇔ x = 1 a) log 2 16 e) log 2 2 Ou seja: log 3 3 = 1 b) log 3 243 f) log 17 1 5 c) log 7 (1/49) g) log (5/3) 0,6 c) log 2 2 d) log 10 1000 Resolução: Representando por x o valor procurado, temos: 5 x 5 log 2 2 = x ⇔ 2 = 2 ⇔ x = 5 02. Calcular o valor de x na igualdade: log 9 3 27 = x. 5 Ou seja: log 2 2 = 5 03. Determine o valor de: d) 5 log5 25 3 2 Resolução: a) log 5 5 5 c) log 4 2 Analisando o expoente temos: 2 b) log 0,2 0,04 d) log 0,04 0,2 log 5 25 ⇔ log 5 5 ⇔ log 5 25 = 2 Substituindo o valor encontrado temos: 5 log5 25 = 5 = 25 2 04. O valor de log 8 3 16 é: a) 4/9 b) 4/3 c) 1/3 d) 3 e) 4 Ou seja: 5 log5 25 = 25 CONDIÇÕES DE EXISTÊNCIA A partir dos exemplos acima é possível observar A partir dos exemplos abaixo, vamos estabele - que: cer alguns critérios para a existência de um logaritmo. Exemplos: log b 1 = 0 log a a = 1 a) Não existe log –3 27, pois não existe x real para que x se tenha (-3) = 27. b) Não existe log 0 7, pois não existe x real para que se x tenha 0 = 7. n log a a = n b logba = a c) Não existe log 1 3, pois não existe x real para que se x tenha 1 = 3. www.professorkaneko.blogspot.com
    • Matemática – Logaritmos – Professor Cláudio Kaneko APLICAÇÕES Então: 05. Qual é o logaritmo de 49 na base 7? E o logaritmo log b a = log b c ⇔ a = c de 1/8 na base 4? Exemplo: 06. Calcular com o auxílio da definição: Sendo log 3 x = log 3 9, encontre o valor de x. a) log 1 27 b) log 3 27 Resolução: 3 9 log 3 x = log 3 9 ⇔ x = 9 07. Determinar o valor de base n que verifica a igualda - de log n 16 = 4 PROPRIEDADES OPERATÓRIAS Os logaritmos apresentam algumas proprieda - 08. Calcule os seguintes logaritmos: des que tornam fundamental a sua utilização, principal - mente na simplificação de cálculos. Dentre elas a) log 1 3 3 f) log16 3 8 teremos: 9 P1) Logaritmo de Um Produto 7 3 b) log 7 g) log 1 5 3 log a (M . N) = log a M + log a N 49 25 P2) Logaritmo de Um Quociente c) log 125 0,6 h) log 2 16 2 27 log a (M : N) = log a M - log a N  93  d) log1,4  2 +  i) log100 0,001 P3) Logaritmo de Uma Potência  125  144 k log a n = k . log a n e) log 13 j) log 1 77 7 12 169 7 Exemplos: 09. Calcule o valor dos logaritmos abaixo: a) log 3 (4 . 5) = log 3 4 + log 3 5 a) log 2 32 h) log 3 (1/81) b) log 2 3 + log 2 7 = log 2 (3 . 7) b) log 3 81 i) log 0,01 1000 c) log 5 (10 : 5) = log 5 10 - log 5 5 c) log 25 125 j) log 0,01 0,0001 d) log 3 27 - log 3 9 = log 3 (27 : 9) 3 e) log 2 8 = 3 . log 2 8 d) log 4 2 k) log 0,0625 (1/1024) f) 2 . log 5 125 = log 5 125 2  12 2  e) log 10 0,001 l) log 5  2 4  3 .2  APLICAÇÕES   f) log 5 625 13. Determinar o valor de log 6, sabendo que log 2 = a e g) log 7 343 log 3 = b.  2  14. Se log a b = 1, então calcular log a (a . b). 10. O valor de log 4    log 4  é:  16  15. Se log 2 b – log 2 a = 5, então determinar o quociente a) 4 b) 1/2 c) 10 d) 1 e) 16 b / a. 11. Calcule a soma S em cada caso: 16.(Fuvest-SP) Resolvendo-se 3 log x = 2 log 8, iremos 1 obter: a) S = log 2 8 + log 3 + log 5 5 2/3 9 a) x = ± 4 c) x = 4 e) x = ( 8 ) b) S = log100 0,1 + log 25 3 5 - log 2 b) x = ± 1/4 d) x = 1/4 2 c) S = log 3 0,6 - log 10 0,001 + log 1 2 17. Considerando log a 2 = 0,69 e log a 3 = 1,10, calcular 5 8 log a 4 12 . 12.(IME-RJ) Calcule o valor do logaritmo de 625 na ba- 18. Considerando log 2 = 0,3010 e log 3 = 0,4771, cal- se 53 5 . cular: a) log 8 g) log 0,0001 IGUALDADE ENTRE LOGARITMOS b) log 12 h) log 200 Dois logaritmos na mesma base serão iguais, c) log 72 i) log 3000 se, e somente se seus logaritmandos também forem d) log 2 j) log 3 60 iguais. e) log 108 k) log 4 1,2 0,5 f) log 5 l) log (0,54) www.professorkaneko.blogspot.com
    • Matemática – Logaritmos – Professor Cláudio Kaneko 19. Calcule log 24, sabendo que log 2 = a e log 3 = b. 27. Considere log 2 = 0,301 e log 3 = 0,477 e mostre que colog 3 2 = log 1/3 2. 20.(FAAP-SP) Ache y real sabendo-se que: 28. Qual é a base de um sistema logarítmico, onde o log 2 y = log 2 3 + log 2 6 – 3 log 2 4 2 logaritmo é 1/2 e o antilogaritmo é . 2 21.(Objetivo-SP) Se log x y = 2, então log x (xy) é: a) 0 b) 1 c) 2 d) 3 e) 4 EQUAÇÕES LOGARÍTMICAS 22.(FGV-SP) Considerando o valor de log 10 2 = 0,3010 São equações que apresentam a incógnita e log 10 3 = 0,4771, então poderemos afirmar que o valor localizada no logaritmando e/ou na base do logaritmo. de log 10 0,6 será igual a: Exemplos: a) 1,7781 d) – 0,2219 a) log 3 (log 2 x) = 2 b) – 0,7781 e) 0,2219 b) log x (x + 6) = 2 c) 0,7781 As equações logarítmicas podem se apresentar em dois tipos básicos que são: 23.(PUC-SP) O valor de log 0,04 125 é igual a: Aquelas em que aplicaremos apenas a defini- a) –2/3 b) –4/3 c) –3/2 d) 2/3 e) 4/3 1º TIPO ção de logaritmo para sua resolução. 2 2 24.(Fuvest-SP) Sabendo-se que a + b = 70ab, calcule Exemplos: Determinar o conjunto solução das seguintes equa - log 5 (a + b )2 em função de m = log 2 e n = log 3. ções logarítmicas: 5 5 ab a) log 5 (log 2 x) = 0 Resolução: log x + log 2 y = 1 Aplicando a definição, duas vezes, obtemos: 25.(PUCCAMP-SP) O sistema  2 tem so log 5 (log 2 x) = 0 4x - 3y = 5 lução, tal que x + y seja igual a: a) 3 b) 1 c) –11/7 d) 41/12 0 log 2 x = 5 C.E: x > 0 log 2 x =1 1 MUDANÇA DE BASE x = 2 ⇔ x =2 S={2} log c b log a b mudando para base “c” log c a b) log x (x + 6) = 2 Inicialmente aplicaremos a definição de logarit - mo e, em seguida, resolveremos a equação do 2º grau. Exemplo: Resolução: Mudar para base “2” os logaritmos: log x (x + 6) = 2 a) log 4 5 C.E: x + 6 > 0 ⇔ x > -6 Resolução: 1≠x>0 log 2 5 2 x =x+6 log 4 5 = 2 log 2 4 x –x–6=0 b) log 1/8 9 a = 1; b = -1 e c = -6 2 Resolução ∆ = (-1) – 4 . 1 . (-6) = 25 log 2 9 1 ± 5 x' = - 2 (não convém, pois contraria a C.E.) log 1 9 = x=  8 log 2 (1/8) 2 x" = 3 S={3} COLOGARITMO APLICAÇÕES colog a b = - log a b 29. Resolver as equações: Exemplo: a) log 1/2 (log 9 x) = 1 a) colog 2 8 = - log 2 8 = -3 b) log 3 (2x – 1) = 4 b) colog 3 1/9 = - log 3 1/9 = -(-2) = 2 30. Resolver a equação log 2 [log x (x + 2)] = 1 APLICAÇÕES 31. Determine o conjunto verdade das seguintes equa - 26. Considerando log 2 = 0,3010 e log 3 = 0,4771, ções logarítmicas: calcule: a) log 7 (log 2 x) = 0 b) log 3 (log 5 x) = 1 a) log 6 4 c) log 3 12 e) colog 3 108 c) log 2 (x + 4) = 3 -1 b) log 6 d) colog 72 f) colog 15 www.professorkaneko.blogspot.com
    • Matemática – Logaritmos – Professor Cláudio Kaneko Aquelas em que aplicaremos as proprie - QUESTÃO 25: A 2º TIPO dades do logaritmo para a resolução. QUESTÃO 26: a) 0,7736 b) 0,3890 c) 0,3597 d) –1,8572 Exemplo: e) –0,6777 f) 1,1761 Determinar o conjunto solução da equação logarítmi - QUESTÃO 27: -0,630 QUESTÃO 28: 1/2 ca: log 3 (x + 7) + log 3 (x – 1) = 2 QUESTÃO 29: a) 3 b) 41 QUESTÃO 30: 2 Resolução: QUESTÃO 31: a) 2 b) 125 c) 4 QUESTÃO 32: 3 Inicialmente aplicaremos a propriedade relativa ao logaritmo do produto, ou seja: QUESTÃO 33: 2 QUESTÃO 34: 4 QUESTÃO 35: 1 log 3 (x + 7) + log 3 (x – 1) = 2 log 3 [(x + 7) . (x – 1)] = 2 C.E: x + 7 > 0 ⇔ x > -7 x–1>0⇔x>1 AS MARAVILHAS DA MATEMÁTICA! 2 (x + 7) . (x – 1) = 3 2 x – x + 7x – 7 – 9 = 0 ACÚSTICA E LOGARITMO 2 x + 6x – 16 = 0 a = 1; b = 6 e c = -16 A ciência, nas suas várias ramificações, foi ∆ = 100 beneficiada pelo advento do logaritmo. A título de exemplo, - 6 ± 10 x' = - 8 (não convém) descreveremos uma dessas aplicações. x=  Ao estudar ondas sonoras, percebe-se que o som 2 x" = 2 apresenta características como: altura, intensidade e timbre. S={2} No caso da intensidade (I), que representa a potência de uma onda sonora por unidade de área (W/m2), APLICAÇÕES encontraremos detalhes interessantes como é o caso da limitação 32. Resolver a equação log 2 (x – 1) + log 2 (x – 2) = 1. auditiva. Para 33. Qual é o conjunto verdade da equação logarítmica a perceber a on seguir log x (3x + 4) = log x (4x + 2)? da sonora, o tímpano hu 34. Resolver a equação log 4 x + log 4 (x + 12) = 3. mano neces sita que ela 35. Encontre o conjunto solução da equação abaixo: tenha, no mí log 3 (2x + 1) + log 3 (x + 8) = 3 nimo, uma in tensidade I0 = 10-12 (W/m2), chamado de limiar de audibilidade e, no máximo, de 1 (W/m2), chamado de limiar GABARITO da dor. QUESTÃO 01: a) 4 b) 5 c) –2 d) 3 e) 1 f) 0 g) -1 O nível sonoro (N) representa a comparação entre a intensidade sonora (I) e o limiar da audibilidade (I0). A sua QUESTÃO 02: x = 5/4 unidade usual chama-se decibel (dB). A grandeza nível sonoro (N) obedece a uma escala QUESTÃO 03: a) 3/2 b) 2 c) –1/3 d) 1/2 logarítmica, sendo definida por: QUESTÃO 04: A QUESTÃO 05: 2 e –3/2 I QUESTÃO 06: a) –3/4 b) 2 QUESTÃO 07: n = 2 N = 10 . log I0 QUESTÃO 08: a) –3/4 b) 1/3 c) –1/3 d) 3 e) –2 f) 1/4 g) –1/6 h) 9/2 i) –3/4 j) –8/7 É possível relacionar esses conceitos com diversas QUESTÃO 09: a) 5 b) 4 c) 3/2 d) 1/4 e) –3 f) 4 g) 3 situações do cotidiano. h) –4 i)-3/2 j) 2 k) 5/2 l) 0 - O ouvido humano apresenta lesões irrecuperáveis QUESTÃO 10: D QUESTÃO 11: a) 3/2 b) –14/6 c) 41/6 sempre que é exposto, por um determinado tempo, a níveis sonoros (N) superiores a 80 (dB). QUESTÃO 12: 3 QUESTÃO 13: a + b QUESTÃO 14: 2 - As unidades bel (B) e decibel (dB) representam uma QUESTÃO 15: 32 QUESTÃO 16: C QUESTÃO 17: 0,62 homenagem ao físico escocês Alexander Graham Bell (1847 – 1922). QUESTÃO 18: a) 0,9030 b) 1,0791 c) 1,8572 d) 0,1505 e) 1,0167 f) 0,6990 g) –4 h) 2,3010 i) 3,4771 j) 0,5927 k) 0,0198 l) –0,13385 QUESTÃO 19: 3a + b QUESTÃO 20: 9/32 QUESTÃO 21: D QUESTÃO 22: D QUESTÃO 23: C QUESTÃO 24: 3m + 2n www.professorkaneko.blogspot.com