0
MEMBRO
SUPERIOR
1º AULA
Anatomia Orientada Para
Clínica Keith L. Moore - 6
edição
Eduardo Moreira Saboia Gomes
 Introdução;
 Segmentos do Membro Superior;
 Comparação Com o Membro Inferior;
 Ossos do Membro Superior;
 Ombro;
 B...
INTRUDUÇÃO:
 Habilidades de golpear e executar sequências de movimentos finos, como as
diversas formas de manipulação de ...
INTRUDUÇÃO:1
 Introdução;
 SEGMENTOS DO MEMBRO SUPERIOR;
 Comparação Com o Membro Inferior;
 Ossos do Membro Superior;
 Ombro;
 B...
1 2
SEGMENTOS DO MEMBRO SUPERIOR:
 Segmento proximal do membro,
superpõe a partes do tronco e à
região lateral inferior d...
1 2
SEGMENTOS DO MEMBRO SUPERIOR:
 Segundo segmento mais longo, une o
cotovelo ao punho. Possui duas
regiões antebraquiai...
2 SEGMENTOS DO MEMBRO SUPERIOR:
 Introdução;
 Segmentos do Membro Superior;
 COMPARAÇÃO COM O MEMBRO
INFERIOR;
 Ossos do Membro Superior;
 Ombro;
 B...
COMPARAÇÃO COM O MEMBRO INFERIOR:
 Estabilidade sacrificada em prol da motilidade;
 Ambos possuem um osso plano posterio...
 Os ramos do púbis e a clavícula são pequenos suportes
ósseos para que os músculos fixados na escápula e pelve
unam-se ao...
 O Cíngulo do M.S. está unido apenas anteriormente pelo esterno por uma
articulação flexível com 3 graus de liberdade;
 ...
 Apenas no antebraço os dois ossos se articulam com o segmento proximal e apenas
na perna os dois ossos se articulem com ...
COMPARAÇÃO COM O MEMBRO INFERIOR:3
 Introdução;
 Segmentos do Membro Superior;
 Comparação Com o Membro Inferior;
 OSSOS DO MEMBRO SUPERIOR;
 Ombro;
 B...
OSSOS DO MEMBRO SUPERIOR:
 Esqueleto Apendicular Superior:
formado pelo CÍNGULO e partes livres
do membro;
 Músculos Tor...
Clavícula: Osso Esponjoso, (trabecular, revestido por compacto)
 Une o membro superior ao tronco;
 Metade Medial Convexa...
 Articula-se com o acrômio da escápula
– Articulação Acromioclavicular;
 Face superior lisa, abaixo da pele e do
platism...
Clavícula: Osso Esponjoso, (trabecular, revestido por
compacto)4
 Tubérculo Conóide – Fixam-se
o ligamento conoide, parte
medial do ligamento
coracoclavicular,
 Linha Trapezóidea – Fixa...
 As curvaturas da clavículas são para
aumentar a resistência;
 É um suporte rígido e móvel,
suspende a escápula e o memb...
 Esse suporte quando imobilizado
permite que as costelas se
elevem durante a inspiração
profunda, principalmente quando
e...
ESCÁPULA: Plano Triangular;
 Possui um movimento considerável sobre a
parede torácica na articulação
escapulotorárica, se...
 Superposta às 2º e 7º
costelas;
 Face Posterior;
 Face Costal - anterior;
ESCÁPULA: Plano Triangular;4
 Espinha da Escápula;
 Fossa Supraespinal;
 Fossa Infra Espinal;
 Corpo da Escápula –
Triângulo;
 Acrômio;
 Tubércul...
 Fossa Subescapular;
ESCÁPULA: Plano Triangular;4
 Ligamento Coracoclavicular –
situa-se entre a Massa Escapular
e a Massa do Membro Inferior;
 Cavidade Glenoidal;
 Proc...
 Ligamento Coracoclavicular – situa-se entre a Massa
Escapular e a Massa do Membro Inferior;
ESCÁPULA: Plano Triangular;4
 ÂNGULO LATERAL;
 CABEÇA;
 COLO;
 MARGEM SUPERIOR – Mais Fina e
curta;
 ÂNGULO SUPERIOR;
 Incisura da Escápula;
ESCÁ...
Úmero: Osso Longo;
 Participa da articulação do ombro e
cotovelo;
 Cabeça;
 Colo Cirúrgico;
 Colo Anatômico;
 Tubércu...
 Sulco Intertubercular – Tendão
delgado da cabeça longa do Bíceps
Braquial;
 Tuberosidade Para o Músculo
Deltoide;
 Sul...
 Cristas Supraepicondilares /
Supracondilares – Medial e
Lateral;
 Epicôndilos Medial e Lateral:
 Medial Músculos Flexo...
ANTEBRAÇO:
 É formado por dois ossos
paralelos unidos por um
membrana (M. Interóssea –
Articulação Fibrosa do Tipo
Sindes...
ULNA: Osso Longo.
 Extremidade Proximal 
articula-se com o úmero na
parte proximal e rádio
lateralmente;
 Olécrano - fo...
 A articulação do cotovelo é do tipo
Gínglimo e não Elipsóidea mesmo
permitindo uma leve abdução e adução
quando ocorre a...
 Crista e Fossa do Músculo Supinador - local
onde se fixa a parte profunda do músculo
supinador;
 Corpo da Ulna – espess...
RÁDIO: Osso Longo.
 Mais lateral e curto;
 Cabeça;
 Colo;
 Tuberosidade do Rádio – Medial, separa
cabeça e colo do cor...
 O corpo aumenta gradativamente em
sentido distal, oposto a ulna;
 Processo estiloide do rádio - maior que
o da Ulna;
 ...
 Margem Interóssea - existe no rádio e
na ulna, e nela que a membrana
interrósea une os dois ossos;
 Membrana Interóssea...
Carpo: Ossos Curtos.
 Punho ou carpo;
 Formado por duas fileiras de
quatro ossos cada;
 Côncavo anteriormente;
 Convex...
 Da região lateral para medial da fileira
proximal para distal:
 Escafóide – articula-se com o rádio, tem o
tubérculo do...
Carpo: Ossos Curtos.4
Carpo: Ossos Curtos.4
 Fileira distal da região lateral para medial:
 Trapézio: articula-se com 1º e 2º metacarpais, escafoide e trapezoide;
...
Carpo: Ossos Curtos.4
Carpo: Ossos Curtos.4
METACARPO: Ossos Longos.
 Forma a palma da mão;
 Composto por cinco ossos metacarpais;
 Cada um tem base, corpo e cabeç...
FALANGES:
 Todos dedos têm três;
 O polegar tem duas – mas são as mais
fortes;
4
 Introdução;
 Segmentos do Membro Superior;
 Comparação Com o Membro Inferior;
 Ossos do Membro Superior;
 Ombro;
 B...
Ossificação da Mão:
 A radiografia do punho e da mão é usada para medir a idade óssea;
 As radiografias são comparadas c...
 Introdução;
 Segmentos do Membro Superior;
 Comparação Com o Membro Inferior;
 Ossos do Membro Superior;
 Ombro;
 B...
ANATOMIA DE SUPERFÍCIE DOS OSSOS DO
MEMBRO SUPERIOR:
ESTRUTURAS PALPÁVEIS:
 Incisura Jugular;
 Extremidade Esternal;
 A...
 Corpo do Úmero;
 Epicôndilos, sendo o medial mais proeminente;
 Olécrano;
 Junto com os epicôndilos formam aproximada...
 Metacarpo;
 Falanges;
 Tubérculo Dorsal do Rádio - O tendão do extensor longo dos dedos passa medial a
ele;
 Processo...
 A Crista da Espinha da Escápula é palpada facilmente em toda sua extensão:
 O ângulo Superior da Escápula situa-se no n...
 As medidas de comparação com o membro contralateral, padrões de crescimento ou tamanho
normal para o membro superior são...
 Introdução;
 Segmentos do Membro Superior;
 Comparação Com o Membro Inferior;
 Ossos do Membro Superior;
 Ombro;
 B...
FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:
 É presa ao esterno e a clavícula, isso
ocorre geralmente quando não a outras
estruturas entre...
 Fáscia Clavipeitoral: é uma lâmina fascial
que se estende a partir da fáscia da axila, é
profunda à Fáscia Peitoral, rec...
 Fáscia Deltóidea  recobre os músculos
escapuloumerais – eles cobrem a escápula e
dão volume ao ombro – essa fáscia desc...
 Os músculos que recobrem a escápula
tanto anteriormente quanto
posteriormente, são cobertos por fáscia
muscular superfic...
 Isso possibilita a fixação parcial dos
músculos nas fáscias, com isso eles se
fixam nelas e nos ossos, adquirindo assim
...
 A Fáscia do Braço  é uma bainha de
fáscia profunda e reveste o braço como
uma manga ajustada sobre a pele,
superiorment...
 Septos Intermusculares Medial e Lateral
 se estendem da fáscia profunda do
braço até as cristas supra-epicondilares
med...
 Os compartimentos fasciais no
antebraço são circundados pela
Fáscia do Antebraço e
separados pela membrana
interóssea qu...
 Posteriormente na extremidade mais
distal do rádio e da ulna a Fáscia do
Antebraço é mais espessa, formando
uma faixa tr...
 Anteriormente a fáscia do antebraço
também sofre um espessamento,
contínuo com o retináculo dos
músculos extensores mas
...
 Retináculo Dos Músculos Flexores /
Ligamento Carpal Transverso  é uma
continuação da fáscia do antebraço
também, entret...
 O Retináculo dos Músculos Flexores
estendem-se entre as proeminências
anteriores dos ossos do carpo
externos e transform...
 Fáscia Profunda da Mão / Palmar
 é continua através dos
retináculos dos flexores e
extensores com a fáscia do
antebraço...
 Aponeurose Palmar  parte central
da fáscia palmar, é espessa,
tendínea e triangular. Estende-se
pelo compartimento cent...
 A aponeurose forma quatro
espessamentos distintos que se irradiam
para a base dos dedos e tornam-se
contínuos com as bai...
 Introdução;
 Segmentos do Membro Superior;
 Comparação Com o Membro Inferior;
 Ossos do Membro Superior;
 Ombro;
 B...
Inervação Cutânea do Membro Superior:
 Existem dois mapas de dermátomos em
uso, um corresponde aos conceitos de
desenvolv...
8 Inervação Cutânea do Membro Superior:
Membro superior.pptx
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Membro superior.pptx

7,718

Published on

0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
7,718
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
146
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Membro superior.pptx"

  1. 1. MEMBRO SUPERIOR 1º AULA Anatomia Orientada Para Clínica Keith L. Moore - 6 edição Eduardo Moreira Saboia Gomes
  2. 2.  Introdução;  Segmentos do Membro Superior;  Comparação Com o Membro Inferior;  Ossos do Membro Superior;  Ombro;  Braço;  Antebraço;  Mão  Ossificação dos Ossos da Mão;  Anatomia de Superfície dos Ossos;  Fáscia Do Membro Superior;  Inervação Cutânea do Membro Superior
  3. 3. INTRUDUÇÃO:  Habilidades de golpear e executar sequências de movimentos finos, como as diversas formas de manipulação de objeto – Mão;  SINCRONIZAÇÃO DAS ARTICULAÇÕES;  CÍNGULO DO MEMBRO SUPERIOR: é um anel ósseo, incompleto posteriormente, formado pelas escápulas e clavículas e completado anteriormente pelo manúbrio do esterno (esqueleto axial) 1
  4. 4. INTRUDUÇÃO:1
  5. 5.  Introdução;  SEGMENTOS DO MEMBRO SUPERIOR;  Comparação Com o Membro Inferior;  Ossos do Membro Superior;  Ombro;  Braço;  Antebraço;  Mão  Ossificação dos Ossos da Mão;  Anatomia de Superfície dos Ossos;  Fáscia Do Membro Superior;  Inervação Cutânea do Membro Superior
  6. 6. 1 2 SEGMENTOS DO MEMBRO SUPERIOR:  Segmento proximal do membro, superpõe a partes do tronco e à região lateral inferior do pescoço. Inclui regiões do peitoral, escapular e deltoidea do membro superior. Além da fossa supraclavicular maior que é parte lateral da região cervical lateral;  Segmento livre do membro, parte mais móvel independente do tronco, une ombro e cotovelo, é o segmento mais longo e divide-se em região braquial anterior e posterior Ombro: Braço:
  7. 7. 1 2 SEGMENTOS DO MEMBRO SUPERIOR:  Segundo segmento mais longo, une o cotovelo ao punho. Possui duas regiões antebraquiais sendo elas anterior e posterior, recobrinco o rádio e a ulna;  Parte distal do antebraço, formada ao redor do carpo, metacarpo e falanges. É constituída em punho, palma, dorso da mão e dedos (incluindo o polegar). Tem muitas terminações sensitivas para tato, dor e temperatura; Mão:Antebraço: 43
  8. 8. 2 SEGMENTOS DO MEMBRO SUPERIOR:
  9. 9.  Introdução;  Segmentos do Membro Superior;  COMPARAÇÃO COM O MEMBRO INFERIOR;  Ossos do Membro Superior;  Ombro;  Braço;  Antebraço;  Mão  Ossificação dos Ossos da Mão;  Anatomia de Superfície dos Ossos;  Fáscia Do Membro Superior;
  10. 10. COMPARAÇÃO COM O MEMBRO INFERIOR:  Estabilidade sacrificada em prol da motilidade;  Ambos possuem um osso plano posteriormente o que possibilita a fixação proximal dos músculos; 3
  11. 11.  Os ramos do púbis e a clavícula são pequenos suportes ósseos para que os músculos fixados na escápula e pelve unam-se ao seus parceiros contra laterais anteriormente;  O Cíngulo do M.I. é unido anteriormente e posteriormente uma vez que tem relação direta com a sustentação do corpo e com a linha de gravidade, essa união forma um anel rígido limitando os movimentos. Além disso os movimentos de um membro influenciam no outro; COMPARAÇÃO COM O MEMBRO INFERIOR:3
  12. 12.  O Cíngulo do M.S. está unido apenas anteriormente pelo esterno por uma articulação flexível com 3 graus de liberdade;  É um anel Incompleto, assim o movimento de um membro independe do outro;  São capazes de atuar com eficácia anteriormente ao corpo, a uma distância e nível que permitem a coordenação oculomanual precisa;  Osso maior e proximal (fêmur e úmero) é solitário;  Dois ossos longos na parte distal, mas menores do que na proximal; COMPARAÇÃO COM O MEMBRO INFERIOR:3
  13. 13.  Apenas no antebraço os dois ossos se articulam com o segmento proximal e apenas na perna os dois ossos se articulem com o segmento distal;  Apenas no antebraço ocorre movimento dos ossos entre si;  Carpo (8) com número semelhante de ossos do Tarso(7);  Os dedos são a parte mais móvel do membro superior, sendo que todas as outras partes do membro superior são mais móveis que a do membro inferior; COMPARAÇÃO COM O MEMBRO INFERIOR:3
  14. 14. COMPARAÇÃO COM O MEMBRO INFERIOR:3
  15. 15.  Introdução;  Segmentos do Membro Superior;  Comparação Com o Membro Inferior;  OSSOS DO MEMBRO SUPERIOR;  Ombro;  Braço;  Antebraço;  Mão  Ossificação dos Ossos da Mão;  Anatomia de Superfície dos Ossos;  Fáscia Do Membro Superior;  Inervação Cutânea do Membro Superior
  16. 16. OSSOS DO MEMBRO SUPERIOR:  Esqueleto Apendicular Superior: formado pelo CÍNGULO e partes livres do membro;  Músculos Toracoapendiculares: Estabilizam, movimentam e sustentam as clavículas e escápulas, sendo que se fixam às costelas, ao esterno e às vertebras, ossos relativamente fixos do esqueleto axial; 4
  17. 17. Clavícula: Osso Esponjoso, (trabecular, revestido por compacto)  Une o membro superior ao tronco;  Metade Medial Convexa;  Extremidade Esternal  alargada e triangular;  Articula-se com o manúbrio do esterno – Articulação esternoclavicular;  Metade Lateral Côncava; 4
  18. 18.  Articula-se com o acrômio da escápula – Articulação Acromioclavicular;  Face superior lisa, abaixo da pele e do platisma;  Face inferior áspera, unida à primeira costela perto da extremidade acromial, essa união se dá pelo ligamento costoclavicular (limita a elevação do ombro) e deixa impressão na clavícula; Clavícula: Osso Esponjoso, (trabecular, revestido por compacto)4
  19. 19. Clavícula: Osso Esponjoso, (trabecular, revestido por compacto)4
  20. 20.  Tubérculo Conóide – Fixam-se o ligamento conoide, parte medial do ligamento coracoclavicular,  Linha Trapezóidea – Fixa-se o Ligamento Trapezóide, parte lateral do ligamento coracoclavicular;  Sulco Subclávio; Clavícula: Osso Esponjoso, (trabecular, revestido por compacto)4
  21. 21.  As curvaturas da clavículas são para aumentar a resistência;  É um suporte rígido e móvel, suspende a escápula e o membro livre mantendo-os afastados do tronco desse modo o membro tem a máxima liberdade de movimentos, já que o suporte é móvel e permite que a escápula se mova sobre a parede torácica aumentando a amplitude do movimento – Articulação Escapulotorácica; Clavícula: Osso Esponjoso, (trabecular, revestido por compacto)4
  22. 22.  Esse suporte quando imobilizado permite que as costelas se elevem durante a inspiração profunda, principalmente quando elevado;  Forma um dos limites do canal cervicoaxilar – passagem entre pescoço e braço, protegendo o feixe neurovascular que supre o membro superior; Clavícula: Osso Esponjoso, (trabecular, revestido por compacto)4
  23. 23. ESCÁPULA: Plano Triangular;  Possui um movimento considerável sobre a parede torácica na articulação escapulotorárica, serve como base para os movimentos do membro superior. 4
  24. 24.  Superposta às 2º e 7º costelas;  Face Posterior;  Face Costal - anterior; ESCÁPULA: Plano Triangular;4
  25. 25.  Espinha da Escápula;  Fossa Supraespinal;  Fossa Infra Espinal;  Corpo da Escápula – Triângulo;  Acrômio;  Tubérculo Deltoide;  Massa Escapular – vista na face posterior inferiormente, equilíbrio; ESCÁPULA: Plano Triangular;4
  26. 26.  Fossa Subescapular; ESCÁPULA: Plano Triangular;4
  27. 27.  Ligamento Coracoclavicular – situa-se entre a Massa Escapular e a Massa do Membro Inferior;  Cavidade Glenoidal;  Processo Coracoide;  Margem Medial - Margem Vertebral (Fina);  Margem Lateral – Margem Axilar (Grossa); ESCÁPULA: Plano Triangular;4
  28. 28.  Ligamento Coracoclavicular – situa-se entre a Massa Escapular e a Massa do Membro Inferior; ESCÁPULA: Plano Triangular;4
  29. 29.  ÂNGULO LATERAL;  CABEÇA;  COLO;  MARGEM SUPERIOR – Mais Fina e curta;  ÂNGULO SUPERIOR;  Incisura da Escápula; ESCÁPULA: Plano Triangular;4
  30. 30. Úmero: Osso Longo;  Participa da articulação do ombro e cotovelo;  Cabeça;  Colo Cirúrgico;  Colo Anatômico;  Tubérculo Maior;  Tubérculo Menor; 4 União
  31. 31.  Sulco Intertubercular – Tendão delgado da cabeça longa do Bíceps Braquial;  Tuberosidade Para o Músculo Deltoide;  Sulco do Nervo Radial Oblíquo / Sulco Espiral - é posterior e passam por ele a artéria Braquial profunda e o nervo radial; Úmero: Osso Longo;4
  32. 32.  Cristas Supraepicondilares / Supracondilares – Medial e Lateral;  Epicôndilos Medial e Lateral:  Medial Músculos Flexores;  Lateral Músculos Extensores;  Tróclea;  Capítulo;  Fossa do Olécrano;  Fossa Coracóidea;  Fossa Radial; Côndilo Úmero: Osso Longo;4
  33. 33. ANTEBRAÇO:  É formado por dois ossos paralelos unidos por um membrana (M. Interóssea – Articulação Fibrosa do Tipo Sindesmose);  Segunda Unidade de suporte móvel articulado;  A supinação e pronação é possível graças ao movimento que o rádio executa em volta da ulna; OSSOS DO MEMBRO SUPERIOR:4
  34. 34. ULNA: Osso Longo.  Extremidade Proximal  articula-se com o úmero na parte proximal e rádio lateralmente;  Olécrano - forma a ponta do cotovelo e serve de alavanca curta para a extensão do cotovelo;  Processo Coronoide – é uma projeção anterior;  Incisura Troclar – articula-se com a tróclea do úmero; 4
  35. 35.  A articulação do cotovelo é do tipo Gínglimo e não Elipsóidea mesmo permitindo uma leve abdução e adução quando ocorre a pronação e supinação do antebraço;  Tuberosidade da Ulna – mais inferior onde fixa-se o músculo braquial;  Incisura Radial – Recebe a parte larga da cabeça do rádio; ULNA: Osso Longo.4
  36. 36.  Crista e Fossa do Músculo Supinador - local onde se fixa a parte profunda do músculo supinador;  Corpo da Ulna – espesso e cilíndrico, mas afila-se na extremidade distal;  Cabeça da Ulna – semelhante a um disco;  Processo estiloide da Ulna;  A ulna não participa da articulação radiocarpal. ULNA: Osso Longo.4
  37. 37. RÁDIO: Osso Longo.  Mais lateral e curto;  Cabeça;  Colo;  Tuberosidade do Rádio – Medial, separa cabeça e colo do corpo;  A Cabeça articula-se com o Capítulo (Úmero) durante a flexão e extensão por isso é côncava  Articula-se também com a Incisura Radial (Ulna)  A Cabeça é recoberta por cartilagem articular; 4
  38. 38.  O corpo aumenta gradativamente em sentido distal, oposto a ulna;  Processo estiloide do rádio - maior que o da Ulna;  Incisura Ulnar – acomoda a cabeça da ulna;  Tubérculo Dorsal do Rádio - entre os sulcos formados pelos tendões dos músculos do antebraço; RÁDIO: Osso Longo.4
  39. 39.  Margem Interóssea - existe no rádio e na ulna, e nela que a membrana interrósea une os dois ossos;  Membrana Interóssea – Passa inferiormente ao rádio e se estende medialmente até a ulna. Transfere a força recebida pelo rádio através da mão para a ulna e depois para o úmero. RÁDIO: Osso Longo.4
  40. 40. Carpo: Ossos Curtos.  Punho ou carpo;  Formado por duas fileiras de quatro ossos cada;  Côncavo anteriormente;  Convexo Posteriormente;  Os ossos do carpo deslizam um sobre os outros além de deslizarem sobre os ossos adjacentes a eles aumentando os movimentos; 4
  41. 41.  Da região lateral para medial da fileira proximal para distal:  Escafóide – articula-se com o rádio, tem o tubérculo do escafoide e é o maior ossos dessa fileira;  Semilunar – entre o escafoide e piramidal, articula-se com o rádio;  Piramidal – articula-se com o disco articular da articulação radiulnar distal;  Psiforme – osso em forma de ervilha, na face palmar do piramidal; Carpo: Ossos Curtos.4
  42. 42. Carpo: Ossos Curtos.4
  43. 43. Carpo: Ossos Curtos.4
  44. 44.  Fileira distal da região lateral para medial:  Trapézio: articula-se com 1º e 2º metacarpais, escafoide e trapezoide;  Trapezoide: articula-se com o 2º metacarpal, trapézio, capitato e escafoide;  Capitato: maior osso do carpo, articula-se com 3º metacarpal, trapezoide, escafoide, semilunar e hamato;  Hamato: articula-se com 4º e 5º metacarpal, capitato e piramidal. Tem um processo semelhante a um gancho que se estende anteriormente. Carpo: Ossos Curtos.4
  45. 45. Carpo: Ossos Curtos.4
  46. 46. Carpo: Ossos Curtos.4
  47. 47. METACARPO: Ossos Longos.  Forma a palma da mão;  Composto por cinco ossos metacarpais;  Cada um tem base, corpo e cabeça;  A Base articula-se com o carpo;  A Cabeça com as falanges proximais;  O 1º metacarpal é curto e largo, o 3º possui um processo estiloide na face lateral de sua base; 4
  48. 48. FALANGES:  Todos dedos têm três;  O polegar tem duas – mas são as mais fortes; 4
  49. 49.  Introdução;  Segmentos do Membro Superior;  Comparação Com o Membro Inferior;  Ossos do Membro Superior;  Ombro;  Braço;  Antebraço;  Mão  OSSIFICAÇÃO DOS OSSOS DA MÃO;  Anatomia de Superfície dos Ossos;  Fáscia Do Membro Superior;  Inervação Cutânea do Membro Superior
  50. 50. Ossificação da Mão:  A radiografia do punho e da mão é usada para medir a idade óssea;  As radiografias são comparadas com uma série de padrões em um atlas radiológico do desenvolvimento ósseo para determinar a idade da criança;  Em geral cada osso carpal têm um centro de ossificação, sendo que os do capitato e hamato são os primeiros a surgir;  Esses centro aparecem geralmente por volta do 1º ano;  O Metacarpo começa a se ossificar na vida fetal, os centros de ossificação surgem após o nascimento nas cabeças dos quatro metacarpais mediais e na base do 1º metacarpal.  Por volta dos 11 anos, o centro de ossificação de todos os ossos carpais são visíveis. 5
  51. 51.  Introdução;  Segmentos do Membro Superior;  Comparação Com o Membro Inferior;  Ossos do Membro Superior;  Ombro;  Braço;  Antebraço;  Mão  Ossificação dos Ossos da Mão;  ANATOMIA DE SUPERFÍCIE DOS OSSOS;  Fáscia Do Membro Superior;
  52. 52. ANATOMIA DE SUPERFÍCIE DOS OSSOS DO MEMBRO SUPERIOR: ESTRUTURAS PALPÁVEIS:  Incisura Jugular;  Extremidade Esternal;  Articulação Acromiclavicular;  Elasticidade da pele sobre a clavícula, a pele é puxada para baixo sobre a clavícula e depois é incisada onde se superpõe à artéria;  Nervos e Grandes vasos do membro superior passam posteriormente a parte convexa da clavícula;  Acrômio;  Processo Coracóide;  Músculo Deltóide;  Cabeça da Úmero – Pela Axila; 6
  53. 53.  Corpo do Úmero;  Epicôndilos, sendo o medial mais proeminente;  Olécrano;  Junto com os epicôndilos formam aproximadamente um triângulo equilátero, essas informações são importantes para diagnóstico de lesões no cotovelo;  Margem Posterior da Ulna – demarca o limite entre flexor / pronador e extensor / supinador;  Cabeça da Ulna;  Processo Estiloide da Ulna;  Cabeça do Rádio;  Nervo Ulnar;  Psiforme; 6 ANATOMIA DE SUPERFÍCIE DOS OSSOS DO MEMBRO SUPERIOR:
  54. 54.  Metacarpo;  Falanges;  Tubérculo Dorsal do Rádio - O tendão do extensor longo dos dedos passa medial a ele;  Processo Estiloide do Rádio – Tabaqueira Anatômica;  TUBÉRCULO MAIOR;  TUBÉRCULO MENOR;  SULCO INTERTUBERCULAR;  HÂMULO DO HAMATO;  TUBÉRCULO DO ESCAFÓIDE E TRAPÉZIO – Eminência Tenar;  PROCESSO ESTILOIDE DO 3º METACARPAL; 6 ANATOMIA DE SUPERFÍCIE DOS OSSOS DO MEMBRO SUPERIOR:
  55. 55.  A Crista da Espinha da Escápula é palpada facilmente em toda sua extensão:  O ângulo Superior da Escápula situa-se no nível da vértebra T12;A extremidade medial da raiz da espinha da escápula situa-se oposta ao processo espinhoso de T3;  O ângulo inferior situa-se no nível da vértebra T7, perto da margem inferior da 7º costela e do 7º espaço intercostal;  Com o membro abduzido e com a mão atrás da cabeça a cavidade glenoidal é elevada de tal modo que a margem medial fica paralela a 6º costela e assim pode ser usada para avaliar a posição e profundamente a costela a fissura oblíqua do pulmão; 6 ANATOMIA DE SUPERFÍCIE DOS OSSOS DO MEMBRO SUPERIOR:
  56. 56.  As medidas de comparação com o membro contralateral, padrões de crescimento ou tamanho normal para o membro superior são feitas a partir do ângulo do acrômio, epicôndilo lateral do úmero, processo estiloide do rádio e a extremidade do terceiro dedo, esses são os pontos mais usados com o membro relaxado e palmas das mãos voltadas para frente. 6 ANATOMIA DE SUPERFÍCIE DOS OSSOS DO MEMBRO SUPERIOR:
  57. 57.  Introdução;  Segmentos do Membro Superior;  Comparação Com o Membro Inferior;  Ossos do Membro Superior;  Ombro;  Braço;  Antebraço;  Mão  Ossificação dos Ossos da Mão;  Anatomia de Superfície dos Ossos;  FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR;  Inervação Cutânea do Membro Superior
  58. 58. FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:  É presa ao esterno e a clavícula, isso ocorre geralmente quando não a outras estruturas entre o osso e a pele  Fáscia Peitoral: cobre o músculo peitoral maior e continua inferiormente com a fáscia abdominal na região anterior;  Lateralmente segue a margem lateral do músculo peitoral maior e torna-se a fáscia axilar, formando o assoalho da axila; 7
  59. 59.  Fáscia Clavipeitoral: é uma lâmina fascial que se estende a partir da fáscia da axila, é profunda à Fáscia Peitoral, recobre o músculo peitoral menor e subclávios e depois fixa-se a clavícula;  Parte da Fáscia Clavipeitoral acima do músculo peitoral menor é chamada de Membrana Costocoracóidea, ela é perfurada pelo nervo peitoral lateral que supre o músculo peitoral maior;  Parte da Fáscia Clavipeitoral abaixo do músculo peitoral menor é chamada de Ligamento Suspensor da Axila, sustenta a fáscia axilar, além de puxa-la para cima junto com a pele que está abaixo dela, formando FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:7
  60. 60.  Fáscia Deltóidea  recobre os músculos escapuloumerais – eles cobrem a escápula e dão volume ao ombro – essa fáscia desce sobre a face superficial do deltoide, a partir da clavícula, acrômio e espinha da escápula. A partir da superfície profunda da Fáscia Deltóidea vários septos penetram entre os feixes do músculo;  A fáscia deltoidea é contínua com a fáscia peitoral anteriormente e infraespinal densa posteriormente; FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:7
  61. 61.  Os músculos que recobrem a escápula tanto anteriormente quanto posteriormente, são cobertos por fáscia muscular superficialmente, esta fáscia fica fixa nas margens e espinha da escápula;  Essa disposição cria alguns compartimentos:  Subescapulares;  Supraespinal;  Infraespinal; FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:7
  62. 62.  Isso possibilita a fixação parcial dos músculos nas fáscias, com isso eles se fixam nelas e nos ossos, adquirindo assim um volume maior do que se houvesse apenas fixação óssea;  As Fáscia Supra e Infraespinal são tão densas e opacas que não é possível ver o músculo sem retira-las durante a dissecção; FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:7
  63. 63.  A Fáscia do Braço  é uma bainha de fáscia profunda e reveste o braço como uma manga ajustada sobre a pele, superiormente é contínua com a fáscia deltoidea, infraespinal, peitoral e axilar, inferiormente fixa-se aos epicôndilos do úmero e ao olécrano da ulna, é contínua com a fáscia do antebraço; FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:7
  64. 64.  Septos Intermusculares Medial e Lateral  se estendem da fáscia profunda do braço até as cristas supra-epicondilares medial e lateral do úmero dividindo o braço em dois compartimentos:  Anterior – Flexores;  Posterior – Extensores;  Esses compartimentos possuem funções semelhantes, com nervos e vasos em comum que os suprem, além disso evitam que restringem e direcionam a disseminação de infecções ou hemorragias; FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:7
  65. 65.  Os compartimentos fasciais no antebraço são circundados pela Fáscia do Antebraço e separados pela membrana interóssea que une o rádio e a ulna; FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:7
  66. 66.  Posteriormente na extremidade mais distal do rádio e da ulna a Fáscia do Antebraço é mais espessa, formando uma faixa transversa que é o Retináculo dos Músculos Extensores estabilizando os tendões desses músculos; FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:7
  67. 67.  Anteriormente a fáscia do antebraço também sofre um espessamento, contínuo com o retináculo dos músculos extensores mas oficialmente não recebem um nome – alguns autores o identificam com ligamento palmar carpal;  OLHAR NO CADÁVER; FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:7
  68. 68.  Retináculo Dos Músculos Flexores / Ligamento Carpal Transverso  é uma continuação da fáscia do antebraço também, entretanto é mais distal e mais profundo do que o ligamento palmar carpal; FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:7
  69. 69.  O Retináculo dos Músculos Flexores estendem-se entre as proeminências anteriores dos ossos do carpo externos e transforma a concavidade anterior do carpo em um TÚNEL DO CARPO;  É pelo túnel do carpo que passam os tendões dos flexores e o nervo mediano; FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:7
  70. 70.  Fáscia Profunda da Mão / Palmar  é continua através dos retináculos dos flexores e extensores com a fáscia do antebraço; FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:7
  71. 71.  Aponeurose Palmar  parte central da fáscia palmar, é espessa, tendínea e triangular. Estende-se pelo compartimento central da palma, com seu ápice de localização proximal e contínuo com o tendão do músculo palmar longo; FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:7
  72. 72.  A aponeurose forma quatro espessamentos distintos que se irradiam para a base dos dedos e tornam-se contínuos com as bainhas fibrosas dos tendões dos dedos;  As faixas são atravessadas distalmente pelo ligamento metacarpal transverso superficial que forma a base da aponeurose palmar;  Ligamentos Cutâneos: são diminutos e em grande número na palma da mão, vão da aponeurose palmar até a pele mais próxima, permitindo assim pequeno deslizamento da pele; FÁSCIA DO MEMBRO SUPERIOR:7
  73. 73.  Introdução;  Segmentos do Membro Superior;  Comparação Com o Membro Inferior;  Ossos do Membro Superior;  Ombro;  Braço;  Antebraço;  Mão  Ossificação dos Ossos da Mão;  Anatomia de Superfície dos Ossos;  Fáscia do Membro Superior;  INERVAÇÃO CUTÂNEA DO MEMBRO
  74. 74. Inervação Cutânea do Membro Superior:  Existem dois mapas de dermátomos em uso, um corresponde aos conceitos de desenvolvimento do membro, obteve aceitação popular por suas qualidades estéticas mais intuitivas (Keegan e Garrett, 1948);  O outro se baseia em estudos clínicos (Foerster, 1933);  Ambos são aproximações e delimitam os dermátomos como áreas bem definidas, mas na realidade há grande superposição dos dermátomos adjacentes e acentuada variação mesmo entre os dois lados de um mesmo individuo; 8
  75. 75. 8 Inervação Cutânea do Membro Superior:
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×