Gestao de novos negocios completo

4,148 views

Published on

12 9610 9122
skype:efaraco1
www.faracoconsultoria.com.br
http://opousadeiro.blogspot.com/
curtam:http://www.facebook.com/faracoconsultoria

Published in: Business
0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,148
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
128
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • utiliza os recursos de forma criativa transformando o ambiente social e econômico onde vive
  • Hisrich, 1988
  • Gestao de novos negocios completo

    1. 1. Gestão de Novos Negócios Curso de Bacharelado em Hotelaria UCS-NUCAN Prof. Ms. Eduardo Faraco 54 3282 5205 ou 9905 2019 efaraco@ucs.br e ezafaraco@hotmail.com
    2. 2. Ementa:  Conceitos de Empreendedor e empreendedorismo. Perfil do Empreendedor. Perfil da micro e pequena empresa no Brasil. Identificação e avaliação de oportunidades no âmbito da hospitalidade. Elaboração de plano de negócios.
    3. 3. Objetivo da Disciplina:  A disciplina é destinada, a desenvolver a capacidade, empreendedora dos alunos, estimulando e dando ferramentas aqueles cuja vocação e/ou vontade profissional estiver direcionada a criação de empresas.
    4. 4. Conteúdo Programático: Introdução ao Empreendedorismo; A realidade da micro e pequena empresa no Brasil; O que é um empreendedor, características, o trabalho do empreendedor, o processo empreendedor; A identificação de oportunidades, características, avaliaçãoPlano de negócios, O Que é ?, Porque Escrevê-lo ?, Importância ?, A Quem se Destina ?, Estrutura e Elaboração do Plano.
    5. 5. Cronograma:  14/08 – Introdução a disciplina  28/08 – Conceitos ligados ao Empreendedorismo e Perfil Empreendedor  11/9 – Perfil da Micro e Pequena Empresa no Brasil  25/9 – Processo Empreendedor  9/10 – Identificação de Oportunidadades  23/10 – Palestra com Empreendedor(es) do segmento da Hospitalidade  6/11 – Plano de Negócios  20/11 – Plano de Negócios  4/12 – Entrega dos Trabalhos e Prova Final  18/12 – Exame
    6. 6. Metodologia: Aulas Expositivas; Estudos de Casos; Apresentação de Vídeos; Palestras com Empreendedores Trabalhos em Grupo
    7. 7. Forma de Avaliação: 50% Trabalho em duplas ou trios Prova Final
    8. 8. Metodologia Trabalho1. Identificar empresa de referencia no segmento da hospitalidade;2. Escrever a respeito da história dos empreendedores e empresa, evoluçao do negócio, dificuldades encontradas, estrutura organizacional, etc.;3. Diagnosticar eventuais problemas;4. Apresentar estratégias para solucionar estes problemas.- Grupos de 2 a 3 alunos- Entregar sob forma impressa e em CD- Padrao ABNT
    9. 9. Bibliografia: Inovação e Espírito Empreendedor – Peter Drucker (B) O Segredo de Luiza - Fernando Dolabela(B) Empreendedorismo – Transformando Idéias em Negócios – José Carlos Dornelas(B) O Empreendedor – Fundamentos da Iniciativa Empresarial – Ronald Degen(B) O Segredo de Luísa – Fernando Dolabela (Comp.) Manual de Gestão Empresarial – Sérgio Bulgacov (Comp.)
    10. 10. Sites: www.planodenegocios.com.br www.empreendedor.com.br www.portaldoempreendedor.com.br www.sebrae.com.br www.dolabela.com.br www.bte.com.br www.entrepreneur.com www.widebiz.com.br www.geranegocio.com.br www.ibge.gov.br www.endeavor.org.br www.abih.com.br www.embratur.gov.br www.braztoa.com.br
    11. 11.  Formar um empreendedor ? Em geral 30 % dos alunos submetidos a um programa de empreendedorismo se tornam empresários; Destaque na formação empreendedora como um diferencial competitivo do profissional mesmo para aquele que vai para o mercado de trabalho - mudança de postura;
    12. 12.  “Todo empreendedornecessariamente deve ser umbom administrador para obter sucesso, no entanto, nemtodo bom administrador é um empreendedor.” (Dornelas)
    13. 13. Motivação para o Empreendedorismo: Grande mudança nos conceitos de trabalho e emprego no mundo atual; Baixos Salários; Falta de Emprego (Eliminação do vínculo empregatício(cooperativas, prestação de serviços); Falta de Valorização Profissional; Redução na capacidade de absorção de mão de obra pelas empresas – Downsizing; Introdução de inovações tecnológicas; Terceirização;
    14. 14. Mito 1 - Empreendedores não são feitos, nascem: Realidade: A capacidade criativa de identificar e aproveitar uma oportunidade vem depois de 10 anos de experiência que conduz a um reconhecimento de padrões; O empreendedor é feito através da acumulação das habilidades, know-how, experiência e contatos em um período de anos.
    15. 15. Mito 2 - Qualquer um pode começar um negócio: Realidade: Os empreendedores que reconhecem a diferença entre idéia e oportunidade e pensam grande o suficiente, têm maiores chances de sucesso; A parte mais fácil é começar. Difícil é sobreviver; Somente 1 entre 10 a 20 novas empresas que sobrevivem 5 anos ou mais, conseguem retorno do investimento.
    16. 16. Mito 3 - Empreendedores são jogadores: Realidade: Empreendedores de sucesso assumem riscos calculados, minimizam riscos, tentam influenciar a sorte.
    17. 17. Mito 4 - Empreendedores querem o espetáculo sópara si: Realidade: É difícil ter um negócio de alto potencial sozinho. Os empreendedores de sucesso constróem uma equipe. Acham que 100% de nada é nada. Eles trabalham para aumentar o bolo, ao invés de tirar a maior parte dele
    18. 18. Mito 5 - Empreendedores são os seus próprioschefes e completamente independentes: Realidade: Está longe de ser independente e serve muitos senhores – “stakeholders” (sócios, investidores, clientes, fornecedores, empregados, credores, família, etc.).
    19. 19. Mito 6 - Empreendedores trabalham maistempo e mais duro do que gerentes emgrandes empresas: Realidade: As evidências nas pesquisas, mostram que na grande maioria das vezes isto realmente acontece.
    20. 20. Mito 7 - Empreendedores experimentamgrande stress e pagam alto preço: Realidade: É verdade . Mas eles acham o seu trabalho mais gratificante. São mais ricos e não querem aposentar-se
    21. 21. Mito 8 - O dinheiro é o mais importanteingrediente para se começar um negócio: Realidade: Se as outras partes e talentos existirem, o dinheiro virá. Não quer dizer que se o empreendedor tem dinheiro vá ter sucesso. Mesmo depois de ter feito alguns milhões de dólares, um empreendedor irá trabalhar incessantemente em uma nova visão para construir outra empresa.
    22. 22. Mito 9 - Empreendedores devem ser novos e comenergia: Realidade: Idade não é barreira. A idade média de empreendedores de sucesso é perto dos 35, mas há numerosos exemplos de empreendedores de 60 anos de idade e muitos empreendendo cada vez mais jovens. O que é importante: know-how, experiência e relações.
    23. 23. Mito 10 - Se o empreendedor é talentoso,o sucesso vai acontecer rapidamente: Realidade: Raramente um negócio tem solidez em menos de 3 ou 4 anos. Dizem os capitalistas de risco: “o limão amadurece em 2,5 anos, mas as pérolas levam 7 ou 8”
    24. 24. Definições do termo “Empreendedor eEmpreendedorismo”(Áurélio B. Holanda) empreender: [do latin imprendere] 1.Deliberar-se a praticar, propor-se, tentar (empresa laboriosa e difícil). 2.Por em execução; empreendimento: 1. Ato de empreender. 2. Efeito de empreender; aquilo que se empreendeu e levou a cabo; empresa; realização; cometimento; empreendedor: 1. Que empreende; ativo; arrojado; cometedor.
    25. 25. Definições do termo “Empreendedor eEmpreendedorismo”(Dicionário de Ciências Sociais) O termo empreendedor denota a pessoa que exercita total ou parcialmente as funções de: a) iniciar, coordenar, controlar e instituir maiores mudanças no negócio de empresa e/ou b) assumir riscos nessa operação que decorrem da natureza dinâmica da sociedade e do conhecimento imperfeito do futuro e que não pode ser convertido em certos custos através de transferência, cálculo ou eliminação.
    26. 26. Tipos de Empreendedores:  Empreendedor de negócios : aquele que identifica oportunidades no mercado, planeja e constrói novas empresas;  Empreendedor interno: [Intraempreendedor] o indivíduo que promove as mudanças dentro da empresa em que trabalha; reinventa a empresa e os negócios, etc;  Empreendedor Comunitário ou social: aquele que promove mudanças, reune recursos e constrói em benefício da comunidade – voluntariado, terceiro setor
    27. 27.  Empreendedor:É alguém que define, o que vai fazer e em que contexto vai ser feito. Ao definir, o que vai fazer ele leva em conta, seus sonhos, desejos, preferências e o estilo de vida quedeseja ter. Desta forma consegue se dedicar intensamente.
    28. 28.  Empreendedorismo:  É o estudo relativo aoempreendedor, seu perfil, suas origens, seu sistema de atividades, seu universo de atuação.
    29. 29.  Empresário: É a condição jurídica doindivíduo, que foi aos orgãos públicos, e registrou uma empresa em seu nome.
    30. 30. Mas, nesses estudos, encontram-se,pelo menos os seguintes aspectos: Iniciativa e visão para criar algo novo e paixão pelo que faz; Utiliza os recursos de forma criativa transformando o ambiente social e econômico onde vive; Aceita assumir riscos e a possibilidade de fracassar.
    31. 31. Comunidad e LocalEmpresas Órgãos públicos Atuação dos empreendedore sCooperativas Instituições e de ensinoassociações ONG’s
    32. 32. Alguns Dados: Empregados têm em geral 3 vezes mais vontade de se aposentarem em relação aos empresários que dirigem seu próprio negócio. Empresários sentem-se bem consigo mesmos, com o trabalho e com a recompensa financeira. Têm os mais altos níveis de satisfação, desafio, orgulho e remuneração. A vasta maioria dos 2 milhões de milionários (em 2006 – Revista Fortune - EUA) acumularam a sua fortuna através de empreendimentos criados por eles mesmos !
    33. 33.  90% ou mais dos fundadores começaram suas empresas no mesmo mercado, tecnologia e ramo que eles trabalhavam; Fundadores têm 8 a 10 anos de experiência como empregados; Têm boa formação acadêmica; Fundam empresas quando tem entre 30 e 40 anos.
    34. 34.  Nos USA o volume de novas empresas criadas por mulheres cresce mais que as empresas criadas por homens; Cada vez mais as pessoas não querem aposentar, mas iniciar segunda carreira em pequenas empresas, de preferência empresas próprias.
    35. 35. Empreendedores em geral . . . Exibem: e são pessoas : Em termos de personalidade  Com alto poder são:  Muita energia e de persuasão vontade de  Inspiradas e que Auto confiantes realizar conseguem Otimistas  Senso de inspirar outrem Corajosos urgência  Focadas em Compulsivos  Imaginação resultados Persistentes  Alto grau de  Que têm Extrovertidos iniciativa facilidade para reunir apoios e suportar novas iniciativas
    36. 36. Empreendedores e Gerentestêm o mesmo perfil ? O gerente . . . O empreendedor . . . • Gerencia• Constrói, propõe • Administra• Inova • Mantém• Cria • Foca no sistema e na forma• Foca no negócio, no resultado • Controla a equipe• Constrói a equipe • Identifica problemas• Identifica oportunidades • Faz corretamente as coisas• Faz as coisas certas
    37. 37. Motivo que levou a iniciar um negócio informalMotivo 2006 1997Não encontrou emprego 31.1% 25.0%Complementação da renda 17.6% 17.7%familiarIndependência 16.5% 20.1%Experiência na área 8.4% 8.6%Tradição familiar 8.1% 8.5%Negócio promissor 7.4% 8.3%Outro motivo 5.8% 5.1%Era um trabalho secundário 2.1% 2.0%
    38. 38. Síndrome do Empregado: É dependente no sentido de que necessita alguém para se tornar produtivo; Descuida de outros conhecimentos que não sejam aqueles voltados a sua área de atuação; Não se preoucupa em transformar as vontades dos clientes em produtos-serviços; Não sabe “ler” o ambiente externo; Mais faz do que aprende,
    39. 39. Empreendedorismo no Brasil: GEM - Global Entrepreneuship Monitor Empreendedorismo 2003 Pesquisa 31 países e constatou que o Brasil:  SEXTO PAÍS EM EMPREENDEDORISMO DO MUNDO  53% POR OPORTUNIDADE;  43% POR NECESSIDADE  ÚLTIMO LUGAR NO QUESITO “BARREIRAS” À ENTRADA NO MERCADO - (CUSTOS e LEGISLAÇÃO )
    40. 40. MPE no Brasil 72% dos CNPJ Mortalidade das empresas, três primeiros anos de vida: 50% em Microempresas 30% em Pequenas Empresas
    41. 41.  99% dos estabelecimentos (IBGE) De 1995 a 2000  Saldo líquido de postos de trabalho 1.429.652 novos postos;  1.400.000 foram originados nos pequenos negócios (BNDES, 2002) Produz 20% do PIB Responde por 12% das exportações - EUA(20%) e Japão(35%)
    42. 42.  Empresas do setor informal : 15,7 milhões Empresas Formais: 4,6 milhões 470 mil novas empresas são constituídas no Brasil a cada ano. 13 % da população adulta possui uma empresa – 1 em cada 8Fonte: (Mckinsey 2004) FGV – Março de 2004:  Universo de 50 mil pequenos negócios  85% não pagam tributos  Dos 15% que pagam, gastam 6,29% da receita da empresa  Apenas 12,3% têm CNPJ  Se carga tributária reduzir em 3.31% estima- se aumento na arrecadação de 170%
    43. 43. Homens são responsáveis por 54% do total dos novos negóciosMas as mulheres vêm ampliando a cada ano a sua participação nesse mercado. Em 2000 e 2001, elas representavam apenas 29% do total de empreendedores, saltando para 42% em 2002 e 46% em 2003 A maior relação de empreendedores por habitantes está localizada na região Sul (15,1%), seguida do Nordeste (14,8%), Sudeste (12,1%), Norte (10,1%) e Centro-Oeste (8%).
    44. 44. A taxa de informalidade do Brasil é medida em 75%Chile,20% - Argentina, 25% - média mundial, 32%.EUA taxa de informalidade da economia, apenas 8%.Uma redução de apenas 20% na taxa de informalidade, geraria 1,5%(R$ 30 bilhões) no crescimento econômico do Brasil.
    45. 45. Se alguém quiser abrir uma empresa hoje, no Brasil, gastará 152 dias entre requerimentos, inscrições e papelada até se regularizar completamente.Nos Estados Unidos, o prazo é de quatro dias.Na Austrália, o processo dura dois dias.Na Índia, gastam-se 88 dias; no Chile, 28 dias.
    46. 46. Hoje, na Rússia, que há 15 anos ainda era comunista, uma empresa demora 29 dias para ser aberta e 1,5 ano para ser encerrada.No Brasil, os números são 152 dias e 10 anos para ser fechada.
    47. 47. A vida de uma empresa brasileira é regida por 300 normas, entre leis, decretos e portarias.O conjunto soma 55 767 artigos e 33 374 parágrafos.Além disso, há cerca de 60 tipos de impostos e taxas, baixados pelos três níveis do governo.
    48. 48.  50% não utilizam planejamento de vendas; 47% não utilizam controle de estoque; 80% não utilizam técnicas de MKT; 75% não realizam treinamento de pessoal; 60% não utilizam recursos de informática.
    49. 49.  Realização de estudos prévios à abertura da empresa:  Projeções de vendas e custos (80%);  Cálculo da renda esperada (53%);  Plano de negócios detalhado (50%);  Comparação resultados esperados versus projetos alternativos (32%);  Comparação renda esperada versus ganhos como empregado (35%).
    50. 50. Resultados Semana da MPE – 6.000 participantesPRINCIPAIS PREOCUPAÇÕES DA PEQUENA EMPRESA NOBRASILLEVANTAMENTO COM EMPREENDEDORES DO SEGMENTO EMTODO O PAÍS (OUTUBRO DE 2003 Gerencial Licitações Crédito Governo 6% 6% 23% 9% 10% Burocracia Tributos 13% 10% 12% 12% Informação Investimentos Financiamentos
    51. 51. Classificação do Porte segundo SEBRAE, de acordo com a receita bruta anual: Microempresa: receita bruta anual igual ou inferior a R$ 433.755,14; Empresa de Pequeno Porte: receita bruta anual superior a R$ 433.755,14 e igual ou inferior a R$ 2.133.222,00 Para Optantes pelo SIMPLES - Microempresa: receita bruta anual igual ou inferior a R$ 240.000,00 - Empresa de Pequeno Porte: receita bruta anual superior a R$ 240.000,00 e igual ou inferior a R$ 2.400.000,00
    52. 52. Classificação do Porte segundo SEBRAE, deacordo com o critério do número de empregados: Porte – Indústria: Micro: de 1 a 19 Pequena: de 20 a 99 Média: de 100 a 499 Grande: acima de 500 Porte Comércio e Serviços: Micro: de 1 a 9 Pequena: de 10 a 49 Média: de 50 a 99 Grande: acima de 500
    53. 53. Incubadoras de empresas São instrumentos de apoio para empresas e empreendedores nascentes; Visam combater a mortalidade juvenil das empresas;
    54. 54.  Podem ser focadas ou generalistas:  de comércio e indústria;  de prestação de serviços;  de mulheres, da terceira idade, etc.
    55. 55. Características: Incubadoras - apoiam empresas constituídas- com CNPJ Empresa já constituída com Plano de Negócio elaborado; Foco na fase inicial de produção e venda da empresa nascente; Custos reduzidos de instalação - áreas de apoio compartilhadas; Consultorias em gestão, finanças, marketing, etc. Apoio na busca de financiamentos e investidores;
    56. 56.  Recursos geralmente fornecidos:  área física privada,  equipamentos e instalações especiais  salas para reunião, treinamento e auditório,  telefonia, internet,  treinamentos e consultorias,  serviços de apoio tais como limpeza, secretária, etc. O “cliente” em geral é ex aluno - graduado. 297 Incubadoras no Brasil
    57. 57. Seleção de empreendimentos a serem apoiados:  que o empreendimento gere produtos, processos ou serviços inovadores, de alto valor agregado;  que seja demonstrada a viabilidade econômica e mercadológica do empreendimento;  que a equipe demonstre capacitação técnica e/ou experiência para conduzir o empreendimento;
    58. 58.  “Um otimista vê uma oportunidade em uma calamidade. Um pessimista vê uma calamidade em cada oportunidade”  Winston Churchill
    59. 59. Idéia X Oportunidade “Nada é mais perigoso do que uma idéia quando ela é a única que temos.” autor desconhecido “É melhor, estar preparado para uma oportunidade e não ter nenhuma do que ter uma oportunidade e não estar preparado para ela” Whitney Young Jr.
    60. 60. Idéia X Oportunidade Oportunidade é uma idéia que está vinculada a um produto ou serviço que agrega valor ao consumidor, seja através da inovação ou da diferenciação. É atrativa, tem potencial para gerar lucros e está disponível em momento e/ou local adequado para quem vai utilizá-la
    61. 61. Características das oportunidades Idéias não são necessariamente oportunidades Características da oportunidade:  atraente,  durável,  tem uma hora certa,  é ancorada em um produto ou serviço que cria ou adiciona valor para o seu comprador
    62. 62.  É um alvo móvel. Se alguém a vê, ainda há tempo de aproveitá-la; Um empreendedor habilidoso dá forma à uma oportunidade onde outros nada vêem, ou vêem muito cedo ou tarde; Não é questão de usar técnicas, checklists e outro métodos, a sua identificação depende de habilidades do empreendedor.
    63. 63.  Surgem em função de identificação de desejos e necessidades insatisfeitas; Estão em qualquer lugar; São simples na sua concepção.
    64. 64.  Ajusta-se ao empreendedor - uma oportunidade para um empreendedor pode não ser para outro; Boas oportunidades são menos numerosas que boas idéias. Identificá-las é um desafio - em geral estão camufladas em gaps, atrasos, caos - quanto mais imperfeito o mercado maiores as oportunidades.
    65. 65. Como e onde encontrar oportunidades: Brainstormings: permitem estimular a criatividade e identificar oportunidades - técnica de grupo; Estudos de mercados segmentados: regional ou por segmento; Análise de pauta de exportações e importações; Mudanças de hábitos, transformações. Mercados emergentes: lazer, saúde, educação, varejo financeiro, turismo; Análise de movimentos demográficos
    66. 66. Fontes de idéias: Negócios existentes - inclusive falências; Franquias e licenças; Patentes; Revistas de negócios; Universidade e institutos de pesquisa; Feiras e exposições; Empregos anteriores
    67. 67.  Contatos com compradores (imperfeições de produtos existentes) Consultoria; Idéias que deram certo em outros lugares.
    68. 68. Avaliação de oportunidades - erros a evitar Paixão cega pelo produto; Paranóia do negócio - não posso mostrar a idéia se não vão me roubá-la; Perfeccionismo: ainda não está pronta; Não reconhecer a concorrência - evitá-la; Preço baixo como estratégia única de entrada; Impaciência: 30 dias ou perdemos; Desejo e necessidade de lucro imediato.
    69. 69. O Processo EmpreendedorIdentificar e Desenvolver o Determinar e captar Gerenciar aavaliar a Plano de Negócios os recursos empresa criadaoportunidade 1. Sumário Executivo necessários estilo de gestãocriação e abrangência 2. O Conceito do Negócio recursos pessoais fatores críticos de da oportunidade 3. Equipe de Gestão recursos de amigos sucessovalores percebidos e 4. Mercado e e parentes identificar problemas reais Competidores angels atuais e potenciaisriscos e retornos da 5. Marketing e Vendas capitalistas de risco implementar um oportunidade 6. Estrutura e Operação bancos sistema de controleoportunidade versus 7. Análise Estratégica governo profissionalizar a habilidades e metas 8. Plano Financeiro incubadoras gestão pessoais Anexos entrar em novossituação dos mercados competidores
    70. 70. Plano de Negócios É um poderoso e eficiente instrumento para tomada de decisões quanto a viabilidade ou não de um determinado empreendimento e também para a sua administração. Embora o ideal é que o plano de negócios, seja elaborado antes do início do empreendimento, é fundamental que as empresas que já estão em atividade elaborem o seu.
    71. 71. Possíveis Públicos para o seu plano de negócios: Sócios potenciais; Bancos; Investidores; Fornecedores; Futuros Colaboradores; Clientes Potenciais; A própria empresa.
    72. 72. Roteiro para o plano de negócios Parte I – Introdução ou Sumário Executivo: A. Capa com o nome do negócio, empresa, local, mês e ano; B. Carta de apresentação do projeto(ao banco solicitando financiamento e convencendo-os de que o negócio será um sucesso) C. Citação dos produtos e ou serviços; D. Público – Alvo(perfil do público que se busca – sócio- econômico); E. Pontos Inovadores do Projeto(diferenciais); F. Breve apresentação dos responsáveis(mini-CV).
    73. 73.  Parte II – A Empresa: A. Missão da empresa; B. Metas à curto(3), médio(3) e longo prazo(3); C. Natureza Jurídica; D. Aspectos tributários(impostos, taxas e alvarás, municipais, estaduais e federais) E. Organograma e descrição dos principais cargos(3) F. Descrição dos Principais processos(3) G. Política de recursos humanos H. Terceirizações(quais e porque)
    74. 74.  Parte III – Plano de Marketing A. O segmento é bom para se investir? Porque ? B. Pontos fortes(3) e fracos(3) do negócio; C. Concorrentes(3): identificação, pontos fortes e fracos; D. Fornecedores(3): identificação, pontos fortes e fracos E. Riscos(3) e Oportunidades(3).
    75. 75.  Parte IV – As vendas A. Preço de venda do produto principal: definição(% de custo fixo, variável e margem de lucro e justificativa(porque); B. Formas de distribuição; C. Publicidade e promoções(que tipo, periodicidade, etc); D. Atendimento ao cliente – venda e pós venda(como será feita)
    76. 76.  Parte V – Plano Financeiro A. Investimento Inicial(terreno, construção, equips., mobiliário, veículos, capital de giro, etc.) B. Projeção de vendas(3 meses) C. Projeção de resultados(3 meses) e pay- back(prazo do retorno do investimento); D. Ponto de equilíbrio;
    77. 77. Projeção de Resultados % Jan. Fev. Mar. Abr. MaioTotal deReceitasReceitade Vendade DiáriasOutrasReceitasCustosFixosCustosVariáveisRetornodoInvestimentoLucro ouPrejuízoAcumulado noperíodo
    78. 78. Ponto de Equilíbrio Informações e cálculo para se obter o P.E.: Valor do custo fixo mensal / Margem de contribuição = P. de Venda – Custos Variáveis Ex. Valor do custo fixo mensal = R$ 5,000,00 R$ 90,00(diária) - R$ 27,00(30% de C.V.) = R$ 63,00(M.C.=70%) Ponto de Equilíbrio = R$ 5,000,00/ R$ 63,00 = 79 diárias ou Ponto de Equilíbrio = R$ 5,000,00/70%(percentual de margem de contribuiçao) x 100 = R$ 7,142,00
    79. 79.  Parte VI – Documentação Acessória: Processos(passos e custos) para obter a documentação.
    80. 80.  Parte VII - Entrevista Com empresário do mesmo segmento.
    81. 81. Sugestões de Perguntas: Entrevista Perguntas para obter informações Você poderia contar-me a seu respeito antes de começar o seu primeiro negócio. Os seus pais, parentes ou amigos próximos eram empreendedores? De que forma? Você tinha algum modelo? Qual foi a sua educação? Analisando a posteriori, ela foi útil? De que forma, especificamente? Qual era a sua experiência anterior no trabalho? Ela foi útil? Qual experiência particular foi especialmente importante e qual foi irrelevante? Em particular, você tinha alguma experiências em vendas ou marketing? Quanto foi importante esta experiência ou a sua falta na criação da sua empresa? Como você começou o negócio? Como você localizou a oportunidade? Como ela veio à tona? Quais eram as suas metas? Qual era o seu estilo de vida ou outras necessidades pessoais? Como você combinava isto? Como você avaliou a oportunidade em termos dos fatores críticos de sucesso? Da competição? Do mercado? Tinha sócios? Qual espécie de planejamento você fez? Que espécie de financiamento você teve? Você teve um Projeto de Negócios inicial, de qualquer espécie? Conte-me a respeito. Quanto tempo levou da concepção ao primeiro dia de trabalho? Quantas horas por dia você empenhou nesta tarefa? Qual foi o capital necessário? Quanto tempo levou para alcançar um fluxo de caixa positivo e o ponto de equilíbrio no volume de vendas? Se você não tinha dinheiro suficiente na época, quais foram as maneiras que encontrou para financiar o negócio? Conte-me a respeito das crises e pressões sofridas durante os primeiros períodos de sobrevivência. Qual ajuda externa você teve? Você teve conselheiros? Advogados? Contadores? Especialistas em impostos? Em patentes? Como você desenvolveu essas “redes” e quanto tempo isto levou? Qual era a situação de sua família na época? (Casado, tinha apoio, compreensão?) O que você percebia serem as suas forças? E fraquezas? O que você percebia serem as forças do seu negócio? E fraquezas? Qual foi o seu momento mais triunfante? E o pior? Você queria ter sócios ou estar sozinho? Por que?
    82. 82. Apresentação: Utilize linguagem clara e concisa; Utilize papel de boa qualidade; Elabore um sumário e numere as páginas; Evite parágrafos longos – use tópicos para destacar as informações; Defina margens e espaçamento confortáveis para leitura; Invista na capa; Zero erros(revise, revise, revise).

    ×