Metodologias ágeis para o projeto de interfaces digitais

1,797
-1

Published on

Aula do curso de Pós-Graduação em Ergodesign de Interfaces: Usabilidade e Arquitetura de Informação da PUC-Rio. Mais informações em http://www.eduardobrandao.com/aulas/design-telas/metodologias-ageis-para-o-projeto-de-interfaces-digitais/

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,797
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Metodologias ágeis para o projeto de interfaces digitais

  1. 1. metodologias ágeispara o projeto deinterfaces digitaisEduardo Rangel Brandão, M.Sc.A reprodução, total ou parcial, dos textos e imagens deste documento só é permitida para fins não comerciais,sendo obrigatória a citação da fonte.
  2. 2. O conteúdo desta aula foi ministrado no Curso de Pós-Graduação em Ergodesign de Interfaces: Usabilidade e Arquitetura de Informação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
  3. 3. metodologia clássicaNa metodologia clássica, ou “waterfall”,cada etapa de desenvolvimento doprojeto é encadeada.É um modelo seqüencial, linear, onde odesenvolvimento é visto como um fluirconstante para frente (como em umacascata).
  4. 4. metodologia clássica (waterfall)
  5. 5. * Fonte: palestra “The experience of making 8p.com.br”, de Marcelo Gluz e Patricia Fontes metodologia clássica •  Processo orientado à página/tela. •  Fases de projeto isoladas em •  equipes/times separados. •  Documentação muito detalhada. •  Pouca flexibilidade.
  6. 6. metodologia clássicaNa metodologia em cascata não existeespaço para mudanças, ocasionandoproblemas como:•  Falta de agilidade no processo.•  Documentação excessiva.•  Pouca garantia se todo o escopo do•  projeto será entregue no final.
  7. 7. metodologia clássicaNa metodologia em cascata não existeespaço para mudanças, ocasionandoproblemas como (continuação):•  Muitos atrasos em prazos.•  Aumento considerável dos custos.
  8. 8. metodologia ágilOs métodos de desenvolvimento ágilcomeçaram a aparecer:•  A partir da demanda do mercado por um•  modelo mais adequado às mudanças•  que acontecem ao longo de um projeto.•  A partir da necessidade uma maior•  autonomia e suporte às equipes de•  desenvolvimento.
  9. 9. metodologia ágilOs métodos ágeis pregam os seguintesconceitos:•  Indivíduos e interações ao invés de•  processos e ferramentas.•  Software executável ao invés de•  documentação.
  10. 10. metodologia ágilOs métodos ágeis pregam os seguintesconceitos (continuação):•  Colaboração do cliente ao invés de•  negociação de contratos.•  Respostas rápidas a mudanças ao invés•  de seguir planos.
  11. 11. metodologia ágilA diferença entre a metodologia clássicae a metodologia ágil (ou “washingmachine”), é o fato de que ao invés de sepensar no projeto completo, pensa-sesomente em pequenas partes que serãodesenvolvidas em um curto período detempo.O que não for desenvolvido nesse curtoperíodo de tempo, não será detalhado.
  12. 12. metodologia clássica x metodologia ágil
  13. 13. metodologia ágilAo construir cada parte, passa-se portodas as etapas de desenvolvimento doprojeto.Além disso, ao invés de ser linear, nãoexiste uma ordem rígida de etapas.Logo, em pouco tempo é possível ver umproduto pronto, mesmo que seja somenteuma parte dele.
  14. 14. * Fonte: palestra “The experience of making 8p.com.br”, de Marcelo Gluz e Patricia Fontes metodologia ágil •  Processo orientado à •  funcionalidades. •  O caso de uso é construído •  através da colaboração de •  profissionais de diferentes •  áreas. •  Documentação pouco •  detalhada. •  Muita flexibilidade. •  Muita comunicação / •  diálogo entre os membros •  da equipe / time.
  15. 15. * Fonte: palestra “The experience of making 8p.com.br”, de Marcelo Gluz e Patricia Fontes metodologia ágil •  Processo orientado à •  funcionalidades. •  O caso de uso é construído •  através da colaboração de •  profissionais de diferentes •  áreas. •  Documentação pouco •  detalhada. •  Muita flexibilidade. •  Muita comunicação / •  diálogo entre os membros •  da equipe / time.
  16. 16. metodologia ágilO desenvolvimento ágil engloba umnúmero significativo de metodologias.Entre elas, as mais utilizadas são:•  XP (ou eXtreme Programming).•  Scrum.
  17. 17. “ O Scrum empresas de internet. de virou o pretinho básico todas as ”
  18. 18. metodologia ágil: scrum
  19. 19. metodologia ágil: scrum Apenas uma parte do produto é desenvolvida em um curto espaço de tempo. Para cada parte desenvolvida, passa-se por todas as etapas de projeto (análise, design, programação e teste), entregando, no final, uma parte pronta do produto. A cada ciclo, novos releases desse produto são entregues.
  20. 20. * Imagens retiradas do vídeo “Lip Dub - Flagpole Sitta by Harvey Danger” - <http://www.vimeo.com/173714> scrum: quem participa do processo AP Analista de Produto PO Product Owner (define as demandas e as prioridades)
  21. 21. * Imagem retirada do vídeo “Lip Dub - Flagpole Sitta by Harvey Danger” - <http://www.vimeo.com/173714> scrum: quem participa do processo novo membro! SM Scrum Master (remove impedimentos)
  22. 22. * Imagens retiradas do vídeo “Lip Dub - Flagpole Sitta by Harvey Danger” - <http://www.vimeo.com/173714> scrum: quem participa do processo SM Scrum Master PO Product Owner AI Arquiteto de Informação DI Designer de Interface CS Client-Sider SS Server-Sider
  23. 23. * Imagens retiradas do vídeo “Lip Dub - Flagpole Sitta by Harvey Danger” - <http://www.vimeo.com/173714> scrum: membros do time SM Scrum Master PO Product Owner AI Arquiteto de Informação DI Designer de Interface CS Client-Sider SS Server-Sider
  24. 24. * Fonte: artigo "Empresas que utilizam SCRUM", de Thiago F. Pereira - <http://blog.thiagofp.com.br/2010/05/20/empresas-que-utilizam-scrum/> empresas que usam scrum O scrum é utilizado em empresas como: •  Abril Digital •  Ci&T •  Accion •  Concrete Solutions •  Add Technologies (RJ) •  Crivo •  Alterdata Sofware •  CVale •  Aspercom •  DB1 Informática •  Aurum •  Dígitro •  B2ML Sistemas •  Dito Internet •  B5S Tecnologia •  ENGESET •  Banco Fator •  Euax Gestão de Projetos •  Borland/Microfocus •  Fundação Passos •  BRQ •  Globo.com •  BSA •  Globosat •  C.E.S.A.R •  Gol •  Caelum •  H2J Soluções •  Cerprosoft Informática •  Hotsoft Informática
  25. 25. * Fonte: artigo "Empresas que utilizam SCRUM", de Thiago F. Pereira - <http://blog.thiagofp.com.br/2010/05/20/empresas-que-utilizam-scrum/> empresas que usam scrum O scrum é utilizado em empresas como (continuação): •  Iea •  Plugar Informações Estratégicas •  Instituto Nokia de Tecnologia •  Powerlogic •  Insula TI •  Process Informática •  Keeplay Game Studios •  ProcessMind •  Knowtec •  Provider Tecnologia •  LBS Local •  SEFAZ •  Living Consultoria •  SG Sistemas •  Locaweb •  Solução Simples •  Meta IT •  Stefanini IT •  Microsoft •  SulAmérica Seguros •  OnCast Technologies •  Synchro •  Petrobras •  Tecgraf •  Pitanga •  TRIP Linhas Aereas
  26. 26. * Fonte: artigo "Empresas que utilizam SCRUM", de Thiago F. Pereira - <http://blog.thiagofp.com.br/2010/05/20/empresas-que-utilizam-scrum/> empresas que usam scrum O scrum é utilizado em empresas como (continuação): •  UOL •  Vertigo •  Visie Padrões Web •  Visual Systems •  Vivo •  WebGoal
  27. 27. exemplos:empresas que utilizamscrum
  28. 28. empresas que utilizam scrum
  29. 29. empresas que utilizam scrum
  30. 30. empresas que utilizam scrum
  31. 31. empresas que utilizam scrum
  32. 32. * Fonte: artigo "A new global visual language for the BBCs digital services", de Bronwyn van der Merwe - <http://www.bbc.co.uk/blogs/bbcinternet/2010/02/a_new_global_visual_language_f.html> empresas que utilizam scrum
  33. 33. * Fonte: artigo "A new global visual language for the BBCs digital services", de Bronwyn van der Merwe - <http://www.bbc.co.uk/blogs/bbcinternet/2010/02/a_new_global_visual_language_f.html> empresas que utilizam scrum
  34. 34. exemplos:scrum na globo.com
  35. 35. * Fonte: artigo "Visita à Globo.com", de Guilherme Marques - <http://guilhermemarques.wordpress.com/2008/07/31/visita-a-globocom/> scrum na globo.com
  36. 36. * Fonte: palestra “Scrum na Globo.com - Derrubando mitos - UPDATED”, de Danilo Brasusco - <http://www.slideshare.net/bardusco/scrum-na-globocom-derrubando-mitos-updated-presentation> scrum na globo.com
  37. 37. * Fonte: palestra “Scrum na Globo.com - Derrubando mitos - UPDATED”, de Danilo Brasusco - <http://www.slideshare.net/bardusco/scrum-na-globocom-derrubando-mitos-updated-presentation> scrum na globo.com
  38. 38. * Fonte: palestra “Scrum na Globo.com - Derrubando mitos - UPDATED”, de Danilo Brasusco - <http://www.slideshare.net/bardusco/scrum-na-globocom-derrubando-mitos-updated-presentation> scrum na globo.com Trabalho em equipe.
  39. 39. exemplos:scrum na globosat
  40. 40. scrum na globosat Sprint review.
  41. 41. scrum na globosat Sprint planning.
  42. 42. scrum na globosat Sprint planning.
  43. 43. scrum na globosat Sprint backlog.
  44. 44. scrum na globosat Daily meeting.
  45. 45. scrum na globosat Daily meeting.
  46. 46. scrum na globosat Sprint backlog.
  47. 47. scrum na globosat Sprint backlog.
  48. 48. metodologias ágeis para o projeto de interfaces digitais: referências bibliográficas
  49. 49. referências bibliográficas: artigos
  50. 50. referências bibliográficas: artigos•  Empresas que utilizam SCRUM•  Thiago F. Pereira•  http://blog.thiagofp.com.br/2010/05/20/empresas-que-utilizam-scrum/•  A new global visual language for the BBCs digital services•  Bronwyn van der Merwe•  http://www.bbc.co.uk/blogs/bbcinternet/2010/02/a_new_global_visual_•  language_f.html•  Visita à Globo.com•  Guilherme Marques•  http://guilhermemarques.wordpress.com/2008/07/31/visita-a-globocom/
  51. 51. referências bibliográficas: palestras
  52. 52. referências bibliográficas: palestras•  Scrum na Globo.com - Derrubando mitos - UPDATED•  Danilo Brasusco•  http://www.slideshare.net/bardusco/scrum-na-globocom-derrubando-•  mitos-updated-presentation•  The experience of making 8p.com.br•  Marcelo Gluz•  Patricia Fontes
  53. 53. metodologias ágeis para o projeto de interfaces digitais: sobre o professor
  54. 54. sobre o professor Eduardo Rangel Brandão atua desde 1995 na criação de produtos digitais. É gestor da equipe de UX (User eXperience) na área de novas mídias da Globosat, onde desenvolve projetos de sites e aplicativos (smartphones, tablets, smart-TVs, set-top boxes, consoles de games, etc.) para canais de televisão como GNT, SporTV, Multishow, Viva, Gloob, Telecine, Universal Channel, GloboNews, Canal Brasil, MegaPix, SyFy, Futura, PremiereFC, Combate, Sexy-Hot, Off, Muu, Philos, entre outros. É professor em cursos de pós-graduação, em disciplinas correlatas a arquitetura de informação, design de interfaces, usabilidade, interação humano-computador e metodologia de pesquisa. Participa do comitê organizador e do comitê técnico científico de congressos internacionais nas áreas de ergonomia, usabilidade, design de interfaces e interação humano-computador. Trabalhou como arquiteto de informação na Globo.com e como designer de interfaces nas empresas Agência Click, Starmedia, Cadê?, MTEC Informática e Rio Datacentro. Atuou em projetos para Amil, Banco do Brasil, Brasil Telecom, Oi, Petrobras, White Martins, Fundação Planetário, Museu Villa-Lobos, Projeto Portinari, Plaza Shopping Niterói, Pinto de Almeida Engenharia, Decta Engenharia, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e Programa de Despoluição da Baía de Guanabara. Publicou diversos trabalhos (entre capítulos de livros, monografias, dissertações e artigos em congressos), concluiu 7 orientações e 38 co-orientações de monografias de alunos de pós-graduação lato sensu e participou de 44 bancas examinadoras em cursos de pós-graduação lato sensu. TITULAÇÃO: mestre em interação humano-computador, especialista em ergonomia e usabilidade e bacharel em desenho industrial, nas habilitações de comunicação visual e projeto de produto.
  55. 55. fim :-)Eduardo Rangel Brandão, M.Sc.brandaoedu@gmail.comwww.eduardobrandao.com

×