• Save
A natureza do experimento
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

A natureza do experimento

on

  • 812 views

Aula do curso de Pós-Graduação em Ergodesign de Interfaces: Usabilidade e Arquitetura de Informação da PUC-Rio. Mais informações em ...

Aula do curso de Pós-Graduação em Ergodesign de Interfaces: Usabilidade e Arquitetura de Informação da PUC-Rio. Mais informações em http://www.eduardobrandao.com/aulas/tecnicas-pesquisa/a-natureza-do-experimento/

Statistics

Views

Total Views
812
Views on SlideShare
808
Embed Views
4

Actions

Likes
2
Downloads
0
Comments
0

1 Embed 4

http://www.eduardobrandao.com 4

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

A natureza do experimento A natureza do experimento Presentation Transcript

  • a natureza doexperimentoEduardo Rangel Brandão, M.Sc.A reprodução, total ou parcial, dos textos e imagens deste documento só é permitida para fins não comerciais,sendo obrigatória a citação da fonte.
  • O conteúdo desta aula foi ministrado no Curso de Pós-Graduação em Ergodesign de Interfaces: Usabilidade e Arquitetura de Informação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
  • “ O método das técnicas deopesquisa.de experimental é ‘cream la cream’ ”
  • a natureza do experimentoO experimento:•  Representa o melhor exemplo de•  pesquisa científica.•  Constitui o delineamento mais•  prestigiado nos meios científicos.
  • a natureza do experimentoUm experimento é uma avaliaçãoformalmente projetada através decontroles e balanços muito bemajustados.O objetivo é remover o máximo de ruídosnos dados finais, isolando os efeitos paraa execução da tarefa ser a mais clarapossível.
  • a natureza do experimentoTipicamente, a ordem das tarefas ébalanceada, minimizando:•  Possíveis efeitos de aprendizado.•  Transferência de conhecimento durante•  a execução das tarefas.
  • a natureza do experimentoNa pesquisa experimental, distrações quepodem interferir na execução da tarefadevem ser eliminadas.Estas distrações podem surgir a partir doambiente onde a avaliação seráconduzida.
  • a natureza do experimentoPor exemplo:•  Som de pessoas conversando.•  Movimentos que ocorrem dentro do•  campo de visão do participante.
  • a natureza do experimentoDistrações também podem surgir do fatodo usuário precisar realizar uma ou maistarefas, enquanto utiliza o produto queestá sendo avaliado.Para eliminar todos estes efeitos, osexperimentos, geralmente, sãoconduzidos em um ambiente laboratorialestéril, de acordo com protocolosextremamente rígidos.
  • a natureza do experimentoResumindo, o experimento pode serdescrito como:•  Uma série de observações controladas.•  Realizadas em uma situação artificial.•  Através da manipulação deliberada de•  algumas variáveis.•  Com o objetivo de testar uma ou mais•  hipóteses específicas.
  • a natureza do experimento:observaçõescontroladas
  • observações controladasSignifica planejar e descrever todas ascircunstâncias que envolvem os testes,com o objetivo de obter maior controledurante o curso dos eventos.Também significa permitir que ascondições experimentais possam serrepetidas outras vezes.
  • observações controladasCaso o experimento seja descrito demaneira adequada, há a vantagem quequalquer um poderá repeti-lo.
  • “ A observação de acidentes em de estradas sugeriu que certos tipos placas de sinalização não eram visíveis. Isto promoveu a realização de experimentos sobre a legibilidade de vários tipos de números, letras e símbolos, além de outros fatores que contribuem para a legibilidade de ” placas de sinalização.
  • “ A observaçãodurante a utilização de encontradas das dificuldades certos tipos de controles foi o ponto de partida para experimentos sobre o melhor tamanho para estes controles, a relação entre controles e mostradores, etc. ”
  • a natureza do experimento:situações artificiais
  • situações artificiaisNão se pode esquecer que osexperimentos são situações artificiais,planejadas deliberadamente por umpesquisador.As pessoas não costumam se comportarde maneira natural, pois os sujeitosenvolvidos em testes dificilmenteconseguem desempenhar tarefas damesma forma que em situações reais.
  • situações artificiaisA razão para se criar estas situaçõesartificiais é a possibilidade de permitir aopesquisador a chance da realização deum evento em um determinado local etempo.Ele poderá se preparar para observar,detalhadamente, uma situação, poissaberá onde esperar que a mesmaaconteça.
  • a natureza do experimento:manipulaçãode variáveis
  • manipulação de variáveisO pesquisador pode variarsistematicamente algumas condições,para verificar que tipo de resultados eleirá obter.Isto significa que este pesquisador écapaz de testar combinações que nãoocorreriam, ou ainda não ocorreram, navida real.
  • manipulação de variáveisEsta manipulação deliberada dasvariáveis também permite a identificaçãodas causas de um problema com um graude precisão maior do que através demeras observações.
  • manipulação de variáveisEm virtude dessa possibilidade decontrole, os experimentos oferecemgarantia muito maior de que a variávelindependente (x) causa efeitos sobre avariável dependente (y).
  • manipulação de variáveisAo desenvolver uma pesquisaexperimental, é preciso evitar:•  Variáveis cuja manipulação se torna•  difícil ou impossível.•  Variáveis sujeitas a considerações de•  ordem ética, que proíbem a sua•  manipulação.
  • a natureza do experimento:testar hipóteses específicas
  • testar hipóteses específicasPretende-se responder um problemadefinido na mente dos pesquisadores.Logo, o foco da pesquisa está voltadopara algumas questões específicas.Possuir este ponto focal significa que opesquisador pode aguçar todo o seuprocedimento, desenvolvendo um planopara descobrir respostas.
  • a natureza do experimento: referênciasbibliográficas
  • referências bibliográficas: livros
  • referências bibliográficas: livros •  Research techniques in human •  engineering •  Alphonse Chapanis
  • referências bibliográficas: livros •  An introduction to usability •  Patrick W. Jordan
  • referências bibliográficas: monografias,dissertações e teses
  • referências bibliográficas: monografias, dissertações e teses•  Publicidade on-line, ergonomia e usabilidade: o efeito de seis tipos•  de banner no processo humano de visualização do formato do•  anúncio na tela do computador e de lembrança da sua mensagem•  Eduardo Rangel Brandão•  Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Design: Ergonomia e Usabilidade da Interação•  Humano-Computador (PUC-Rio - 2006)•  Ergonomização da interação humano-computador: leiturabilidade•  em terminais de vídeo de computador•  Luís Eduardo Santa Maria•  Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Design: Ergonomia e Usabilidade da Interação•  Humano-Computador (PUC-Rio - 2002)
  • a natureza do experimento:sobre o professor
  • sobre o professor Eduardo Rangel Brandão atua desde 1995 na criação de produtos digitais. É gestor da equipe de UX (User eXperience) na área de novas mídias da Globosat, onde desenvolve projetos de sites e aplicativos (smartphones, tablets, smart-TVs, set-top boxes, consoles de games, etc.) para canais de televisão como GNT, SporTV, Multishow, Viva, Gloob, Telecine, Universal Channel, GloboNews, Canal Brasil, MegaPix, SyFy, Futura, PremiereFC, Combate, Sexy-Hot, Off, Muu, Philos, entre outros. É professor em cursos de pós-graduação, em disciplinas correlatas a arquitetura de informação, design de interfaces, usabilidade, interação humano-computador e metodologia de pesquisa. Participa do comitê organizador e do comitê técnico científico de congressos internacionais nas áreas de ergonomia, usabilidade, design de interfaces e interação humano-computador. Trabalhou como arquiteto de informação na Globo.com e como designer de interfaces nas empresas Agência Click, Starmedia, Cadê?, MTEC Informática e Rio Datacentro. Atuou em projetos para Amil, Banco do Brasil, Brasil Telecom, Oi, Petrobras, White Martins, Fundação Planetário, Museu Villa-Lobos, Projeto Portinari, Plaza Shopping Niterói, Pinto de Almeida Engenharia, Decta Engenharia, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e Programa de Despoluição da Baía de Guanabara. Publicou diversos trabalhos (entre capítulos de livros, monografias, dissertações e artigos em congressos), concluiu 7 orientações e 38 co-orientações de monografias de alunos de pós-graduação lato sensu e participou de 44 bancas examinadoras em cursos de pós-graduação lato sensu. TITULAÇÃO: mestre em interação humano-computador, especialista em ergonomia e usabilidade e bacharel em desenho industrial, nas habilitações de comunicação visual e projeto de produto.
  • fim :-)Eduardo Rangel Brandão, M.Sc.brandaoedu@gmail.comwww.eduardobrandao.com