• Save
Entrevistas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Entrevistas

on

  • 1,316 views

Aula do curso de Pós-Graduação em Ergodesign de Interfaces: Usabilidade e Arquitetura de Informação da PUC-Rio. Mais informações em ...

Aula do curso de Pós-Graduação em Ergodesign de Interfaces: Usabilidade e Arquitetura de Informação da PUC-Rio. Mais informações em http://www.eduardobrandao.com/aulas/tecnicas-pesquisa/entrevistas/

Statistics

Views

Total Views
1,316
Views on SlideShare
1,286
Embed Views
30

Actions

Likes
2
Downloads
0
Comments
0

1 Embed 30

http://www.eduardobrandao.com 30

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Entrevistas Entrevistas Presentation Transcript

    • entrevistasEduardo Rangel Brandão, M.Sc.A reprodução, total ou parcial, dos textos e imagens deste documento só é permitida para fins não comerciais,sendo obrigatória a citação da fonte.
    • O conteúdo desta aula foi ministrado no Curso de Pós-Graduação em Ergodesign de Interfaces: Usabilidade e Arquitetura de Informação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
    • entrevistasPode-se definir entrevista como:Técnica em que o pesquisador seapresenta frente ao participante e lheformula perguntas.Com o objetivo de obter dados queinteressam à pesquisa (informações doentrevistado, sobre determinado assuntoou problema).
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas A entrevista é um encontro entre duas pessoas, a fim de que uma delas obtenha informações a respeito de determinado assunto, mediante uma conversação de natureza profissional. É um procedimento utilizado na investigação social, para a coleta de dados ou para ajudar no diagnóstico ou no tratamento de um problema social.
    • entrevistasÉ uma forma de interação social, umdiálogo assimétrico:•  Uma parte busca coletar dados.•  A outra parte constitui-se em fonte de•  informação.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas Quanto ao seu conteúdo, as entrevistas servem para: •  Averiguação de fatos: descobrir se as •  pessoas que estão de posse de certas •  informações são capazes de •  compreendê-las.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas Quanto ao seu conteúdo, as entrevistas servem para (continuação): •  Determinação das opiniões sobre os •  fatos: conhecer o que as pessoas •  pensam ou acreditam que os fatos •  sejam.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas Quanto ao seu conteúdo, as entrevistas servem para (continuação): •  Determinação de sentimentos: •  compreender a conduta de alguém •  através de seus sentimentos e anseios.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas Quanto ao seu conteúdo, as entrevistas servem para (continuação): •  Descoberta de planos de ação: •  descobrir, por meio das definições •  individuais dadas, qual a conduta •  adequada em determinadas situações, a •  fim de prever qual seria a sua.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas Quanto ao seu conteúdo, as entrevistas servem para (continuação): •  Descoberta de conduta atual ou do •  passado: inferir que conduta a pessoa •  terá no futuro, conhecendo a maneira •  pela qual ela se comportou no passado •  ou se comporta no presente, em •  determinadas situações.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas Quanto ao seu conteúdo, as entrevistas servem para (continuação): •  Descoberta de motivações •  conscientes para opiniões, •  sentimentos, sistemas ou condutas: •  descobrir quais fatores podem •  influenciar as opiniões, sentimentos, •  conduta e por quê?
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas As principais vantagens das entrevistas são: •  Podem ser utilizadas tanto com •  analfabetos quanto com alfabetizados. •  Fornecem uma melhor amostragem da •  população geral (o entrevistado não •  precisa saber ler e escrever).
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas As principais vantagens das entrevistas são (continuação): •  Maior flexibilidade (oportunidade de •  repetição e esclarecimento e •  reformulação das perguntas). •  Possibilita analisar, além das respostas, •  reações, gestos, etc.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas As principais vantagens das entrevistas são (continuação): •  Certas discordâncias encontradas nas •  respostas podem ser esclarecidas de •  imediato. •  Permite a quantificação dos dados e seu •  tratamento estatístico.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas As principais vantagens das entrevistas são (continuação): •  Permite a obtenção de dados que não •  se encontram em fontes documentais, •  mas que são relevantes e significativos.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas As principais limitações das entrevistas são: •  Dificuldade de comunicação e de •  expressão por ambas as partes. •  Incompreensão das perguntas por parte •  do entrevistado, gerando falsas •  interpretações.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas As principais limitações das entrevistas são (continuação): •  Possibilidade do entrevistado ser •  influenciado pelo entrevistador. •  Disposição do entrevistado em fornecer •  as informações. •  Retenção de alguns dados, por receio •  de ter sua identidade revelada.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas As principais limitações das entrevistas são (continuação): •  Pequeno grau de controle sobre a •  situação de coleta de dados. •  Ocupa muito tempo e exige “esforço” •  para ser realizada.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas Algumas variáveis podem interferir na situação de entrevista e devem ser consideradas pelo pesquisador. Por exemplo: •  Tempo. •  Condições espaciais. •  Status e papéis sociais.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas Algumas variáveis podem interferir na situação de entrevista e devem ser consideradas pelo pesquisador. Por exemplo (continuação): •  Idade e sexo. •  Expectativas geradas quanto à entrevista •  e seus resultados. •  Reações afetivas imediatas.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas Recomendações quanto ao uso da técnica: •  A formulação das perguntas deve ser •  simples e direta, a fim de facilitar a •  interpretação. •  Podem ser elaboradas várias perguntas •  e, ao final, selecionar-se as que melhor •  correspondem ao tema da pesquisa.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas Recomendações quanto ao uso da técnica (continuação): •  Na formulação da pauta de entrevista, o •  pesquisador deve colocar-se no lugar do •  entrevistado. •  Temas delicados devem ser abordados •  ao fim da entrevista, quando a mesma já •  ocorre com maior naturalidade.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas Recomendações quanto ao uso da técnica (continuação): •  Deve-se evitar a indução de respostas, •  conscientes ou inconscientes, através da •  formulação da pergunta, olhar, gestos, etc. •  Antes de iniciar a gravação de uma •  entrevista, deve-se pedir autorização e •  explicar os motivos para tal.
    • * Fonte: LEUI - Laboratório de Ergonomia e Usabilidade de Interfaces em Sistemas Humano-Tecnologiadeve-se pedir autorização e explicar os motivos da coleta de dados
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas Recomendações quanto ao uso da técnica (continuação): •  Assim como na observação, também é •  necessário o registro de alguns dados •  básicos da entrevista, como local, data, •  nome, idade e outras informações do •  entrevistado.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas Recomendações quanto ao uso da técnica (continuação): •  Devem ser evitados confidências de •  caráter pessoal, conselhos, lições de •  moral, etc. •  A entrevista, do início ao fim, deve •  transcorrer em um clima de •  cordialidade.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas A descrição de atividades do entrevistado torna-se muito mais fácil quando realizada no seu ambiente de trabalho. Nesse ambiente encontra-se uma série de referências (máquinas, ferramentas, distâncias, etc.) que facilitam a explicitação.
    • * Fonte: dissertação de mestrado “Publicidade on-line, ergonomia e usabilidade: o efeito de seis tipos de banner no processo humano de visualização do formato do anúncio na telado computador e de lembrança da sua mensagem”, de Eduardo Rangel Brandão“ A presença do ergonomista na situação de trabalho estudado é uma das maneiras mais diretas para se resolver problemas ergonômicos. Durante as visitas, são coletados dados sobre o ambiente e a tarefa desenvolvida pelos trabalhadores, fornecendo para o pesquisador os meios de enxergar alguma forma para melhorar as condições de trabalho. ”
    • * Fonte: dissertação de mestrado “Publicidade on-line, ergonomia e usabilidade: o efeito de seis tipos de banner no processo humano de visualização do formato do anúncio na telado computador e de lembrança da sua mensagem”, de Eduardo Rangel Brandão“ Ao analisar oconseguetrabalho, o pesquisador local de obter uma descrição precisa do método utilizado para o desenvolvimento das tarefas. Este é o ponto inicial de qualquer pesquisa em ergonomia, indicando onde é preciso realizar melhorias. ”
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas No entanto, o ideal é poder juntar as explicações dadas no local de trabalho com a descrição detalhada da atividade fora dele.
    • entrevistasA entrevista é o mais flexível de todos osmétodos interrogativos de coleta dedados, sendo possível identificar diversostipos de entrevistas.A classificação de uma entrevista se faz apartir de critérios diversos, sendo que omais usual se refere ao seu grau deestruturação.
    • entrevistasAs entrevistas menos estruturadas são asmais espontâneas, não estando sujeitas aum modelo de interrogação.De forma oposta, as entrevistas maisestruturadas determinam, em menor oumaior grau, as respostas a serem obtidas.
    • entrevistasHá 3 categorias de entrevistas:•  Sem-estrutura.•  Semi-estruturadas.•  Estruturadas.
    • entrevistas: entrevistassem-estrutura
    • entrevistas sem-estruturaPergunta-se uma série de questões (apartir de um roteiro que não é estruturadode forma rígida).Dando a oportunidade do respondentedirigir a discussão para os assuntos queconsidera importantes.
    • entrevistas sem-estruturaEste tipo de entrevista distingue-se dasimples conversação pelo seu objetivobásico de coleta de dados.É mais apropriada nas situações ondedesconhece-se os problemasrelacionados ao interesse do usuário.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas sem-estrutura O uso das entrevistas sem-estrutura na ergonomia: •  Durante a problematização e a •  sistematização do SHTM (sistema •  homem-tarefa-máquina) estudado.
    • * Fonte: livro “Ergonomia: conceitos e aplicações”, de Anamaria de Moraes e Cláudia Mont’Alvão o uso das entrevistas sem-estrutura na ergonomia 1. 2. 3. 4. apreciação diagnose projetação validação ergonômica ergonômica ergonômica ergonômica 1.1. 3.1. 4.1. 2.1. problematização conceituação construção análise da tarefa do shtm do projeto de protótipos 2.2. 4.2. 1.2. 3.2. perfil e voz avaliação sistematização soluções dos operadores ergonômica 1.3. 2.3. •  Adaptar as •  Retornar aos estações de usuários as parecer recomendações trabalho, propostas e ergonômico ergonômicas equipamentos e alternativas 1.4. •  Aprofundar os ferramentas às projetuais problemas características sugestões de •  Compreende priorizados e testar físicas, psíquicas e melhoria simulações e predições cognitivas do avaliações através •  Mapeamento dos trabalhador •  Observações de testes problemas sistemáticas •  Os trabalhadores •  Observações •  Entrevistas participam das assistemáticas no estruturadas decisões relativas local de trabalho às soluções a serem •  Questionários e •  Entrevistas implementadas, escalas de avaliação detalhadas e •  Registros •  Registros em vídeo implantadas fotográficos e/ou em vídeo
    • entrevistas: entrevistassemi-estruturadas
    • entrevistas semi-estruturadasO pesquisador possui uma idéia clarasobre o que considera relevante em umaavaliação.O pesquisador possui uma idéia clarasobre os assuntos que espera que osrespondentes abordem.
    • entrevistas semi-estruturadasDurante todo o tempo, tenta-se assegurarque certos pontos serão discutidos nasrespostas.Ao mesmo tempo, os respondentestambém podem levantar questões quesão de importância particular para eles.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas semi-estruturadas O uso das entrevistas semi-estruturadas na ergonomia: •  Durante a problematização e a •  sistematização do SHTM (sistema •  homem-tarefa-máquina) estudado. •  Nas enquetes com supervisores, •  engenheiros de segurança ou médicos •  do trabalho.
    • * Fonte: livro “Ergonomia: conceitos e aplicações”, de Anamaria de Moraes e Cláudia Mont’Alvão o uso das entrevistas semi-estruturas na ergonomia 1. 2. 3. 4. apreciação diagnose projetação validação ergonômica ergonômica ergonômica ergonômica 1.1. 3.1. 4.1. 2.1. problematização conceituação construção análise da tarefa do shtm do projeto de protótipos 2.2. 4.2. 1.2. 3.2. perfil e voz avaliação sistematização soluções dos operadores ergonômica 1.3. 2.3. •  Adaptar as •  Retornar aos estações de usuários as parecer recomendações trabalho, propostas e ergonômico ergonômicas equipamentos e alternativas 1.4. •  Aprofundar os ferramentas às projetuais problemas características sugestões de •  Compreende priorizados e testar físicas, psíquicas e melhoria simulações e predições cognitivas do avaliações através •  Mapeamento dos trabalhador •  Observações de testes problemas sistemáticas •  Os trabalhadores •  Observações •  Entrevistas participam das assistemáticas no estruturadas decisões relativas local de trabalho às soluções a serem •  Questionários e •  Entrevistas implementadas, escalas de avaliação detalhadas e •  Registros •  Registros em vídeo implantadas fotográficos e/ou em vídeo
    • entrevistas: entrevistasestruturadas
    • entrevistas estruturadasOs respondentes devem escolher umaresposta em um arranjo pré-ajustado.Isto significa pedir que:•  Os respondentes indiquem a utilidade•  de uma característica em uma escala.•  Os respondentes escolham uma•  alternativa em categorias de respostas.
    • * Fonte: palestra “Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora: Entrevista”, de Rodrigo Alcântara de Souza entrevistas estruturadas O uso das entrevistas estruturadas na ergonomia: •  No diagnóstico ergonômico, durante a •  análise da tarefa (registros •  comportamentais). •  Quando já se conhece melhor a •  situação de trabalho e a tarefa.
    • * Fonte: livro “Ergonomia: conceitos e aplicações”, de Anamaria de Moraes e Cláudia Mont’Alvão o uso das entrevistas estruturadas na ergonomia 1. 2. 3. 4. apreciação diagnose projetação validação ergonômica ergonômica ergonômica ergonômica 1.1. 3.1. 4.1. 2.1. problematização conceituação construção análise da tarefa do shtm do projeto de protótipos 2.2. 4.2. 1.2. 3.2. perfil e voz avaliação sistematização soluções dos operadores ergonômica 1.3. 2.3. •  Adaptar as •  Retornar aos estações de usuários as parecer recomendações trabalho, propostas e ergonômico ergonômicas equipamentos e alternativas 1.4. •  Aprofundar os ferramentas às projetuais problemas características sugestões de •  Compreende priorizados e testar físicas, psíquicas e melhoria simulações e predições cognitivas do avaliações através •  Mapeamento dos trabalhador •  Observações de testes problemas sistemáticas •  Os trabalhadores •  Observações •  Entrevistas participam das assistemáticas no estruturadas decisões relativas local de trabalho às soluções a serem •  Questionários e •  Entrevistas implementadas, escalas de avaliação detalhadas e •  Registros •  Registros em vídeo implantadas fotográficos e/ou em vídeo
    • entrevistas: referênciasbibliográficas
    • referências bibliográficas: livros
    • referências bibliográficas: livros •  Ergonomia: conceitos e aplicações •  Anamaria de Moraes •  Cláudia Mont’Alvão
    • referências bibliográficas: livros •  An introduction to usability •  Patrick W. Jordan
    • referências bibliográficas: monografias,dissertações e teses
    • referências bibliográficas: monografias, dissertações e teses•  Publicidade on-line, ergonomia e usabilidade: o efeito de seis tipos•  de banner no processo humano de visualização do formato do•  anúncio na tela do computador e de lembrança da sua mensagem•  Eduardo Rangel Brandão•  Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Design: Ergonomia e Usabilidade da Interação•  Humano-Computador (PUC-Rio - 2006)
    • referências bibliográficas: palestras
    • referências bibliográficas: monografias, dissertações e teses•  Ergonomia - Métodos e Técnicas da Intervenção Ergonomizadora:•  Entrevista•  Rodrigo Alcântara de Souza
    • entrevistas:sobre o professor
    • sobre o professor Eduardo Rangel Brandão atua desde 1995 na criação de produtos digitais. É gestor da equipe de UX (User eXperience) na área de novas mídias da Globosat, onde desenvolve projetos de sites e aplicativos (smartphones, tablets, smart-TVs, set-top boxes, consoles de games, etc.) para canais de televisão como GNT, SporTV, Multishow, Viva, Gloob, Telecine, Universal Channel, GloboNews, Canal Brasil, MegaPix, SyFy, Futura, PremiereFC, Combate, Sexy-Hot, Off, Muu, Philos, entre outros. É professor em cursos de pós-graduação, em disciplinas correlatas a arquitetura de informação, design de interfaces, usabilidade, interação humano-computador e metodologia de pesquisa. Participa do comitê organizador e do comitê técnico científico de congressos internacionais nas áreas de ergonomia, usabilidade, design de interfaces e interação humano-computador. Trabalhou como arquiteto de informação na Globo.com e como designer de interfaces nas empresas Agência Click, Starmedia, Cadê?, MTEC Informática e Rio Datacentro. Atuou em projetos para Amil, Banco do Brasil, Brasil Telecom, Oi, Petrobras, White Martins, Fundação Planetário, Museu Villa-Lobos, Projeto Portinari, Plaza Shopping Niterói, Pinto de Almeida Engenharia, Decta Engenharia, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e Programa de Despoluição da Baía de Guanabara. Publicou diversos trabalhos (entre capítulos de livros, monografias, dissertações e artigos em congressos), concluiu 7 orientações e 38 co-orientações de monografias de alunos de pós-graduação lato sensu e participou de 44 bancas examinadoras em cursos de pós-graduação lato sensu. TITULAÇÃO: mestre em interação humano-computador, especialista em ergonomia e usabilidade e bacharel em desenho industrial, nas habilitações de comunicação visual e projeto de produto.
    • fim :-)Eduardo Rangel Brandão, M.Sc.brandaoedu@gmail.comwww.eduardobrandao.com