Como deve ser a estrutura de um questionário?

39,523 views
39,232 views

Published on

Aula do curso de Pós-Graduação em Ergodesign de Interfaces: Usabilidade e Arquitetura de Informação da PUC-Rio. Mais informações em http://www.eduardobrandao.com/aulas/tecnicas-pesquisa/como-deve-ser-a-estrutura-de-um-questionario/

Published in: Education
0 Comments
30 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
39,523
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
30
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Como deve ser a estrutura de um questionário?

  1. 1. como deve ser aestrutura de umquestionário?Eduardo Rangel Brandão, M.Sc.A reprodução, total ou parcial, dos textos e imagens deste documento só é permitida para fins não comerciais,sendo obrigatória a citação da fonte.
  2. 2. O conteúdo desta aula foi ministrado no Curso de Pós-Graduação em Ergodesign de Interfaces: Usabilidade e Arquitetura de Informação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
  3. 3. * Fonte: livro “Questionnaire design, interviewing and attitude measurement”, de A. N. Oppenheim“ O questionário não é apenas uma é parte de um formulário oficial, não apenas um arranjo de questões que ‘brotaram’ casualmente sem nenhum planejamento. ”
  4. 4. * Fonte: livro “Questionnaire design, interviewing and attitude measurement”, de A. N. Oppenheim | Imagem retirada da internet (através da busca por imagens do Google)“ Questionar pessoas significa mais do que apenas fisgar um peixe particular, sendo necessárias diferentes tipos de iscas para profundidades distintas e sem saber o que está acontecendo logo abaixo da superfície. ”
  5. 5. estrutura do questionárioNão se pode deixar de lado asrecomendações para o projeto de umquestionário.Mesmo nos casos em que algumasadaptações são necessárias, paraadequar o questionário ao propósito dapesquisa, o uso das recomendaçõesaumenta a chance de se obter osresultados esperados pelo pesquisador.
  6. 6. estrutura do questionárioO objetivo da pesquisa determina asperguntas feitas para o respondente.O pesquisador não tem poder sobre orespondente e precisa convencê-lo deque vale a pena participar da pesquisa.É preciso ganhar a cooperação dorespondente e motivá-lo a responder asperguntas.
  7. 7. * Imagem retirada da internet (através da busca por imagens do Google) estrutura do questionário
  8. 8. estrutura do questionárioUma estrutura bem pensada contribui para:•  Reduzir o esforço do respondente.•  Assegurar que todos os temas de•  interesse do pesquisador sejam tratados•  (numa ordem que sugira uma “conversa•  com objetivo”).•  Manter o interesse do respondente em•  continuar.
  9. 9. estrutura do questionárioAntes de mais nada, deve-se:•  Focalizar no objetivo da pesquisa.•  Focalizar nas perguntas que o•  pesquisador quer investigar.•  Saber porque está incluindo cada•  pergunta na pesquisa.•  Saber o que as respostas implicam para o•  andamento da pesquisa.
  10. 10. estrutura do questionárioA ferramenta deve funcionar como umdiálogo, onde cada pergunta revela umainformação sobre o respondente e provêdados para o pesquisador.A ordem das perguntas deve sugerir umpasso-a-passo, indo dos itens mais fáceispara os itens mais complexos.
  11. 11. estrutura do questionárioLogo, um primeiro princípio deestruturação é direcionar-se:•  Do mais geral para o mais específico.•  Do menos delicado para o mais•  delicado.•  Do menos pessoal para o mais pessoal.
  12. 12. estrutura do questionárioAs perguntas iniciais servem:•  Menos para obter informação do•  respondente.•  Mais para estabelecer um•  relacionamento de confiança (entre o•  respondente e o pesquisador).
  13. 13. estrutura do questionárioA “aproximação em funil”, precedida porvárias “questões filtro”, é um tipo deseqüência bem conhecida e geralmenteutilizada.
  14. 14. * Fonte: livro “Questionnaire design, interviewing and attitude measurement”, de A. N. Oppenheim | Imagem retirada da internet (através da busca por imagens do Google) estrutura do questionário Aproximação em funil Começa com uma questão bem ampla, progressivamente estreita o escopo das perguntas, até chegar a alguns pontos muito específicos.
  15. 15. * Fonte: livro “Questionnaire design, interviewing and attitude measurement”, de A. N. Oppenheim | Imagem retirada da internet (através da busca por imagens do Google) estrutura do questionário Questões filtro Utilizadas para excluir alguns respondentes, a partir de uma seqüência particular de perguntas que são irrelevantes para esta pessoa.
  16. 16. estrutura do questionárioPara estabelecer confiança, opesquisador precisa:•  Apresentar-se e indicar com e para•  quem trabalha (identificando-se com•  uma instituição conhecida e legitimada).•  Capturar o interesse do respondente•  pelo tema.
  17. 17. estrutura do questionárioPara estabelecer confiança, opesquisador precisa (continuação):•  Expressar apreciação, ressaltando•  antecipadamente o quanto opiniões e•  experiências deste respondente são•  importantes.
  18. 18. * Fonte: dissertação de mestrado “Publicidade on-line, ergonomia e usabilidade: o efeito de seis tipos de banner no processo humano de visualização do formato do anúncio na telado computador e de lembrança da sua mensagem”, de Eduardo Rangel Brandão estrutura do questionário Exemplo de folha de introdução de um questionário.
  19. 19. * Fonte: dissertação de mestrado “Publicidade on-line, ergonomia e usabilidade: o efeito de seis tipos de banner no processo humano de visualização do formato do anúncio na telado computador e de lembrança da sua mensagem”, de Eduardo Rangel Brandão estrutura do questionário Apresentar o pesquisador e a instituição Capturar o interesse do participante Expressar apreciação Exemplo de folha de introdução de um questionário.
  20. 20. * Fonte: dissertação de mestrado “Publicidade on-line, ergonomia e usabilidade: o efeito de seis tipos de banner no processo humano de visualização do formato do anúncio na telado computador e de lembrança da sua mensagem”, de Eduardo Rangel Brandão estrutura do questionário Exemplo de termo de aceite para a participação em uma pesquisa.
  21. 21. * Fonte: dissertação de mestrado “Publicidade on-line, ergonomia e usabilidade: o efeito de seis tipos de banner no processo humano de visualização do formato do anúncio na telado computador e de lembrança da sua mensagem”, de Eduardo Rangel Brandão estrutura do questionário Apresentar a instituição e capturar o interesse do participante Capturar o interesse do participante Capturar o interesse do participante Exemplo de termo de aceite para a participação em uma pesquisa.
  22. 22. estrutura do questionárioExemplo de roteiro de um formulário.
  23. 23. estrutura do questionário Apresentar o pesquisador e capturar o interesse do participanteExemplo de roteiro de um formulário.
  24. 24. estrutura do questionárioEsta etapa de introdução:•  Precisa ser persuasiva.•  Deve conter toda a informação•  necessária para poder agir da maneira•  esperada pelo pesquisador.
  25. 25. estrutura do questionárioLogo, um questionário deve começar com:•  Uma introdução que apresenta o•  propósito da pesquisa.•  As instruções de preenchimento.•  O tempo de duração de preenchimento.•  As informações de contato do•  pesquisador.
  26. 26. * Fonte: artigo “Como elaborar um questionário”, de Hartmut Gunther - <http://www.unb.br/ip/lpa/pdf/01Questionario.pdf> | Imagem retirada da internet (através da busca porimagens do Google) estrutura do questionário O esforço para pedir instruções adicionais pode fazer com que a maioria dos potenciais respondentes ignore a pesquisa.
  27. 27. estrutura do questionárioApós conseguir convencer umrespondente a dar sua atenção, peloargumento de que a pesquisa trata de umassunto do seu interesse...
  28. 28. estrutura do questionário•  Não convém começar a interação por•  perguntas burocráticas (nome, sexo,•  idade, etc.).•  Não convém começar a interação por•  perguntas delicadas (renda familiar, se•  possui alguma doença, etc.).
  29. 29. estrutura do questionárioApós a introdução, o questionário deveapresentar perguntas agrupadas portemas, que sejam interessantes para osrespondentes, despertando a suavontade de continuar.Não devem ser perguntas declassificação demográfica, pois, nesteestágio inicial, são consideradas chatas,burocráticas e intrusivas.
  30. 30. estrutura do questionárioSomente no final, o questionário deveapresentar, se houver necessidade, asperguntas demográficas e as informaçõesde contato do respondente.
  31. 31. estrutura do questionárioAo proceder desta forma, o pesquisador:•  Aumenta as chances de obter o que•  está procurando através de respostas•  espontâneas.•  Posiciona todo o assunto em um•  contexto que também é determinado por•  outros fatores.
  32. 32. * Fonte: artigo “Como elaborar um questionário”, de Hartmut Gunther - <http://www.unb.br/ip/lpa/pdf/01Questionario.pdf> | Imagem retirada da internet (através da busca porimagens do Google)“ Até onde se aceita ser indagado por um estranho acerca de assuntos pessoais? Quais assuntos são considerados públicos? Quais são privados? ”
  33. 33. estrutura do questionárioEm outras palavras:•  Se o respondente concorda em•  responder a pesquisa, porque considera•  a temática interessante, a primeira•  pergunta (e as seguintes) deve(m) tratar•  desta temática.
  34. 34. estrutura do questionárioUm erro comum é começar com olevantamento de dados pessoais.Mas, não convém identificar orespondente.Há que assegurar que a pesquisa nãovisa identificar indivíduos.
  35. 35. estrutura do questionárioAs perguntas sócio-demográficas servemapenas para caracterizar a população(amostra).O pesquisador é capaz de obterrespostas autênticas ao fazer perguntaspessoais só após haver estabelecido bomnível de confiança.
  36. 36. estrutura do questionárioLogo, perguntas pessoais sobre orespondente constituem o último conjuntode perguntas, algo do tipo:
  37. 37. * Fonte: artigo “Como elaborar um questionário”, de Hartmut Gunther - <http://www.unb.br/ip/lpa/pdf/01Questionario.pdf>“ Concluindo, gostaríamosmelhor algumas perguntas para de fazer caracterizar os respondentes desta pesquisa... ”
  38. 38. estrutura do questionárioPara o pesquisador, questões como:•  “Você é solteiro?”•  “Você é casado?”•  “Você é viúvo?”Podem apenas representar itens declassificação de rotina.
  39. 39. estrutura do questionárioMas para os respondentes, tais questõespodem referir-se a aspectos muitosensíveis de suas vidas.O pesquisador conta com pouco direitopara introduzir tais assuntos.Caso comece com este tipo de questão,não deve ficar surpreso se não conseguirrespostas.
  40. 40. estrutura do questionárioSendo assim:•  Tendo a proposta do estudo sido•  explicada.•  Tendo o respondente concordado em•  cooperar.
  41. 41. estrutura do questionárioSendo assim (continuação):•  Este respondente espera algumas•  questões interessantes que tratem dos•  tópicos estudados.•  Ao invés de ser direcionado para tópicos•  diferentes, onde pergunta-se uma série•  de questões sobre suas vidas privadas.
  42. 42. estrutura do questionárioAlém disso, é preciso “aparar” o tamanhodo questionário.Se esse questionário for longo demais, irácausar fadiga e desinteresse nosrespondentes.Se for curto demais, corre o risco de nãooferecer informações suficientes para opesquisador.
  43. 43. estrutura do questionárioManter o questionário breve é uma formade maximizar a quantidade de respostas.Recomenda-se o uso de 20 a 30perguntas no questionário, com umtempo de 20 a 30 minutos de duração.
  44. 44. estrutura do questionárioA leitura das instruções deve durar 5minutos.Cada pergunta deve durar de 30(pergunta fechada) à 60 (pergunta aberta)segundos para ser respondida.Logo, manter o questionário com 20perguntas dá uma boa margem desegurança para o pesquisador.
  45. 45. estrutura do questionárioQuestionários que tomam mais de 20 ou30 minutos para serem respondidos, dãoa sensação de serem um fardo para orespondente.Naturalmente, esse número não é fixo evaria de acordo com o tipo de pesquisa eo tipo de respondente.
  46. 46. estrutura do questionárioÉ importante tratar todos os dados doquestionário de maneira confidencial.Apenas o pesquisador tem acesso àessas informações.Convém deixar claro para o respondenteque a pesquisa será mantida em caráterconfidencial e que as informaçõesprestadas permanecerão no anonimato.
  47. 47. estrutura do questionárioAlgumas medidas devem ser tomadaspara assegurar que as informações dosrespondentes:•  Não serão publicadas.•  Não identificarão pessoas ou•  organizações (sem as devidas•  permissões).
  48. 48. * Fonte: livro “Questionnaire design, interviewing and attitude measurement”, de A. N. Oppenheim | Imagem retirada da internet (através da busca por imagens do Google)“ O conteúdo deste questionário é absolutamente confidencial. Qualquer informação identificando o respondente não será divulgada sob quaisquer circunstâncias. ”
  49. 49. * Fonte: dissertação de mestrado “Publicidade on-line, ergonomia e usabilidade: o efeito de seis tipos de banner no processo humano de visualização do formato do anúncio na telado computador e de lembrança da sua mensagem”, de Eduardo Rangel Brandão estrutura do questionário Exemplo de folha de introdução de um questionário.
  50. 50. * Fonte: dissertação de mestrado “Publicidade on-line, ergonomia e usabilidade: o efeito de seis tipos de banner no processo humano de visualização do formato do anúncio na telado computador e de lembrança da sua mensagem”, de Eduardo Rangel Brandão estrutura do questionário Tratar os dados de maneira confidencial Exemplo de folha de introdução de um questionário.
  51. 51. * Fonte: dissertação de mestrado “Publicidade on-line, ergonomia e usabilidade: o efeito de seis tipos de banner no processo humano de visualização do formato do anúncio na telado computador e de lembrança da sua mensagem”, de Eduardo Rangel Brandão estrutura do questionário Exemplo de termo de aceite para a participação em uma pesquisa.
  52. 52. * Fonte: dissertação de mestrado “Publicidade on-line, ergonomia e usabilidade: o efeito de seis tipos de banner no processo humano de visualização do formato do anúncio na telado computador e de lembrança da sua mensagem”, de Eduardo Rangel Brandão estrutura do questionário Tratar os dados de maneira confidencial Exemplo de termo de aceite para a participação em uma pesquisa.
  53. 53. estrutura do questionárioExemplo de questionário de recrutamento de participantes para testes de usabilidade do Google.
  54. 54. estrutura do questionário Tratar os dados de maneira confidencialExemplo de questionário de recrutamento de participantes para testes de usabilidade do Google.
  55. 55. como deve ser a estrutura de um questionário? referências bibliográficas
  56. 56. referências bibliográficas: livros
  57. 57. referências bibliográficas: livros •  Questionnaire design, interviewing •  and attitude measurement •  A. N. Oppenheim
  58. 58. referências bibliográficas: livros •  An introduction to usability •  Patrick W. Jordan
  59. 59. referências bibliográficas: livros •  Observing the user experience: a •  practitioners guide to user research •  Mike Kuniavsky
  60. 60. referências bibliográficas: livros •  Técnicas de pesquisa •  Marina de Andrade Marconi •  Eva Maria Lakatos
  61. 61. referências bibliográficas: livros •  Métodos e técnicas de pesquisa •  social •  Antonio Carlos Gil
  62. 62. referências bibliográficas: artigos
  63. 63. referências bibliográficas: artigos•  Como elaborar um questionário•  Hartmut Gunther•  http://www.unb.br/ip/lpa/pdf/01Questionario.pdf
  64. 64. referências bibliográficas: monografias,dissertações e teses
  65. 65. referências bibliográficas: monografias, dissertações e teses•  Publicidade on-line, ergonomia e usabilidade: o efeito de seis tipos•  de banner no processo humano de visualização do formato do•  anúncio na tela do computador e de lembrança da sua mensagem•  Eduardo Rangel Brandão•  Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Design: Ergonomia e Usabilidade da Interação•  Humano-Computador (PUC-Rio - 2006)
  66. 66. como deve ser a estrutura de um questionário? sobre o professor
  67. 67. sobre o professor Eduardo Rangel Brandão atua desde 1995 na criação de produtos digitais. É gestor da equipe de UX (User eXperience) na área de novas mídias da Globosat, onde desenvolve projetos de sites e aplicativos (smartphones, tablets, smart-TVs, set-top boxes, consoles de games, etc.) para canais de televisão como GNT, SporTV, Multishow, Viva, Gloob, Telecine, Universal Channel, GloboNews, Canal Brasil, MegaPix, SyFy, Futura, PremiereFC, Combate, Sexy-Hot, Off, Muu, Philos, entre outros. É professor em cursos de pós-graduação, em disciplinas correlatas a arquitetura de informação, design de interfaces, usabilidade, interação humano-computador e metodologia de pesquisa. Participa do comitê organizador e do comitê técnico científico de congressos internacionais nas áreas de ergonomia, usabilidade, design de interfaces e interação humano-computador. Trabalhou como arquiteto de informação na Globo.com e como designer de interfaces nas empresas Agência Click, Starmedia, Cadê?, MTEC Informática e Rio Datacentro. Atuou em projetos para Amil, Banco do Brasil, Brasil Telecom, Oi, Petrobras, White Martins, Fundação Planetário, Museu Villa-Lobos, Projeto Portinari, Plaza Shopping Niterói, Pinto de Almeida Engenharia, Decta Engenharia, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e Programa de Despoluição da Baía de Guanabara. Publicou diversos trabalhos (entre capítulos de livros, monografias, dissertações e artigos em congressos), concluiu 7 orientações e 38 co-orientações de monografias de alunos de pós-graduação lato sensu e participou de 44 bancas examinadoras em cursos de pós-graduação lato sensu. TITULAÇÃO: mestre em interação humano-computador, especialista em ergonomia e usabilidade e bacharel em desenho industrial, nas habilitações de comunicação visual e projeto de produto.
  68. 68. fim :-)Eduardo Rangel Brandão, M.Sc.brandaoedu@gmail.comwww.eduardobrandao.com

×