Your SlideShare is downloading. ×
Revolução Francesa
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Revolução Francesa

27,465

Published on

Revolução Francesa

Revolução Francesa

Published in: Design
3 Comments
39 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
27,465
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
12
Actions
Shares
0
Downloads
1,652
Comments
3
Likes
39
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. REVOLUÇÃO FRANCESA
  • 2. Introdução  Foi o conjunto de eventos que, de 1789 a 1799, alterou o quadro político, econômico e social da França.  Antes da revolução, a França era caracterizada pelo Antigo Regime, ou seja, o absolutismo monárquico, o mercantilismo e a sociedade estamental.  A revolução rompeu com o antigo regime, que dominava a Europa desde o século XV. Tornou- se, assim, um importante marco histórico, iniciando a Idade Contemporânea.  A Revolução Francesa inspirou reformas em outros países, além de ter influenciado na independência das colônias espanholas e na proclamação da independência do Brasil.
  • 3. Introdução Embora seja uma revolução burguesa, houve forte participação popular; Representa o momento em que a burguesia, já detentora do poder econômico, atinge o PODER POLÍTICO.
  • 4. Causas  Dentre as principais causas da Revolução Francesa, podemos destacar o custo da monarquia, pois o rei Luís XVI e a sua corte gastavam enormes quantias para sustentar seus privilégios.  As ideias iluministas também influenciaram o desejo por reformas políticas e econômicas. Os ideais de liberdade, igualdade e fraternidade acabaram estampados nas cores da bandeira e também no hino da França.  O gasto com guerras pesou na economia do país. A França participou da Guerra da Independência dos Estados Unidos e perdeu a Guerra dos Sete Anos, contra a Inglaterra.
  • 5. Causas  Além disso, o quadro econômico na França era péssimo e a fome ameaçava a população. Secas prejudicavam a agricultura e acentuavam a miséria. Havia escassez de alimentos, o que aumentava ainda mais a revolta da população.  A divisão da sociedade francesa também pode ser considerada causa da revolução, pois não havia mobilidade e a posição social dependia do nascimento.
  • 6. Causas No século XVIII, a burguesia se sentia prejudicada pela intervenção do Estado na economia (Mercantilismo)  Politicamente, o reinado de Luís XVI caracterizava uma monarquia absolutista (poder ilimitado e de origem divina).
  • 7. Divisão da sociedade  A sociedade francesa era estamental, dividida em três estados ou ordens. sem mobilidade social, que mantinha os privilégios de nascimento da nobreza.  Primeiro estado: CLERO  Segundo estado: NOBREZA   Terceiro estado: POVO ALTO - Bispos, abades (origem nobre) BAIXO - Padres (origem popular) DE SANGUE (herdeiros da nobreza feudal) DE TOGA (Burgueses que compravam ou ganhavam títulos de nobreza) BURGUESIA: Alta, Média e Pequena. POBRES – Camponeses, trabalhadores urbanos e desempregados.
  • 8. Divisão da sociedade  Obs.: O primeiro e o segundo estados tinham isenção de impostos, logo o Estado francês era sustentado pelo terceiro estado (burguesia).
  • 9. No início da década de 1780, a França se encontrava em uma grave crise econômico- financeira . Suas principais causas foram:  Guerra dos Sete Anos (1756-63), contra a Inglaterra: muitas despesas militares e perda de regiões coloniais;  Guerra de Independência dos EUA: empobreceu os cofres públicos em mais de dois bilhões de libras;  Tratado comercial de 1786, assinado com a Inglaterra (vinhos franceses em troca de tecidos ingleses) levou à falência de indústrias francesas e aumentou o descontentamento burguês.
  • 10.  Fenômenos climáticos prejudicaram as colheitas e aumentaram o preço do trigo e do pão, causando fome e aumentando a insatisfação popular;  Os gastos da nobreza parasitária e o luxo das festas da corte francesa no Palácio de Versalhes eram bancados pelos impostos pagos pela burguesia.
  • 11.  A INSATISFAÇÃO da maioria esmagadora da população contra a monarquia fazia da França um terreno fértil para os ideais iluministas de “ Liberdade, Igualda de e Fraternidade”. A Liberdade guiando o povo, de Eugène Delacroix
  • 12. Etapas da Revolução. Assembleia dos Estados Gerais (1789): Para resolver a questão dos impostos, o rei convoca a Assembleia dos Estados Gerais, com representantes dos três estados;  Cada estado tinha direito a um voto, mas a burguesia queria uma votação por indivíduo, o que levou a violentas discussões; Diante da impossibilidade de resolver a questão, o terceiro estado se separou dos demais, declarando-se ASSEMBLEIA NACIONAL CONSTITUINTE.
  • 13. 1ª fase: Assembleia Nacional Constituinte (1789-91)  A Constituição representaria o fim do absolutismo monárquico na França;  Em Paris, o povo invadiu a antiga prisão da Bastilha, num momento que representou, simbolicamente, o fim do Antigo Regime;  Na zona rural, os camponeses invadiram castelos, incendiaram plantações e massacraram membros da nobreza e do clero (o Grande Medo ).
  • 14.  A Tomada da Bastilha, 14 de julho de 1789.
  • 15. Decisões da Assembleia Nacional Constituinte:  Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão (todos têm direito à liberdade e à defesa da propriedade privada);  Extinção dos privilégios feudais da nobreza;  Aprovação da Constituição Civil do Clero : confisco das terras da Igreja e subordinação de seus membros ao Estado francês;  Promulgação da Constituição de 1791 , que estabelecia o voto censitário e a tripartição dos poderes .
  • 16. Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão.
  • 17. Monarquia constitucional (1791-92)  Luís XVI aceitou a Constituição, mas foi pego ao tentar fugir com sua família para a Áustria e preso no Palácio das Tulherias;  As monarquias absolutistas da Europa começaram a organizar uma ofensiva contra a França e, diante da invasão prussiana, a Assembleia convocou todos os cidadãos à guerra; Às armas cidadãos! Formai vossos batalhões! Marchemos, marchemos! Nossa terra do sangue impuro se saciará!
  • 18.  A multidão, enfurecida, invadiu o local onde o rei estava preso, considerando-o um traidor. Os revolucionários aboliram a monarquia e proclamaram a República . Invasão ao Palácio das Tulherias, 10 de agosto de 1792.
  • 19. 2ª FASE: A Convenção (1792-93)  Girondinos – sentavam-se à direita na Assembleia e representavam a alta burguesia;  Jacobinos – sentavam-se à esquerda, na parte mais alta da Assembleia e defendiam os interesses da pequena burguesia e dos sans-culottes;  Planície ou Pântano – sem posição política definida, sentava-se ao centro da Assembleia, na parte mais baixa.  Seus membros foram escolhidos por sufrágio universal Masculino e pertenciam aos seguintes partidos políticos:
  • 20. 2ª fase: A Convenção (1792-93)  A Convenção decidiu, por votação, mandar o rei deposto (Cidadão Luís Capeto) à guilhotina;  A execução do rei levou as nações absolutistas – Áustria, Prússia, Espanha, reinos italianos, Países Baixos – e a Inglaterra a formar a Primeira Coligação, contra a França;  Dentro da França, houve levantes antirrevolucionários de camponeses, instigados por padres reacionários e pela pequena nobreza (Vendeia). Sans-culotte parisiense.  Em junho de 1793, tem início a REPÚBLICA JACOBINA (“o Terror”), quando os sans- culotes e os jacobinos, invadiram a Convenção e prenderam os líderes girondinos.
  • 21. República Jacobina (junho de 1793 – julho de 1794)  Criação do Tribunal Revolucionário, que julgava os opositores da Revolução e condenava-os à morte na guilhotina;  Houve a criação do ensino público e gratuito, abolição da escravidão nas colônias, tabelamento dos preços dos alimentos e a instituição do sufrágio universal masculino;  Os jacobinos perderam popularidade graças à carnificina das execuções, o que levou à volta dos girondinos ao poder no Golpe do 9 Termidor .
  • 22. Reação termidoriana (1794-95)  Execução de Robespierre na guilhotina e anulação das medidas populares tomadas pelos jacobinos;  Restabelecimento da liberdade de preços e promulgação de uma nova Constituição, que estabelecia que o Poder Executivo seria exercido pelo Diretório, além do retorno do voto censitário .
  • 23. 3ª fase: O Diretório (1795-99)  Após a queda de Robespierre, a alta burguesia voltou ao poder disposta a consolidar suas conquistas.  Em agosto de 1795, foi criado o Diretório, no qual cinco membros – chamados de diretores – exerciam o Poder Executivo. Esta fase encerrou em 799.  A crise econômica agravava-se a cada dia, a corrupção aumentava e faltavam alimentos. Com o passar do tempo, o governo do Diretório foi ficando cada vez mais enfraquecido.  Com a França imersa no caos, e sob a ameaça de ataques internos e externos, a burguesia articulou entregar o poder a alguém influente e poderoso.  Esse alguém foi o jovem general Napoleão Bonaparte, que, a partir de 1799, começou a governar a França.
  • 24. O Diretório (1795-99)  Teve maioria girondina e sofria oposição dos jacobinos e dos monarquistas;  Enfrentou tentativas de golpes dos dois grupos, como a Conspiração dos Iguais , cujo líder jacobino foi preso e guilhotinado pelos girondinos. “Graco” Babeuf.
  • 25.  Externamente, a França ainda enfrentava, com sucesso, os países absolutistas e começou a se destacar o gênio militar de Napoleão Bonaparte;  Para consolidar sua República burguesa, os girondinos apoiaram o Golpe do 18 Brumário (Bonaparte derrubou o Diretório e instituiu o Consulado. Napoleão Bonaparte Fontes: História Digital, google imagens...

×